31 de jan de 2011

Capitulo 17

Posted by sandry costa On 1/31/2011 4 comments


POV nessie

- Vamos Nessie! – Ouvi minha mãe chamar – Você vai chegar atrasada filha.
Eu tomei o restante de meu suco, peguei a mão de Jake e fomos para a sala de estar.
- Pronto mãe! – sorri – Ah, e quando suas irmãs vão chegar Nahuel?
- As 3h da tarde, mas... – Alice o interrompeu.
- Não se preocupe Nessie, você vai vê-las ok?
Eu olhei para a minha tia que sorria angelicamente.
- O que você está aprontando em Tia Alie? E por que nem você e nem a tia Rose vão para o colégio em?
- Nós vamos fazer compras em Seattle, caçar e todas essas coisas. – tia Rose respondeu.
- E eu não vou por que não to com vontade – Tio Emmett sorriu.
Na verdade, eu não havia percebido que ele também não iria. Sorri.
- Ok, ok – Murmurei enquanto Jake me puxava porta a fora – Vejo vocês depois! 
Fui com Jake em sua moto sentindo o vento chicotear meu cabelo, logo chegamos no colégio para mais um dia cheio.
Só eu, Jake, meu pai e minha mãe fomos para o colégios hoje. Eu tinha a vaga impressão de que eles me escondiam algo.
Assim eu senti o mesmo quando conversei com Lucy.
Acho que eu estava ficando paranoica na verdade.
Fui para a minha ultima aula antes do recreio junto com minha mãe.
Eu gostava da aula de artes, nós quase sempre pintavamos e eu adorava. A Sra Berty adorava meus trabalhos, ela sempre dizia que eu poderia ser a nova picasso.
Eu escolhi as tintas, uma tela e fui para o lado de minha mãe no lugar mais afastado da sala.
- Vai pintar o que Ness? – ela perguntou enquanto posicionava sua tela.
- Ah mãe, estou pensando em pintar La Push.
- La Push? – ela me olhou surpresa.
- Sei que Jake sente falta de lá. – sorri – Acho que seria um grande presente se eu colocasse na parede de seu quarto...
- Boa ideia Ness – ela sorriu de um jeito estranho.
Um jeito que eu conhecia bem demais.
- Então mãe...
Eu tentei puxar papo sabendo que ela queria me falar algo, eu poderia ver isto em suas feições.
- O que? 
- Você não quer me falar algo? – perguntei baixinho sabendo que ninguém poderia nos ouvir.
Ela deu uma fraca risada e mordeu seus lábios.
- Sim, só estou pesando as conseqüências disso.
Eu ri com o temor em suas palavras que atiçava ainda mais minha curiosidade.
- Fala mãe.
Ela suspirou.
- Rose conversou comigo.
Eu sabia que agora eu estava como um pimentão.
- Ela me contou sobre a conversa de vocês e de como você está apaixonada por Jacob.
Eu assenti. Era vergonhoso admitir essas coisas, mesmo sabendo que ela era minha mãe, não era como falar com a tia Rose.
- Você poderia me mostrar? – ela suspirou.
- S-Sim – gaguejei.
Toquei sua mão e mostrei para ela a minha conversa com Rosalie. Alguns momentos meus e de Jake, o que eu sentia quando estava ao seu lado, a certeza que eu tinha que seria para sempre ele.
Ela sorriu quando eu soltei sua mão.
- Jacob tem um ótimo auto-controle – ela riu – Você o ama. 
Ela falou em uma afirmativa.
- Sem duvidas.
- Vocês dois me lembram um pouco de como era entre e eu e Edward – ela sorriu – Mas é obvio que não havia nenhum pai que lê mentes e tem uma super audição por perto para estragar.
- Mas nossos casos são diferentes mãe, como eu falei para a tia Rose.
- Eu certamente vejo isso meu raio de sol – ela continuou a sorrir – Você está certa que quer fazer isso?
- Sim.
Ela afagou minha bochecha.
- Eu conversei com seu pai – ela falou pausadamente – Ou ao menos eu incitei o tema da conversa, ele não fica nada feliz com isso, mas ele está vendo como você está crescendo e como seus desejos estão a flor da pele.
Eu assenti.
- Ele não permitiu nada, por que eu não falei diretamente com ele esse assunto – ela suspirou e me olhou séria – Você independente de estar virando uma adulta ou não vai ser sempre o meu bebê.
- Mãe... – Ela me interrompeu.
- Espera, deixe-me terminar. – ela sorriu – O que eu quero dizer é que se você se sente a vontade com Jacob, se você o ama de verdade e o deseja tanto quanto eu vi em suas memórias, você pode... – ela suspirou – Você pode se entregar a esse desejo.
Eu deixei o pincel cair de minha mão.
- V-Você está f-falando o que eu acho que você está falando? – sussurrei ainda em estado de choque.
- Depende do que você acha que eu estou falando. – ela riu.
- Mãe! – sorri abertamente – Você está... Você está...
- Estou. – ela sorriu – Eu sei o quanto você o ama Nessie, posso ver isso em seu olhar.
- M-Mas e o papai? – perguntei inda abestalhada – O que ele vai fazer quando descobrir...
- Eu converso com seu pai Ness – ela ficou um pouco séria – Você não sabe o quanto isto está me custando, deixar você se entregar assim, por isso leve a sério Ness. 
- Claro mamãe. – eu sorri abertamente – Eu o amo, isso é sério.
- E han, tente não fazer nada no campo de audição do seu pai ok? – ela murmurou e eu aposto que coraria se isso fosse possivel.
- E han, tente não fazer nada no campo de audição do seu pai ok? – ela murmurou e eu aposto que coraria se isso fosse possivel.
- Ahhhh, eu não acredito! – eu a abracei fortemente – Obrigado mamãe, obrigado por confiar em mim, por me ajudar, você é a melhor mãe do mundo todinho!
Ela sorriu.
- Eu amo você meu raio de sol, você sabe que eu faria qualquer coisa para te ver feliz.
Apertei sua bochecha.
- Você é uma fofa mãezinha! 
- Shiiiu – A sra Berty veio até nós – Vamos, vocês duas tem muito o que fazer ainda, menos conversa, mais trabalho.
- Ok – murmurei sorrindo.
Peguei meu pincel, mergulhei-o na tinta e comecei a dar forma a tela, com uma bela praia que na verdade era a terra natal de meu único amor. 
O amor que agora eu poderia viver por completo, de corpo e alma no real sentido.


