31 de dez de 2010

Posted by Daniella On 12/31/2010 4 comments

AVISO: Capítulo Especial!



Luka

Minha vontade era de estrangular a Nick, sim eu sei que eu a amo, mas ela está sendo absurda infantil e malcriada.
-Já disse que não vou a lugar nenhum! –ela ficava correndo de mim. Isso já estava me deixando P da vida.
-NICK PARA! Você vem por bem ou por mal. E, por favor, não escolha por mal por que você não sabe do que eu sou capaz.
-Por que você quer que eu vá embora? Eu sou uma Volturi não tenho que sai daqui. –ela choramingava.
-Você não é uma Volturi. E pare de falar isso em voz alta. Nós não vamos simplesmente sair daqui criatura como se fossemos comprar pão. Não! Vamos fugir, conhecendo Aro como conhecemos ele não vai deixar que nos vamos embora assim do nada. Somos valiosos demais pra ele perder. –disse pela centésima vez. Meu poder não funcionou com ela - e não me perguntou por que. Por que eu também não sei. ¬¬ -
então teria que usar outra tática: a do convencimento.
-Não Luka... Eu não quero ir. –ela sentou-se na cama e eu fui até ela.
-Nick isso é para o sei bem.
-Se você diz que é pro meu bem me deixe aqui e fique comigo. –não faz essa cara. Não faz, não faz. PARA!
-NICK! –virei-me de costas. Ela sabia que aquela cara fazia meu coração morto voltar a bater. Eu não sabia como dizer não para ela, mas dessa vez é preciso. É preciso Luka. É preciso. –Se veste, vamos falar com os outros. –eu disse caminhando até ela.
-Com os outros? –ela perguntou confusa.
-Você sabe, Jess, Alex, Jane, Alec, Karen e Olisses. –disse sentando-me na cama.
-Não é só a Jess e o Alex? Meu Deus todos esses ai sabem do nosso segredinho? E tão dispostos a me levarem embora também? –Nick se alterou.
-Amorzinho da minha existência... Você pode resmungar choramingar, mas você vai com agente, ok? –disse fazendo a voz mais amigável que eu podia.
-Ninguém manda em mim. Eu sou poderosa. Quem vai me impedir de ficar aqui? –de repente a porta se abriu e seis vampiros apareceram ali.
-Nós. –disse Alex. –Se for preciso até ti cedamos. –disse cruzando os braços no peito.
-Não vou! –Nick disse convicta.

***

Narradora

-Não acredito que eu to aqui. –Nick resmungava.
-Tivemos votação, foram sete contra um. –disse Luka ao lado dela.
-Não brinca? Por que será? –Nick disse ironicamente.
-Por que você disse que ia só para nos deixar feliz e depois você voltava. –disse Jess.
-Eu não disse exatamente a palavra FELIZ. Eu disse que só ia pra vocês me deixarem em paz... Eu já disse – ela foi interrompida.
-Depois eu volto. –completou os sete.
-Que bom que vocês sabem. –ela disse emburrada.
Luka tinha esperanças de que quando Nick visse os Cullen ela se lembrasse de tudo... Ele não era religioso, mas orava para que ela lembrasse, por que de alguma forma que ele não sabe e que ninguém sabe... Ele não consegue usar seu dom nela.
-Parem. –Nick disse parando de andar em um dos becos de Volterra.
-Qual é o problema agora? –perguntou Alec.
Nick estreitou os olhos e disse:
-Sentem esse cheiro? –ela disse olhando para cada rosto ali.
-Demetri e Felix. –disse Jane.
-E agora? –perguntou Olisses.
-Toquem em mim. –disse Jess. –Vou deixar vocês invisíveis também.
-Mas e o nosso cheiro? –Karen perguntou.
-Não só fisicamente desaparecemos como o nosso rastro também. –ela disse. Todos assentiram e tocaram nela ficando invisíveis.
Demetri e Felix passaram por eles e quando eles já estavam dobrando o beco Felix parou.
-Que foi? –Demetri perguntou. Os oito vampiros petrificaram.
-Não sei. Acho que tem alguma coisa estranha por aqui. –disse voltando alguns passos para trás e sem saber estava frente a frente com Jess. Jess apertava a mão do Alex com bastante força.
-Você deve esta ficando neurótico Felix. Ande, vamos logo. –Demetri disse sem paciência. Felix ficou olhando a sua frente como se soubesse que havia pessoas ali.
-É talvez eu esteja. –Felix voltou a andar e depois saiu da vista dos oito vampiros junto com Demetri.
-Meu Deus pensei que ia ter um ataque do coração. –disse Nick voltando a aparecer assim como os outros.
-Se o meu já não estivesse parado eu poderia jurar que eu já estaria duro no chão. –disse Olisses sorrindo para Nick que retribuiu.
-É, é, é... Chega todos estamos mortos. –disse Alex. –Vamos logo.
-Por que você tem que ser tão chato? –Nick perguntou voltando a andar junto com os outros.
-Isso é para o seu bem... –Nick fez uma careta.
-Isso é para o seu bem... –disse fingindo uma voz fina.
-Depois você me agradece. –ele disse a olhando de esguelha. Nick apenas revirou os olhos.

