14 de jul de 2012

Capítulo 13 Verdades ditas, dúvidas sentidas

Posted by Dany Rocha On 7/14/2012 No comments


[N/A: PESSOAL ME DESCULPA PELO TANTO DE MESES SEM POSTAR!!! ¨O¨ Eu posto SSS no Nyah, ela já está finalizada, lá. Mas vou postar todos os capitulos aqui, ta bem? DESCULPEM MAIS UMA VEZ!]

Descreverei a cena para vocês: Uma cama, dois corpos e um problema. Um grande problema, pelo menos para Isabella Swan. 

Os lençóis se enroscavam em seus corpos nus e Edward abraçava Bella por trás possessivamente, será que até dormindo ele é assim? Provavelmente a resposta é sim.

A janela era de vidro e a cortina estava aberta o que fazia os raios de sol serem bem visíveis, principalmente no rosto de Bella, ela se mexeu alguns centímetros até abrir os olhos completamente e se deparar com os raios de sol, ela voltou a fechar os olhos e depois colocou a mão sobre eles, depois ela voltou a abrir e aos poucos foi retirando a mão de seus olhos voltando a enxergar a luz que emetia do sol, ela olhou ao redor e notou está em um quarto desconhecido. Ela se sentou na cama sentindo um braço em sua cintura. Ela olhou para o lado e viu Edward com os olhos fechados, ele ressonava tranquilamente, o lençol lhe cobria até a cintura deixando seu peitoral a amostra e seu braço estava em volta de sua cintura.

Bella arregalou os olhos e perdeu uma batida de seu coração.

Ela não podia ter feito aquilo. Não! Ela simplesmente se recusava em acreditar.

Bella balançou a cabeça negativamente e voltou a olhar para o rosto de Edward.

Ela estava com um problema. Com um grande problema.

Bella olhou ao redor do quarto e notou suas roupas espalhadas pelo chão. Ela cuidadosamente retirou o braço de Edward de sua cintura e se levantou vagarosamente para não despertá-lo, ela queria sair dali sem ele vê-la, mas isso não aconteceu já que quando Bella estava em frente à cama prestes a abaixar e pegar seu sutiã Edward acordou e cerrou os olhos pela claridade que estava no quarto, ele coçou os olhos e bocejou depois ele olhou para o local onde Bella estava deitada e notará sua ausência, ele se sentou rapidamente na cama se deliciando com a imagem de Bella se levantando com o sutiã em mãos.

— Bom dia. — Ele sorriu torto. Bella o olhou assustada. — Simplesmente é uma ótima forma de acordar de bom humor ao se deparar com essa magnífica imagem. — Edward gesticulou para o corpo de Bella e ela rapidamente tratou de largar o sutiã novamente no chão e puxar o lençol que cobria Edward e o envolveu em seu corpo deixando Edward sem nada para se cobrir. 

— Meu Deus! Cubra-se! — Bella virou de costas para Edward tentando dissipar a imagem que acabara de ver, mas era impossível esquecer a imagem de Edward nu. Seu corpo era perfeito, um verdadeiro Deus Grego, só de olhá-lo Bella já sentia cada parte de seu corpo implorar pelo dele.

— Claro. — Edward ficou atrás de Bella de joelhos na cama, a poucos centímetros de distância dela e passou suas mãos por sua barriga a fazendo fechar os olhos involuntariamente. Por que seu corpo reagia dessa forma com um simples e mero toque de Edward?

— Me solta. — Bella virou-se de frente para Edward e se perdeu naquela imensidão verde que eram seus olhos. — Eu ti odeio. — Ela disse entre dentes.

Edward cerrou os olhos e travou o maxilar.

— Engraçado, não era isso que você demonstrava na noite passada. — Sua voz era carregada de sarcasmo.

Bella tentava se afastar dele, mas ele desceu suas mãos até a cintura dela e ali permaneceram possessivas, ele não a deixaria se afastar.