POV Jacob

A aula passava mortalmente devagar, Deus como eu odiava história! 
Lucy que sentava ao meu lado me cutucou me dando um papel.
O que você vai dar de aniversário pra Nessie?
Eu sorri, na verdade eu tinha vários presentes, primeiro a idéia do Resort fora de certa forma minha, nós iríamos passar todo o final de semana em um hotel fazenda um pouco afastado de Oregon, os Cullen convidaram Charlie e Sue, Billy, Leah, Seth, até mesmo Sam e Emily que agora tinham uma filha, a pequena se chamava Susan e também viria. 
Além deles, eles também convidaram alguns amigos de Nessie daqui do colégio, mas era tudo em segredo, nós faríamos uma surpresa para ela, essas horas suas malas já estavam arrumadas e provavelmente a caminho do Resort, logo depois que chegássemos em casa, Edward e Bella alegariam que iriam sair, e eu ficara responsável de levar a Ness.
Mas, eu iria dar a ela um anel que fora de minha mãe. Não que eu fosse pedi-la em casamento, mas eu achava aquele anel bonito e tenho certeza que ela gostaria.
         Vários, um anel e uma pulsera que foram de minha mãe, um teclado novo, e um par de brincos.  Fora o “jantar romântico” que eu tinha em mente.
         Isso claro se o leitor de mentes não estragasse tudo.
         Lucy me olhou com espanto, escreveu algo e me passou o bilhete.
         Tudo isso? Ah, e aquilo que a Nessie quer, você não vai dar?
         Eu li e tinha certeza que estava corando, graças a deus minha pele morena escondia isso.
         Como já era de se esperar Nessie contava tudo para Lucy, especialmente essa história. Só que meio editada.
         Ela falava que me queria e que obviamente eu a queria também, mas eu era ‘nobre’ demais e respeitava seu pai.
         Por um lado ela está certa, mas ela esqueceu que o nobre também vem acompanhado de coisas do tipo, “Chega perto da minha filha e eu te castro”, “Eu mato você Jacob Black”...
         Então, minhas alternativas eram não ou não.
         Eu respeito Nessie, respeitaria e esperararia quanto tempo fosse preciso se ela não quisesse. Mas o problema é esse, ela quer. E quer muito.
         Não sei se eram seus hormônios femininos que estavam a flor da pele ou algo do gênero mais ultimamente alguns simples beijos nos faz pegar fogo e quando eu vejo nossos corpos já estão colados, em um ritmo quente que não fazia nenhum bem a minha sanidade.
         Mas o que estava mais que evidente era que Edward não estava gostando nada disso, ele me lançava olhares fulminantes a toda hora e eu tentava não pensar, mas era praticamente impossível.
         Eu teria que tomar uma decisão nesse final de semana.
         Isso era certo, tão certo como eu perder minha sanidade se passar mais uma semana nesse ritmo.