Mais tarde...

-Eu to cansada. –Nick parou no meio da floresta.
-Ah qual é? Vamos logo já está de noite. –disse Alex.
-Não Alex. –disse Luka. –Apesar de tudo Nick é humana e precisa de comer, beber... Água... E dormir. –disse parando de correr junto com os outros.
-Ok. Três horas esta bom? –perguntou cruzando o braço no peito.
-Garoto você acha que eu sou uma maquina? –Nick se aproximou deles. –Dê-me pelo menos seis horas. –disse caindo no chão exausta.
-Seis?
-Alex. –repreendeu Jess.
-Ok, ok... Seis horas. –ele saiu daquela área junto com Jess. -Vamos andar por ai. –disse Alex pegando na mão da Jess.
-Só não quebrem nenhuma árvore. –disse sacana Olisses, Alec e Luka apenas riram.
-Olha quem fala o destruidor de mobília. –dessa vez foi à vez do Olisses se calar e de Alex rir com os outros.
-Há, há, há. –ele disse rindo irônico.
-Eu e Karen vamos andar por ai.
-Deviam seguir o exemplo de Alec e Karen. Eles não quebram nada. –disse Luka.
-Ai não nos coloca no meio disso cunhadinho. –disse Alec.
Todos ali riram.
-Olisses e Jane também não vão querer aproveitar a floresta? –Alex perguntou risonho.
-Que apanhar seu cretino? –pergunto Jane com um sorriso brincalhão nos lábios.
-Não precisa, eu faço isso por você, amor. –disse Olisses.
-AH PELO O AMOR DE DEUS EU VOU DORMIR, NÃO QUERO TER PESADELOS EROTICOS DE VOCÊS! –esbravejou Nick fechando os olhos e colocando os dedos nas têmporas. Todos ali riram.
-Ok, ok... Vamos sai. –disse Olisses pegando a mão de Jane.
-Ò pessoal é sério. –todos olharam para o Luka. –TENTEM não quebrar nada.
-LUKA! –disseram todos.
-Ta, ta, ta... Só não demorem. –disse cruzando os braços no peito.
-Seis horas. –disse Alex desaparecendo assim como os outros.
Nick abriu os olhos e olhou para Luka que a olhava.
-Senta aqui comigo. –ela disse se encostando as costas na árvore. Ele fez o que ela pediu e sentou-se ali ao seu lado, ele puxou ela para seus braços e ela deitou em seu peito. Eles ficaram em silencio por um bom tempo. Luka já pensava que Nick estava dormindo quando ele sentiu algo quente e molhado tocar em seu peito.
-Nick? –ela estava chorando. –O que você tem? –ele logo se preocupou.
-Dói. Dói minha cabeça, meu coração. –ela dizia entre lagrimas. –Vocês me julgam, mas não sabem pelo o que eu passo. Vocês falam que eu não sou quem eu penso que eu sou. Dizem que eu sou uma Cullen. Eu não sei quem são os Cullen. Dizem que eu já fui e que eu sou uma Cullen. Mas eles são seres totalmente desconhecidos pra mim. Tentem se colocar em meu lugar droga! –sua voz começou baixa, mas logo foi aumentando. Luka permanecia calado, apenas a escutando. –Tente imaginar você em um clã que você se sente bem, feliz, então logo surgi pessoas desse clã lhe dizendo que você não faz parte desse clã que você faz parte de um totalmente desconhecido. Que a pessoa que você aprendeu a gostar fez isso com você, mas eu não consigo ti odiar por isso. –ela disse saindo do peito de Luka e o olhando. –Tente se imagina em uma família que você “acha” que vive nela desde que você “nasceu” – ela riu irônico. –E depois aparecem seus irmãos dizendo que você não é irmã deles, que você é apenas uma arma para seus pais. E que sua família é... Seu vizinho? –ela riu sem humor.
-Eu sinto muito. –Luka disse a olhando dentro dos olhos. –E não se preocupe você vai lembrar-se de tudo e tudo ficara mais claro. E... –ele a abraçou. –Você vai me odiar sim, mas eu só quero que você saiba que eu me arrependo verdadeiramente por isso. –ele beijou o alto da cabeça de Nick.
-Eu sei que não vou. –eles ficaram alguns minutos em silencio. –Eu só queria que vocês não achassem que eu estou sendo a vilã por não querer fazer o que vocês querem. Por que eu estou com medo. Eu. Não. Sei. Quem. São. Os. Cullen. –ela dizia cada palavra vagarosamente. –É como você ficar órfã e ter que sai do orfanato de um lugar onde você conhece todos e ir para a casa de uma família... Estranha.
-Não fica assim. Quando você os vir você vai se lembrar de tudo e o seu medo se evaporara. -“eu espero” Luka pensou.
-Eu acredito em você. –ela disse o abraçando mais forte e ele também a abraçou.
-Agora descansa. Vai da tudo certo. –ele dizia a balançando como um bebê. E foi assim que ela dormiu. Com lágrimas nos olhos por não saber o que a espera.




