4 de fev de 2011

capitulo 15

Posted by sandry costa On 2/04/2011 2 comments


Sarah
Entrega


NA/ desculpem o nome sem graça, estava sem criatividade para o nome, espero que gostem do capitulo, detalhe faltam somente tres capitulos para terminar

Caminhamos pelo castelo. Mônica e eu mostramos tudo para o tio Gui, afinal o Ariel já conhecia o castelo. Enquanto nós caminhávamos, eu estava consciente da mão do Ariel acariciando a minha e tudo o que eu queria era ficar a sós com ele. Percebi o clima entre a Mônica e o Gui e, seguindo minhas intuições, chamei Ariel discretamente e entramos em uma das portas.
A porta dava em uma escada em espiral que ia até uma das torres do castelo. A vista lá de cima era perfeita, dava pra ver toda a cidade, que estava toda iluminada. A lua parecia estar a apenas um palmo de nossas mãos, o vento tocava nossos rostos suavemente e uma fragrância floral nos envolveu. Sem dizer nada, Ariel me tomou em um beijo calmo, mas com tanto amor que eu parecia flutuar. Ele pôs a mão em minha cintura e me puxou pro seu abraço quente, enquanto sua língua explorava cada pedaço da minha boca.
- Senti sua falta. – Ariel falou quando nos separamos.
- Eu também, todos os dias. – Abracei o Ariel com força. – Nunca mais vamos nos separar.
- Nunca. – Ariel deu um beijo no meu ombro e subiu por meu pescoço acendendo um fogo em meu baixo ventre, ele passeou sua língua por meus lábios e me beijou com luxúria. Sua mão subiu hesitantemente por minha barriga, levantando minha blusa até tocar meu seio por sobre minha lingerie. Gemi baixo e aprofundei ainda mais nosso beijo. Ariel desabotoou o fecho do meu sutiã, que era na frente e senti minha calcinha molhar quando senti seu toque quente em minha pele. Nos separamos e ele retirou minha blusa, seus olhos se prenderam em meus seios e ele mordeu o lábio. Ele voltou a me beijar e suas mãos se encarregaram de me levar à loucura enquanto ele tocava meus seios, intercalando ambos. Ariel desceu sua boca, beijando meu pescoço, colo e chegou aos meus seios, senti seus lábios o tocarem e senti minhas pernas bambearem, o gemido que eu dei não foi nem um pouco baixo. Seus lábios foram substituídos por suas mãos e ele voltou a me beijar, eu sentia meu corpo em ebulição.
Ariel se separou de mim e procurou ao redor.
- O que foi? – Perguntei alarmada. Ele pegou minha blusa e me entregou. Eu a peguei atônita, sem entender. – Por quê? – Minha voz demonstrou todo o desespero que me consumiu. Ele realmente não me queria? Ariel deu um sorriso torto entendendo o que eu estava pensando.
- Não. Eu quero tanto quanto você, mas não aqui. – Ele disse, me lembrando de que nós estávamos na torre do castelo. Senti meu rosto queimar e olhei para baixo, vestindo rápido minha blusa. Ariel levantou meu rosto. – Mais tarde. – Ele sussurrou voltando a me beijar. Foi difícil acalmar meu coração e meu corpo.
Descemos e encontramos a Mônica e o tio Gui. Percebi que tínhamos interrompido algo, mas eles não se importaram, pelo contrário, estavam imensamente felizes. Conversamos e por fim nos decidimos a passar mais um tempo em Volterra. Quando chegamos ao nosso quarto perguntei à Mônica.
- Agora conta! – Como eu suspeitava, havia realmente algo entre o tio Gui e ela. – Você se apaixona e foge? – Perguntei sarcástica.
- Ele é o irmão da minha mãe, meu tio. – Fiz uma careta.
- Isso é ridículo. – Pois pra mim isso realmente era ridículo.
- Agora eu sei. – Mônica falou sorrindo.
- Que ótimo!            
- Que ótimo!