POV Nessie.

         - Jake, deixa eu dirigir hoje? – sorri angelicalmente enquanto saiamos do colégio.
         - Já que você insiste – ele brincou e me deu o capacete – Coloca.
         - Você sabe que eu não gosto... – tentei argumentar.
         - Então não dirige! – ele riu.
         - Argh, da logo! – coloquei o capacete e subi na moto.
         Senti seu peso abaixar um pouco a moto, suas mãos e minha cintura e acelerei.
         Nós estávamos na estrada e Jake começou a falar comigo.
         - Ness, lembra daquele carro que eu falei que estava montando em La push?
         - Sim – murmurei.
         - Então, eu achei um ferro velho nos limites da cidade que tem uma peça que eu preciso, se importa da gente ir pegar?
         - Agora Jake? – perguntei decepcionada.
         Afinal, papai e mamãe iriam sair e nós tínhamos a casa só nossa.
         Com que freqüência aquilo poderia acontecer? E logo hoje Jacob inventa de pegar peças.
         Não teria uma desculpa melhor? Argh.
         - Sim, mas daí é melhor você deixar eu dirigir.
         Eu parei a moto de má vontade no acostamento.
         - Tem certeza que você quer ir logo agora? – falei um pouco irritada.
         Afinal, eu queria contar para Jake o que minha mãe havia falado, eu queria dizer que agora eu seria completamente dele, para sempre.
         Mas tinha que ser um momento especial, eu não falaria isso montada em uma moto com ele ou em uma oficina.
         Será que ele estava com medo que eu o atacasse ou algo desse tipo? Eu senti minhas bochechas aquecerem, eu sabia que Jake resistia por causa de meu pai, mas não tinha como refrear a rejeição que eu sentia.
         - É rapidinho amor – ele roçou seus lábios nos meus – Depois a gente tem a tarde toda pra curtir ok?
         Era uma pena que a idéia de diversão dele era totalmente diferente da minha.
         Oh meu deus, eu estava mesmo virando uma ninfomaníaca antes mesmo de ter uma relação?
         - Tudo bem, mas você usa esse capacete ridículo agora.
         Ele ria enquanto colocava de má vontade.
         Eu o abracei e me encostei em suas costas, sentindo seu cheiro almiscarado toda a curta viagem.
         Eu queria contar a Jacob, mas eu não sabia como. Eu não iria simplesmente abordar o assunto e falar que agora tínhamos “permissão”, isso soaria... Estranho.
         Tanto por que eu iria corar igual um tomate e gaguejaria.
         Suspirei e senti os músculos de Jacob se contraírem sob minhas mãos.
         Ah, eu teria que achar um jeito de falar isso. Eu não iria me agüentar mais por muito tempo.
         O magnetismo entre eu e Jacob era evidente, meu corpo todo ansiava por seu toque, por seu calor, meus lábios pareciam pinicar de ansiedade esperando por seus doces e carnudos lábios, suspirei, eu derretia toda vez que suas mãos se apertavam em minha cintura, quando seus lábios desciam por minha clavícula.
         Eu estava certa que Jacob seria o primeiro, como foi em tudo na minha vida. Por que além do desejo e magnetismo eu sentia o amor fluir por minhas veias, eu o sentia incrustado no cerne de meus ossos e sabia que Jacob também sentia aquilo.
         Eu senti a velocidade da moto diminuir e pensei que já estávamos chegando.
         Eu olhei em volta e vi a entrada do hotel fazenda da cidade, ele era enorme, sua entrada toda decorada com as mais variadas espécies de flores.
         - O que nós vamos fazer aqui? – perguntei.
         - Só vou falar com o Sam antes, ele veio nos visitar mas como está com sua filha ele se sente mais a vontade ficando em hotel.