Lemons feitas por Jéssica Silva


Alec e Karen




Karen

Já fazia um bom tempo que Alec e eu estávamos andando de mãos dadas pela floresta. Eu me sentia extremamente feliz ao seu lado. Alec me completava e eu o completava nos fomos feitos um para o outro não tinha dúvidas disso.
-Karen?
-Sim Alec. –Já tínhamos parado de andar e agora estamos em pé ainda de mãos dadas olhando o céu estrelado.
-Você me ama? –Ele me perguntou com uma expressão de dúvida.
-Porque está perguntando? É claro que eu te amo. - Que diabos o Alec queria com isso agora heim! Era só o que me faltava.
-Você me ama mais que seu irmão. Ama-me tanto ao pondo de desobedecê-lo. –Ele me perguntou me encarando.
-Escuta aqui Alec, o que você quer com. - Parei de falar. Eu na acredito. Agora eu estava entendendo aonde Alec queria chegar com essas perguntas e com esse sorriso malicioso no rosto. Ele se aproximou de mim, colocou uma de suas mãos na minha cintura e a outra na minha nuca. Aproximou seus lábios no meu ouvido e sussurrou:
-Acho que meu cunhadinho não ficará bravo comigo se nós quebrarmos algumas árvores néh? –Ele me perguntou com uma voz rouca e com um sorriso deslumbrante no rosto. E eu que não sou boba néh, acha que vou resistir a esse homem para obedecer meu irmão? Nem que me paguem.
-Não, acho que não. –Disse colando nossos corpos e passando minhas mãos pelos seus cabelos e juntando nossos lábios em um beijo demorado, cheio de amor, luxuria.
Alec me ergueu fazendo com que eu entrelaçasse minhas pernas em volta de sua cintura. Ele deixou minha boca e começou a distribuir beijos pelo meu pescoço e meu colo.
Desci minhas mãos até a barra de sua camisa e a tirei com facilidade. Passei minhas mãos pelo seu abdômen aranhando um pouco. Alec parou de me beijar e me encostou em uma árvore que tinha próxima a nós. Ele passou suas mãos em minha cintura tirando minha blusa que estava por dentro da calça. Ele atirou a peça de roupa longe e voltou sua atenção para minha boca. Enquanto sua língua brincava com a minha, suas mãos trabalhavam no fecho da minha calça enquanto as minhas trabalhavam na dele.
Rapidamente nos livramos de nossas calças e nossas peças íntimas e nos concentramos em nossos corpos perfeitos.
-Alec eu preciso de você. Não quero que meu irmão nos encontre aqui. –Eu disse entre nossos beijos.
Alec deu uma risada abafada e olhou profundamente nos meus olhos e disse:
-O seu irmão está cuidando da Nick e eu vou cuidar de você já que precisa tanto de mim assim. –Ele disse com um tom de divertimento.
Alec segurou uma das minhas pernas com uma mão e com a outra ele se apoiou em um galho de árvore que estava próximo.
Com seus olhos vermelhos grudados aos meus ele me penetrou. Nossos corpos se moviam em um ritmo sincronizado. Minhas mãos percorriam cada parte de seu corpo enquanto as deles apertava minha coxa e por hora sua boca invadia a minha.
***