— Eu estava embriagada e você se aproveitou disso Edward. — Bella quase cuspiu seu nome. — Mas isso não me surpreende já que isso é bem típico de você. — O sangue subiu pela cabeça de Edward e ele não conseguia pensar em nada a não ser em provar para Bella que nunca em sua vida ele iria se aproveitar dela.

Ele a puxou para cama a fazendo ficar por cima, mas ele logo tratou de mudar as posições e de retirar o lençol dela o jogando no chão e a beijando com urgência, urgência e raiva. Ele invadiu a sua boca com a língua sem a permissão dela e sugou sua língua com sôfrego e depois desceu seus beijos molhados pelo pescoço dela até chegar aos seus seios e sugar um deles sem aviso prévio causando arrepios por todo o corpo de Bella, um grito de prazer escapou de seus lábios e ela não sabia o porquê e como, mas ela estava se entregando ao momento, ela estava se entregando a Edward... Novamente.

Bella passou as mãos pelos cabelos de Edward e puxou sua cabeça para cima o fazendo colar seus lábios nos dela novamente. Edward passou suas mãos pela lateral do corpo de Bella e ao chegar às coxas ele as separou com certa força, sim ele ainda estava com raiva por ela ter insinuado tal coisa, e se encaixou entre suas pernas posicionando seu membro que já estava ereto na entrada molhada e quente de Bella. Ela gemeu em sua boca com o contato e abraçou Edward com as pernas fazendo a cabeça de seu membro a invadir e depois em um movimento inesperado e que causou dor, mas prazer a Bella Edward a estocou com força. Bella virou o rosto fazendo Edward beijar toda a extensão de seu pescoço, ela mordeu o lábio inferior contendo um grito de dor e prazer pelas investidas de Edward que ficavam cada vez mais rápidas e fortes, mas ela não conseguiu e gritou seu nome. Ela arranhou suas costas e beijou seu ombro para logo depois mordê-lo e subir seus beijos pelo pescoço dele até chegar novamente a sua boca onde se iniciou uma dança erótica entre suas línguas.

Edward apertou a cintura de Bella e gemeu em sua boca, ele mordeu o lábio dela e depois o sugou voltando a dança frenética de suas línguas. Seus movimentos eram tão fortes e rápidos que a cama chegava a balançar e bater constantemente na parede. 

Sentindo as paredes do sexo de Bella apertarem cada vez mais seu membro pulsante dentro dela eles chegaram ao orgasmo juntos... Novamente. Eles estavam ofegantes e suados. Edward olhou dentro dos olhos achocolatados de Bella e perguntou ainda com raiva:

— E agora? Você está por acaso bêbada? — Bella soltou suas penas da cintura de Edward e ele saiu de dentro dela — ela sentiu um grande vazio após sua saída — e sussurrou em seu ouvido com a voz rouca e extremamente sexy: — Eu acho que não. — Ele mordeu o seu lóbulo e depositou um beijo molhado e caliente em seu pescoço a fazendo estremecer. — Nunca mais insinue que eu me aproveitei de você Bella, por que você sabe bem que eu não fiz isso. Ambos fizemos e não adiante me culpar e tão pouco começar a me odiar por isso. — Edward a olhou e Bella sentia cada palavra que saia de sua boca com pesar, pois tudo o que ele dizia era verdade.

Bella era apertada, mas era como se agora não fosse dois corpos, mas apenas um. Eles estavam conectados e nada iria fazer com que eles perdessem a conexão um com o outro. Bella arranhou as costas de Edward e ele gemeu seu nome dizendo palavras e frases obscenas em seu ouvido que a fazia ficar mais excitada ainda. 

— Isabella, eu acabo de lhe dizer que a amo. — Edward aumentou a velocidade de suas investidas. — Esperava... — Ele puxou Bella para mais perto, se é que é possível, fazendo seus seios roçarem em seu peitoral. —... Escutar o mesmo.


