19 de fev de 2011

Capitulo 22

Posted by sandry costa On 2/19/2011 4 comments


 - Ness – ele interrompeu nosso beijo ofegante.
            E antes que ele pudesse falar algo eu ataquei seu maxilar, beijando e sentindo seu gosto, seu cheiro amadeirado que eu tanto amo. Suas mãos  estavam firmes na base de minha coluna, me pressionando ainda mais contra ele.
            - Ness – suspirou – eu acabo de falar que é quase impossível me controlar perto de você, e tudo o que você faz é me tentar ainda mais?
            Sorri ao ouvir sua voz já alterada.
            Desci uma de minhas mãos até seu abdômen, acariciando-o por cima de sua camisa enquanto beijava seu pescoço, saboreando cada centímetro.
            - Por Deus Renesmee – ele gemeu frustrado e suas mãos desceram até meus joelhos onde ele me puxou para seu colo.
            Seus lábios famintos assaltaram os meus, me fazendo enlouquecer, eu estava queimando para ter Jacob de novo, e minha necessidade só aumentava a cada segundo.
            Os braços de Jake agüentavam todo meu peso, e me apertavam contra ele, o seu cheiro entorpecia meus sentidos como sempre fazia e tudo que eu podia fazer era querer mais e mais.
            Sem querer esperar mais eu tirei minha camisa, jogando-a longe e fazendo Jacob suspirar.
            - Nessie.. Eu acho que... Oh Deus, nós tínhamos que ir...  – ele suspirou me soltando lentamente.
            Friccionei todo meu corpo no seu até encostar meus pés no chão e senti ele trincar seu maxilar. Com uma confiança súbita eu tirei meu sutiã e o encarei profundamente.
            - Eu quero você Jacob – sussurrei enquanto passava meus dedos por suas madeixas negras e mordia meus lábios.
            Ele fechou fortemente seus olhos.
            - Mas nós acabamos de... – ele suspirou e lentamente abriu seus olhos – Você deve estar um pouco dolorida... Eu não quero te machucar... e nós também não temos tanto tempo...
            A medida que ele falava ficava evidente o esforço que ele estava fazendo para resistir a mim, e eu me encantava ainda mais.
            - Shhh – toquei seus lábios com meu dedo indicador – Se você não quer é só falar Jacob, não precisa dar desculpas, eu entendo. – falei em um tom ressentido e me virei de costas.
            Antes que eu pudesse andar até minha camisa que estava solta no piso sujo, Jacob me puxou, me abraçando por trás, colando seu abdômen em minhas costas.
            - Você acha mesmo que eu não te quero? – ele falou indignado enquanto suas mãos passeavam por minha barriga.
            Ele colou ainda mais nossos corpos me fazendo sentir o quanto ele estava... Hm, digamos que querendo tanto ou mais que eu.
            - Isso só aconteceu quando eu estou com você Ness – ele suspirou e colocou meu cabelo para o lado, beijando meu pescoço – Oh, eu sou louco por você amor – Jake sussurrou, sua voz estava grossa de desejo.
            Senti seus lábios quentes percorrerem minha clavícula enquanto sua mão subia lentamente até meus seios, me fazendo arquear ao tocá-los. E novamente eu estava em chamas, totalmente entregue em seus braços, como sempre estive.
            - Ainda acha que eu não quero você? – ele sussurrou e mordeu levemente minha orelha.
            Eu suspirei completamente entregue.
            - Oh Jacob, eu preciso... – sussurrei descontrolada – de você.
            Pude sentir ele sorrir e eu virei de frente, entrelaçando minhas mãos em sua nuca.
            Jake tocou ternamente minha bochecha, desceu por meu pescoço, meu tórax e abdômen, mal encostando sua mão, apenas o suficiente para me fazer arrepiar.
            - Nós temos muito tempo pela frente amor – ele sussurrou – Eu te amo e te desejo mais do que você pode imaginar, mas temos que ir, tem muita gente nos esperando lá, seus pais, os convidados... – ele suspirou – Temos que ir.
            Eu rolei meus olhos.
            - Jake, você vai mesmo me deixar assim? – fiz um muxoxo – Oh é meu aniversário, e eu quero passar com você amor, só com você.
            Ele sorriu e tirou minhas mãos de sua nuca, depositado um beijo em cada palma.
            - Eu também Ness, mas nós temos que ir... Você não quer mesmo que o clã Cullen venha atrás de nós, quer?
            E agora eu sabia que a batalha estava mesmo perdida, não teria mais nada por hoje.
            Bufei teatralmente e fiz um nada atraente beicinho.
            - Não – respondi e me virei, pegando meu sutiã e minha blusa, vestindo-os.
            Jake se arrumou e nós já estávamos prontos para ir.
