30 de jan de 2011

capitulo 14

Posted by sandry costa On 1/30/2011 3 comments

I'M NOT INSANE, I'M NOT


Eu perdi o meu medo
O meu medo
O meu medo da chuva
Raul Seixas



— Pára com isso vai, vamos sair daqui. Vai ficar tudo bem. — Jake desfez o abraço, passando a mão delicadamente sobre meus olhos, limpando algumas lágrimas. Ele segurou firme minha mão, puxando-me para a realidade fora da casa de Emily. A lua já dava as caras no céu cinzento de La Plush. Os Quilleutes estavam em peso por ali, amontoados em volta de uma grande fogueira próxima a praia. Avistei Billy e Joseph conversando com o conselho, e os dois soltaram um sorriso em nossa direção quando nos viram de mãos dadas. Eu só queria sumir por hoje. Um vento gelado soprou de dentro do mar, fazendo com que Jake se aproximasse mais de mim. Estremeci quando senti o choque do toque de nossas peles quando ele passou um braço por cima dos meus ombros. Por reflexo, ou inconsciência, eu olhei pra Jacob quando ele fez esse gesto, enquanto andávamos em direção aos garotos mais a frente. Ele notando que eu o fitava, fez o mesmo sorrindo e depositando um beijo carinhoso no topo da minha cabeça. Como eu amava Jake, ele sendo carinhoso, ou o casca dura como sempre, mas simplesmente sendo Jacob Black. Aproximamo-nos da roda criada próximo a grande fogueira. Senti Jake me aninhando em seus braços quando sentamos na areia, e ao mesmo tempo meus olhos correram entre as pessoas, querendo me torturar um pouco mais. Lá estava Embry, rindo de algo que uma garota dizia. Ela era loira com os traços do rosto delicados e uma tiara preta no cabelo. Eu não me admirava que Embry tivesse sofrido o Imprinting com ela, ela era linda demais.
— Hey. — a voz de Jake próximo demais do meu ouvido fez-me estremecer. — Olha pra mim. — ele colocou os dedos delicadamente sob meu queixo, fazendo com que eu o encarasse nos olhos. Jacob exibia um sorriso doce, confortante, que me fez sorrir de volta. Parece que nada mais existia, nem Embry, nem Lyn, nada mais. Era só isso que eu precisava.
— Me desculpe. — mordi o lábio, tensa. Ele não merecia isso, eu estava sendo estúpida e egoísta demais, de novo. Eu tinha que parar com isso.
— Pare de se desculpar um segundo. — ele riu enquanto falava. Lembrando-se que eu havia dito a ele naquela tarde na praia. E passou os dedos na base das minhas costas em um carinho gostoso.
— Daqui a pouco você vai se desculpar até de respirar.
Eu sorri encaixando meu rosto na curva do pescoço dele, ainda sentindo seus dedos passeando pelas minhas costas.
— Obrigada por existir. — sussurrei baixinho, agradecendo mais a Ele lá em cima do que ao próprio Jacob.
— Quer dar uma volta pela praia? — Senti um beijo no topo da minha cabeça e levantei o rosto para encará-lo e assentir que sim.
Andávamos de mãos dadas, nos afastando um pouco dos outros. As ondas estavam calmas e perdiam força, mal chegando a praia. Diminui um pouco o passo, Jake quando percebeu parou de andar e virou de lado, fitando-me. Quando dei por mim eu já havia passado os braços por sua cintura e suas mãos já afagavam meu cabelo. Tudo que eu escutava era o barulho das ondas e a batida descompassada do coração de Jacob. E eu poderia ficar ali pra sempre.
— Eu… te amo tanto Jake. — fechei os olhos, apertando mais meus braços em volta de seu corpo. Senti seu suspiro pesado batendo nos meus cabelos, seus dedos tocando levemente em cada mecha. Eu não iria cobrar um “Eu também.” Mas seria bom escutar.
— Lu… — Ele se afastou um pouco, para nos fitarmos nos olhos.
— Jake. — Uma voz urgente chamou, e eu virei o rosto rapidamente para encarar Bella ali parada, com as mãos dentro do casaco enquanto mordia o lábio.
As mãos de Jacob correram do meu cabelo até minha cintura, nos afastando um pouco, enquanto ele a fitava. Eu passei uma das minhas mãos tirando alguns fios de cabelo no rosto. Algo me dizia que o dia só estava começando, iria ficar bem pior.
— O que ela está fazendo aqui Jake? — Eu falei em um tom que ela poderia escutar se quisesse. Qual é o problema? Eu não precisava fingir para ninguém que não gostava dela.
— Eu não sei. — Ele me fitou por um segundo, com os olhos densos, passando o polegar devagar pelo meu rosto, como se quem pedia desculpas.
— Você a convidou. — Falei firme. Eu não podia acreditar, tudo que ele falou, simplesmente não passava de mentiras. Comecei a desvencilhar dos braços dele e dei alguns passos, ficando de costa para os dois e fitando o oceano.
— Não… Lu. Eu não… — Ouvi a voz de Jake próxima demais, ele estava quase suplicando.
— Foi o Seth. — Ouvi Bella sussurrando. — Ele disse que eu poderia vir se quisesse. — Seu tom de voz era baixo, quase se desculpando por existir. Como se desculpas fossem resolver.
