28 de jan de 2011

capitulo 14

Posted by sandry costa On 1/28/2011 2 comments


A única coisa pela qual se vale à pena lutar é o amor

Sarah

O sorriso de Ariel rasgou seu rosto de um canto a outro e eu senti meu coração pular dentro do meu peito. Eu sentia tanta saudade que chegava a doer e agora era como se eu voltasse a respirar. Atravessei o salão em questão de segundos e me joguei nos braços quentes do meu amado Ariel.
- Ariel. – Sussurrei em seu ouvido, nossos corações batendo no mesmo ritmo. Senti as lágrimas rolarem no meu rosto e busquei seus lábios com os meus não importando com a audiência ali presente. Ariel sorriu baixo e falou quando nos separamos.
- Não aguentei a saudade. – O biso sorria atrás de nós e ao seu lado estava o tio Gui, que também sorria. Me separei do abraço de Ariel e procurei a Mônica com os olhos, ela sorria abertamente até olhar onde o biso estava e vê o Gui junto a ele.

Ariel

- Tem certeza? – Perguntei pela vigésima vez. Gui tinha dito que queria ir pra Volterra, ele prometeu convencer meus pais, mas achava isso pouco provável.
- Absoluta, vem. – Entramos em casa e todos nos olharam. Tio Gui pra conseguir a permissão dos meus pais teve que contar toda a verdade, e por mais incrível que possa parecer todos o apoiaram. Minha mãe ainda estava um pouco preocupada em me deixar viajar sozinho com o tio Gui, mas tia Rose garantiu que ele estava totalmente sobre controle.

***

O voo pra Volterra era extremamente demorado, e pensar que tão pouco me separava de Sarah me deixava ainda mais ansioso, mais que eu somente meu tio, ele parecia estar com pulgas na poltrona. Quando o avião aterrissou em Florença o sol havia se posto, caminhamos até a floresta e o tio Gui nos teletransportou até o castelo.
- Carlisle. – Falei o pegando de surpresa.
- Ariel? – Ele se recuperou logo e sorriu. – Você demorou. – Ele gargalhou e eu não entendi o que ele quis dizer. Esme que estava ao seu lado veio até nós.
- Ariel querido. – Ela olhou para o Gui e sorriu. – Guilherme. – Ela nos envolveu em um abraço protetor. Procurei discretamente pelo castelo para ver onde estava a Sarah, mas não a vi. – Como estão todos? – Ouvi Esme perguntar para o tio Gui. Apesar de não gostar muito de usar esse meu dom, procurei na mente dos presentes ali para saber onde Sarah estava e foi na mente do Carlisle que ouvi toda a preocupação por causa da Sarah ter ido em uma missão.
- Como é? – Perguntei interrompendo o que a Esme estava falando, Carlisle me olhou por alguns segundos então se lembrou de meu dom. – Onde a Sarah está? – Exigi, meus braços tremiam muito. Percebi que alguns vampiros que rondava o salão principal se aproximaram de nós.
- Fica calmo Ariel. – Esme pediu voltando a me abraçar, senti meu corpo acalmar imediatamente, eu nunca me perdoaria se a machucasse, como eu ainda estava usando meu dom, Carlisle repassou toda a conversa pra eu ver. Somente essas duas mesmo pra me aprontar uma dessa.
Esperar por elas foi ainda mais agonizante do que todo esse tempo que ela esteve aqui longe de mim. Esme e Carlisle falaram sobre os projetos que eles têm feitos no castelo. Os novos vampiros que eles abrigaram, mas minha atenção tendia a voltar para Sarah, o que será que estava acontecendo com ela?
Mantive meu dom de ler mentes ligado e quando ouvi alguns vampiros verem que eles estavam chegando achei que meu coração fosse sair do peito. Olhei para a grande porta e logo eles a adentraram. Nossos olhos se uniram e foi impossível segurar o sorriso. Ela atravessou o salão e se jogou nos meus braços, como ainda estava com meu dom ligado pude ver o quanto ela estava com saudade e todo o amor que eu sabia que ela sentia por mim.
- Ariel. – Ela sussurrou meu nome, pude ver que ela chorava. Meu coração pulsando forte no meu peito. Ela me beijou e eu a acompanhei, nossos lábios movendo com saudades e amor.
- Não aguentei a saudade. – Falei com um sorriso bobo no rosto. Sarah percebeu o tio Gui e buscou a Mônica com o olhar, mesmo ela não sabendo de nada ela desconfiava que os motivos da amiga estavam ligados ao tio Gui. Ao olhar a Mônica eu percebi seus amigos e também os pensamentos deles. Vários estavam alegres e a maioria surpresos, porém um deles estava furioso, ele estava a fim da minha Sarah, rosnei baixo e Sarah me olhou.
- O que? – Ela olhou pra onde eu estava olhando e revirou os olhos. Voltou-se para mim e me abraçou novamente. Com um olhar, Carlisle dispensou todos e Mônica veio até nós. Eu resolvi desligar meu dom, eu odiava ouvir os pensamentos das pessoas, e ouvir os pensamentos de um vampiro que gostava da minha garota era insuportável.
- Ariel. – Mônica falou me abraçando, mesmo Sarah e eu já estando abraçados.
- Oi birrenta. – Gargalhei quando ela fez uma careta. Seus olhos foram incertos para o tio Gui e ela deu um curto aceno.
- Como foi a missão? – Carlisle perguntou, Mônica e Sarah deram um curto relato e ele nos permitiu sair.
- Vem vamos mostrar a vocês o castelo. – Sarah falou puxando tio Gui e eu.

