4 de fev de 2011

capitulo 12

Posted by sandry costa On 2/04/2011 5 comments


Esse plano nunca dará certo.

Olá pessoal! Finalmente voltei com as postagens, peço desculpas pela demorava, mas eu estava viajando e não tinha como escrever e por isso eu apenas comentava as fics.
Mas para o alivio de quem acompanha a fic aqui está o capítulo 12 de Secrets of Life.
Sei que eu fiquei um mês sem postar e por isso vou compensar vocês de alguma forma, só não sei como, mas vou kkk’.
Vou logo avisando que deste capítulo em diante as coisas vão começar as esquentar. Muitas coisas iram acontecer e os Cullens não irão demorar a aparecer.
Vamos deixar de conversa mole e vamos ao que interessa.
Boa leitura gente! Espero que gostem do capítulo.
Beijus *-*


Oliver:

Não sabia onde estava com a cabeça para ter deixado tudo aquilo acontecer. Não deveria ter me aproximado da Rachel, meu consciente dizia-me para distanciar, mas meu corpo simplesmente não obedecia. Eu a queria mais que tudo, eu a amava, mas algo dentro de mim me dizia pra me distanciar, porém meu coração parecia bater, parecia estar vivo cada vez que eu a olhava.
Eu fui um covarde deixei me aproveitar da situação vendo seu estado. Queria consolá-la de alguma forma, precisa mostrar que Xavier não era tudo para ela, que ele não a merecia que devíamos formar um plano enquanto tínhamos tempo, mas ao invés disso fiz com que ela se apaixonasse por mim, fiz com que ela se sentisse amada de verdade, amada por uma pessoa que a ama também, mas infelizmente tem outros planos para seguir. Ótimo Oliver você fez tudo o que podia fazer menos o que queria. Agora você tem uma forte aliada ao seu lado e um ótimo inimigo.  Não dava pra ficar pior.
-Posso saber o que você esta pensando? –Sai dos meus pensamentos com a pergunta de Rachel. Já tínhamos voltado para cabana há umas três horas e até agora Xavier não havia voltado. Estava ficando terrivelmente preocupado. Ele era capaz de tudo. Demorar cinco horas para caçar não era nada normal.
-Só estava ponderando algumas coisas. –Respondi sem a encará-la. Sabe quando fazemos algo e depois nos arrependemos, pois bem, eu estou arrependido, agora só não me pergunte do que.
Estávamos sentados na sala. Eu estava sentado em um sofá próximo à janela e Rachel esta em pé encostada-se ao batente da porta me encarando.
-Está arrependido do que fez? –Ele perguntou com um olhar triste. Eu tinha pena dela, não podia ter deixado que as coisas chegassem a esse ponto, mas agora era tarde demais eu a amo e vou à luta por isso.
-Não me arrependo do que faço me arrependo do que não faço. –Respondi com o mesmo tom de voz.
-Não parece. Desde que chegamos você não fala comigo.
-O que é que eu estou fazendo agora? Conversando com você, não é? Então do que esta reclamando? –Disse dando um suspiro. Não estava gostando do rumo dessa conversa.
            -Eu não te entendo! –ela exclamou e continuou. –Você é todo amoroso quando está me amando e depois me trata como se eu fosse um lixo. –Ela disse cruzando a sala com passos largos e sentando ao meu lado no sofá.
            -Eu não estou arrependido Rachel. Só acho que a gente... –Eu não tinha palavras certas pra falar.
            -Se precipitou? – Ela disse cruzando os braços.
            -Sim a gente se precipitou, foi só isso. -Disse tentando me acalmar.
            -Não acho que nos precipitamos, só acho que fizemos algo certo afinal a gente se ama, não ama? – Ela me fitou e eu fiz o mesmo. Dei um suspiro e então respondi:
            -Sim Rachel a gente se ama, mas o problema é que nesse momento temos outras coisas pra nos preocupar. –Disse me levantando do sofá.
            -Tipo o que? Xavier? – Ela disse cruzando as pernas esperando minha resposta.