— E porque você quis agora? — Senti a voz de Jake se exaltar, me virei encarando-o com os punhos fechados e a garota com os ombros arqueados, evitando olhar para nós. — Cansei de te convidar, você nunca quis vir Bella, você nunca se importou. E agora, que eu estou seguindo, agora você quer vir? — observei Jacob apertar mais os punhos e sua respiração começar a ficar mais ofegante, estava prestes a se transformar. Eu devia deixar ele virar um lobo e matar Bella bem ali, enquanto eu assistia de camarote, mas tudo que eu fiz foi me aproximar e segurar delicadamente em seu pulso. Ele já estava tremendo quando o toquei. Jacob girou a cabeça para me encarar, e seus olhos antes densos e nervosos, se aquietaram quando se juntaram aos meus. Ele fechou os próprios por alguns segundos, entrelaçando nossos dedos enquanto começava a respirar normalmente.
— Vá embora Bella. — Ele a encarou novamente, com um rosto magoado. Quem era ela pra fazer isso com meu Jacob? Apertei minha mão na dele, encorajando-o. Eu estava muito orgulhosa de Jake, definitivamente.
— Me desculpe. Eu só queria te ver antes… — Ela parou de falar, mexendo no cabelo, nervosa.
— Não me venha com isso de novo. — Jake bufou. — Eu já disse… — de repente a voz de Jacob me pareceu distante, mesmo eu estando ao seu lado. Eu fazia um esforço tremendo mas não conseguia escutá-lo.
Minha visão ficou embaçada, e toda aquela aura chuvosa da praia pareceu se concentrar em cima de mim. As gotas acariciando meu rosto, fazendo com que eu fechasse os olhos. Quando eu os abri não estavam Jake nem Bella ali. Não era a praia de La Plush, parecia mais um calabouço ou algo subterrâneo. Mas não era assustador. Ao contrário todas as paredes pareciam ser de mármore branco e os móveis de madeira antiga, mogno escuro. Pensando melhor parecia um castelo medieval. Ouvi vozes próximas, tão baixas que nenhum ser humano normal poderia escutar, mas diabos eu era meio bruxa, podia escutar qualquer coisa.
— Eu estou preocupado com Forks. Os Cullen não parecem mais conseguir controlar a situação por lá. O caso de Seattle não parece ter sido o único. — Um homem — ou melhor, um vampiro — entrou no lugar, flutuando delicadamente pelo piso de mármore. Ele vestia roupas sociais, algo que um lord certamente usaria em seu dia-a-dia. Terno fino, e um manto preto por cima. Sua pele branca contrastava com os cabelos negros e os olhos profundamente vermelhos. Seus lábios mal se moviam ao falar, eles apenas dançavam quando as palavras saiam delicadamente.
— E em que posso servi-lo Aro? — A voz tilintou da mulher que adentrou na sala em seu encalço. Ela apresentava as mesmas características vampiristicas do homem. Pele branca, olhos vermelhos, mas seus cabelos eram magnificamente loiros, presos em um coque perfeito. Tal como Aro, ela usava um longo manto negro, que não permitia ver que roupas ela usava por baixo.
— Você vai resolver isso para mim. — Aro sentou-se em um dos tronos de mármore que havia ali, unindo as mãos pensativo. A garota loira assentiu com a cabeça. — Irá fazer uma visitinha especial aos Cullen, a senhorita Swan, — ele sorriu, mostrando os caninos pontiagudos.
— Está certo Aro, eu e Alec partiremos agora mesmo. — A loira virou-se flutuando até a porta.
— Jane. — O homem chamou, fazendo a garota parar por um momento na porta. — Um passarinho me contou que existem Licantropos em Forks. — Ele fez uma pausa. — Mande meus comprimentos a eles. — Aro sorriu mais ainda observando os olhos maldosos de Jane antes de sumir porta a fora.
— Lu, Lu acorda. — Eu mal sentia meu corpo, só os dedos de Jake apertando meus braços, me chacoalhando forte. Aos poucos senti meu cérebro de volta no lugar. O cheiro de mar adentrando as minhas narinas de novo, e o som do vento zunindo. Abri os olhos observando Jacob a poucos centímetros de mim, e Bella ao fundo com uma expressão preocupada. — Você apagou, Meu Deus, você está bem? — Ouvi a voz preocupada de Jake, enquanto tentava me levantar. Ele passou um dos braços por minha cintura, tentando-me ajudar a me firmar. Eu só assenti que estava bem. Era informação demais para eu assimilar em tão pouco tempo. Eu havia tido outra visão, e dessa vez eu não estava dormindo.
— Ela está bem? — Bella sussurrou, recebendo um cenho franzido por parte de Jacob.
— Só… vá embora Bella, por favor. — Ele rugiu entre dentes, mas eu segurei sua mão mais forte quando percebi ela indo embora.
— Não. — respirei fundo, tentando cuspir aquelas palavras. — Ela também precisa saber. Acredite, isso é difícil pra eu admitir, mas ela precisa saber. — Pisquei duas vezes, firmando os dois pés no chão, já conseguindo ficar em pé sem me escorar nele.
— Saber de quê, Lu? — ele deu um passo pra trás, como se quem checasse se eu não havia batido a cabeça ou coisa assim.

3 comentários:

Uouu....
Amei!
Pelo amor de Deus posta o outro capitulo bem rapidinhu, tah?
Brigada

ahhhh adoreiii, coloca logo o outro capitulo por favorr!!!
esta linda a historia amei!!

amo essa fic , mas estou decepicionada por estar parada. Gostaria muito de saber o seu final

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.