10 de nov de 2011

Capitulo 28

Posted by sandry costa On 11/10/2011 1 comment


Gêmeas em Sarilhos

Ponto de Vista da Sara
-----6 anos depois-----


- Mãe, por favor! – eu pedi.

Foto da Sara (http://i931.photobucket.com/albums/ad152/carolinemedeiros/Sara.png)

- Sara, você só está sendo cabeça dura! – minha mãe firmou.

- Você acha que eu preciso de uma festa com tanta gente assim?

Nós, eu e Caroline, estávamos fazendo 18 anos em pouco tempo, e minha mãe queria organizar uma festa com imensa gente.

A principal diferença entre mim e a minha irmã, a nível físico, era que eu geralmente usava meu cabelo esticado e ela usava seu cabelo aos cachos.

- Você e a Carol precisam e ponto. – ela concluiu e disse saindo – Agora se arruma ou vai chegar atrasada na escola.

- Sara! – Carol me chamou do quarto dela.

Foto da Caroline: http://i931.photobucket.com/albums/ad152/carolinemedeiros/Caroline.png

- Que foi? – eu perguntei.

- Azul ou vermelho? – Carol me perguntou em relação ao gorro.

- Hum…azul. – eu escolhi.

- Meninas, bom dia. – Elena entrou linda de morrer no meu quarto.

- Linda! – eu e a Carol exclamámos ao mesmo tempo.
Foto da Elena: http://i931.photobucket.com/albums/ad152/carolinemedeiros/Elena.png
- Ai, esses homens andam de olhos tapados… – Carol comentou.

- Andam mesmo. Não conseguem ver as beldades que vocês são. – eu comentei.

- E você também, querida. – Elena disse docemente.

- Leo, não me chateia. – eu ouvi Stella dizer.

Aquelas crianças são demais! E a melhor coisa é que eles apesar de serem um terço vampiros, um terço humanos e metade lobos, cresciam a um ritmo humano e isso era maravilhoso. Maggie e Mary amavam poder cuidar daquelas crianças sem um crescimento acelerado.

Bryan também estava crescido. Ele estava com 7 anos e meio agora. Menos 1 ano e meio que a Stella e o Leo.

Assim, eles eram o trio infantil da casa. Dois rapazes e uma garota. Ela era a líder do grupo. E eles faziam tudo o que ela queria. Eles largavam um bom jogo de Xbox para brincar com ela às Barbies e aos cabeleireiros.

E assim, apesar de algumas discussões normais para a idade, eles se davam bem.

- Garotas, venham até à sala, por favor. – o Jacob pediu com um sorriso na cara. O que teria se passado para ele estar tão contente assim?

- Vamos. – Elena pegou nas nossas mãos e nos “conduziu” para a sala.

Na sala, estava toda a família, incluindo ele. As coisas entre mim e Embry estavam bem, bem estranhas.

Estranhas nem devia ser bem o termo. Nós andávamos distantes estes últimos dias.

Há algum tempo atrás, tudo o que nos unia era uma grande amizade e sentimento de irmandade. No entanto, nestes últimos tempos eu tenho me sentido diferente. Diferente em relação…a ele.

Mas, é só do meu lado. Ele continua me tratando como a Sarinha, a fadinha, a amiguinha humana, a irmã…que saco!

Elena e minha irmã Carol também estão solteiras. E assim, nós éramos o trio solteiro da família…

- Estamos todos? – Nessie perguntou com um sorriso do tamanho do mundo.

- Sim, mamãe, estamos todos. – Mary confirmou.

- Bem, então…eu e o Jake temos uma novidade. – ela comentou.

- Conta logo, branquinha. – tio Emm gargalhou.

- Eu…eu tou grávida. – ela contou e Jake colocou uma mão na barriga dela fazendo carinho no bebê.

- Parabéns!!! – todos exclamámos surpresos.

- Parabéns maninha! – Elena abraçou a Nessie.

- Eu vou correndo, para a escola. – Embry nos comunicou.

Eu me encolhi. Ele antes me convidava sempre para ir nas costas dele enquanto ele corria na sua forma de lobo. Mas há uns tempos, ele deixou de me levar com ele.

- Vamos meninas. – papai nos apressou – Eu vou levar-vos na escola. Vocês estão atrasadíssimas.

- Obrigada, pai. – eu disse e lhe dei um beijo na face.

- Cuidado com a chuva. – tia Rose avisou-nos, mas principalmente à menina dos seus olhos de ouro: a minha irmã Carol, sua filha.

- Cuidado com os garotos! – tio Emm avisou com ciúmes.

- Claro, titio. – eu e Elena afirmámos ao mesmo tempo.

- Adeus. – a família nos disse e nós fomos.

