27 de dez de 2010

Capitulo 21

Posted by sandry costa On 12/27/2010 4 comments


Lua Sangrenta
Loma

A paz em minha mente durou pouco, e logo vi que não estava sozinha, e tinha que ser ele?
“O que aconteceu Loma?” Jake perguntou, eu tentei, mas não foi possível impedir que ele vise tudo o que tinha acontecido.
“Maldito.” Jake pensou, um rosnado enfurecido saiu por seus dentes.
“Onde ele está?” Jake perguntou, estávamos chegando à reserva e vimos Leah e Johan vindo até nós como humanos. Jake e eu nos ocultamos atrás das ultimas arvores e logo fomos até eles.
- Jake. – Leah começou insegura. – Temos que conversar...
- Eu já sei Leah, Chamem todos. – Leah e Johan saíram e, não demorou muito e eles estavam partindo atrás de Damen. As emoções em mim eram conflitantes, uma parte em mim sabia o quanto o que eles fizeram era ruim, porem a outra parte, a maior delas, estava desesperada em saber que eles poderiam e com certeza iriam matar Damen.
Não vi o tempo passar e nem a chuva fina começar a cair, só voltei a mim quando senti braços finos me envolver, olhei por entre as lagrimas e vi a Emi.
- E-mi...
- Shii. Vai ficar tudo bem... Vem querida. – Emili me levou para sua casa, preparou um chocolate quente e me enrolou em um cobertor. Eu a ouvi falar comigo porem minha mente não me deixava prestar atenção. Senti o chocolate descer por minha garganta sem sentir o gosto dele, depois Emili me levou para o quarto. As horas nunca passaram tão lentamente, eu vi o céu escurecer e clarear sem conseguir nem cochilar.
No outro dia Emili veio ver como eu estava eu disse que estava bem, mas não estava, meu corpo estava dolorido e meu peito estava apertado, toda vez que o telefone tocava meu coração pulava dentro do peito, ela me contou que o Damen, o Alec e o Ever haviam fugido e eu me senti aliviada.

1º dia

2º dia

3º dia

Eu saia do quarto, comia e voltava a deitar. Minha mente vagava em diversas direções. Eu precisava saber o que estava acontecendo com o Damen.
- Não agüento mais. – Falei no terceiro dia. – Eu preciso de noticias deles.
- Não há como saber e nem nada que podemos fazer. – Realmente não havia nada a fazer, todos os lobos estavam atrás dos três.
Eu achava que iria enlouquecer, já fazia três dias e não tínhamos noticias nenhuma.
- Posso entrar? – Marcya perguntou. Dei um sorriso fraco para minha amiga e a deixei entrar. – Como você esta? – Marcya perguntou apreensiva.
- Horrível. – Falei a abraçando, era bom poder desabafar. – Você tem noticias deles?
- Não, eles não entraram em contato conosco. – Ela estava estranha, parecia preocupada, mas também parecia culpada.
- E eu estou. – Ela respondeu meu pensamento. “o que esta acontecendo Marcya? Me conta.” Ela desviou o olhar do meu. - É melhor você não saber. – Ela falou depois de um tempo.
- Você sabe que eu devo saber, se não você não estaria aqui. – Ela ficou em silencio e eu reforcei meu pedido “eu mereço saber Marcya, seja la o que for.”
- Ok, mas você não vai gostar. – A olhei preparada pra ouvir, mas o que ela contou era horrendo demais pra ser verdade. Senti meu estomago revirar e corri para o banheiro.
- Loma. – Marcya chamou preocupada. – O que esta acontecendo? Você esta bem?
- Estou. – Falei depois de lavar minha boca. Senti as lagrimas rolando em meu rosto. Então ele realmente havia virado um monstro sem coração.
- Em sua defesa, ele não tem controle sobre isso, é mais forte que ele. – Marcya o defendeu.
- Não o defenda. – Gritei. Marcya não falou nada, só ficou em silencio. – Desculpa.
- Não precisa se desculpar. – Agora meus nervos também estavam em frangalhos, na mesma hora que eu estava irritadíssima eu estava calma. Ela veio até mim e me abraçou. Novamente eu me sentia em um redemoinho de emoções, o amor gritante que eu sentia por Damen duelava contra o asco que eu sentia pelo vampiro de olho vermelho ao qual eu não sabia quem era.