            Nós corremos tranquilamente, Jake estava em sua forma humana, e apesar dele rir quando eu falava algo ou sorrir para mim ele parecia estar um pouco apreensivo, eu diria até mesmo tenso.
            - Jake – apertei sua mão – Está tudo bem?
            Ele respirou fundo.
            - Sim – mentiu fracamente.
            Rolei meus olhos
            - Até parece que você consegue mesmo mentir pra mim... – afaguei sua mão – Pode me falar, você tá com medo da reação do meu pai? É isso não é?
            - Mais ou menos Ness... – ele suspirou – E se ele me proibir de ver você? Ou tentar algo assim? Eu não vou ser capaz...
            - Shhh. – sorri ao interrompe-lo – Ele não faria algo assim Jake, aliás minhas tias e minha mãe estão do nosso lado... Eu só tenho medo de... Sabe como é..
            - Ele me atacar? – Jake riu – Isso é o de menos..
            Eu estanquei na hora.
            - Jacob Black. – pronunciei seu nome temerosa – Você não está pensando em brigar, está?
            - Claro que não meu amor – ele parou ao meu lado e alisou minha bochecha – Eu entendo o lado do seu pai... Sabe você é o bebê dele, e eu sou o cara mau da história, ele só quer te proteger, querendo ou não eu sei como é este sentimento – ele segurou minha mão – O de querer proteger uma pessoa até mesmo com sua própria vida, nós compartilhamos isso Ness, tudo que eu vou tentar mostrar é que você está segura comigo. E quando ele perceber isso, não vai haver mais motivos pra brigar.
            Eu suspirei.
            - Obrigado Jake – beijei sua mão que estava entrelaçada com a minha e fitei a imensidão enegrecida de seus olhos – Eu amo você, e tenho certeza que meu pai vai entender isto.
            Ele assentiu e continuamos a caminhar.
            - Sabe Ness eu nunca imaginei isto.. – ele começou pensativo.
            - O que Jake? – perguntei curiosa enquanto fitava seu lindo rosto pensativo.
            - Ah, passar por tudo isso, estar aqui com você... – ele me fitou – Antes de você nascer eu achava que minha vida ia ser só... – hesitou – dor.
            Eu sempre fiquei intrigada quanto a isto.
            Quer dizer, eu sabia que minha mãe era amiga do Jake, mas nada mais que isso. E sempre quando eu questionava os dois apenas falavam a mesma coisa, mais eu podia sentir que tinha algo a mais, algo que nenhum dos dois se atrevia a falar.
            - Dor?  - questionei.
            - É, dor e solidão. Mas então você nasceu, e foi como um por do sol ardente na minha vida, sabe, iluminando meus dias – ele falou meio sem graça fitando a sua frente.
            Eu sorri.
            Jacob não poderia estar me escondendo qualquer coisa.
            Eu parei na sua frente, interrompendo nossa caminhada, e sem nenhuma palavra entrelacei minhas mãos em sua nuca, puxando seus lábios para os meus.
            Foi um beijo lento, apaixonado, eu só queria retribuir um pouco do amor que eu sentia em suas palavras, no seu comprometimento comigo.
            Ele interrompeu nosso beijo em busca de ar e com nossas testas encostadas eu fitei seus olhos negros, eu me sentia bem, incrivelmente bem e amada ao fitá-lo assim intensamente, a certeza do meu sentimento só me preenchia cada vez mais, eu me sentia em casa.
            É, é estranho pensar assim, mas eu sentia que poderia ir para qualquer lugar, porém estando com Jacob tudo ficaria completo.
            Um barulho nos distraiu e interrompendo nosso momento e eu me virei rapidamente olhando naquela direção, junto com Jacob.
            Abri minha boca para falar algo mas Jake me interrompeu encostando seu dedo indicador em meus lábios.
            E de repente eu podia jurar que estávamos sendo observados, os pelos de minha nuca se eriçaram e o meu instinto de auto-preservação me atacou forte.
            Jacob também deve ter sentindo isto por que ele também ficou alerta e se postou na minha frente, tampando parcialmente minha visão, quando novamente ouvimos um barulho mínimo e eu fiquei a seu lado com meus olhos estreitos observando atentamente sem ver nada, apenas as folhas e outras coisas típicas de florestas.
            E tudo aconteceu muito rápido, no instante em que eu olhei para Jacob algo entrou em nosso campo de visão, Jacob me empurrou para trás dele e já ia se transformar quando vimos que era Carlisle ali.
            Soltei meu ar aliviada e coloquei a mão em meu coração aliviada.
            - Vô que susto! – comentei enquanto ele vinha até nós.
            Jacob respirou profundamente se acalmando e eu toquei sua mão enquanto sua tremedeira se dissipava.