            -Sim Xavier, ele está demorando, nunca fica mais que duas horas caçando, isso já esta se tornando um problema. –Caminhei até a janela e fitei a chuva que caia lá fora. Senti braços e mãos delicadas me abraçarem por trás.
            -Não importa o que o Xavier faça o deixa de fazer o que importa agora é o amor que eu sinto por você. –Ela sussurrou em meu ouvido passando suas mãos delicadas pelo meu abdômen.  Virei-me e encarei seu rosto angelical que brotava com lindo sorriso.
            -Sabe que você parece um anjo? –Disse sorrindo.
            -Hum... Porque eu pareço um anjo? –Ela perguntou com um sorriso mais lindo do mundo.  Tirei uma mecha de cabelo de seu rosto e me aproximei de seus lábios rosados e carnudos.
            -Você é linda, tem um rosto angelical, cabelos loiros cacheados, um sorriso divino, é um verdadeiro anjo. –Disse colando nossos lábios em um beijo carinhoso, terno e cheio de amor. Pedi passagem com minha língua para explorar cada pedacinho daquela linda boca. Ela concedeu passagem e nossas línguas dançavam harmoniosamente.  Com ato brusco ela descolou nossos lábios, eu não entendi o porquê daquele gesto, isso me assustou.
            -O que foi? O que aconteceu? –Perguntei preocupado
            -Xavier está chegando, ou melhor, já chegou. –Antes mesmo de pronunciar qualquer coisa ouvimos a porta bater. Rachel sentou rapidamente no sofá tentando disfarçar o ocorrido.
            Não demorou muito e Xavier adentrou na sala com uma cara nada agradável.
            -O que aconteceu meu amor? –Rachel se levantou do sofá e foi ao seu encontro. –Aconteceu alguma coisa Xavier? Porque demorou? –Fiquei me perguntando se ela estava realmente preocupada ou se era falsidade.
            -Não aconteceu nada Rachel. –Ele garantiu e continuou - Eu só demorei porque estava pensando em um plano, mas esquece vem aqui meu amor! –Ele a agarrou e a beijou com toda a vontade. Por dentro eu estava me roendo de raiva, mas foi tão bom ver seu sorriso sarcástico transparecer em seu rosto logo depois que a abraçou. Eu não fiquei feliz pelo sorriso, mas por saber que o corno da história era ele.
            -Em que plano você estava pensando?  -Minha pergunta os tirou do transe romântico e fez cair na realidade. Ele saiu dos braços da Rachel e caminho em minha direção, colocou uma mão em meu ombro e disse:
            -A partir de agora você vai fazer o que eu mandar.  –Ele disse com um sorriso falso em seu rosto. Olhei em seus olhos e vi seu ridículo plano.
            -Acha mesmo que isso vai dar certo? –Perguntei irônico - Quer fazer esse seu plano idiota se realizar com a minha ajuda? Vá fazer algo que preste e não conte comigo. –Disse retirando sua mão do meu ombro e indo em direção a porta.
            -Eu não estou pedindo a sua ajuda. Você irá fazer isso por bem ou por mal. – Aquilo foi o suficiente para eu parar e encara-lo.
            -Você acha que manda em mim? Que pode me dar ordens assim sem mais nem menos, eu vou te mostrar quem vai dar ordens aqui. –A raiva já estava me consumindo. Minha vontade era acabar com ele e por impulso corri em sua direção com uma velocidade sobrenatural, mas fui jogado contra a parede.  Levantei decidido de uma vez por todas acabar com aquele verme.
            -Me solta Rachel, me deixa mostrar para ele quem é que manda aqui. –Esbravejei tentando me soltar dos braços da Rachel. Droga ela era forte demais.
            -Deixa Rachel, deixa o Oliver tentar. –Ele disso dando uma gargalhada.
            -Já chega ta legal. Não interessa quem vai mandar aqui, já estamos nessa e agora não adianta reclamar. Oliver se acalma ta legal. Deixa o Xavier pelo menos explicar. –Ela estava terrivelmente brava. Será que eu falo o quanto ela fica sexy nervosinha. Cala a boca Oliver, para de pensar besteira ¬¬’.