         Estranho, por que será que aquilo soava como mentira para mim?
         Nós fomos recepcionados por um segurança do hotel que apontou a direção certa.
         O hotel era gigante, todo de pedra e tudo aqui era florido, fazendo um contraste com a selva verde que nos cercavam, Jake estacionou a moto e nós descemos rapidamente.
         Ele pegou minha mão e nós seguimos a pé na curta estrada ali, nós chegamos a parte de trás onde havia uma piscina enorme com uma cascata no final dela deixando tudo natural e belo, o mais estranho é que estava fazia, exceto pelos garçons.
         Tudo bem que não fazia sol e nem nada, mas quem não gostaria de aproveitar?
         Jacob estava quieto demais.
         Nós seguimos até uma enorme porta e Jake parou ali na frente.
         - Bom, vamos entrar.
         - Ok.
         Ele abriu a porta e nós fomos recebidos com um coro de “Parabéns pra você” de minha família e mais algumas pessoas.
         Eu sorri abertamente, então era por isso que todos estavam tão estranhos? Como conseguir uma família melhor? É impossível, eu sei.
         Apostava minha mesada como eles haviam fechado todo o hotel só para nós.
         Eu olhei para todos ali, notei Charlie e Sue bem próximos, Seth e os outros garotos do bando, até mesmo Leah estava aqui e sorria. Sam estava com uma pequena menina no colo e Emily me olhava com um sorriso acolhedor, vi Billy em sua cadeira de rodas. Vi Nahuel com suas irmãs e toda a minha família.
         Meu aniversário não poderia ser melhor, eu sorri abertamente.
         - Mas gente meu aniversário é só amanhã. – Comentei quando eles terminaram.
         - Mas dessa vez vai ser o final de semana todo! – Tia Alice falou animada e todos soltaram gritinhos de empolgação – E se quiser matar alguém, mate seu namorado, ele que deu a idéia.
         Eu olhei para Jacob que sorria timidamente.
         Sem ligar para os olhares que estavam concentrados em nós eu o abracei, roubando-lhe um beijo calmo e apaixonado.
         - Obrigado meu amor – sussurrei em seu ouvido – Eu amo você.
         - Eu também amo você – ele me apertou em seus braços – Parabéns minha princesa.
         Eu sorri e obviamente corei.
         - Hey Jake solte a Nessie, deixe ela nos cumprimentar também! – Seth sorriu.
         - Ah pirralhinho – Jake ralhou – sai fora, essa tem dono!
         Todos riram menos meu pai e Charlie.
         Eu fui comprimentar todos que estavam ali, fiquei sabendo que Charlie agora namorava Sue, fiquei feliz que agora Charlie teria alguém para cuidar dele.
         Seth tinha o mesmo jeito de sempre, feliz e sem se deixar abalar. Leah havia sofrido um impriting com um garoto em Seattle e mal via a hora de se mudar para lá, estava amando loucamente esse rapaz que sabia de tudo e ligava em seu celular de cinco em cinco minutos.
         Conheci os dois novos integrantes do bando de Jake, Joseph e Josh. Eles eram como Seth, eternamente felizes com suas vidas.
         Falei com Billy que sorria a todo instante ao ver a felicidade de Jake.
         - Você tem cuidado bem dele, hun? – eu sorri com a pergunta de Billy.
         - Sim, eu tento.
         - Nunca vi ele tão feliz assim Nessie, isso deve significar alguma coisa. – ele arqueou sua sombracelha de um modo questionativo.
         - Eu só tento retribuir um pouco da felicidade que ele me trás Billy – sorri enquanto ele vinha em minha direção.
         - Oh meu amor, o meu pai anda de conversa fiada é? – ele passou o braço por minha cintura.
         - Que nada, estamos comentando sobre o tempo – eu falei e ri.
         Os dois me acompanharam.