Mônica

Quando eu o vi achei que fosse morrer do coração, ele estava lindo como sempre e meu coração me dedurou batendo feito um louco. Seus olhos estavam em mim e eu não sabia o que fazer. Sarah e eu demos um relato para o Carlisle do que tinha acontecido, sem contar os detalhes, pois Renata se encarregaria disso. Sarah nos ofereceu para mostrar o castelo para eles.
Não levou nem cinco minutos pra Sarah e o Ariel sumirem, com certeza matando a saudade em algum lugar, deixando o Gui e eu sozinhos. Quando o silêncio ficou insuportável eu perguntei.
- Como estão todos?
- Com saudades. – Ele respondeu me causando arrepios quando ouvi sua voz, ele me olhou nos olhos e se aproximou. Dei um passo atrás, mas ele me segurou.
- Não corre. – Ele sussurrou no meu ouvido, eu não tinha mais forças pra ir a lugar algum. Levantei meu olhar e me afoguei em todo o amor que eu vi em seus olhos. - Sabe por que eu estou aqui? – Neguei com a cabeça e ele sorriu. – Além, lógico, de ser porque eu te amo. – Meu coração enlouqueceu dentro do peito e eu já não sabia como respirar. – Por algo que a Bia me disse.
- A mãe? – Perguntei incrédula e ele afirmou.
- Sim. Que a única coisa pela qual se vale à pena lutar é o amor. Foi isso que me deu forças pra vir até aqui e te dizer que eu te amo. Se você não sentir o mesmo, serei eu a ir embora para que você volte pra nossa família. – Ele me olhou implorando pra que eu dissesse algo, ele afrouxou o abraço e se virou, mas quando eu vi o que iria acontecer o abracei pelas costas.
- Eu sinto o mesmo. – Falei em um sussurro, alto o suficiente para somente ele ouvir, ele se virou e me beijou. Deus como eu senti saudade dos seus lábios. Retribuí o beijo com urgência, nossos lábios dançando em sincronia. Quando ele se afastou eu vi um sorriso lindo nascer no seu rosto, porém em seus olhos eu vi que ele também tinha duvidas e neste momento eu decidi que não estávamos fazendo nada de errado e que nos amávamos e deveríamos ficar juntos. O fato de termos a aprovação da minha mãe também ajudou.
- Atrapalhamos? – Sarah perguntou enquanto ela e o Ariel se aproximavam, em um reflexo tentei me afastar mais Gui me segurou.
- Não. – Sua voz feliz e vitoriosa. Nos olhos da Sarah eu vi que tinha muitas explicações pra dar, mas também vi que ela já sabia ou imaginava.  
***
 Decidimos ficar mais um tempo em Volterra. Junto com os meninos seria ainda melhor.
- Agora conta. – Sarah exigiu assim que entramos no nosso quarto, eu dei uma pequena gargalhada e resumi tudo o que tinha acontecido. – Você se apaixona e foge? – Ela perguntou sarcástica.
- Ele era o irmão da minha mãe, meu tio. – Ela fez uma careta.
- Isso é ridículo.
- Agora eu sei. – Falei sorrindo, tanto Sarah quanto eu estávamos irradiando felicidade.
- Que ótimo.
- Que ótimo.

2 comentários:

Aiii San, eu amei o cap viu?
hihihi...
tadinho do Luiz e o Ariel com ciumes, que fofo *---*
Tah lindo o cap
Parabéns e ahh San posta mais vai?
çç
Beeeeijos

Nossa vc é demais, que bom que eles estão juntos agora
quero mais por favor nao demore nao esta ótimo.
Bjs

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.