14 de nov de 2011

Capitulo 16

Posted by sandry costa On 11/14/2011 No comments


Do Futuro



Jacob


        Agora que tudo já havia sido esclarecido sobre Jully. Tivemos que reorganizar nossas rondas. Ao que tudo indica, essa tal Samara é realmente poderosa e cruel, não vai deixar a menina em paz. Além do mais, ela viu alguns de nós e não sabemos suas intenções. Ela pode tentar algo contra nós e temos que nós manter protegidos e proteger nossa tribo.

Eu sabia essa menina cheirava problemas. – Leah falou em sua forma de lobo quando todos já estávamos reunidos.

Leah, ela não é o problema, o problema é a irmã dela. – Seth a defendeu. Ele está mesmo apaixonado. Espero que isso não seja um problema no futuro.

Humm Seth apaixonadinho pela bruxinha! – Embry zoou.

Jacob. – Carlos me chamava. – Quem garante que essa menina não está de armação com a irmã?

É um fato a se pensar Jake, nem Edward nem Nessie conseguiram em momento algum ler a mente dela. – Embry completou o raciocínio de Carlos.

Vocês só podem estar surdos... não ouviram tudo o que passamos pra vocês sobre a vida dela? Cara, a garota sofre desde os seis anos nas mãos da irmã, ela só quer ser normal, tanto que nem usa magia. Eu acredito nela e s vocês não, eu vou me juntar aos Cullens para ajudá-la, afinal não é pra isso que existimos defender os humanos? – Seth esbravejava.

Seth se acalme. Ninguém esta dizendo que não vai ajudá-la, só estamos colocando nossas idéias em debate,e o que Carlos e Embry disseram tem fundamento. – Leah estava irredutível em seu discurso. Confesso que às vezes me surpreendia com essa sua nova faceta. Principalmente quando La defendia Embry. – Cala a boca Black! Se não quiser ficar sem os dentes.

Ok. Melhor voltarmos ao assunto central. Sam e eu decidimos que faremos rondas compartilhadas.

Compartilhada? – todos falaram ao mesmo tempo.

Sim. Dois dos meus, dois dos Sam e dois dos Cullens.

Numa única noite?

Sim. As rondas começam as 5:00 da tarde e terminam as 5:00 da manhã. Durante o dia todos em alerta principalmente vocês que ainda estudam e vivem na reserva. Não quero ninguém na ronda sozinho ou viu bem?

Sim chefe.

Quem começa a ronda Jake? – Leah perguntou.

Acho que alguém que não estava naquela confusão de mais cedo. Sam vai mandar Paul e Collin. Daqui pode ir André e...

Eu vou Jake. – Seth se ofereceu.

Que seja. Seth e André. Amanhã eu e Carlos, depois Leah e Embry. Entendidos?

Sim e quem vai dos Cullens hoje?

Não sei ainda, mais de qualquer forma vocês se encontram no riacho. Por hora estão dispensados.

- Jake e com relação aquele cheiro estranho que sentimos outro dia? – Embry perguntou. Confesso que tinha esquecido esse detalhe.

Bem, fiquemos alerta também. Seja lá o que isso seja, se estiver tramando algo, vai nos encontrar preparados. – falei por fim. Ele apenas assentiu e saiu com os demais. 

        Cada um seguiu seu rumo já era tarde da noite e resolvi ir pra casa, estava cansado com toda essa confusão. Só queria um banho e dormir agarradinho a Nessie que a essa altura já deve estar no quinto sono. A pesar de ela ter convidado Jully para dormir com ela no quarto.Aff! Caminhava tranqüilamente pela floresta até chegar ao quintal da mansão dos Cullens. E quem eu vejo na porta da casa me esperando? Se alguém votou no Edward Chato Cullen ganhou o doce.

- Obrigado pelo elogio. – ele disse.

- O que você quer a essa hora sanguessuga? Porque eu estou morrendo de sono. – bocejei pra enfatizar o “sono”

- Que história é essa de “a minha mulher” quando você se refere a minha filha?

Meu, esse sanguessuga deve ser tapado mesmo...- pensei 

- Eu não sou tapado não cachorro fedorento.

- Então porque a pergunta idiota. Você sabe muito bem o que aconteceu entre nós.

- Eu só quero te avisar que não vou permitir que vocês fiquem se agarrando pela casa e nem vou permitir que você vivam amancebados.