Beijávamos loucamente quando ouvimos um barulho que nos tirou do nosso momento prazeroso.
Alec acabava de quebrar o galho de árvore que estava apoiado.
-Ops! –Ele disse com a mesma expressão de uma criança que acabava de aprontar algo.
-Bonito senhor Alec. –Eu disse com uma expressão séria.
-Foi sem querer. –Ele disse.
-Temos que dar exemplos para os outros, afinal somos os únicos que não quebramos nada enquanto nos amamos. –Disse cruzando meus braços sobre o peito.
Alec deu uma gargalhada estrondosa e me olhou.
-Ah amor! Pode ter certeza que não somos os primeiros nem os últimos a quebrar árvores nessa floresta. –Ele disse rindo da minha expressão incrédula.
Ele me prensou mais na árvore e colocou suas mãos sobre minha cabeça fazendo uma barreira para que eu não saísse.
-Já que quebramos um galho não será problema quebrar mais alguns. –Ele disse se aproximando dos meus lábios.
-Não, não será mesmo. –Eu disse o puxando mais para perto e o beijando.
Desobedecemos meu irmão completamente, mas não importava, afinal estávamos nos amando em uma floresta.




Olisses e Jane





Jane

-Onde estamos Oli? -eu perguntei cruzando os braços no peito. Andávamos a um bom tempo por uma trilha que simplesmente não nos levava a nada, eu já estava ficando impaciente.
-Você verá... -ele pegou na minha mão e sorriu para mim. Como resistir? Simples. Não resista. Devolvi o sorriso.
A minha impaciência não deixara eu ver a bela vista, mas agora reparando bem... Essa floresta é muito bonita e sobre a luz do luar fica mais encantadora ainda.
-Chegamos. -Olisses disse tirando-me de meus devaneios.
-Que lugar é esse? -o lugar tinha uma beleza única. Impossível de se descrever.
-É um dos lugares onde eu mais ficava enquanto vagava por esse mundo. Quando paramos por essas redondezas pensei que seria uma ótima idéia lhe mostrar e compartilhar de um lugar que eu amo tanto. -ele disse sorrindo.
-Ama mais do que eu? -fiz bico, ele riu musicalmente e envolveu-me pela cintura.
-Essa montanha tem grandes significados para mim, mas você paixão é o significado de minha existência. Aqui eu passei por grandes aventuras e momentos extraordinários e agora eu quero passar por um momento único. -ele me beijou, um beijo terno e apaixonado, e eu já sabia ao que Olisses se referia. Passei minhas mãos para seu pescoço e entrelacei minhas mãos em seus cabelos.
Meu corpo parecia ter vida novamente. Meu coração parecia bater em meu peito. Nada mais importava a não ser eu e ele.
-Eu ti quero Oli- Disse quase em um sussurro.
Ele deu uma risada rouca e extremamente sexy.
-Já que esse lugar é especial para mim quero que ele seja especial para você. Vai ser tudo do meu jeito hoje. –Ele disse com um sorriso perfeito nos lábios.
-Bem... -eu disse passando minhas mãos pelo seu rosto. –Já que eu não tenho um jeito ainda, podemos fazer do seu. –Disse passando minhas mãos pelo seu abdômen e peitoral.
-É então vem aqui, vem. –Ele me pegou no colo e me deitando no chão e se colando em cima de mim. A sensação de fazer amor ao ar livre me invadiu em cheio.
Olisses passou a beijar meu pescoço, rosto, olhos, bochecha e finalmente voltou sua atenção para mim boca. Ele retirou a camisa e me ajudou a tirar a minha desabotoando todos os botões que tinha. Rapidamente nos livramos das calças e só ficamos com nossas peças intimas trocando caricias sobre o Luar. Eu dei leves mordidas no seu ombro e pescoço passando minhas mãos em suas costas e abdômen. Antes mesmo que pudéssemos nos beijar de novo Olisses rasgou minha lingerie e eu fiz o mesmo com sua Box vermelha. Ele se encaixou entre minhas pernas e me penetrou com toda a vontade do mundo. Nossos corpos colados nos traziam uma
sensação prazerosa e romântica. O Brilho do Luar a cima de nos fazia o momento ser especial e único.
***
Ficamos nesse joguinho prazeroso por um tempo incontável. Eu estava deitada sobre o peito de Oli o ouvindo sussurrar o quanto me amava no meu ouvido.
-Acha que o Luka vai ficar bravo com a gente? –Ele perguntou enquanto passava suas mãos pelos meus cabelos.
-Porque ele ficaria? –Perguntei.
-Porque quebramos três árvores e alguns galhos enquanto nos amávamos.