Não toquei mais no assunto. Não demorou e Mônica estava dormindo. Saí andando na ponta dos pés, eu precisava tomar um ar, e tinha a esperança de encontrar o Ariel. Fui até a cozinha e tomei um copo de suco, passeei pelo salão de jogos e o salão principal.
- Está sem sono? – Nando perguntou vindo até mim. – Aquele é seu namorado? – O olhei sem acreditar que ele estava tocando nesse assunto, eu nunca tinha dado liberdade a ele.
- Olha, isso...
- Algum problema, amor? – Ariel perguntou me abraçando pelas costas. Ele encarou o Nando com um olhar feroz, toquei seu rosto, nós tínhamos um código já que ele não gostava de ler meus pensamentos, pra me dar privacidade, sempre que eu queria dizer alguma coisa só pra ele, eu tocava seu rosto. “Fica calmo” pedi, ele me olhou já visivelmente mais calmo. “vamos sair daqui, tenho planos pra hoje noite.” Falei sugestivamente, um sorriso brincou nos seus lábios.
- Problema algum, vem. – Saímos, deixando Nando bufando atrás de nós.
- Planos pra hoje a noite é? – Ariel perguntou sorrindo quando nos afastamos. Senti meu rosto corar e ele sorriu beijando meu pescoço. Caminhamos abraçados até chegar ao quarto dele, o olhei espantada.
- E o tio Gui? – Perguntei antes de Ariel abrir a porta.
- Ele foi caçar. – Ele disse já me puxando pra um beijo feroz. – Eu senti sua falta todos esses dias. – Ariel falou quando nos afastamos.
- Eu também. Mas agora estamos juntos. – Voltamos a nos beijar com amor e desejo, seus lábios desceram lentamente pelo meu pescoço, deixando um rastro quente onde ele tocava. Minhas mãos agarraram seu cabelo e mordi o lóbulo da sua orelha o fazendo gemer rouco. Suas mãos subiram se livrando da minha blusa e começou a passá-las pelo meu corpo. Tocando. Conhecendo. Ariel abriu o fecho do meu sutiã e capturou meu seio com sua boca, eu ofeguei sentindo meu baixo ventre ferver diante do seu toque.
- Eu te amo. – Ariel falou olhando pra mim.
- Eu também... – Tentei responder, mas suas carícias recomeçaram me impedindo de terminar. Seus lábios voltaram para os meus e suas mãos tiraram minha bermuda, tocando minha intimidade por cima da calcinha. Arfei levantando meu corpo e provocando contato com o seu membro. Ariel afundou sua mão em minha cintura, gemendo alto. Retirei sua bermuda e sua boxer e Ariel desceu lentamente minha calcinha passando sua mão por minha perna. Ele me olhou com devoção nos olhos.
- Perfeita. – Ele sussurrou, passei minhas mãos por seu peito, abdômen e baixo ventre e seu pomo de adão se contraía e erguia rapidamente. Ariel desceu sua mão por minha barriga até tocar minha intimidade e acariciou meu clitóris.
- Hum. – Gemi baixo. – Ariel. Por favor. – Supliquei serpenteando meu corpo pelo dele. Sua temperatura se elevou imediatamente e ele se posicionou entre minhas pernas.
- Amor eu não tenho experiência, e se eu te machucar...
- Você não vai. – Falei o interrompendo. – Só me ame.
Ariel me penetrou lentamente rompendo a minha barreira da virgindade e me fazendo sua. Ele começou a se mexer cada vez mais rápido tirando toda minha sanidade. Espasmos percorriam todo meu corpo e cada toque seu mandava ondas de fogo pro meu ventre.
- Eu vou... Ah! – Senti tudo explodir dentro de mim, meu corpo desabou mole na cama, minha respiração saía com dificuldade, Ariel olhou nos meus olhos, seus olhos radiantes e vitoriosos.
- Minha vida.
- Eu te amo.
Adormeci nos braços do homem da minha eternidade.
***
Acordei ouvindo vozes exaltadas, me levantei em um pulo e tremendo por causa do susto.
- Ariel. Ariel acorda. – Ariel acordou também assustado e me olhou sem entender o que estava acontecendo. – Ouvi. – Falei e paramos pra prestar atenção.
- Quem... – A porta abriu com tudo interrompendo minha pergunta.
Mônica