As cenas da noite passada invadiram sua mente, sua cabeça estava um turbilhão de pensamentos, mas ela conseguia se lembrar de cada mínimo detalhe da noite passada.

Ambos fizeram e mesmo bêbada ela poderia muito bem ter o feito parar, pois sabia que ele não iria fazer nada contra a sua vontade, mas ela quis, ela simplesmente necessitou do corpo de Edward ontem, como necessitou essa manhã.

— Isabella, eu acabo de lhe dizer que a amo.

A frase fez eco na cabeça de Bella.

— Esperava... Escutar o mesmo.

Não, ela não disse o que ele gostaria de ouvir. Droga ela estava confusa e apenas queria desaparecer dali. Ela saiu de debaixo de Edward e ele não a impediu. Ela iria desaparecer dali...

— Você sabe que me culpar não vai fazer nós não termos feito... — Bella o interrompeu.

— O que fizemos foi um erro, okay? — Ela se levantou da cama e pegou suas roupas no chão. — O que aconteceu fica entre nós e apenas entre nós, isso nunca mais vai acontecer. — Ela começou a vestir suas roupas e Edward sentou-se a encarando com os olhos semi cerrados.

— Não adianta também querer fugir Bella! — Sua voz aumentou algumas oitavas. — Até quando você vai agir com toda essa infantilidade e esconder os seus verdadeiros sentimentos? Até quando você vai querer brincar de gato e rato? Por que você simplesmente não cai na real? — Bella abotoou seu short e marchou até a porta saindo do quarto com passos pesados e carregados de raiva e mágoa.

The Fray – Look after you: http://www.youtube.com/watch?v=LAd10QYyuww 

Ela sabia que todas as suas palavras eram verdadeiras. Sim! Ela estava escondendo seus verdadeiros sentimentos, verdadeiros sentimentos que no momento estavam muito embaralhados e desconexos. Ela não tinha culpa de está se sentindo assim! Droga! Era difícil para ela. Ela nunca se sentiu assim antes e agora esses sentimentos surgem do nada a deixando desolada. 

Ela desceu as escadas e ao chegar à porta calçou seu all star e saiu da casa de praia. Ela caminhou alguns metros e olhou para a casa, olhou diretamente para a janela do quarto onde tivera a melhor noite de sua vida e lá estava Edward a olhando com intensidade, ela parou e o olhou por alguns segundos, era como se ele conseguisse enxergar sua alma, ela olhou para baixo quebrando a conexão entre olhares e sentiu uma lágrima escorrer por seu rosto, depois ela voltou a andar. Edward sentiu seu coração apertar dentro de seu peito ao vê-la partir. 

Oh, oh(Oh, oh) 
Oh, oh
(Oh, oh) 
Be my baby
(Seja minha garota) 
I'll look after you

(Eu cuidarei de você)
 

Ele não queria ter dito àquelas palavras a ela que só agora ele notara que a machucaram. Ele também havia ficado bastante confuso com tudo que sentia a respeito dela e não devia ter a julgado, mas ele queria que ela soubesse que ele estava ali e que ele sentia muito pelo o que havia dito, ele queria que ela soubesse que ele iria cuidar dela. 

Ele iria lutar por ela, ele nunca havia sentido esses sentimentos que apenas ao lado dela ele sente. Ele não ia permitir que as dúvidas dela acabassem com esse amor que ele sentia por ela e que ele tinha certeza que ela também sentia por ele. Ele simplesmente não iria permitir. Está certo que ele pôde ter a magoado com suas palavras, mas ele esperaria ansiosamente que suas palavras a fizessem refletir e entender que eles possuem uma coisa muito linda e pura, que é o amor, apesar de todas as implicâncias, que apenas faz com que ele a ame cada vez mais. 

