20 de nov de 2011

Capitulo 30

Posted by sandry costa On 11/20/2011 1 comment


 Irrevogavelmente Predestinados

Ponto de Vista da Carol
----Meses depois----


Acordei cheia de sede e fui à cozinha. No meio disso encontrei uma foto da Elena vestida de noiva no nosso casamento.



Hoje fazia 3 semanas que eu e Nahuel casámos, a Sara e o Embry, a Elena e o David e ainda…inesperadamente a Leah e o Tom. É Leah descobriu que também estava grávida e não perdeu tempo, foi quadruplo casamento…

- Nahuel, Nahuel! – eu tentei o acordar. 

- Bom-dia. – ele sussurrou me beijando.

- Olha, eu amo muito você, mas acorda. Isso é sério! – eu falei apressada.

- Que passa? – ele se sentou esfregando os olhos – Tá um cheiro esquisito aqui…

- É isso que eu tou falando. Minhas águas rebentaram! – eu evidenciei.

- AGORA? Nossa criança vai nascer agora? – ele perguntou mais desperto do que nunca.

- Filha? – mamãe entrou de roupão e pijama correndo no meu quarto.

- Sim. Vai nascer. – eu informei todos.

- Bella, Edward, Carlisle!!! – papai chamou chegando também.

- Oh meu deus. – Nahuel coçou a cabeça nervoso.

- Não entre em pânico. – tia Bella pediu chegando – Carol começa respirando assim que as contrações vierem.

Não foram as horas mais fáceis da minha vida. Eu tinha que admitir isso. Eu gritei, eu soei, eu segurei a mão de minha mãe e de Nahuel e meu pai me deu apoio moral.

No fim, todo esse esforço valeu a pena.

- Que linda menina! – mamãe entregou ela para mim.

- Já pensaram num nome? – tia Bella questionou.

- Já. – Nahuel olhou para mim. Nós já tínhamos decidido isso.

- Qual é? – mamãe quis saber.

- Lillian. Como você, mamãe. Como todos sabemos o nome completo da mamãe é Rosalie Lillian Hale. – eu falei e ela começou chorando (soluçando) vampiricamente.

- Oh meu deus, eu tou tão orgulhosa. Meu amor! – ela nos abraçou às duas.

- Sabe, ursinha e filhota, eu gosto muito do nome, mas… – papai começou.

- Pai, veja o que vai dizer! – eu olhei para ele.

- Mas é grande. Deixa eu pensar…Lillian, Lillian…já sei! A terceira loira da minha vida pode se chamar Lilly!

- Que posso eu fazer né? Todo o nome que você altera acaba por ficar…



- Gente! Gente! – Collin subiu até o quarto – Vim avisar que Leah tá em trabalho de parto. Carlisle podia ir lá? – Collin pediu.

- Claro. – vovô disse e saiu.

- Que menina linda! – ele disse olhando com super devoção para minha filha Lilly.

- Oh não…não, não e não! – mamãe disse negando com a cabeça.

- Oh sim. – Jacob riu.

- Você tá tendo um imprinting com minha filha? – eu perguntei o que eu já sabia.

- Eu acho que sim. – ele disse dando de ombros se tirar os olhos de minha bebê.

----7 anos depois----


- Cuidado crianças! – eu avisei.

Lilly estava cuidando da Melanie (filha de Leah e Tom), da Mia (filha de Maggie e Nick que nasceu no mesmo ano que minha filha Lilly) e ainda do Matt (o segundo filho da Rachel e do Paul que também nascera no mesmo ano que Lilly) no jardim. Hoje era o aniversário da Lilly e da Melanie.

Mas a grande diferença era que minha filha crescera num ritmo acelerado, sendo filha de dois híbridos e estava completando 18 anos enquanto que a Melanie só estava fazendo 7. Às vezes eu tinha alguma inveja saudável da Leah. Sua filha crescia a um ritmo normal e humano…

- Claro. – Melanie disse.



- Mãe, eu tou nervosa. Ainda não vi o Collin hoje… – Lilly disse. Ela estava tão linda e crescida…



- Oh filha. Ele deve estar quase pronto. 

- Jess, você sabe onde está o Peter? – Stella perguntou para a Jess.

Ponto de Vista da Jess

- Não, Stella. – eu respondi.



Eu era mais parecida com meu pai. Embora fosse “tia” da Stella, eu a tratava como uma amiga/irmã. Nós eramos muito chegadas.

Eu e Stefan estávamos namorando. E Stella estava namorando o irmão gêmeo, o Peter. Peter e Stefan deviam tar atrasados. Eles iam trazer os pais hoje para a festa da Melanie e da Lilly. Claire e Quil nos tratavam a mim e à Stella muito bem. Eram os melhores sogros do mundo.