– amancebados? Essa é mais velha que a estrada... bem da sua época mesmo sanguessuga – pensei.

- Eu exijo que vocês se casem. – ele disse e eu não pude acreditar no que estava ouvindo. Como assim casar? Será que esse imbecil conhece a filha só um pouquinho?

- você sabe que por mim, eu casaria quando ela aceitou namorar comigo. Se você conhecesse sua filha só um pouquinho, saberia que esse não é o desejo dela. Ah! Esqueci você não pode mais ler os pensamentos dela. E ela não se abre com você a ponto confidenciar seus sonhos atuais. Não é Edward? – ponto pra mim!

- O que você quer dizer cachorro fedorento?

- Mais o que está acontecendo aqui? – Bella saiu de dentro de casa e veio até onde nós estávamos. E o restante da família ficou na porta observando.

- Esse fedorento está insinuando que eu não conheço minha própria filha Bella!

- Jake!? – ela me olhou desconfiada.

- O imbecil do seu marido quer que eu me case com Nessie. Mais será esse o desejo dela? Você sabe que não, não é Bells? – retruquei.

Edward a olhou como que vê o demo. – Você sabe? Bella o que mais você sabe sobre isso?

- Edward todo mundo sabe que Nessie não quer casar agora. – a baixinha veio me defender.

- Todo mundo quem? Por que eu não estava sabendo de nada Alice!

- Claro que não, você está tão obcecado com o avanço do namoro deles que perdeu o amadurecimento da sua filha durante o ano que passou... Vem Jacob você deve estar com fome e cansado. – ela me pegou pela mão e passamos por Edward que estava mais duro do que pedra diante da acusação da irmã.

- Minha própria irmã está contra mim. Você não dorme mais sobre o mesmo teto que minha filha. Se ela não quer casar agora, melhor, mais vocês não vão ficar dormindo juntos todas as noites debaixo do meu nariz.

Ele estava me ameaçando é isso mesmo? – Escuta aqui. Eu só vivo aqui por a esposa e a filha do dono da casa assim permitiu, e só vou embora quando a mesma me mandar embora. Eu sou perfeitamente capaz de arrumar um lugar pra morar, eu não sou um vagabundo que não tem aonde cair morto, você sabe muito bem disso. Tudo o que eu tenho e construí veio daqui! – estiquei o braço e bati na veia. Tremia tanto que poderia entrar em fase a qualquer momento e se isso acontecesse não me controlaria até ter arrancado a cabeça dele. - E você também sabe que no dia que eu colocar os pés pra fora dessa casa, ela vem comigo não sabe? E você sabe por que eu ainda não fiz isso? Por que ao contrario de você eu não sou egoísta a ponto de afastá-la de você por que sei que ela ainda não está preparada pra isso. Mais fica esperto, por que quando ela estiver eu farei. Agora se me dão licença eu preciso descansar...

Ninguém falou nada. Me deixaram passar e eu subi como furacão direto para o quarto e me enfiei debaixo do chuveiro gelado. Precisava de uma ducha pra esfriar os tremores que me assolavam.

        Acho que passei uma meia hora naquele chuveiro, por fim sai coloquei uma calça de moletom e fui pro quarto. Na mesinha tinha um pequeno lanche numa bandeja com sanduíches e suco. Nem toquei, não estava com fome nenhuma naquele momento. Tudo o que eu queria ria era dormir e dormir. Apaguei as luzes, me deitei na cama mais o sono não vinha. Faltava algo, ou melhor, alguém em meus braços, faltava seu calor me aquecendo, faltava um coraçãozinho batendo compassado junto ao meu. Faltava minha Nessie comigo.

        Depois de muito rolar na cama percebi que não conseguiria dormir sem ela em meus braços, 2:30h da madrugada marcava o relógio. Me levantei e fui para o quarto dela, entrei devagar. Ok, todos já sabiam que eu estava ali, mais não precisava fazer alarde. Ela dormia em seu cantinho favorito da cama. Os cabelos espalhados pelo travesseiro. Estava coberta com um fino lençol enquanto Jully estava enrolada num pesado cobertor... Sentei ao seu lado na cama, a princípio minha intenção era dar-lhe um beijinho e sair, mais acabei mudando de idéia. A tomei nos braços e sorri satisfeito quando ela murmurou baixinho meu nome e se aconchegou em meu peito. A deitei em minha cama e a puxei pra mim. Ela abriu o olho rapidamente e sorriu, para depois relaxar em meus braços e dormir.
        
