5 de nov de 2011

Capitulo 1

Posted by sandry costa On 11/05/2011 5 comments


Hoje, hoje vai fazer três anos...Três anos daquele terrivel acidente, por que tinha que ser meu pai?Por que?Por que não eu?Não sou o bastante para morrer?Não sofri bastante para morrer?
Renesmee Carlie Cullen,  Cullen é um nome que não devia obter, não sou digna de ter esse nome, fui eu que o vez virar o rosto, fui eu que fiz aquela careta idiota, fui eu quem tirei a sua consentração da estrada, e no fim...Fui eu quem sobrevivi.Claro que mamãe sobreviveu junto com Alice, e comigo, mas por que ele tinha que se ir?Sério, se existice maquina do tempo, me colocaria no banco da frete pra morrer no lugar dele.
-Nessie?!-Alice disse estalando os dedos em minha frete,pisquei duas vezes.
-O que foi?-Perguntei desanimada.
-Se lembra que hoje é o dia que mamãe marcou o almoço.
-Não, e não quero ir.Esse dia estou ficando de desejum.
-Nessie faz 3 anos!Não pode ficar assim todo dia que faz mais um ano!
-Você é sem alma Alice!Ele era nosso pai!
-E sempre será!Mas você não acha que ele gostaria que fossemos felizes?-Bufei.
-Não seja trouxa Alice, só está tentando aliviar minha culpa na história.
-Não, não é isso e como você disse, é história, ficou no passado!
-Não sei como pode ser tão dura Alice, não carrega um coração de predra no peito?
-Não seja injenua Renesmee, papai sempre quis nosso bem. 
-Isso não quer dizer que Bella tem que esquece-lo.-Ela revirou os olhos.
-Mamãe está feliz, mas pode não parecer, mas fiquei sentida quando soube que ela estava namorando...Igual a uma adolescente.
-Então deveria virar atriz sabe?Por que você finge tão bem que me surpreendi.-Revirei os olhos já iritada.
-Você sabe o quanto foi difícil pra mim superar a perda de papai, pra mamãe também e no testamento...
-Não venha com esse papo de testamento, ali só esta escrito pra quem os bens dele foi dado.-Disse fechando o caderno o colocando na escrivaninha.
-Você não ficou feliz que ele deu 50% de tudo que ele tinha pra você?
-Não, eu não quero o que ele tinha eu queria ele, de volta.
-Sabe, devia ficar feliz, isso quer dizer que sempre foi a queridinha dele.-Eu olhei pra ela já iria critica-lá, mas a unica coisa que consegui foi abraça-la.-Não é nada a ver, você lembra que o advogado disse?
-Que mamãe cuidaria da sua herança.
-Não, ele disse que mamãe era responsavel por mim, e não é por que tenho 50% que você ficará triste, se vor assim eu dou 15% pra você, dinheiro não significa nada pra mim.
-Eu sinto a falta dele.
-Também sinto mana, será que ele está nos olhando lá em cima?
-Você tembém não acha que se ele está olhando lá de cima, ele não ia querer que sejamos, felizes?
-É um bom argumento.
-Não é?
-Mas não estou preparada pra me separar do meu pasado, do meu pai e colocar outro em seu lugar e fingi que ele me acompanhou quando dei meus primeiro passos, ou quando disse te amo a primeira vez.
-Você lembra?Eu tinha seis anos.
-Eu tinha cinco.-Eu ri.
-Com que mesmo que você falou isso?
-Eu vi mamãe a papai se beijando e um dissendo para  outro, Te amo, eu repeti a palavra.
-É foi, muito engraçado a cara de espanto deles, como se estivessem visto uma assombração.
-Lembra a careta dele no dia que eu disse que eu estava apaixonada?
-Lembro,ainda me faz rir.-Ela riu.-Depois ele perguntou:"Quem foi o sortudo que ganhou o coração da minha pequena?"
-E você começou a rir quando eu disse que havia sido ele.
-Foi engraçado, diz que não foi...
-Não foi.-Ela riu eu ri junto.
Alguém bateu na porta.
-Quem é?
-Sou eu.-Bella.
-O que foi mãe?
-Já estão prontas?
-Não!-Alice disse entrando no meu closert.-espere mais um minuto mãe.
-Estou la em baixo.-Segui pro closert, meu quarto e o de Alice eram totalmente conectados, tinha uma porta que dava um pra entrar no outro.
-Que roupa que vai vesti?
-Quero um vestido preto.
-Você não vai ficar de velório de novo, vamos pegar algo nude...-Ela pesquisou entre os cabides, e pegou um que eu não usavá havia tempos.-Esse é lindo, você irá usa-lo, nosso futuro primo ficará feliz em nos ver.
-Não sabemos quem é,só que ele tem vinte anos.
-E nós temos, dezessete e dessoito.
-Isso é estranho, tenho um primo que pode ser meu irmão.
-Mas ele e Edward são bem diferentes de idades...Me promete uma coisa?
-O que?
-Aconteça o que acontecer, seja gentil e fincha que está feliz.
-Não gosto de mentir o que não estou o o que não sou.
-Então faça como eu,"atue" bem.-Eu ri.
-Claro, por que não?

5 comentários:

Este comentário foi removido pelo autor.

Oii, otimo cap, a fic promete
obrigada por deixar posta-la aki no bet
bjos

Gostei da história.
Apesar do começo já ser triste.
Mas espero com curiosidade o próximo capítulo.
Bjs
Aline

legal gostei muito da historia!vc tem muita imaginação sabia?
por falar nisso quando ai postar o 2 capitulo?

A história vai ficar super legal.
Vamos ter muita curiosidade.
Débora

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.