Já na escola, Elena foi ao banheiro e a Carol ficámos no corredor esperando por ela.

- Sabe, acho ótimo a prima Nessie tar grávida. – Carol comentou.


- É… – eu acrescentei também, com ar bobo certamente, Embry estava com uma camisa apertada, abrindo o seu cacifo da escola. Seus músculos estavam tão delineados e definidos que era impossível não olhar… 

Foto das gêmeas: http://i931.photobucket.com/albums/ad152/carolinemedeiros/SaraeCarol.png

- Oi de novo. – ele veio ter conosco e eu tentei não babar. Tentei manter a postura. Foco Sara, foco! Só amigos!

- Oh não! – Sara se queixou – O sinal tá batendo! Vamos lá…

Os dias passaram, nossa formatura chegou e após isso nosso aniversário.

Mas, a minha relação com o Embry não tinha mudado. Ele estava cada vez mais distante e eu…eu estava inevitavelmente mais apaixonada…

Narradora – Nenhum Ponto de Vista Específico

- É hoje! – Sara acordou com um sorriso na cara.

- Feliz aniversário, bebê! – Alice e Jasper entraram (com Alice pulando) no quarto da Sara com um grande embrulho na mão.

- Que é isso mãe? – Sara perguntou.

- Um dos muitos presentes que ela comprou para você. – Jasper disse com olhar cúmplice, aquele do “tou avisando, ela exagerou”, na certa. Mas Sara já estava habituada aos exageros da mãe.

- Abre, meu amor. – Alice a incentivou.

- Ok.

Era um vestido longo branco com apliques dourados e uma mala dourada. Eram lindos. No fundo da caixa ainda tinha uns sapatos abertos de tiras, dourados.

- Obrigada, é lindo! – Sara sorriu abertamente. Sua mãe adorava lhe dar presentes…então quando era roupa…

- É para você usar hoje, na festa. – Alice lhe informou.

- Claro, mãe. – Sara acatou e abraçou seus pais orgulhosos.

No quarto da Caroline, estava outra aniversariante bastante feliz. Carol se lembrou da conversa que tinha tido com Sara fazia uma semana…

Flashback

- Sabe o que eu queria mesmo pedir nesse aniversário? – Carol comentou com a Sara, enquanto estava deitada a apanhar sol na piscina dos Cullen. A casa estava vazia com exceção delas duas.

- Quê? – Sara perguntou se colocando de lado, virada para a Carol na espreguiçadeira.

- Para ser transformada. – Carol revelou.

- Transformada…

- É…tirando o Bryan, nós somos as únicas humanas aqui.

- Verdade. Eu realmente gostava de ser transformada também. - Sara adicionou.

- O problema é a minha mãe. – Carol constatou – Ela nunca quis ser vampira, ela não vai querer que eu seja também!

- Eu não sei o que minha mãe pensa sobre isso exatamente. Mas eu acho que talvez devêssemos falar para a família isso. Nós temos quase 18 anos… – Sara falou.

- Eu não quero envelhecer mais. As mulheres da nossa família são eternas e jovens. Nós somos mortais e envelhecemos de dia para dia. Por mim, eu acho que não preciso de envelhecer mais. – Carol se sentou.

- Vamos pedir? – Sara questionou.

- Vamos! – Carol concordou.

Aquela foi apenas mais uma de muitas conversas que ao longo dos últimos 17 anos as gêmeas tinham tido sobre serem transformadas. Porém, era a primeira vez que tinham decidido contar para alguém.

Fim do Flashback

Carol ainda estava um pouco emburrada sobre a discussão que tivera com a mãe acerca da transformação.

Rosalie ficou chocada quando a filha lhe disse frontalmente: “Mãe, me transforme!” e recusou mesmo após ouvir os argumentos da filha. Era a primeira vez que Rose dizia um não a um pedido da Carol, sua filha amada. Aliais, era a primeira vez que ambas tinham discutido.

E por muito que Emmett entendesse o lado da Carol, ele não ia contra o que a sua loira mais velha, sua esposa e mãe da filha lhe dizia.

Por outro lado, Alice e Jasper ficaram de pensar sobre o assunto “Transformar ou não a Sara”, eles pediram algum tempo para pensar. Nem disseram que sim, nem disseram que não.

- Bom dia! – Rose e Emm entraram no quarto da filha com o maior sorriso do mundo – Parabéns!

- Obrigada. – Carol sorriu, mas não muito. A memória da discussão ainda estava bem presente na sua mente. Ela entendia a mãe, mas ela não ia desistir de tentar convencer alguém da família a transformá-la.

- E parece que foi ontem… – Rose soluçou. Estava chorando vampiricamente.