Peter tinha tido imprinting na Stella assim que ele se transformou pela primeira vez e Stefan tinha tido imprinting por mim assim que virou lobo também.

O Leo é que tinha tido um imprinting pela pequena Melanie. Sim, pela filha da Leah e do Tom… Ele ainda ia ter de esperar um tempo…



Diane (a filha de Rachel e Paul) tinha agora 14 anos e namorava com o lobo Roli que tinha tido um imprinting por ela. Bryan também tinha 14 anos.

- Você acha que Stefan e Peter ainda vão demorar muito? – eu perguntei para Stella impaciente. Eu tinha saudades de meu amor…

- Jess, Stella venham aqui. – minha irmã Mary nos chamou.

- Que foi, mamãe? – Stella perguntou.

- Seus namorados gêmeos já chegaram. – Mary nos informou sorrindo.

Nós praticamente corremos para a porta de entrada. Eu beijei o Stefan assim que o vi. Parecia uma eternidade desde ontem…



Peter e Stefan não eram gêmeos verdadeiros. Eles não eram iguais. Mas eram parecidos… Eles tinham herdado a cor dos olhos da mãe, da Claire.



- Tive tanta saudade de você! – eu o abracei.

- Venham para a rua. Vamos cantar os parabéns. – Elena nos chamou com David bem ao lado dela.

Depois dos parabéns cantados, Alec e Angie reuniram todos para fazer um anúncio.

- Que anuncio, Alec? – vovó Esme perguntou.

- Eu e a Angie vamos viajar.

- Viajar? – Maggie perguntou.

- Sim, viajar. Vamos tirar uma espécie de lua-de-mel mais longa, vamos viajar pelo mundo, sem destino certo, tirar um tempo só para nós dois. – Angie explicou.

- Vou ter saudades de vocês. – Jane disse.

- Eu também! – um coro de todos se fez ouvir.


----4 anos depois----


- É hoje que minha irmã e Alec chegam, não é mesmo? – Maggie perguntou para tia Alice pela 3ª vez hoje.

- Sim, Maggie. É hoje. – tia Alice respondeu.

- Tenho tanta saudade deles. Puxa vida, uma viagem que dura 4 anos é muito tempo!!! – Maggie se queixou.

- Tou com você nessa. – vovó Esme disse impacientemente andando de um lado para o outro.

- Também tenho saudades do tio Alec e da tia Angie, mas se acalma mãe. – Bryan disse para Jane.

Bryan tinha sido transformado o ano passado, pelo Nahuel. E tinha ficado meio-vampiro também. Jane e Victor tinham chegado a acordo nisso e decidido que era o melhor para todos. Seu regime era bem vegetariano como o nosso.



Algumas horas mais tarde, em Forks, eles chegaram com sorrisos na cara. E não vinham sozinhos…

- Angie, Alec!!! – todos corremos para os abraçar.

- Oh meu deus, que saudade! – vovó Esme abraçou Alec com muita força.

Depois de todos se abraçarem, Angie chamou a garota que vinha no carro com eles.

- Camille, vem aqui. – ela chamou e Camille veio se abraçar a Angie. Ela era vampira vegetariana como a gente.

- Camille, essa é nossa família. Família, essa é a Camille. – Alec fez as apresentações.



- Olá Camille. – nós a cumprimentámos ainda sem percebermos o que ela estava fazendo aqui.

- Bryan, como você tá crescido garoto! – Alec comentou.

- Obrigado, tio Alec. – Bryan sorriu.

- Família, Camille é nossa filha agora. Nós a encontramos quando ela era recém-nascida há 4 anos atrás. Seu criador a abandonou e nós decidimos ajudar ela. A ensinámos nossos hábitos vegetarianos e aos poucos nos afeiçoámos a ela. – Alec explicou. Nós ficámos perplexos.

- Espero que a aceitem como nossa filha e membro da família. – Angie disse abraçando forte a Camille.

- Bem-vinda à família, Camille. – eu fui a primeira a ir a cumprimentar. Abracei ela para a confortar – Eu sou a Jess.

- Bem-vinda! – meu irmão a cumprimentou – Eu sou o Nick.

Aos poucos e poucos, e já dentro de casa, todos se apresentaram e ela relaxou um pouco. Ela parecia ser legal.

Uma química inegável nasceu entre Bryan e ela quando ele a beijou na face. Eles combinavam um com o outro.

Passados esses anos, cada casal da família Cullen tinha um chalé construído ao lado e em volta da casa grande em Forks. Lá viviam os casais e os filhos. Menos tia Rose e Emmett, tia Alice e tio Jasper e vovó Esme e vovô Carlisle que viviam na casa grande.

Alguns meses mais tarde, um dia Stefan e Peter convidaram a mim e à Stella para irmos jantar fora. Nessa noite, eles nos pediram em casamento de uma forma super romântica.