If ever there was a doubt
(Se sempre existiu dúvida)
My love she leans into me
(Meu amor, decai sobre mim)
This most assuredly counts
(A soma mais garantida)
She says most assuredly

(Ela disse mais garantida) 
Bella caminhou até a BMW vermelha de Rosalie que estava estacionada próxima a praia e notou que sua bolsa com celular e dinheiro estava no banco de trás, mas felizmente, não muito distante dali, existia uma companhia de moto-táxi que Bella havia visto no outro dia no caminho para a praia. Ela caminhou até lá com seus pensamentos distantes e nem notara quando chegou à companhia. 

It's always have and never hold
(É sempre ter e nunca segurar) 
You've begun to feel like home
(Você começou a sentir-se em casa) 
What's mine is yours to leave or take
(O que é meu é seu, aceite ou ignore) What's mine is yours to make your own

(O que é meu é seu para você tornar seu) 


Logo que chegou contratou um dos moto-taxi que a levou prontamente até New York, o caminho todo ela foi absorta em seus pensamentos em relação a Edward. 

O que ela devia fazer? 

Ela não tinha idéias, mas a única coisa que ela queria era tomar um banho super relaxante, comer alguma coisa e descansar, descansar até o horário marcado com Alice para elas começarem a se arrumar para o casamento. 

Casamento...

Ela ainda teria que vê-lo essa noite. E ela não fazia idéia se aquilo era bom ou ruim. 

Após ela entrar em seu apartamento e pegar o dinheiro — que ficava em seu quarto, em cima da mesa de seu computador — para pagar o moto-taxi ela voltou ao seu apartamento e seguiu para o seu quarto onde retirou toda a roupa, ela ainda conseguia sentir o cheiro dele em sua pele. Ela entrou debaixo do chuveiro e sentiu a maravilhosa sensação que a água quente fazia aos seus músculos tensos. 

Bella após o banho um pouco demorado se trocou vestindo uma roupa super leve e foi para a cozinha onde pegou apenas uma vasilha com cereal e leite e se deliciou o comendo sentada no sofá de frente para a TV onde passava os mesmos programas idiotas de todos os domingos. Após tomar café ela lavou as louças que sujou e as guardou indo em direção a sala e desligando a TV. Ela foi para seu quarto e se debruçou na cama onde não demorou pra cair no sono.

***

— Bom dia! — Alice cumprimentou aos seus irmãos e aos irmãos Hale que estavam sentados a mesa da copa da casa de praia tomando o café da manhã.

Já passava das 10h00.

— Bom dia futura Hale! — Rosalie disse sorrindo para Alice que retribuiu o mesmo sorriso caloroso. 

Jasper foi até Alice e a cumprimentou com um beijo apaixonante e um abraço confortador.

— Nervosa? — Ele a perguntou.

— Mais animada do que nervosa. — Confessou alegremente. — E você?

— Um pouco, mas estou muito feliz e certo de que tudo dará certo. 

— Claro que dará. — Alice sorriu para o noivo. — Então vamos tomar café, pois temos que voltar para Nova York, temos que nos arrumar. — Alice sentou-se a mesa ao lado de Jasper e começou a se servir do apetitoso café da manhã que os empregados da casa de praia fizeram especialmente para eles.

— Pronto para ficar oficialmente na coleira Jasper? — Emmett perguntou risonho.

— Por que você tem que ser tão insensível? — Jasper perguntou com um sorriso zombeteiro no rosto e com uma sobrancelha arqueada.

Emmett jogou um pedaço pequeno de bolo no ar e o pegou com a boca.

— O que eu posso fazer? É assim que eu sou. — Emmett piscou para Jasper.

— Sério? — Rosalie perguntou arqueando as sobrancelhas para Emmett. — Insensível é a última palavra que eu usaria para ti definir, principalmente depois de ontem à noite. — Rosalie comentou e Alice e Jasper riram da cara de Emmett. 

— Qual é? — Emmett deu um pequeno esbarrão no ombro de Jasper.

Alice percebeu que Edward não se manifestou em momento algum e notou também que Bella não estava ali.

