26 de jan de 2011

capitulo 16

Posted by sandry costa On 1/26/2011 2 comments



Eu não podia acreditar quão confortável eu me sentia na ilha. Eu estava segura aqui – meu bebê estava seguro aqui. Cada dia que estivemos aqui o sol brilhou forte e quente.

Jacob tentou me banir de ir sozinha para a praia, mas meus hormônios fora de controle ganharam esse argumento.

Andei pela praia, pés descalços, enquanto a água corria por meu pés. O som das ondas se debatando e gaivotas voando sobre mim acalmaram todo o meu corpo. Fechei meus olhos enquanto andava. Eu nunca em minha vida me senti mais em paz do que nesse momento. Até o bebê estava calmo, deitado tranquilo em meu estômago.

Meu avô disse que eu poderia entrar em trabalho de parto em qualquer dia, mas acho que não. O bebê tem estado calmo demais para que eu já entre em trabalho de parto. Mas apenas por precaução minha mãe, tias, avó, e Alyssa estavam juntas montando o berçário. Meu pai e tios estavam constantemente indo de lá para cá em terra firme para buscar os produtos que elas tinham encomendado.

A luz do sol de repente saiu das minhas pálpebras e ao mesmo tempo eu esbarrei com algo sólido. Mãos frias se estenderam e seguram meus braços superiores antes que eu pudesse cair para trás.

“Você sabe, é altamente perigoso para você estar andando por aqui com seus olhos fechados. Especialmente você.” Derek gargalhou uma risada e abri meus olhos, estreitando-os para ele.

“O que?” Ele esguelou. “Estou apenas falando a verdade.”

“Eu estava aproveitando o silêncio.”

Ele olhou ao nosso redor, enrugando seus lábios. “Que silêncio? É mais barulhento aqui do que na casa.”

“Esse barulho,” eu balancei minhas mãos na direção do oceano, “é muito mais calmante que toda a implicância acontecendo entre minha mãe e Jacob.”

Derek revirou seus olhos e se sentou na minha frente. Segui seu movimento e descansei ao seu lado.

“Sim, eles estão discutindo como se estivessem casados por 80 anos.” Ele riu e olhou para mim.

“Isso é mãe e Jacob. Sobre o que eles estão discutindo agora?”

“Cores do berçário. Dessa vez eu fiquei do lado de Jacob. Cores terra são melhor do que um tema de circo. Palhaços me apavoram.” Ele estremeceu, e eu ri dele.

“Você ficou do lado de Jacob? Como nossa mãe aceitou essa?”

Ele olhou para mim com medo em seus olhos dourados. “Estou aqui ao invés de na casa, não estou? Eu teria ido nadar para alcançar Edward e os outros, mas eu nunca fui muito fã de nado a distância.”

Eu segurei meu estômago enquanto ria. “Ela te botou para fora, não foi?”

Ele deu de ombros e coçou sua nuca. “Mais jogou para fora, mas não precisamos ser literal.”

“Estou feliz que não estou lá.” Eu suspirei, apoiando em meus cotovelos. “Realmente não me importo como seja o quarto do bebê.”

“Ei,” Jacob disse enquanto caminhava até nós. Ele sentou perto de mim, se inclinando para beijar meu estômago nu.

“Ela te botou para fora também?” Derek lhe perguntou.

Jacob balançou sua cabeça. “De forma alguma, aquela mulher não teria braços se ela…” ele parou quando me percebeu encarando ele.

“Ela é minha mãe.” Eu rosnei.

Ele riu e olhou para o oceano. “Isso ela é mesmo.”

Abri minha boca para argumentar com ela, mas a dor em meu estômago me cortou.

“O que foi?” Ambos Derek e Jacob perguntaram, se inclinando sobre mim. Mãos quentes e frias deitaram em minha barriga.

“Isso dói!” Eu gemi, curvando minhas pernas o máximo que eu podia.

“O que fazemos? O que fazemos?” Derek esguelou enquanto corria ao redor de mim e de Jacob.

“Levamos ela para casa, idiota.” Jacob resmungou enquanto me levantava.

“Oh, Eu… hmmm…” As mãos de Derek se moviam inutilmente ao meu redor, sem saber o que fazer com eles.