            -Diz logo qual é o seu plano. –Rachel pediu se sentando novamente no sofá. Xavier se sentou ao seu lado e então começou.
            -Eu nunca disse para vocês o real motivo pelo qual eu os transformei não é? –Ele nos encarou e depois continuou. –Eu não transformei nenhum de vocês porque quis, bem foi porque eu quis, mas não porque eu precisava de companhia eu apenas fiz isso porque precisava de aliados, e bem aqui estão vocês.
            Eu e Rachel nos encaramos e antes mesmo que ele pudesse continuar nos caímos na gargalhada. Rimos por longo dois minutos, enquanto Xavier nos encarava com a pior cara do mundo.
            -Amor você me faz rir, não sabia que era tão engraçado assim. Você poderia trabalhar como comediante ganharia muito. –Rachel disse se ajeitando no sofá, ela já estava quase caindo.
            -Eu não estou achando graça, qual foi o motivo das risadas? –Ele perguntou arqueando as sobrancelhas.
            -Aliados! Essa foi à graça. –Disse me sentando no sofá junto com Rachel.
            -Escuta aqui vocês vão querer ouvir o plano ou não? –Ele perguntou.
            -Fala, estamos ouvindo. –Respondi.
            -Pois bem. –Ele se levantou do sofá e começou a caminhar pela sala. –Eu já devo ter comentado com vocês algo sobre os Volturi. –Ele fez uma pausa e continuou. –Eles estão atrás de mim e eu preciso da ajuda de vocês para despistá-los.
            -Porque temos que despistá-los? –Perguntei.
            -Porque eles não estão nada contentes com o que eu venho fazendo nesses últimos meses.  De uns tempos para cá venho me alimentando constantemente de sangue humano, o que não é um problema, mas fato deles estarem atrás de NOS é porque eu ando me divertindo com algumas pessoas, as matando por diversão e isso está causando transtornos na população.
            -Espera ai! –Rachel o interrompeu. –Então eles estão querendo nos esquartejar por estarmos matando muita gente, mas o que isso tem a ver com seu plano? –Ela perguntou.
            -Fácil minha querida, nos vamos matá-los e eu irei tomar o lugar de Aro Volturi. –Ele disse com um sorriso no rosto. Eu e Rachel nos encaramos com uma expressão do tipo “isso não vai dar certo”.
            -Você está maluco néh? –Perguntei temendo a resposta.
            -Porque estaria? –Ele respondeu com outra pergunta.
            -Porque esse plano nunca ira dar certo! –Exclamei - Você acha que pode competir com os Volturi com dois vampiros do seu lado? –Disse apontando para mim e para Rachel.
            -Eu não acho, eu tenho certeza. –Ele disse.
            -Xavier o Oliver tem razão. –Ela disse se levantando. –Não é assim do jeito que você pensa. Os Volturi vão vim trás de nós? Sim, isso é um fato, mas agora querer governar Volterra só porque despreza a raça humana, isso já é maluquice.  –Agradeci por ela estar do meu lado.
            -Eu não quero saber se é maluquice, me respondam vocês estão comigo ou não?
            -Não conta comigo. –Disse cruzando os braços, eu não iria ajudá-lo nem que me pagassem.
            -Você vai fazer isso sim Oliver, eu estou mandando. –Ele disse
            -Não vou.
            -Vai.
            -Não vou.
            -Vai.
            -Não vou.
            -VAI.
            -NÃO VOU.
            -JÁ CHEGA! –Rachel esbravejou. –Que infantilidade a de vocês, parecem duas crianças. Oliver já que você não quer ajudar então saia, preciso ter uma conversa séria com Xavier. –Fiquei sem palavras, Rachel estava tomando conta da situação. Eu e Xavier nos olhamos boquiabertos.
            -Anda Oliver sai daqui. –Ela disse apontando para porta.
            -Rachel eu...
            -SAI. –ela gritou indo em direção à porta da casa e a abrindo.
            Bufei de raiva e contra a vontade sai de lá e antes que pudesse falar qualquer coisa ouvi a porta bater violentamente.