— Eii Edward? — Edward a olhou.

— Sim?

— Onde está Bella? — Todos olharam para ele.

Edward umedeceu os lábios e se levantou.

— Ela foi embora mais cedo. — Ele caminhou para fora da copa.

— O que aconteceu? — Jasper perguntou. 

Edward parou e se virou para eles com um sorriso que não alcançou seus olhos.

— Nada demais. — Alice franziu o cenho. Ela conhecia bem o irmão que tinha.

— Sério? — Ela perguntou.

— Claro. — Ele deu uma piscadela para ela e depois se retirou da copa.

Os que permaneceram na copa se entre olharam, alguma coisa deveria ter acontecido entre eles. Alice se levantou e disse sorrindo:

— Com licença que eu vou fazer um pequeno interrogatório ao meu irmãozinho.

— Ah claro, por onde você quer começa? — Emmett perguntou com os olhos semi cerrados.

Todos olharam para ele e Jasper deu uma tapa em sua nuca.

— Você não idiota, o Edward. — Jasper disse como se fosse obvio.

— Ah sim, claro. — Emmett coçou a nuca e Alice revirou os olhos. 

Emmett era tão... Emmett.

— Já volto. — Alice disse e eles assentiram. 

Edward estava sentado no chão com as costas encostada-se à parede ao lado da janela, ele olhava para o teto e lembrava-se da maravilhosa noite que passou ao lado de Bella. Como ele almejava tê-la ali naquele momento.

Três batidas na porta chamaram a atenção dele.

— Pode entrar Alice. — Edward disse e Alice entrou.

— Como você sabia que era eu? — Alice fechou a porta e depois encarou Edward que a olhava como uma expressão séria.

— Não é obvio? — Alice jogou de ombros e sorriu amarelo. 

Ela caminhou até Edward e sentou-se de frente para ele.

— Estava me perguntando quando você ia aparecer. — Edward disse com um suspiro.

— Bem, eu estou aqui e estou esperando que você desembuche. — Alice disse e sorriu para o irmão que desatou a contar para ela tudo o que havia acontecido. 

Alice o ouviu pacientemente e quando ele terminou de relatar o ocorrido Alice se pós a expressar sua opinião:

— Edward eu acho que você não tem que se culpar pelo o que você disse, veja bem a Bella uma hora ou outra tem que acabar caindo em si e perceber que o ama do mesmo jeito que você a ama. — Alice abriu um pequeno sorriso. — Se é que já não caiu, não é mesmo? — Ela deu um soco de leve no ombro de Edward que abriu um sorriso torto. 

— Obrigada Alice. — Alice se inclinou na direção de Edward e o abraçou. 

— Edward não se materialize okay? As palavras que você disse a Bella podem sim ter a magoado, mas foram saudáveis e ela vai conseguir desvendar seus sentimentos e em fim cair em seus braços apaixonadamente. — Alice o olhou. 

— Estou orando por isso. — Ele piscou para irmã que se levantou.

— Então vamos? Ainda tenho que confirmar com a promove se está tudo certinho para o meu casamento e... — Os olhos de Alice brilharam. —... Tenho que ficar divina e para isso tenho que chegar a tempo no salão então trate logo de se levantar desse chão e vamos embora antes que eu tenha um AVC. — Alice disse enquanto caminhavam em direção a porta e a abria. — Vamos?

Edward assentiu e caminhou até a porta.

Ele sabia que podia contar com Alice, ela sempre tinha as palavras certas na ponta da língua para reconfortá-lo.

***

— Que horas são? — Alice perguntou tamborilando os dedos sobre a mesa do salão.

— Você me perguntou isso a menos de dois minutos Alice. — Rosalie disse enquanto lia uma revista.

Uma manicure fazia as unhas do pé de Alice enquanto uma cabeleireira mexia nos cabelos de Rosalie. 

— Sim e você sabe por quê? — Alice estava irritada.