“Vá na minha frente e diga para Bella e Carlisle que estamos a caminho – ” Jacob parou quando eu gritei em dor.

Derek tinha ido embora quando abri novamente meus olhos.

Minha mãe voou na nossa direção alguns segundos depois com meu avô em seus calcanhares. Suas mãos se movendo para minha testa, me esfriando ao mesmo tempo que meu avô ouvia os batimentos do meu coração e colocava suas mãos em meu estômago, examinando.

“É hora.” Ele disse quando gritei novamente de dor.

“Hora do bebê nascer!” Derek comemorou e correu para dentro.

“Não, não!” Eu chorei, lágrimas quentes escorrendo por meu rosto. De repende eu estava aterrorizada. Não em ser uma mãe, mas do mundo fora de minha segura ilha. Eu não teria mais meu bebê escondido em segurança. Eu não estava preparada para deixar essa barreira ir ainda.”

“Temo que não podemos mais segurar, Renesmee.”

Eu arfei, olhando ao redor do quarto. “Não, eu quero meu pai aqui.”

“Tenho ele no telefone.” Tia Alice me informou, balançando seu telefone no ar.

Estendi meus braços e ela colocou o aparelho em minha palma. “Onde você está?!”

“Algumas horas de distância. Aguente querida, você ficará bem.” Eu podia ouvir as lágrimas que eles estaria chorando em sua voz. Ele estava preocupado.

“Preciso de você aqui, pai.” Eu chorei.

“Estou a caminho.”

Deixei o telefone cair e gritei de dor. Minha mãe arfou e pegou o telefone rapidamente.

“Ela está bem.” Ela disse rapidamente.

“Derek, Seth, eu vou pedir para que você saiam do quarto.” Meu avô disse e imediatamente eles saíram.

Antes que a porta se fechasse, meu short foi rasgado e meu avô segurava uma mascara na frente do meu rosto.

Balancei minha cabeça ferozmente. “Eu não quero dormir!” Gritei.

“Você precisa, eu não sei como fazer isso sem você sentir dor. Essa é a única forma. Eu te prometo, você ficará bem.” Ele me garantiu.

“Eu quero ver meu bebê.”

“Você irá, quando acordar.”

Balancei minha cabeça, e minha mãe apareceu na frente de meu avô, pegando a máscara.

“Eu tive que esperar 3 dias para te ver. Acho que você pode aguentar algumas horas. Acredite em mim, você não perderá muito. Jacob estará bem do seu lado. Eu estarei aqui e farei com que a primeira coisa que você veja quando abrir seus olhos seja seu bebê.” Ela sorriu para mim e beijou minha testa .”Pelo menos você não tem que ir caçar antes de possa ver seu bebê. Você pode vê-lo imediatamente.”

Eu sorri para ela e suspirei profundamente. Virei-me para olhar para o rosto apavorado de Jacob. “Eu quero que você seja o primeiro a segurar o bebê. Meu pai foi o primeiro de todos a me segurar. Eu não teria isso de nenhuma outra maneira.”

Jacob assentiu lentamente, e eu podia ver ele se forçando a engolir. As lágrimas em seus olhos brilharam enquanto ele se recusava a libertá-las.

O braço de minha mãe se inclinou, colocando a mascara sobre minha boca e nariz.

“Eu te amo.” A voz de Jacob ecoou em minha cabeça enquanto a escuridão tomava conta.

2 comentários:

Nossa esse capitulo esta show, quero ver como vai ser o proximo vc esta muito bem a cada capitulo, nao demore por favor.

AI Q LINDO!!!!AMEI!!!OBRIGADA POR POSTAR MAIS UM CAPÍTULO EMOCIONANTE.ENTRO NO BLOG TODO DIA PARA VER SE CHEGOU NOVO CAPÍTULO.

QUAIS SÃO OS DIAS DAS POSTAGENS?

ESTOU LOKA PARA SABER O Q VAI ACONTECER.COMO O BEBÊ VAI NASCER.A FAMÍLIA TODA UNIDA.E QUERO MUITO SABER O Q VAI SER DA ALISSA.
HAHAHA!BJS.

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.