Alex e Jess




Jess

-Olha Alex não são lindas. –Eu disse apontando para um canteiro de flores que tinha próximo a cachoeira.
Alex e eu andamos floresta adentro e encontramos uma pequena cachoeira com água cristalina. Era um lugar lindo. As estrelas do céu refletidas na água deixavam o local muito bonito, parecia mágico.
-Sim Jess elas são lindas. É a décima vez que você me fala isso, vai ser obcecada por flores lá longe. –Alex disse cruzando os braços sobre o peito e sentando em uma das pedras que tinha ali.
-Nossa como você é chato bem que a Nick falou. –Disse me sentando ao seu lado emburrada.
Eu sou uma vampira muito romântica, vocês sabem não é? Pois bem eu sou uma vampira romântica, animada e de bem com a vida, em termos. Alex me completa ele é o amor da minha vida, mas tem horas que parece que ele não me entende. Desde que chegamos aqui eu estou dizendo o quanto essas flores são bonitas e até agora a criatura aqui do meu lado não mexeu um músculo para pegar essas flores e me entregar com todo o amor do mundo. Eu mereço néh!
-O que você tem heim? Desde que chegamos aqui você só fala dessas flores e nem olha para mim. –Alex disse tirando uma mecha de cabelo do meu rosto.
-Sabe o que é. –Eu disse me virando para ele e colocando minhas mãos em sua perna. –Você sabe que eu sou uma pessoa muito romântica então não custa nada você pegar algumas flores para mim e me entregar. Até hoje você nunca me deu flores. –Eu disse piscando os olhos varias vezes e dando o meu melhor sorriso.
Alex me olhou e começou a gargalhar. Não sei do que, mais começou a gargalhar.
-Então é por isso que você está assim? –Ele perguntou e eu assenti. –Você é muito bobinha sabia?
-Por quê? –Eu perguntei.
-Jess. –Ele se aproximou de mim e colou uma mão em meu rosto. –Você é o amor da minha vida, é o motivo para eu sorrir todos os dias, você é o que eu tenho de mais precioso no mundo. Eu poderia te dar todas as flores do universo, mas isso seria pouco para eu demonstrar o quanto eu te amo. –Ele passou um dedo nos meus lábios e me puxou para perto de si.
-É que eu gosto de flores. –Eu disse com a cabeça baixa.
-Se o problema é esse... -Ele disse se levantando e caminhando em direção ao canteiro de flores. –Feche os olhos e só abra quando eu mandar. –Ele pediu e eu obedeci.

Dez minutos depois...