- Ainda é a nossa pequena bebê…

- Bebê não…sou adulta agora. Sou formada, tenho 18 anos…

- Pois… – Rose e Emmett se abraçaram.

- Bem, aqui está seu primeiro presente. – Rose deu uma caixa com um vestido igual ao da Sara, só com uma cor diferente.

O vestido era vermelho com apliques dourados. E os sapatos dourados e a bolsa também dourados.

Carol vestiu uma roupa antes da festa e desceu. Antes disso correu para o quarto da irmã, mas encontrou ela correndo para o quarto dela e se abraçaram.

- Parabéns! – elas gritaram em coro uma à outra.

- Te adoro! – Sara disse com sinceridade à Carol.

- Eu também.

- Leo, vai lavar as mãos. – Maggie mandou o filho que estava cheio de chocolate derretido nas mãos – Parabéns, loiras lindas.

- Obrigada. – nós dissemos.

- Stella se acalma. O Bryan não fez de propósito. – Mary tentou acalmar a Stella. O Bryan atirou leite no vestido dela preferido.

- Bryan, pede desculpa. – Jane instruiu.

- Desculpa, Stella. – Bryan pediu sem grande vontade.

- Hum…ok, eu perdoo você. Mas não volta a fazer isso! – Stella avisou.

- Parabéns. – Mary e Stella deram às gêmeas e se retiraram para Stella trocar de roupa.

- Se acalma Jess, bebê, se acalma… – Nessie entrou com Jess no colo. Jess era a nova filha de Jake e Nessie. Era a mistura de seus nomes. -J de Jake + -ess de Nessie. Ela tinha nascido há 2 dias atrás – Parabéns Carol, parabéns Sara.

- Obrigada.

Mais tarde, Carol e Sara vestiram seus vestidos e se arrumaram para a festa.

Nahuel tinha ligado na semana passada para Carlisle dizendo que passaria em breve por cá para atualizar as novidades dos últimos anos e alegando saudades da Nessie que devia estar enorme.

A festa estava boa, todo o mundo estava aqui.

Nahuel chegou e não veio sozinho. Trouxe um meio irmão David que ele descobriu há uns anos numa viagem.

Foto do David: http://i931.photobucket.com/albums/ad152/carolinemedeiros/David.png

David era um rapaz lindo e era exatamente o género de rapaz que Elena apreciava. Assim que Elena, que hoje tinha o “cargo” de abrir a porta e receber os convidados o viu, parecia faíscas saindo de seus olhos. A empatia entre ambos foi imediata…assim como a química inegável entre eles.

- Você deve ser a…

- Elena Swan Cullen, prazer. – ela se apresentou para o Nahuel, sem desviar o olhar de David.

- David, prazer. – o meio irmão de Nahuel se apresentou.

- Eu sou o Nahuel. Eu avisei que passaria por cá…

- Oh, sim. Você é o Nahuel. Vovô Carlisle já falou para nós sobre isso.

- E esse é o meu meio irmão. Devo supor que você é Elena, mas quem?

- Sou filha de Edward e Bella. – Elena explicou.

- Isso é impossível. A Bella e o Edward já eram ambos vampiros quando o conheci e não conheci você…

- Eu…eu sou adotada. – Elena revelou por entre as pessoas sussurrando bem baixo. Ela preferia imaginar e pensar que não teve outros pais sem serem Bella e Edward…a história era demasiado má e forte.

Depois de uma explicação rápida e clara, David e Nahuel sentiram pena da triste história da linda Elena.

Por entre os convidados, Elena finalmente encontrou Carlisle que recebeu alegremente Nahuel e David.

Carlisle chamou Sara e Caroline e os rapazes cumprimentaram as duas gêmeas que faziam 18 anos naquele dia.

Caroline olhou para Nahuel e seu coração palpitou. Bastou um olhar entre eles para Carol ficar abalada. Nahuel também sentiu algo que nunca tinha sentido antes.

Nahuel e David felizmente tinham um ótimo controlo. Nahuel virou “vegetariano” depois de conhecer os Cullen, aquando do nascimento da Nessie e passou esse ensinamento ao seu meio irmão David.

Carol e Sara estavam dançando uma com a outra porque Embry ainda não tinha tido coragem para falar seus sentimentos por Sara e ela muito menos.

Nahuel sentiu um impacto tal com Carol que decidiu convidar a loira dos cachos para dançar.

David tomou a atitude do irmão como exemplo e ganhou coragem para chamar a morena dos cachos, a Elena, para dançar.

Embry estava sentado quando a pequena Stella o chamou.

- Tio Embry…se apressa. – disse a menina com doçura – A Sara tá ficando farta de ficar esperando por você.

- Ei moleque, não fala nada que você ainda só tem 6 anos.

