2 de fev de 2011

Capitulo 6 - Acidente

Posted by sandry costa On 2/02/2011 9 comments


Acidente

Ness

Ele continuou andando com a cabeça baixa e o semblante caído, não sabia pra onde ele estava indo, pois acima da minha casa só havia um pequeno casebre e os rochedos.
- Ei. – Chamei correndo até ele. Ele me olhou espantado, como se eu não devesse estar falando com ele.
- Oi. – Senti meu coração pular dentro do peito, sua voz era ainda mais linda do que no sonho. Ele me olhou e um pequeno sorriso nasceu no seu rosto, um sorriso que não alcançou seus olhos.
- Sou a Ness e você quem é?
- Arthur. – Ele ainda me olhava meio espantado.
- Está tudo ok? – Perguntei.
- Yeah.
- Você mora por aqui?
- Hã? – Ele era realmente lindo, os olhos azuis intensos, o cabelo encaracolado e um rosto angelical. Parecia haver uma luz em sua volta. Balancei a cabeça tirando esses pensamentos. Apontei para a minha garagem com a cabeça.
- Vamos sair do sol. – Eu não queria ficar marcada. Caminhamos até a minha garagem. – E aí, você mora por aqui?
- Oh! Não. – Arqueei minha sobrancelha esperando ele prosseguir, como ele não disse mais nada eu insisti.
- E?
- Bem, é complicado.
- Tenta. – Falei meio irritada, só por que eu era uma garota e me parecia uma patricinha, e realmente era uma patricinha assumida, não queria dizer que eu era menos inteligente que ninguém.
- Eu não sou desta cidade.
- Oh. – Um pequeno desapontamento tomou conta de mim. – Você está a passeio. – Ele demorou um pouco antes de afirmar com a cabeça.
- Ness? – Ouvi meu pai chamando.
- Vou nessa. – Ele falou saindo rápido.
- Falando sozinha branquinha? – Fiz uma careta por causa do apelido, somente eu mesmo pra morar na Califórnia e ser branca como o leite e olha que meu pai era um morenão.
- Não pai, era um... Amigo.
- Claro, claro. E ai como foi a festa? – Senti um nó se formar em minha garganta, eu não gostava de mentir para os meus pais, mas eles eu não podia simplesmente contar. Ok não foi a primeira vez, mas me pareceu errado.
- Legal. – Falei com a voz mais alta que o normal. – Vou tomar um banho e dormir mais um pouco pai.
- Ok querida. Sua mãe e eu vamos ao cinema à tarde, vem com a gente?
- SIM. – Falei dando um beijo em seu rosto, eu amava sair com meus pais. Subi pro meu quarto e tomei um banho rápido, enquanto me banhava tentei de todas as formas lembrar o que tinha rolado na festa, mas a última coisa que  me lembro era de ter comido um salgadinho e bebido uma única cerveja. Vesti um pijama de seda e me deitei. Lembrei dos olhos azuis de Arthur e dormir.

♥♥♥

- Ness acorda. – Uma voz falou ao longe. – Ness se você não levantar agora vamos ao cinema sem você. – Reconheci a voz do meu pai e abri os olhos, novamente tinha apagado.
- Que horas são? – Perguntei meio groge.
- Já é uma da tarde, bela adormecida e se não sairmos em dez minutos não entraremos na sessão.
- Dez minutos? Ok, eu consigo. – Pulei da cama e me vesti, desci em exatos dezoito minutos. – Desculpem. Acelera aí papito. – Ele riu enquanto acelerava.
- Perdão, eu não queria estragar o cinema de vocês. – Mesmo o papai acelerando nós chegamos atrasados.
- Tudo bem querida, nós pegamos a próxima sessão. Enquanto isso vamos tomar um sorvete.
- Sim. – Disse sorrindo e abraçando o papai. Caminhamos assim até a sorveteria, papai no meio e eu de um lado e a mamãe do outro, todos o olhava e ele caminhava todo orgulhoso, quem via nunca diria que eu era a filha deles.