        Eu fique ali sentindo seu cheiro que me acalmava e ouvindo as batidas do seu coração até que me rendi ao sono...

        Acordei cedo, sua respiração em meu pescoço me arrepiou, não, me excitou, tive vontade de acordá-la e fazer amor com ela, me perder em seus beijos e em seu corpo... resolvi levantar antes de fazer o que tinha vontade... depois de um banho de água fria, desci. Procurei a cozinha, é claro. Já que “misteriosamente” a bandeja de ontem a noite tinha sumido do quarto.

- Seth? – não sei por que ainda me espanto por vê-lo aqui. – Não tem casa não, moleque?

- Ah! Qual é Jake! Toh aqui desde que acabou a ronda.

- Claro claro. Bom dia Esmee.

- Bom dia querido como passou a noite?

- Bem. E obrigado pelo lanche de ontem à noite, mais eu realmente não estava com cabeça para comida.

- Tudo bem filho, sem problemas. – ela me respondeu me servindo duas fatias de bolo.

- Essa é novidade, Jacob rejeitando comida?

- Poizé. Uma pequena discussão com meu querido sogrinho me tirou o apetite...

- Cara essa história de sogro e sogra é foda! Nem todos têm a sorte de ter uma como Esmee ou um como Carlisle. – ela sorriu. – E o seu sogro meu amigo é um pela saco... sabia que ele foi pra ronda com Emmet?

Ergui uma sobrancelha com isso. – Não sério?

- Sério. Ele estava soltando fogo pelas ventas. Emmet disse que Bella o expulsou da cabana noite passada, agora sei o motivo...

Eu não resisti, tive que rir. – Bella colocou o maridinho de castigo. Hahahaha!

- Posso saber o motivo de tanta graça? – a loira psicopata perguntou como se ela não tivesse ouvido a conversa... – Ih mãe temos mais um cachorro pra nossa coleção?

- Bom dia pra você também Rose. Ei... a esposa loira e psicopata de um executivo aponta a arma pra própria cabeça, o marido pula da cama e ela fala: - fica quieto você é o próximo....

Seth soltou uma estrondosa gargalhada. E eu que já estava rindo antes ri mais ainda com a cara de quem chupa limão que ela fez. Ela ficou furiosa e saiu. Jully entrou na cozinha logo depois que ela saiu, Seth ficou todo babão com ela. Eu tenho que lembrar de falar com ele depois. Resolvi sair e deixá-los a sós. Fui pra varanda e encontrei a baixinha e o marido emo dela jogando cartas, logo me ofereci pra jogar e Emmet também. Formamos uma dupla e começamos a partida... Seth e Jully saíram e sentaram no balanço. Uns 30 min. depois Nessie chegou com seu sorriso iluminando meu dia. Nos cumprimentou e foi para o balanço também.

O vento mudou a direção e nos trouxe um cheiro que para mim e para Seth era conhecido. Joguei as cartas sobre a mesa e corri para perto da Nessie, me colocando em sua frente olhei pro Seth que protegia Jully atrás de si. E em um segundo todos estavam ao nosso redor em suas devidas posições de ataque.

De dentro da floresta, eis que surge um grande e lindo Lobo Branco.

        Comecei a sentir os tremores que antecedem a transformação, mais fui impedido pelo simples toque das mãos de Nessie em minhas costas. E a mensagem de “calma Jake”.

- Acalmem-se. – o vampiro emo disse. - Ele não tem intenção de atacar. Seus sentimentos são de... – torceu um pouco a cara fazendo careta. – Amor e devoção, todos relacionados a você Nessie.

- Como assim “relacionados a Nessie?” – oras já o basta o pai agora vou ter que disputa-lá com outro... hump! – Vou me transformar pra saber quem é esse cara.

- Calma Jake. Não precisa. – a baixinha falou. – Nessie leia seus pensamentos. – claro até eu as vezes esquecia que ela tem esse poder.
- Leia-o Nessie. – pedi. E ela saiu do transe aparente...



Jason

        Sai de dentro da floresta e apareci para eles. Eu já os estava observando há algum tempo, mais quando ela saiu da casa e abriu aquele sorriso que fazia derreter gelo eu não me contive. Queria correr até ela, mais travei quando eles se puseram em posição de ataque.  
       