            - Renesmee, Jacob! Onde vocês se meteram? Estávamos todos preocupados! Ainda mais quando vimos o carro largado daquele jeito...
            - É que eu não deixei a tia Rose fazer a revisão, e o carro resolveu falhar, então nós fomos até uma praia mais a frente pedir ajuda, mas não tinha ninguém, então ficamos por lá até passar a chuva... – eu corei fortemente lembrando da nossa maravilhosa tarde de amor.
            E conforme eu falava, vi que minha mãe e tia Alice apareceram, e logo atrás...
            Meu pai.
            Bom, agora eu realmente percebia o quanto o dom dele era inconveniente, por que nós podíamos tentar esconder dele a todo custo e ele nem perceberia nada, e ficaria por isto mesmo.
            Mas não tinha como ter segredos com todos esses vampiros e seus dons formidáveis.
            Refreei meus pensamentos, mas eu já sabia que era tarde demais.
            Eu sabia disso por que no instante seguinte Edward, meu querido e super-protetor pai avançava em meu namorado.
            - Seu cachorro, o que... o que você fez com a minha filha! – ele rosnou enquanto estreitava seu o espaço entre os dois.
            Jacob foi indo para trás até bater com as costas em um tronco, e eu assistia aquela cena chocada.
            Edward rosnava furioso, e todos ali havíamos ficado sem ação. Ele despejava impropérios para Jake em meio as seus rosnados e Jacob apenas gaguejava dizendo que me amava.
            E no momento em que os dentes de meu pai ameaçavam voar em seu pescoço eu agi por impulso.
            Assim como minha mãe e Carlisle.
            Eu praticamente voei até os dois, me enfiando no meio deles enquanto Bella e Carlisle empurravam Edward para a direção contrária.
            - Não BELLA! Me deixe ir até lá, Jacob precisa de uma lição e é agora, já basta você no passado, agora Renesmee, eu não vou deixar. Você não sabe o que ele fez, esse cachorro, ele se aproveitou da nossa filha Isabella, ele sempre tenta tirar as coisas que amo de minha vida, isso não vai acontecer!
            - Eu sei Edward. – ela sussurrou – Eu sei, por favor se acalme, por favor Edward, você não vai querer magoar nossa filha, vai?
            - Edward, não faça algo de cabeça quente que irá se arrepender depois, por favor meu filho, acalme-se – Carlisle falava preocupado.
            Eu deixei minha mãe acalmando meu pai enquanto me virava lentamente para Jacob que estava com a expressão em um misto de choque e dor.
            - Jake – sussurrei e ele continuava fitando o vazio – Jacob, você está bem?
            - E-Eu... Eu... não bom o bastante – ele balbuciou e virou para me olhar, seu rosto lindo retorcido em uma mascara de dor.
            Eu toquei seu rosto delicadamente.
            - Não fale besteira Jake, você é bom, eu te amo, a nossa recíproca é verdadeira, nós estamos juntos, não há o que temer – deixei minha mão repousar em sua bochecha e ele fechou seus olhos inspirando profundamente.
            - Eu te amo Renesmee – ele sussurrou simplesmente.
            Eu sorri.
            - Saia de perto desse cachorro renesmee! AGORA! – Edward gritou ainda raivoso.
            Respirei fundo.
            Eu tinha que dar um jeito nessa situação, ele teria que aceitar, de um jeito ou de outro, eu ficaria com Jacob.
            Jacob começou a tremer e ia falar algo quando eu o interrompi.
            - Deixe comigo – sussurrei olhando em seus olhos – Vá até o carro e me espere lá.
            - Mas.. – ele iria me contestar e eu o interrompi novamente.
            - Por favor Jacob, é melhor assim, acredite. Vá lá e eu te encontro quando tudo se acalmar.
            Ele suspirou, assentiu e saiu silenciosamente.
            - Pai – eu suspirei – Nós precisamos conversar.
            - Não há o que conversar Renesmee, eu quero você longe dele... – ele iria falar algo mais eu o interrompi.
            Eu sabia que ele estava exagerando, droga, eu não era mais um bebê.
            - Eu não vou ficar longe de Jacob – falei estranhando o tom frio em minha voz – Você não entende? Pai, por todos esses anos você não leu minha mente? Jacob sempre foi o que eu quis, sempre vai ser. Eu o amo e ele me ama, nós fizemos amor sim, como dois jovens apaixonados! Não matamos ninguém, não ferimos um ao outro, apenas fizemos o que casais do mundo inteiro fazem! O que há de tão errado nisso?
            - Ele, ele... – Ele gaguejou – Não é de hoje Renesmee, pelo amor de Deus, eu pensei que quando... Que quando Bella virasse vampira Jacob iria embora, mas ele ficou aqui, e pior ainda, com um impriting por você, já não basta...