Rachel:

Era só o que me faltava, se já não bastasse ter que ser falsa o suficiente com Xavier tenho que ouvir essa maluquice agora. Será que eu nunca vou conseguir ser uma vampira rica sem ter que me preocupar com esse idiota. Irei eu mesma resolver essa situação.
***
Mandei o Oliver sai da casa, precisava ter essa conversa com Xavier sozinha. Aproximei-me dele devagar, coloquei minhas mãos em seus ombros e o empurrei brutamente fazendo com que se sentasse no sofá.
            -Agora é a nossa vez de conversar. –Ele olhou com espanto, mas eu nem liguei. Sentei-me eu sem colo da forma que eu ficasse de frente para ele, minhas pernas em volta das suas, e suas mãos em meus quadris me segurando.
            -Escuta aqui Xavier. –Disse segurando seu rosto com minhas mãos. –Você acha mesmo que esse seu plano vai dar certo? –Queria ouvir de sua própria boca um “não”.
            -Rachel eu não tenho outro plano a não ser esse. –Ele disse me fitando. Seus olhos percorriam minha boca. 
            -Você não tem, mas eu tenho. –Disse dando um sorriso, eu estava orgulhosa de mim mesma por ter tido esse plano. Sou perfeita ou não sou? Eu sei que sou.
            -E eu posso saber qual seria esse plano? –Ele perguntou. Dei um leve sorriso e disse:
            -Você quer conquistar Volterra e matar os Volturi certo? Pois bem nos vamos usar o Oliver para fazer isso. –Eu sabia que estava agindo errado, mas precisava tentar. Eu queria mais que tudo esquartejar Xavier.
            -Como? Como você quer fazer isso? –Ele perguntou.
            -Simples Xavier, raciocina comigo meu bem.  -Me levantei de seu colo e parei em sua frente. –Você sabe muito bem que Oliver é obcecado por aquela humana retardada chamada Catherine, pois bem, nos também sabemos que humanos não podem se envolver com vampiros e vice e versa, pois se envolverem terão sérios problemas com os Volturi, então nos só precisamos fazer o Oliver ir atrás daquela humana, se envolver com ela e depois a gente vai atrás dos Volturi e o entrega, dessa forma você ira conseguir a confiança de Aro e aos poucos conseguira Volterra.  –Dei um sorriso, meu plano era brilhante o problema era que eu iria envolver o Oliver nisso, mas eu iria explicar para ele que o envolvimento com a humana vai ser só uma farsa para incriminarmos Xavier.  Eu sou ou não inteligente? É claro que sou.
            Olhei para Xavier e ele estava perplexo diante da minha idéia, pena que ele não vai ter proveito dessa boa idéia.
            -E ai o que você acha? É ou não uma boa idéia? –Eu estava quase dando pulinhos de alegria, só de imaginar Xavier sendo esquartejado e queimado era perfeito, mas ok Rachel foco, vamos com calma você tem que ser mais falsa possível.
            Ele se levantou do sofá, caminhou em minha direção e me deu um beijo singelo na bochecha.
            -Eu já disse o quanto eu te amo?  -Ele sussurrou em meu ouvido.
            -Me deixa ver. –Fingi pensar. –Não hoje, você não disse que me ama. –Fingi estar triste.
            -Ah! Então vem cá, deixa eu te dizer que te amo. –Ele me puxou pelo braço e em pouco tempo já estávamos no sofá nos amando loucamente. Minha mente não parava de pensar em meu plano, em pouco tempo Xavier estaria fora do meu caminho e assim eu e Oliver poderíamos viver a eternidade sem preocupações.

5 comentários:

wow...
então o "anjinho" mostrou sua outra face
gostei dela .......aopskaopskaopksapkskaps
ta muito bom parabéns
Beeijos

Nossa, ela é perversa! ela me lembra alguem! hm* quem? hoho nem falo! xD

Nhau muito lecau, curiosa por mais! *-*

Muito legal Ameeuga!
♥ Team Oliver ♥
Está demais!
Parabéns!
Bjsculos^^

bem esperta ela em!
parece gostar mesmo do Oliver
a fanfic tá otima jess,
continua assim linda!
beijos

nossa por essa nem eu esperava...rsrsrs
vai mexer com mulher rsrsr....somos diabolicas
estava lindo Jess e vc esta de parabens
beijusss

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.