-Alex eu posso abrir? –Já fazia um bom tempo que eu estava com os olhos fechados.
-Não. –Ele disse
-E agora? –Eu perguntei
-Não. -Ele disse
-Pelo amor de Deus Alex, me deixa abrir. –Eu pedi já impaciente. Ele não respondeu apenas se aproximou de mim e disse:
-Me de sua mão. –Ele pediu
Eu levantei minha mão para cima para que ele a pegasse. Ele me levantou e ficou frente a frente comigo. Mesmo com os olhos fechados eu podia saber isso.
-Posso abrir? –Perguntei ansiosa.
-Pode. –Ele disse. Abri meus olhos devagar e como eu havia pensando Alex estava frente a frente comigo com as mãos para trás e com um sorriso divino nos lábios.
-Desculpe ter feito à senhorita esperar tanto, mas é que eu tive que escolher as melhores flores para lhe entregar minha dama. –Ele disse dando um passo para trás e me entregando um buquê de flores lindo. Eram todas amarelas e azuis. Duas das minhas cores favoritas.
-São lindas amor. –Eu disse olhando para as flores. Alex se aproximou mais de mim, colocou as mãos em minha cintura e beijou com todo o amor do mundo. Nosso beijo começou lento, mas logo se tornou urgente e cheio de luxuria.
-Nada disso será o suficiente para eu dizer o quanto eu te amo. –Ele sussurrou em meu ouvido.
-Eu sei que você me ama mais que tudo. –Disse o olhando e unindo nossos lábios para mais um beijo demorado. Suas mãos hora estavam em minha cintura ou estavam em minha nuca. Minhas mãos estavam em seu pescoço entrelaçadas em seus cabelos lisos.
-O que acha de darmos um mergulho? –Ele perguntou entre nossos beijos.
-Eu acho uma ótima idéia meu amor. –Disse sorrindo e me afastando de Alex.
Ele pegou as flores em minha mão e colou em cima da pedra que tinha ali. Ele me encarou e para meu total delírio ele começou a desabotoar a camisa e a calça que estava usando. Alex só de Box preta era a perdição. Ele entrou na água e deu um mergulho para molhar os cabelos.
-Você não vai vim? –Ele perguntou estendendo a mão para que eu entrasse.
Dei um sorriso e comecei a tirar minha blusa e minha calça também. Coloquei as peças de roupa no chão e fiquei só de lingerie. Alex me olhava dos pés a cabeça admirando meu corpo. Entrei na água que não estava fria e caminhei em sua direção.
-Vem cá meu amor. –Ele me agarrou e me beijou. Sua língua explorava minha boca. Minhas mãos presa em seu pescoço e as dele na minha cintura.
Alex me empurrou até uma pedra e começou a distribuir beijos por todo meu pescoço e colo. Minhas mãos percorriam seu abdômen e suas costas.
Alex tirou minha lingerie bem rápido. Ele ansiava pelo meu corpo e eu pelo dele. Retirei sua Box preta e joguei em algum lugar. Nem quero saber aonde ela foi parar. Ele me segurou firme e me penetrou sem mais demoras. Sua boca sugava meus seios enquanto eu puxava seu cabelo o trazendo para mais perto. Suas mãos hora estavam em meu seio, hora estavam em meu quadril apertando levemente.
Nossas bocas não se separavam. Parecíamos que nunca tínhamos feito isso antes. Era tudo perfeito. O lugar, nossos beijos, nossos corpos se movendo em sincronia, era tudo mágico e perfeito para nos.
-Eu te amo. –Ele sussurrou em meu ouvido mordendo o lóbulo da minha orelha.
-Eu te amo mais. –Disse olhando profundamente em seus olhos vermelhos.
E foi assim. Amando-nos, trocando caricias e juras eternas que passamos nossas seis horas.



Crazy Friends?