♥♥♥

Ficamos na sorveteria até faltar pouco pra próxima sessão e então voltamos pro cinema. Papai queria ver ação, mamãe romance e eu comédia, acabamos vendo uma comédia romântica. Meus pais pareciam um casalzinho de namorados, de mãos dadas e sempre fazendo carinho um no outro. Então senti vindo e logo encostei minha cabeça no encosto da cadeira. Eu estava em um ringue de patinação e na minha frente uma garota patinava junto com um carinha, eles riam e conversavam, depois da terceira volta ela tropeçou e caiu de cara no chão. Acordei assustada, eu odiava esses meus pesadelos. Já bastava conviver com os meus medos, eu tinha que sonhar com os medos e desejos das outras pessoas.
- Dorme não, dorminhoca. – Papai falou sorrindo e eu percebi por que eu tinha acordado, ELE me acordou. Fiz uma careta pra ele, mas por dentro eu o agradeci por ter me tirado de mais um pesadelo louco, e voltei a prestar atenção no filme.
Quando estávamos voltando pra casa ouvi meu celular tocando.
“Sou a Barbie girl, se você quer ser meu namorado...” eu já sabia quem era, esse era nosso toque particular. O toque do nosso quarteto maravilha. Atendi o celular hesitante.
- Alô?
- Ness. – Ouvi as três gritando no celular.
- Onde você está? – Nanda perguntou.
- Fui ao cinema com meus pais.
- Ah. – Então Bia gritou ao fundo.
- Onde você dormiu, mocinha. – Olhei para os meus pais com medo deles terem ouvido e vi os músculos do meu pai tenso.
- Te ligo depois. Vou desligar. – E desliguei o telefone.
- Eita Bia. – Falei com a voz baixa e esperei um deles perguntar.
- O que foi querida? – Mamãe logo perguntou.
- Ela estava tão alta que nem lembra que dormimos juntas na casa dela. – Falei tentando passar sinceridade. Eles não falaram nada e eu me senti aliviada quando chegamos em casa. Subi rápido pro meu quarto e quando entrei no MSN as meninas já tinham mandado várias mensagens para mim.
Ness diz: Oie.
Bia diz: Conta tudo.
Ness diz: Por aqui não, conversamos na escola.
Desliguei e saí do PC. Fiquei um bom tempo sentada olhando pro PC desligado e pensando na loucura da noite passada, quanto mais eu pensava menos eu entendia. Aquela dúvida rondou meus pensamentos todo o fim de semana e logo chegou a segunda-feira.
- Bom dia, filha.
- Pelo visto alguém está se acostumando a acordar cedo. – Dei um pequeno sorriso amarelo e tomei meu café em silêncio.
- Está tudo bem amor? – Papai me perguntou.
- Yeah. – Subi escovei os dentes, retoquei a maquiagem e logo saí. Enquanto descia a colina abaixei o vidro do meu bebê pra sentir o vento batendo no meu cabelo, mesmo sabendo que isso iria acabar com meu visual. Antes de terminar de descer o morro eu senti vindo, o desespero tangeu minha mente. No instante seguinte eu estava dormindo, eu via um garoto novo, ele estava feliz por ter ganhado uma bicicleta nova e corria brincando com ela. Como se somente parte de mim estivesse sonhando, eu levei minha mão até o freio de mão e o puxei, senti o carro rodar e torci para que não tivesse nenhum outro carro na redondeza, com o coração na boca eu abri meus olhos.
Olhei para todos os lados mais não havia ninguém. Respirei fundo várias vezes até sentir minha pulsação voltar ao normal e então acelerei lentamente o meu carro e o conduzi até a escola.
- Oi meninas. – Falei chegando onde estava o meu grupinho. Graças à noite horrível que eu tive eu tinha chegado à escola adiantada. Nos cumprimentamos e todas ficaram me olhando até que a Bia não aguentou e falou.
- Diz logo o que aconteceu na festa. – Eu contei tudo o que eu lembrava e ralhei com elas.
- Poxa eu pedi pra não me deixarem beber. – Elas me olharam sem entender.
- Você não bebeu. – Luly’s falou. E foi minha vez de não entender.
- É serio Ness, até a hora que eu sai de lá você só tinha bebido uma cerveja. – Realmente era o que eu tinha imaginado. Antes que eu falasse qualquer coisa a Nanda falou.
- Por falar nele, ai vem o nosso príncipe. – Olhei e vi o Felipe vindo em nossa direção ele estava com um sorriso enorme no rosto.
- Olá meninas. – Senti um arrepio percorrer todo o meu corpo e não foi nada legal. Ele beijou o rosto das meninas e veio me dar um selinho que eu desviei no último momento. – Algum problema? – Felipe perguntou genuinamente sem entender.
- Não. Mas se não formos agora vamos nos atrasar.
Estamos revisando as matérias pras provas semestrais e todos os professores pegaram pesado, nossa escola era uma das melhores preparatórias pra faculdade. Na aula de estudos eu tive um sonho atrás do outro, cada um mais estranho que o outro, em um deles Bia estava na festa da casa do Felipe, ela estava agarrando um carinha, pude ver que ela não sabia se era certo ou não, pois eles haviam acabado de se conhecer, mas o desejo era maior. Acordei assustada e procurei pela Bia, ela olhava assustada para os lados, com certeza havia dormido também, eu só queria saber se o seu sonho tinha sido tão estranho quanto o meu.
A última aula foi a pior de todas, a professora de inglês passou uma cruzadinha no quadro e eu tive que me esforçar muito pra conseguir ler, eu já havia notado que minha visão estava ruim, mas não tanto quanto hoje. Porém era impossível me fazerem usar óculos, por isso nunca comentei com ninguém.
- Ei Cullen. – Samantha chamou se aproximando de mim, ai como eu odiava ela. – Teremos treino das líderes de torcida hoje às três ok? – Afirmei com a cabeça. – Avisa sua amiguinha punk. – A fuzilei com o olhar e saí. Do lado de fora encontrei as meninas.
- Vamos ao cinema? – Nanda chamou.
- Nem. Temos treino de líderes. – Avisei a Bia.
- Ok.
Despedi-me e fui pra casa, eu realmente estava com um pouco de dificuldade para dirigir, devido à minha visão. Ignorei esse fato e acelerei. Esse tinha sido um dia estranho.

9 comentários:

adorei o cap San
tah muito bom viu?
Parabéns e não demora pra posta o próximo vai?
Beeeijos

Nhai, tadinha dela vivendo uma mentira e nem lembrando da noite! :S Que tenso! Ta ótimo San. *-* Continuaaaa...

ta perfeito san,mas eu to com pena dela!

Esta maravilhoso, estou cada vez mais curiosa
ainda mais sobre o Arthur. quem é ele será que
ele é imaginação dela?

Quero muito saber quem é o Arthur, fico imaginando se ele e a Ness vao ficar juntos.
Adorei o capítulo, está perfeito.
Beijos.

Perfeito... Você em o dom...sempre deixa a gente com um gostinho de quero mais!

Concordo com a Jóyce... Esperar até sabado é muito doloroso....

Bjks

Amei perfeito, quero mais, quando ela vai conhecer os irmãos?

Ta ótimo,
Parabéns.
Beijos.

ta muito bom :) to amando

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.