Eu estava aflito e emocionado. Um turbilhão de sensações passava por mim. Estava feliz por vê-los novamente, por ver a casa onde passei grande parte da minha vida. Por ver novamente minha mãe e meu pai, essas pessoas que me deram a vida e me fizeram ser o homem que sou hoje e que foram tirados de mim de maneira brutal e imperdoável.       

Jacob pediu para ela ler meus pensamentos ela se concentrou. Caramba cadê o vovô Edward nessas horas? Eu preciso dizer que não tenho intenção de atacá-los, pelo contrário só quero abraçá-los e uma bermuda – disse em pensamento

- Nessie? – Jake a chamava

- Hum? Uma bermuda. Ele quer uma bermuda. – ela disse

Calma ai. Como ela sabe que eu queria uma bermuda? Será que ela pode ler minha mente? Se for isso, algo aconteceu quando eu voltei ao passado, pois ela não tinha esse poder antes.

“Eu não tinha esse poder antes? Como assim?” ela me mandou o pensamento. Eu a olhei abismado. Será possível? Um arrepio percorreu meu corpo, não foi algo ruim, mais algo poderoso.

- Nessie. Pequena está tudo bem? Você parece tensa. O que você está lendo? – ele perguntou.

- Não se preocupe, ele não tem intenção de nos atacar. – ela disse sorrindo.

- Eu gostaria muito de saber por que os sentimentos dele são tão intensos e aflorados. Quase como se não a visse há muito tempo Nessie. – Jasper disse.

- Até parece que é você quem lê os pensamentos aqui tio. – ela disse.

- Toh doido por uma briga. – Emm brincalhão falou aqui ele ainda é o brincalhão. Na minha época ele é o certo e concentrado.

- Não vai ter briga nenhuma. – Jake disse firme. – Ele é um lobo. Precisamos saber quem ele é, deve ser mais uma das crianças de La Push e deve estar desesperado.

- Ele não é uma das crianças Jake, esse cara já é um homem feito. – Nessie disse.

        Alice voltou com a bermuda. Ela pegou da mão dela e veio até mim. Parou há um passo de mim e Jacob bem atrás dela, pronto para defendê-la de mim. Como se eu fosse atacá-la. Ela estendeu a mão com a bermuda e eu a peguei com cuidado. Jacob não tirava os olhos de mim, qualquer descuido ele me atacava com tudo. A mão que estava estendida passou pelo meu pescoço num gesto de carinho, ela afundou as mãos um pouco para sentir a espessura. Eu fechei os olhos ao toque dela. Jacob a pegou pela cintura e a tirou dali.

- Sugiro que se vista e volte para nos dizer quem é você. – ele disse me encarando.       
       
        Bufei com a ordem, me virei e entrei na floresta novamente. Sai de fase, agradecendo por não ter ninguém de patrulha naquele horário, caso contrário, já teria um milhão de lobos aqui...

        Respirei fundo e voltei. Todos se viraram pra mim me encarando. Eu ri sem graça pela cara que eles faziam...

- Oi. – disse encabulado.

- O... ooi. – Nessie respondeu e seu coração acelerou.

- Cuidado. Vai acabar tendo um ataque cardíaco! – brinquei

- Como se isso fosse possível. – Jake respondeu.

- Claro claro. – eu disse. E ele me encarou surpreso, aquela era a expressão dele. A que ele sempre usava quando estava encabulado. Devia estar se perguntando de onde eu tinha tirado isso.

- Ele está.

- Nossa. Você lê mentes mesmo? – perguntei incrédulo. – Algo mudou por que você não tinha esse poder antes ma... er... Nessie.

- Mais ela não tinha esse poder é novo. – Jacob respondeu.

- Entendo Pa .. er... Jacob. – cocei a cabeça sem saber se devia falar quem eu era ou não.

- Acho que você devia falar sim, está nos deixando loucos. – Nessie disse.

- Calma ai. – uma ruiva falou. Ela é idêntica a Samara, o que era estranho por que nós nunca soubemos de nenhuma irmã, e porque Seth a mantinha protetoramente atrás de si? – Vocês não perceberam as semelhanças? Olha pra ele, Nessie e diz se não lembra Jacob? Os mesmos olhos e o porte físico, cara os vampiros aqui são vocês... deveriam ter percebido, andou pulando a cerca por ai Jake? E além do mais ele se corrigiu com as palavras, ia chamá-los de pai e mãe. Com certeza. Estou errada?