— Por que Bella ainda não chegou. — Concluiu Rosalie um pouco nervosa.

— Exato. E eu vou impedi-la de ter filhos se ela não chegar o mais rápido possível. — Alice fechou os olhos e pressionou seus dedos sobre suas pálpebras. 

— Já tentou ligar para ela? — Rosalie.

— Não tem como, ela deixou a bolsa e o celular dentro da BMW, lembra? — Rosalie soltou um gemido de frustração.

— Pega meu celular ai em cima da mesa. — Rosalie ordenou a Alice que lhe entregou o celular.

— O que você vai fazer? — Rosalie não a respondeu, apenas foi nos contatos e ao achar o nome que procurava o chamou e colocou o celular no ouvido. Após chamar umas quatro vezes ele a atendeu.

— Está em casa? — Rosalie perguntou e aguardou a resposta do outro lado da linha. — Por que quero que você vá à casa da Bella e a arraste para o salão antes que a Alice tenha um ataque. — Aguardou a resposta. — Okay! E anda depressa. Tchau. — Rosalie desligou o celular e o entregou a Alice para que ela o colocasse sobre a mesa novamente.

— Quem era? — Alice perguntou. 

Rosalie a olhou e respondeu com um sorriso malicioso nos lábios.

— Quem mais? Edward é claro. — Alice arqueou as sobrancelhas surpresa.

— Como não pensei nisso antes? — Alice sorriu para Rosalie. 

— Por que você está a ponto de castrar a Bella? — Alice riu. — Acalme-se Alice. Respira fundo amiga. — Alice fez o que Rosalie ordenou. 

— Eii... — Alice chamou a atenção de Rosalie que voltara a folhear a revista.

— Sim?

— Tem como se castrar uma mulher? — Elas se entre olharam e riram.

— Acho melhor você esquecer essa idéia, por que pelo o que conheço de Edward ele vai querer ter herdeiros. — Rosalie piscou para Alice.

— É verdade, herdeiros para o trono real que ele chama de presidência. — Alice abriu um pequeno sorriso. Ela esperava que Bella chegasse logo à conclusão de que amava Edward, logo mesmo, pois até um cego via que Bella e Edward nasceram pra ficar juntos e não ao contrário. 

***

Um sono sem sonhos...

Há tempos que ela não havia um sono tão tranqüilo como esse. Ela apenas descansou e por algumas horas conseguiu esquecer-se de tudo e de todos, na verdade não de todos, pois acabou dormindo com a imagem dele em seus pensamentos, mas ele era a sua calmaria e não a incomodava. E ela estava surpresa por concluir isso, quer dizer, ele que só de olhá-la já faz com que ela ficasse incomodada, acabou que por ficar em seus pensamentos antes de dormi e isso não a incomodou. Talvez sua visão sobre Edward tenha mudado depois que ele se declarou para ela e depois de ter dito aquelas palavras, mas ela ainda estava um tanto receosa quanto a isso e ainda não queria falar sobre isso.

A campainha foi tocada e Bella olhou em direção a porta de seu quarto e depois soltou um longo suspiro se levantando e indo em direção a porta, ela bocejou pelo caminhou e passou as mãos pelo rosto. 

Ela estava acordada há alguns minutos, mas ainda não queria se levantar e foi abrir a porta um pouco mal humorada e quando viu que a pessoa que havia tocado a campainha era Edward ela ficou estática.

Edward a olhou dos pés a cabeça e engoliu em seco. 

Ela usava um micro short branco e uma bata azul cavada que ficava solta em seu corpo e ele pôde notar que ela não usava sutiã, pois a forma de seus seios estava bem explícita e sua boca salivou ao ver que eles estavam rígidos.

— O que está fazendo aqui? — Bella conseguiu dizer. Sua voz estava rouca e ela pigarreou tentando a normalizá-la.