- Eu te falo se só tenho 6 anos…eu chamo o Pedro, o Leo, o Bryan e o Stefan e eles me protegem!

- Vai brincar Stella, não enche o saco do tio Embry. – Embry se desviou.

Até uma criança com 6 anos via o óbvio, aqueles dois (Sara e Embry) estavam empatando tempo, mas eles se amavam.

Leah e Tom foram também a novidade da festa. Tom que tinha agora 17 anos estava namorando com Leah, que tivera um imprinting por ele há anos atrás.

Emily e Sam deram sua “bênção” nesse namoro.

Depois de muitas das músicas preferidas das gêmeas passarem, Mary e Maggie trouxeram o bolo para a mesa com a supervisão de Alice.

Alice e Rose chamaram suas filhas e foi a hora de cantar os parabéns.

Jasper acendeu o bolo e na hora de cortar Emm empastou bolo na cara das meninas.

- Para você. – Alice deu à Sara uma caixa amarelo canário.

- E essa é para você. – Rose entregou à filha uma caixa vermelho vivo.

As caixas eram praticamente iguais. Dentro delas tinham as chaves dos novos carros da Carol e da Sara.

Para não mudar o habitual, Alice e Rose decidiram mimar as filhas com carros de modelos recentes que elas amavam.

Jasper e Alice entregaram um carro novinho em folha para Sara, um porsche amarelo canário, como Alice sempre gostou.

Emm e Rose deram um conversível vermelho vivo, bem ao gosto de Rose.

As garotas gostaram e decidiram ir dar uma volta. Embry saiu nessa hora para ir no banheiro.

Elena e David estavam absorvidos um no outro e nem notaram pela saída das gêmeas e Nahuel.

Sara e Carol chegaram a um acordo. Primeiro os 3 iam dirigir no porsche e de seguida iriam no conversível. Uma volta em cada.

Sara ia a conduzir super animada a cantar alto com a irmã e Nahuel que já estava também em ritmo de festa quando de repente um urso passa na frente do carro e Sara começa a desviar, sem sucesso, acabando por embater fatalmente contra uma árvore, emborrachando o carro todo.

Suas vidas humanas terminaram ali.

Nahuel acordou 10 minutos depois sangrando imenso, e super zonzo.

O cheiro a sangue das gêmeas o alertaram para a realidade. O acidente tinha sido feio e elas eram completamente humanas…seus corações já não tinham batida suficiente para ser audível.

Ele chorou no peito da Carol, a única que o tinha feito sentir algo mais, nem que fosse por umas horas e perdido naquela situação, tentou fazer o impossível.

Mordeu ambas, tentando as transformar. Ele rezou para que não fosse tarde demais e que seu veneno fosse o suficiente.

Nahuel nunca tinha transformado ninguém antes. Essa seria a primeira vez que ele tentava, mas tudo parecia tão perdido.

Ele lambeu suas feridas por todo o corpo e as carregou para a casa dos Cullen.

Rose, Alice, Jasper e Emmett praticamente enlouqueceram quando o viram chegar a casa com aqueles dois corpos inanimados nos braços.

Rose e Alice eram as que estavam pior. Rose gritava e jogava tudo o que estivesse no seu alcance. Ela soluçava imenso.

As gêmeas foram levadas para uma sala que Carlisle tinha com material médico.

Carlisle confirmou que não havia mais nada que ele pudesse fazer. Elas estavam mortas…

Rose bateu nas paredes, agoniada partiu a porta da varanda. Emmett rugia com Jasper sem parar e Alice estava atónita. Ela nem conseguia falar.

- Eu tentei tudo, eu juro que tentei tudo. Eu até tentei as transformar…

- O que se passou aqui? – veio Embry que tinha estado no seu quarto até agora ver o que era esse barulho todo – Sara?!?!? Oh Meu Deus! A minha loirinha…a minha Sara…

Alice, Rose, Jasper e Emmett proibiram as pessoas de entrar naquele quarto.

Elas ficaram 36 horas a chorar vampiricamente as suas dores. Alice se culpava por não ter transformado a Sara. Rose se culpava por ter lhe oferecido um carro. E Emm e Jazz se culpavam por não as terem protegido deste tipo de riscos.

A esperança residia na hipótese do veneno de Nahuel funcionar, mas era complicado.

Ao fim dessas 36 horas, ou seja um dia e meio após o acidente e a tentativa de transformação, Sara e Carol despertaram.

Mas algo estava muito errado, a transformação era para durar 3 dias, não metade desse tempo…iriam elas morrer?

1 comentários:

Não tenho palavras...
Estou louca para ver o próximo capítulo.
Por favor não demora muito para postar o próximo capítulo.
Bjs
Aline

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.