            - Edward! – minha mãe interveio – Pare com isso, ouça renesmee, não seja assim tão radical, os dois se amam – ela segurou o rosto de meu pai com ternura – Eles se amam de verdade, como nós meu amor, não faça as coisas parecem piores.
            - Mas ela é nosso bebê Bella – ele suspirou e fechou seus olhos – Por mais que ela tenha crescido rápido eu ainda a vejo como aquela pequena menina com os cachinhos cor de bronze, e os olhos cor de chocolate como os seus, a menina que corria e se jogava em meus braços, tão frágil, entende o que eu quero dizer? Eu só quero levá-la daqui e não deixar que nada a machuque, eu só... – ele abriu seus olhos e me fitou – Eu só quero protegê-la de tudo que possa machucá-la. Eu a amo Isabella, você e ela são a minha vida. Pode entender agora?
            Eu senti meus olhos lacrimejarem, era obvio que meu pai nos amava mais que tudo, que ele só queria meu bem, mas ele tinha que confiar em Jacob, ele nunca me magoaria, ou faria mal algum para mim.
            - Eu sei meu amor – minha mãe deu um beijo delicado em seus lábios – Mas ela ama Jacob – ela olhou para mim com um meio sorriso – Você não consegue observar traços de uma Bella obstinada na nossa Nessie?
            Eu dei um sorriso.
            - Ela não deixará Jacob, assim como eu nunca te deixei, e além disso nós podemos confiar em Jake, assim como nós ele só quer o bem dela meu amor, eu sei que ele nunca a magoaria – ela o fitou – E tanto eu quanto Ness somos suas, você nunca nos perderá, mas ela precisa viver Edward, amar, sentir, aproveitar. Nós não podemos tê-la para sempre como uma menina, ela cresceu, e mesmo tendo o crescimento anormal e nós termos pouco tempo para se acostumar com isto, ela já está uma mulher, e decidiu por seu parceiro. Nós temos que aceitar, de um jeito ou de outro.
            A esta altura as lágrimas já rolavam por meu rosto.
            Minha mãe entendia tudo o que eu estava sentindo, por que ela mesmo havia sentido esse amor, ela tinha vivido isto na pele, e sabia que não é uma coisa que se pode lutar contra.
            E ver o carinho com que os dois se olhavam, o jeito macio com que ela pronunciava aquelas palavras e o jeito com que meu pai pareceu amolecer por seu toque, só aumentou ainda mais a admiração que eu sentia pelos dois, era como se nenhum de nós estivéssemos ali, nem Carlisle, nem Alice, nem eu. Apenas os dois fechados em sua bolha contagiante de amor e aceitação.
            Deixei um sorriso bobo brotar em meus lábios, quando meu pai assentiu  concordando com as palavras de minha mãe sem contestar.
            Ele caminhou até mim e eu envolvi-o com meus braços.
            - Eu te amo pai – sussurrei – É diferente, é um amor que nasceu comigo entende? Nada pode me tirar de você e nem da mãe, vocês são partes de mim.
            - Desculpa Ness – ele me apertou gentilmente e eu me afastei um pouco.
            - Sabe que não é a mim que você tem que pedir desculpa, não é?
            Ele fez uma careta..
            - Vamos lá papai – sorri – Depois de tudo isso, você não quer persistir no orgulho não é?
            Ele balançou a cabeça.
            - Você e sua mãe vão acabar me matando – sussurrou – Vamos, e que fique claro que eu não aceitei totalmente isto, estamos em uma espécie de trégua, e vai ter regras! Nada de...
            Nós seguimos até o carro enquanto Edward falava de suas regras absurdas.
            - Eu sabia que ele aceitaria de um jeito ou de outro – Alice murmurou ao meu lado, e eu quase havia esquecido que ela estava ali o tempo todo.
            - Edward jamais faria Nessie sofrer – Carlisle afirmou logo atrás de nós.
            E eu apenas segui com um sorriso bobo nos lábios.
            Sim, eu iria encontrar meu namorado.
            Perfeito, lindo, que me ama, que me faz ver estrelas...
            - Não dá pra você ao menos controlar seus pensamentos? – Pai falou carrancudo – Sabe eu não quero detalhes dessa tarde.
            Eu soltei uma risada alta e nós seguimos até lá.

4 comentários:

Ai que amor. O edward e a Bella sao uns fofos. e que bom que o jake e a nessie vao ficar juntos.
Beijos e parabéns pela fic.

Onws... Muito lindo, mas serio, eu achei que o Edward ia matar o Jake! Ainda bem que a Bella salvo ele... kkkkk' Continue assim e nao nos faça sofrer esperando o proximo capitulo, tah?

A que lindo que bom que tudo esta se resolvendo
vc esta de parabens.
bjs

aunn
o Ed com ciumes é sempre uma graça
kkkk'
ai o que seria do Jake sem a Bell's hein?
parabéns
eu amei o cap
Beeeijos

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.