         Logo em seguida cumprimentei as irmãs de Nahuel, e ele próprio que ainda agia de um modo completamente estranho.
         Preferi não pensar sobre isso agora.
         Fui até minha família.
         Mamãe conversava animada com Rose e Alice, uma coisa que era rara.
         Papai sorriu, obviamente vendo meu comentário.
         Mas é verdade não é? Mamãe não gosta desse tipo de festa...
         - Acho que isso é contagioso – ele riu e me abraçou – Quanto mais tempo ela passa com essas duas, mas medo eu tenho.
         Eu ri de seu comentário.
         - Feliz aniversario minha princesinha – eu corei – Tenho um presente para você.
         - Há, que novidade – eu ri com a cara de encabulado que meu pai fez.
         - Você e sua mãe sempre reclamam de meus presentes não é? – ele fez um biquinho estranho.
         - É que você quaaaaaaaase nem gosta de exagerar senhor Cullen.
         - Eu só gosto de agradar as duas mulheres mais importantes de minha vida, isso por acaso é crime?
         Eu ri da cara que ele fazia.
         - Se fosse, vovô Swan se encarregava de você – eu ri e o abracei mais uma vez.
         - Não monopolize minha monstrinha Edinho! – tio Emmett falou.
         - Monstrinha?
         - É, seu novo apelido, Monstrinha do lago Ness, para os mais íntimos Monstrinha Ness, ou apenas Ness.
         - Ah meu deus – meu pai bateu teatralmente na cabeça – Alguém por favor me diz por que Rosalie foi escolher logo um cara assim?
         - Por que eu tenho o que as mulheres gostam baby – Tio Emmett falou enquanto forçava seus músculos peitorais.
         Eu dei uma risada alta.
         - E vem cá monstrinha, deixa o titio Emmet dar um abraço na minha branquela preferida – ele me pegou em um daqueles abraços de urso, tirando meus pés do chão e girando-me no ar.
         - Eu. Preciso. Respirar. – falei esmagada em seu aperto.
         Ele me colocou no chão e eu respirei pesadamente.
         - Sabe Nessie, antigamente você era mais forte – ele sorriu – Acho que Jake está acabando com você.
         Eu corei fortemente com a pontada de malicia em sua voz, e novamente todos riram.
         Mamãe veio até mim e me abraçou ternamente.
         - Feliz aniversário meu raio de sol.
         - Obrigado mamãe – beijei seu rosto.
         - Ownn Nessie! – Tia Rose veio animada até mim – Você está ficando mais velha a cada dia que passa, como posso me acostumar a isso?
         Eu sorri.
         - É difícil, mas eu já me adaptei.
         - Vem cá me dar um abraço menina! – Tia Alice veio com aquele seu típico sorriso de fada.
         - Ah obrigado. – sorri enquanto a abraçava e olhei para Rose – Obrigado por tudo.
         - Também quero meu abraço. – Vovó Esme veio até nós.
         Eu a abracei, logo em seguida Carlisle e o Tio Jazz.
         Nós ficamos mais algum tempo ali em baixo e logo tia Alice anunciou que era para nós nos arrumarmos que iríamos ter uma pequena festa logo de cara.
         Imagino só o que ela havia preparado para amanhã.
         Eu havia ficado todo esse tempo longe de Jake, que conversava animadamente com o pessoal de La Push, eu sabia que ele sentia falta da sua reserva, do lugar em que ele cresceu e viveu por boa parte de sua vida.
         Seu olhar encontrou o meu e ele abriu um sorriso tão lindo que deveria ser um crime. Jacob pegaria prisão perpetua se esse fosse o caso.
         Mas é claro que em meu coração ele já pegara tal pena.
         Eu fui a seu encontro e ele manteve seu sorriso deslumbrantemente branco.
         - Ness... - eu o interrompi colando meus lábios nos seus.
