18 de nov de 2011

Capitulo 10

Posted by sandry costa On 11/18/2011 1 comment


Nós ficamos a noite inteira conversando, até que eu e Douglas fomos pra varanda e nos sentamos lá.Conversamos sobre tantas coisas e eu deitei minha cabeça em seu colo e então adormeci.
No dia seguinte acordei no quarto com minha mãe me chamando, pois precisávamos conversar.
Desci até sala e então tia Ashley falou.
- Vocês agora sabem de toda a verdade, sobre nossa família, sobre sua verdadeira natureza e tudo mais.Mas precisam decidir o que vão fazer: vão entrar definitivamente para o nosso mundo ou pretendem continuar no mundo do humanos? – eu olhei pro Douglas e não foi preciso palavras pois já tínhamos a resposta.
- Nós crescemos assim, aprendemos a viver dessa maneira e é  assim que queremos continuar. – falei e ele completou
- É verdade.Essa é a nossa vida. – tia Ash sorriu e então disse
- Tudo bem, acho que o meu trabalho aqui acabou. Eu desejo felicidades pra vocês e quero que prometam que vão dar noticias sempre.
- Mas você já vai? – perguntei já com lágrimas nos olhos.
- Eu preciso minha querida – eu fui até ela e a abracei.
- Obrigada por tudo tia. Eu te amo – falei e ela sorriu.
- De nada meu anjo. Eu também te amo muito – depois de se despedir papai levou-a até o aeroporto. Eu me sentei no sofá ao lado da mamãe e deitei minha cabeça em seu colo enquanto ela brincava com meu cabelo.

Douglas

Depois que a minha tia foi embora eu subi pro meu quarto e deitei-me na cama e então as imagens do acidente que me fizeram descobrir meus poderes vieram a minha mente.

Flash Back On

- Ei Douglas já vai amiguinho? – Kauã perguntou enquanto cambaleava até mim e me dava um tapinha nas costas.
- Cara...você ta mal – eu falei rindo e depois fui embora.
Eu não sei como, mas acabei me perdendo, em plena NY quando vi já estava na interestadual correndo a mais de 120Km/h.
- Uhuuu gritei sentindo o vento bater em meu rosto e então tudo aconteceu tão ligeiro...Algum animal passou na frente do carro e eu desviei fazendo o carro capotar mas algo inexplicável aconteceu: em um reflexo eu bati da porta do carro e ela voou longe e quando me dei conta eu estava assistindo o meu carro cair barranco a baixo.
- O-oque é isso? – eu me perguntei e então corri, mas não em uma velocidade humana... Parecia que eu estava voando.

Flash Back Off

- Pensando em que? – Gabi perguntou entrando no quarto. Eu fiz sinal para que ela se sentasse na cama e assim o fez.
- Só em algumas coisas – falei sorrindo.
- Eu não quero voltar para Copenhague. – ela disse de repente, e seu rosto assumiu uma expressão triste.
- Eu também não quero ficar aqui. Esse lugar não faz eu me sentir... Bem como antes entende? – perguntei e ela suspirou, concordando foi quando me ocorreu uma coisa.
- E se nos mudácemos?Sei lá pra algum lugar legal tipo...
- Brasil? – ela perguntou seus olhos já brilhando de empolgação. Eu sorri 
- Yeah, Brasil é ótimo – concordei e logo nós corremos escadas abaixo e contamos aos nossos pais a idéia.
- E então o que nos dizem? – os quatro se olharam.
- Tudo bem. Vai ser ótimo pra todos nós – minha mãe afirmou e eu a abracei.
- Obrigada.

Narradora

Não demorou muito pra todos começarem a cuidarem dos preparativos para a mudança. Alex ligou para Kat e perguntou se ela conseguiria arrumar uma casa e cuidar da decoração pra eles e a irmã, é claro, aceitou.

1 mês depois...

- Crianças, andem ou vamos perder o avião. – Leah gritou da sala e logo Gabi e Douglas desceram, resmungando alguma coisa.
Não demorou muito a chegarem ao aeroporto e logo anunciaram o vôo para o Brasil.