Meses depois da organização, nosso casamento duplo chegou.

- Você tá pronta? – eu perguntei à Stella que estava usando o vestido da noiva da sua mãe (Mary). Eu estava usando o vestido de noiva da minha mãe (Nessie). Tínhamos decidido mostrar nosso amor por elas, dessa forma.

- Sim.

Ao som de “A Thousand Years” de Christina Perry, eu e Stella entrámos na passadeira vermelha com nossos pais nos dando o braço até ao altar.

(Nota da Autora: Para criar o clima da cena, clique aqui para ouvir a música.)

Nossos noivos estavam no altar nos esperando de terno. Esse era o momento mais esperado em toda minha eternidade. Eu tinha certeza absoluta que eu ia querer Stefan hoje e sempre.

A cerimónia foi conduzida num ritmo calmo e tudo o que nós queríamos era ficar um com o outro.

- Eu, Stefan Young Ateara, aceito você, Jess Cullen Black, como minha esposa para amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa eternidade. – Stefan proferiu enquanto colocava a aliança no meu dedo.

- Eu, Jess Cullen Black, aceito você, Stefan Young Ateara, como meu esposo para amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa eternidade. – eu jurei enquanto colocava emocionada a aliança no dedo de Stefan.

- Eu, Peter Young Ateara, aceito você, Stella Black Clearwater, como minha esposa para amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa eternidade.

- Eu, Stella Black Clearwater, aceito você, Peter Young Ateara, como meu esposo para amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa eternidade.

- E assim vos declaro, marido e mulher e marido e mulher. Podem beijar as noivas! – o conservador declarou.

Stefan me beijou e Peter beijou Stella. Choveram aplausos sobre nós.

Ponto de Vista da Nessie

----2 anos depois----


- Jake, se controla. – eu pedi rindo – Assim vamos chegar atrasados no casamento do Bryan e da Camille!

- Ninguém ia sentir a nossa falta…podíamos ficar aqui e aproveitar o quentinho da cama…

- Não seja safado! Temos de ir.

- Temos mesmo? – ele olhou para mim sedutor. Assim ele ia conseguir me convencer…

- Jake! Você sabe que temos…

- Pronto, ok! Eu me rendo! Mas logo à noite você não me escapa, princesa. – ele disse e me beijou.

O casamento foi lindo e a surpresa da festa foi o anuncio oficial de que a Mia e o Matt estavam namorando. Matt tinha tido um imprinting com ela. Mia era parecida com a Maggie, sua mãe. Achava que elas eram tão iguais nalgumas coisas…

Melanie e Leo também estavam namorando.





Ponto de Vista da Bella

- Eu tou grávida. – Jess disse.

- Eu também. – Elena contou.

- Parabéns! – nós as abraçámos.

- E eu sei disso. – Alice disse – Você Jess, vai ter uma menina. Sarabella é seu nome. Não sei porquê, mas é esse o nome. E você Elena, vai ter um menino, Anthony é o nome dele mesmo. Minhas visões estão ficando melhores…

- Alice! Assim você conta tudo! – eu me queixei.

- Se acalma, Bellinha. Só mais uma coisa, eu acho que vossos filhos estão predestinados a se casar. Se o futuro não mudar, eles o irão fazer. – Alice contou mais sobre suas visões – Ah, e Sara e Stella, vai acontecer o mesmo com vocês, seus filhos vão ficar juntos… E com os filhos de Mia e Matt e Melanie e Leo também…

- Shuss! – nós a mandámos ficar de boca calada.

Minha filhinha Elena estava grávida. Eu ia ser avó novamente… Que alegria.

Mais tarde, eu e Edward fugimos da festa e fomos para o nosso chalé, só eu e ele.

Edward e eu fomos tomar banho juntos.

- Alguma vez nossa família vai parar de crescer? – eu perguntei a Edward que estava me abraçando.

- Não creio. Seremos sempre mais e mais, juntos e felizes por toda a eternidade. E tudo começou conosco.

- Você acha que nós fomos Predestinados a ficar juntos?

- Eu não acho. – ele disse – Eu tenho certeza! Predestinados a ficar juntos e a pertencer um ao outro para toda a eternidade. – ele afirmou.

- Por toda a eternidade… Eu te amo tanto… – eu disse.

- Eu te amo também. Porque nenhuma quantidade de tempo com você seria suficiente, mas vamos continuar com o para sempre! – Edward disse e me beijou.

Naquela noite, como tantas outras durante nossa eternidade, nos fundimos num só, porque era isso mesmo que nós eramos. Não dois, mas sim um. Separados não eramos nada. Juntos, eramos tudo e para toda a eternidade, para SEMPRE!
--------FIM---------

1 comentários:

PERFEITOOOO
ADOREIIIII
PARABENS
AMEI
RM

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.