Narradora

6h00min

-Vocês são bem pontuais. Isso é bom. –disse Luka olhando para os seis vampiros ali presentes. Nick estava ao seu lado esfregando os olhos e se espreguiçando.
-Pois é... –disseram em uníssono.
-É uma pena eu não poder falar que vocês são obedientes também. –Luka disse cruzando os braços no peito e balançando a cabeça negativamente. Nick abafou um riso. –Que parte do “não quebrem nada” vocês não entenderam? –ele se aproximou dos vampiros. –Poxa Karen até você? Você e Alec eram os exemplos. Agora – ele ficou de frente para Alex e Jess. –Eu infelizmente tenho que dizer que os novos exemplos agora são esses dois. –ele disse fazendo uma careta proposital. –Tcs, tcs... É uma pena. E eu que torcia tanto por vocês. –ele disse apontando para Karen e Alec. Os oito ali presentes se entre olharam e caíram na gargalhada.
-Ah que pena, pensei que você ficaria bravo. DROGA! –exclamou Alec fingindo esta com raiva.
-Ele não ficou. Já eu. –Nick fez uma cara assassina para ele.
-Desculpe ai Nick. Sabe cume né? –Alex disse rindo.
-Não. Eu não sei como é. –ela disse cruzando os braços no peito.
-Relaxa. Você vai saber algum dia. –disse Olisses rindo.
-Eu não vejo a hora. –Nick fingiu animo.
-Então... Vamos? –perguntou Jess.
-Sim. Acho que não estamos muito longe. –disse Jane.
-Esperem. –disse Luka estreitando os olhos.
-O que? –perguntou Alex.
-Tem alguém aqui. –os oito se aproximaram mais e entraram e posição de ataque olhando sugestivamente para os lados procurando pelo perigo.
-Ali. –apontou Karen. Todos olharam na direção em que ela apontou e de lá surgiram dois vampiros.
-Ah são dois contra sete. –disse Olisses.
-O macaco. –disse Nick, ele a olhou. –Somos oito. –ele riu sem graça.
-Eu sei. Só disse pra testar a inteligência de vocês. –ele disse dando de ombros.
-Deveríamos criar um grupo. –sugeriu Jess.
-Hã? –disse Alex e Luka.
-Olha pela primeira vez esses dois disseram algo juntos. –disse Alec.
-Cala a boca. –disseram os dois juntos novamente. Eles se entre olharam.
-Agora não é hora. –disse Nick.
-Crazy, Crazy. –disse Olisses.
-Hã? –disseram todos.
-Somos amigos né? –ele disse saindo da posição de ataque, Nick fez o mesmo.
-Sei lá. Acho que sim. –disse Jane.
-Friends... Friends...
-CRAZY. –disseram todos e depois começaram a rir.
-Crazy Friends? –perguntou Luka. –Esse será o nome do nosso grupo? –perguntou.
-E por que não? –Olisses quis saber.
-Nada. Eu só me surpreendo de como isso se encaixa bem em nós.
-Eu tenho que concordar com ele. –disse Alex.
-Temos que ter um símbolo. –disse Jess animada.
-E o que se... –Nick foi interrompida. Pois um dos vampiros saltou em cima dela.
-Ataquem! –gritou Luka. Ele foi ajudar Nick enquanto os outros avançavam em cima do outro. Foi uma luta fácil. Oito contra dois... Claro que o Clã Crazy Friends [N/A: kkkkkkkkkkkkkkkkk’ Tá parei] estavam com vantagem, tudo estaria bem se não fosse por uma coisa...
-É foi moleza! –disse Olisses batendo na mão do Alec.
-Pessoal! –chamou Luka, todos se aproximaram de onde ele estava com Nick em seu colo.
-O que houve com ela? –Jess se abaixou e segurou a mão de Nick.
-O desgraçado a mordeu. –ele disse com raiva.
-Temos que ir logo. –disse Alex nervoso. –Carlisle é médico se não me engano. Vamos rápido! –ele disse. Luka pegou Nick nos braços e os sete começaram a correr em direção à casa dos Cullen...




Desculpem pela demora! =[
Mas espero que vocês tenham gostado desse capítulo! Eu amei escrevê-lo...Obg Jess pela ajuda nas lemons...
Pessoal Feliz Ano Novo! Que todos tenham saúde, paz, amor, felicidade, harmonia, esperança, dinheiro, benção, alegrias... Em fim, tudo de bom! ^^
Obg pelo carinho de vocês! Que Deus ilumine à todos!

\o/ \o/ \o/ \o/ 2011 \o/ \o/ \o/ \o/

Bjsculos^^









4 comentários:

Flor não precisa me agradecer! Você sabe que eu sou fanática por Lemons então não isso não é nada kkkkkkkkkkkkkkkkk'.
O capitulo ficou muito divertido, nossa eu dei muitas risadas viu kkk.

capitulo perfeito como sempre.
Beijos amiga*_*

Feliz Ano Novo para todos!!!!!!!

Danylinda o q foi q vc fez dessa vez
ai o q vai acontecer com a nick
amiga eu já falei q a curiosidade matou a
(GATA)q sou eu kkkkkkkkk )
ai amiga nao demora muito pra postar nao se nao eu vou infartar
tava linda como sempre
parabens linda
beijos

Você esta de parabens, mas não demora não viu estou curiosa
e vc sabe bem como é rsrs vou te pertubar. bjs

Amei parabéns posta logo...

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.