Douglas

- Dôh, acorda. Nós chegamos.Acorda, acorda, acorda seu dorminhoco – acordei com a Gabi me sacudindo feito uma louca.
- Que droga Gabi. Para de me sacudir, pois se você não percebeu, eu sou uma pessoa e não uma pipa pra você balançar e balançar até ela voar. – resmunguei de cara fechada e ela riu alto.
- Vem logo – ela me puxou pela mão e saímos do avião indo encontrar nossos pais.
Pegamos nossas bagagens e seguimos de carro pra nossa casa.
- Isso aqui é lindo – a Gabi não tirava os olhos da cidade a nossa volta. Resolvemos escolher uma cidade pequena mas ainda sim de uma beleza extraordinária: Gramado, Rio Grande do Sul. ( N/A*: aaaai gente essa cidade é linda, eu moro aqui perto e não me canso de ir admirar, é uma ótima opção de passeio kkkkk’ principalmente se você gostar de neve ;DD )
Depois de algum tempo andando de carro finalmente chegamos a nossa casa. Havia um pequena estrada particular cercada por árvores enormes e depois um jardim decorado com todos os tipos de flores, um gramado muito grande rodeando a casa e duas calçadas que levavam até a entrada da casa e a garagem.
- Nossa, é linda - tia Leah falou analisando a casa.
- Vamos entrem e se matem para ver quem fica com o melhor quarto –meu pai disse rindo e nós o encaramos, boquiabertos. – Que é? Eu sempre quis dizer isso.
- Sempre?Ou depois que você assistiu Doze é Demais? –minha mãe perguntou enquanto entrava na casa e nós a seguimos.
O primeiro cômodo era a sala de visitas que continha três sofás marrons, com uma mesa de centro decorada com um vaso de diversas flores. Depois havia um porta grande que dava acesso a sala de estar com um TV de plasma de 62 polegadas embutida na parede, home theater, dois sofás grandes e três poltronas marrons claros, havia vários quadros nas paredes e uma mesa de centro com tulipas. Depois tinha a sala de jantar que tinha uma mesa bem grande, vários quadros e uma porta que dava para o jardim.A cozinha era toda em preto e branco e por sinal era bem espaçosa, depois dever tudo o que havia no andar de baixo subimos pra ver nossos quartos.
Abri a porta do meu e senti meu queixo cair.
- Gab’s vem aqui – chamei-a e logo ela apareceu na porta do quarto.
- Tia Kat e tia Alice arrasaram, não acha?

- Com certeza.
- Vem ver o meu – ela pegou em minha mão e entramos no seu quarto que por sinal era exatamente ao lado do meu.

- Dô, Gabi! – ouvi tio Scott chamar lá de baixo
- Sim? – perguntamos os dois em coro.Ele mostrou o envelope que estava em cima da mesa.Nós dois nos olhamos e pegamos.Estava endereçado a mim e a Gabi.

Para Douglas e Gabriela,

Nós não podíamos deixar de escrever pra vocês “meus” queridos, pois nem todos aqui tiveram o privilégio de passar um tempo com vocês...
Sabemos que se a vida fosse realmente tão fácil como acreditamos que seja vocês estariam conosco nesse momento, mas infelizmente não é assim que as coisas funcionam, não sabemos por que sempre que a vida nos da alguma coisa ela nos tira outra e com vocês foi assim, conosco também.
Sabemos que assim como nós, vocês gostariam de estar aqui com seus primos festejando a beira da piscina, mas nesse momento estão sobre o teto de sua nova casa, com as pessoas mais importantes de suas vidas: seus queridos e amados pais que por vocês fizeram tantos sacrifícios.
Ah meu amores vivam, sorriam sejam extremamente felizes e que Deus guie cada um de seus passos meus anjos e nunca se esqueçam que independente do que aconteça vocês tem uma família que os ama mais que tudo e sempre cuidem um do outro com carinho, coragem e desprendimento.

De seus tios que os amam muito,
Seth e Ashley



Gabi

Quando o Dô terminou de ler a carta que a tia Ash e o tio Seth nos mandaram, lágrimas rolavam pelo meu rosto mas em meio as lagrimas havia um sorriso.Um sorriso de satisfação. Um sorriso que descrevia exatamente como seria minha vida daqui para frente: uma vida feliz.
De agora em diante tudo voltaria ao normal e eu serei apenas a mesma Gabriela de sempre. Simplesmente a mesma...

Fim

1 comentários:

Já acabou????? Queremos CONTINUAÇÃO!!!!!!!
Tão rápido assim!!!!

Débora

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.