Fingi não ouvir a Sarah saindo do quarto e tentei dormir. Pouco depois ouvi uma batida leve, fui rapidamente até a porta e a abri.
- Gui?
- Vem comigo.
- Pra onde?
- Confia em mim.
Gui e eu nos sentamos em uma rocha depois de caçarmos, a lua estava cheia no céu e eu fiquei a admirando. Gui acariciou meu cabelo, seus olhos inseguros.
- O que foi? – Perguntei sem entender por que ele tinha ficado em silêncio de repente.
- Nós estamos fazendo a coisa certa, não estamos? – Eu não sabia a resposta pra sua pergunta, mas não poderia ser errado já que eu o amava tanto.
- Não é errado. – Falei olhando nos seus olhos. Meus olhos voltaram pra lua e ele riu baixo, o olhei interrogando e ele sussurrou baixo em meu ouvido.

Tá vendo aquela lua que brilha lá no céu
Se você me pedir eu vou buscar só pra te dar
Se bem que o brilho dela não se compara ao seu
Deixa eu te dar um beijo vou mostrar o tempo que perdeu.

A música era perfeita e sua voz a tornava irresistível. Mesmo não querendo interromper a perfeita melodia, me joguei em seu colo e minha boca buscou a dele faminta de desejo.
- Eu amo você Mônica. – Gui falou intensamente, seus olhos presos nos meus. Não adiantava negar, eu também o amava inegavelmente.
- Idem. – Falei com um sorriso voltando a beijá-lo. Tateei seu rosto com meus dedos guardando em minha mente cada mínimo detalhe. Gui acariciou minhas costas e beijou meu pescoço.
- Me mande parar se estiver indo rápido demais. – Gui pediu, mas tudo que eu menos queria era parar. Ele retirou minha blusa admirando meus seios, suas mãos desceram pelo meu colo, e os acariciou, continuou descendo até chegar ao cós da minha bermuda e a desabotoou. Eu me concentrei em respirar e acabar com seu cabelo. Puxei sua camisa e ele ajudou a tirá-la, nos livramos das outras peças de roupas e Gui me voltou pro seu colo, nossas intimidades se tocando e nos levando ao delírio.
- Gui, por favor. – Implorei arqueando meu corpo no dele. Gui me reposicionou e me encaixou lentamente em seu membro. Ele me deixou ditar o ritmo e eu comecei a me mexer, minhas unhas cravaram em suas costas e Gui apertou minha cintura, seu toque parecia passar minha carne e atingir meus ossos. Com mais alguns movimentos senti uma onda de prazer intenso explodir dentro de mim e gememos juntos nossos nomes. Coloquei minha cabeça no encaixe do seu pescoço e fechei meus olhos, minha intimidade contraída contra seu membro e espasmos por todo o meu corpo.
- É certo. – Gui sussurrou. – Muito certo.
Ouvimos vozes ao longe e um arrepio ruim passou por meu corpo.
- Oh, não. – Sussurrei.
- Vem. – Gui pegou nossas roupas e nos escondemos atrás de uma árvore. Mais de dez vampiros apareceram dentre as árvores. Entre eles estava o vampiro que vimos na França. Gui me abraçou e senti como se o ar acabasse em nossa volta e estávamos no meu quarto no castelo.
- Quem eles eram? – Gui perguntou, e um nome veio em minha mente.
- Os King.

2 comentários:

Ai san eu amei o cap
e cara esses tais de kings tinham que aparecer logo agora????
porque?????????????????
estraga prazeres esses vampiros hein...
Ah San, ja vai acabar
que pena eu gosto tanto dessa fic
mas faze o que néh?
tava ótimo
parabéns

Nossa que show amei. bjs

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.