         Eu adorava essa sensação, a sensação dos lábios de Jake no meu, de seu hálito inebriante, eu sonhei tanto com isso, poder beijá-lo sem me importar, saber que eu era desejada assim como desejava.
         - Wow – Seth riu – Ela é quente brow.
         Eu me afastei rindo e Jacob deu um tapa “fraco” na cabeça de Seth.
         - E você Seth, nenhuma gata ainda? – perguntei passando meu braço pela cintura de Jacob.
         - Eu sou de todas baby – ele falou em tom parecido com o de tio Emmett
         Eu, Josh, Joseph e Jacob rimos.
         - Quê foi? – ele falou – Aquela ali já ta na minha mira.
         Ele apontou para a irmã de Nahuel que conversava séria com seu irmão.
         - Ih, cai fora Seth aquela não é pro teu bico – Josh riu.
         - Bom gente, o papo ta ótimo... – Jake falou – Mas, eu vou subir, descançar um pouco... Você vem Ness?
         - Sim – peguei sua mão e ignorei os risinhos deles.
         Nós seguimos até o hall e vi que papai nos observava.
         Não vou fazer nada pai, não me olha com essa cara.
         Ele sorriu. Espera ai. Sorriu?
         Ele balançou a cabeça mais o sorriso ainda continuava ali.
         Estranho. Muito estranho.
         Nós fomos para o hall do hotel e eu encontrei a tia Rose que acenou me chamando.
         - Só espera um pouquinho Jake? – ele assentiu e eu fui falar com ela.
         - Oi tia...
         - Responda rápido, sua mãe falou com você?
         - Sim.
         - Tente não pensar.
         Comecei a cantar mentalmente uma de minhas musicas preferidas.
         - Seu pai já sacou que nós estamos “aprontando” algo, e se encarregou pessoalmente de colocar Jacob no final do corredor e você no começo, logo no quarto ao lado do dele.
         Então era por isso que ele sorria?
         - Ele ainda não falou com nós nada a respeito, mas ele sabe mais ou menos o “plano” e garanto que vai tentar estragar a todo custo – Tia rose fez um muxoxo.
         - Mas como você é a melhor tia do mundo, você vai me ajudar não é?
         Ela sorriu e me abraçou.
         - Eu e Alice fizemos sua mala, ela está em seu quarto – pude sentir seu sorriso – Espero que goste, e nós daremos um jeito Ness.
         - Obrigado tia – Apertei-a em meus braços – Amo você.
         - Eu também bebê, eu também. Só por isso estou te ajudando.
         Eu me afastei e sorri enquanto ela piscava.
         - O que sua tia queria? – Jake perguntou notando meu sorriso.
         Tentei me concentrar em toda sua perfeição e não pensar nesse final de semana que estava por vir, mas a alegria me inundou praticamente transbordando todo meu ser, Jake era meu, eu finalmente seria dele por completo.
         Eu não podia querer mais.

4 comentários:

Show de bola, estou louca de ansiedade
pelo proximo capitulo, quero só ver o que
eles vao aprontar, espero que seja tudo mas
tudo mesmo kkk.
Bjs And

Meus deus se eu tivesse um pai como o Edward eu acho que morreria kkkkk' tadinha da Ness nao pode fazer nada.
Estou louca para ler o proximo capítulo creio que vai ser cheio de emoções néh *-*
Esse capítulo ficou bem legal mesmo, e sei que o proximo sera mais legal ainda.
Beijos;

Muito bom!!!quero mais...
Super curiosa pelo próximo capitulo,posta rápido!!!
bjinhos#

wow
eu amo elas
eu amo elas
( DANCINHA DA VITÓRIA AQUI \O/ )
quero tias como elas
kkkk'
parabéns
vooc é uma ótima escritora e se supera a cada dia
Beeeijos
eu vou tentar ler os outros caps amanhã
mas se não der eu leio e comento TODOS eles
segunda feira
okay?
Beeeijão

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.