Cara, ela é perceptiva.

- Jake pensando bem, Jully tem razão. – Jully então esse é seu nome. – reparem no cheiro, está misturado, um pouco do seu amadeirado e um pouco da Nessie de lilases. Cara isso é muito louco... eu não estou pensando no que estou pensando...

- Transmorfo diga seu nome. – Jasper pediu.

- Bom... eu er... me chamo Jason.

- De sexta-feira 13? Ahahahaha!

- Emmet não é hora pra brincadeiras.

- Muito bem, Jason de que? Você é de qual tribo? Por que você tem o cheiro parecido com o do Jake. Filho dele garanto que não é – ela disse olhando severamente para Jully e Seth. – Mais ele pode ser filho de Billy...

Filho do meu avô, não dá – Ok. Deixa eu me apresentar direito. Me chamo Jason Cullen... – olhei para cada um ninguém se mexia. – Black. – disse por fim.


Nessie


- Ótimo estamos adotando lobos agora. – Rose disse.

- Eu não sou adotado. – ele riu encabulado. – Sou um filho legitimo.

- De quem? – Seth.

- Deles isso não é óbvio? Cullen Black. Dã. – Jully respondeu.

        Tudo rodou, a floresta escureceu e eu não ouvia mais nada. Jason Cullen Black, esse nome habitou em meus pensamentos. Forte, moreno como Jake e um lobo com o cheiro bem familiar. Não, não pode ser. Eu não ouvia mais nada. Cai na inconsciência.

***

        Recobrei a consciência e já estava em meu quarto. Vovô Carlisle ao meu lado assim como Jake e os demais ao longe me observando atentos. A essa altura, todos já estavam em casa.

- Nessie querida, como você está se sentindo?

- Me diz que foi um sonho.

- Sinto dizer que não foi.

        Ai meu Deus! Um filho, adulto ainda por cima! Será possível? Que absurdo! É completamente enlouquecedor. Me levantei, precisava vê-lo, abraçá-lo. Um estranho sentimento invadiu meu peito algo como instinto maternal, como se eu tivesse obrigação de protegê-lo. Agora eu tenho absoluta certeza, não é preciso ele me dizer nada, eu apenas sinto. Ele é meu filho!

- Você está bem mesmo Amor? – Jake questionou.

- Jake, você tem noção do que está acontecendo? Você sabe quem é esse rapaz? – ele sorriu.

- Eu desconfio pequena. Como você está se sentindo com relação a isso?

- Ótima! Vem vamos falar com ele.

        Eu o puxei pelo braço e sai do quarto correndo como quem corre uma maratona. Pude vê-lo do topo da escada, quando percebeu o movimento ele se levantou e nos encarou, seu olhar transmitia saudades e amor tanto para mim quanto para Jake. Ele deu um passo à frente eu hesitei por um instante, a vontade de abraçá-lo era imensa. Uma lágrima rolou por seu rosto. Não hesitei mais e o abracei.

        Perdi a conta de quanto tempo ficamos ali abraçados e chorando até que Jake me despertou.
- Pequena. Vamos pequena, acho que ele precisa dizer quem é. – me separei dele e me apoiei em Jake. – Senta aqui, você ficou muito abalada só fazendo suposições.

- Não são suposições Jake, você não sente? Eu sinto aqui ó. – disse espalmando meu busto.

- Eu entendo você minha filha, mais mesmo assim precisamos de esclarecimentos. Ultimamente essa família vem passando muito por isso. – meu pai falou.

- E vocês terão. – Jason respondeu a pergunta que ficou implícita.

- Então meus caros, queiram se sentar e vamos ouvir o que esse jovem tem a nos dizer. – Carlisle tomou a dianteira como de costume. Me acomodei ao lado de Jake no sofá enquanto os demais se acomodavam pela casa. Jason se sentou num banco. Estávamos prontos para sessão de perguntas e respostas. – Jovem, você pode por favor nos dizer quem é você e o que veio fazer aqui?

- Eu sou uma mistura de raças. – ele começou. - Meio humano, meio vampiro e meio transmorfo. Vim do ano de 2069 para alertá-los sobre uma bruxa que devastou a Terra e tentar ajudá-los enquanto ela não é tão poderosa assim. Tenho resposta para vocês e algumas perguntas também. Mais respondendo a primeira dúvida de todos, sim, eu sou filho de Renesmee Cullen e Jacob Black.        

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.