Damen

Ever e Alec me conduziram pela floresta em um semi estado de torpor. Em minha mente super espaçosa eu lembrava de Loma, onde ela estaria e como ela estaria?
- Um pouco tarde pra pensar nisso não acha? – Ever perguntou, ele estava irritado desde que começamos essa viagem. – Por que seria? – Ele falou sarcasticamente e eu bufei.
- Olha...
- Querem parar os dois. – Alec falou. – Eu também não queria estar aqui, não queria ter deixado a Marcya, mas isso não vai mudar o que aconteceu e o fato de estarmos aqui, então vamos só continuar em silencio. – Sua voz era calma porem cheia de autoridade e eu me senti obrigado a me calar, Ever também ficou em silencio.

***

Já fazia três dias que estávamos correndo, havíamos passado por varias cidades e eu não achava que os lobos conseguiram nos encontrar. Para esconder nosso rastro nós havíamos feito grande parte do percurso na água.
- Você esta certo. – Ever falou. Era a primeira vez que ele falava comigo. Eu me sentia mal por ele e por Alec, não era minha intenção ter trago tantos problemas, eu só queria ser um ser imortal. – Você não pesou as conseqüências.
- Onde estamos? – Perguntei de repente, olhando para o céu. Um grande relâmpago rasgou o céu negro, mostrando uma lua vermelha. A mesma lua que vinha aparecendo nos últimos dias.
- Lua sangrenta. – Alec murmurou olhando também para o céu. – Mau sinal.
- Vamos procurar um lugar pra ficarmos. – Ever falou tentando esconder o tremor na voz, ele era um supersticioso e todos sabíamos disso. Dei mais uma olhada pra lua, nada poderia ficar pior do que já estava.
Não demorou e conseguimos encontrar um pequeno povoado, encontramos uma cabana abandonada oculta na floresta e como iríamos ficar menos de um ou dois dias a usamos.
- Precisamos saber onde estamos. – Falei novamente. E eu também queria muito poder ligar pra Loma.
- Impossível. – Ever falou lendo minha intenção. E meu humor de recém nascido logo ferveu.
- Eu preciso saber como ela esta. – Gritei me colocando de pé. Quando Ever se levantou Alec se colocou entre nós.
- Sem brigas, os dois. – Relaxei, mas não totalmente. Alec olhou para mim e falou. – Precisamos caçar, você precisa caçar. Agora que ele falou eu vi que minha garganta queimava muito.
- Vamos. – Falei com urgência. Ever deu um passo e Alec tocou seu ombro.
- Tudo bem. Eu vou com ele, também preciso caçar.
Eu rapidamente abati um urso negro e um cervo, Alec não estava totalmente concentrado em sua caça.
- Alec. – O chamei me aproximando dele. – Nós deveríamos procurar saber onde estamos. – Ele me olhou e eu acompanhei seu olhar, eu estava todo sujo e rasgado, porem esse não era o problema maior.
- Você pode usar seu dom em mim, e podemos arranjar alguma roupa próximo a cidade. – Ele ponderou por alguns segundos e afirmou com a cabeça, porem não foi preciso nem nos mexer e ouvimos passos vindo em nossa direção. Não demorou muito e os passos ficaram pesados, patas em vez de pés. Alec se colocou em posição de ataque e instintivamente me coloquei também, logo o cheiro nos atingiu forte e vimos ele entrar em nosso raio de visão.

4 comentários:

ELE QUEEEEEEEEEEEEEMMMMMMMMM? O-O kyaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh eu quero saber quero saber queroooo sabeeeeeeeeer! ç.ç

continua logoooo!

Que história Maravilhosa!!!
Mas a cada cap fico mais ansiosa, assim não há coração que aguente, rsrsrsr, tá tudo perfeito.
Quem estava se aproximando,eram os lobos? Ainda bem que curiosidade não mata hahaha
Beijos

ta bom ta bom ta bom
nao esta bem nao esta bem nao esta bem
ok ok ok vamos por partes
o q foi q aconteceu eu nao entendi
ta eu entendi mais nao tudo
só mais ou menos
mais pra menos q pra mais
wow ta lindo mas to meia perdida
parabens
beijos

Meu Deus não quero nem ler a briga disso tudo, ok eu quero ler sim.
Parabéns o capítulos está perfeito.
Beijos.

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.