— Hmmm... — Edward passou a mão pelo cabelo. —... Rosalie me ligou e pediu pra eu lhe dizer para você ir até o salão antes que Alice tenha um ataque.

Bella arregalou os olhos e exclamou:

— Oh meu Deus! Eu esqueci! — Ela deu meia volta e seguiu rapidamente para o seu quarto deixando a porta do apartamento aberta e Edward como era muito educado entrou no apartamento, fechou a porta e sentou-se no sofá de frente para o corredor que dava para o quarto de Bella.

Bella retirou o short e a blusa ficando apenas com sua peça intima, ela estava em frente ao seu closet e de costas para a sala, em outras palavras, de costas para um Edward de pernas cruzadas, respiração acelerada, suado e tremulo sentado no sofá.

Bella pegou um top preto — conjunto de sua peça intima — e o vestiu, depois pegou uma blusa listrada branca e laranja e uma jardineira que batia em suas coxas, preta e os vestiu, depois pegou seu all star vermelho que usou na festa ontem e o calçou desesperadamente e foi até o seu banheiro molhando o rosto e depois o enxugando, ela pegou uma escova de cabelo e foi em direção a sala onde se deparou com Edward.

— Você estava me olhando? — Ela perguntou incrédula enquanto penteava os cabelos.

— Ah não se sinta envergonhada, eu já vi muito mais do que suas costas e pernas desnudas. — Edward passou a mão pela testa limpando o suor e descruzando as pernas. 

— Eu não deixei você entrar! — Bella exclamou voltando para seu quarto, pegando uma presilha e amarrando todo o seu cabelo deixando a franja de lado.

— Eu não pedi permissão. — Edward rebateu se levantando e indo em direção a cozinha, ele abriu a geladeira e pegou uma jarra com água, ele se serviu e depois tomou a água guardando a jarra na geladeira em seguida. — Mas eu sei que sou bem-vindo aqui, certo? — Ele notou uma bandeja com frutas em cima da mesa e pegou uma maça.

— Você é tão intrometido! — Bella disse saindo de seu quarto e procurando a chave de sua picape pela sala, já que não estava em seu quarto deveria está por ali. 

Edward apareceu na sala comendo a maça e Bella o olhou.

— Dá pra parar de agir como se você tivesse liberdade para mexer nas minhas coisas?

Edward não pôde deixar de sorrir malicioso e dizer:

— Eu tenho liberdade para mexer nas suas coisas. — Bella travou o maxilar, cerrou os olhos e lhe jogou uma almofada direcionada ao seu rosto, mas Edward conseguiu se desviar. — Doida! — Indagou.

— Tarado! — Retrucou.

Edward sorriu zombeteiro. Ele sabia que ela ainda estava chateada com ele, mas pelo menos estava conversando com ele, o ofendendo, mas conversando.

— Eu ti levo até lá, vai demorar menos tempo do que você ficar ai “tentando” achar a chave do seu carro. — Edward disse abrindo e fechando aspas com as mãos e logo em seguida dando mais uma mordida em sua maça.

Bella suspirou e vendo que ele estava certo — mais uma vez certo e toda essa correção de Edward estava começando a irritá-la — aceitou ir com ele, o caminho todo eles foram em silêncio, era um silêncio um pouco constrangedor, mas nenhum dos dois deu a iniciativa para um dialogo. 

Edward parou em frente ao salão e Bella retirou o sinto de segurança, ela estava prestes a sair do carro quando Edward tocou em seu braço a causando arrepios e a fazendo olhar para ele. 

Ele abriu a boca para dizer alguma coisa, mas logo depois ele a fechou. Bella franziu o cenho e ele tentou novamente, mas nada saia de sua boca. 

— O que? — Bella resolveu perguntar.

Edward soltou o braço dela e olhou para o outro lado, vendo as pessoas andando pela calçada através de sua janela.

— Nada. — Disse sem a olhar. Bella abaixou a cabeça e saiu do carro.

Edward a olhou entrando no salão e se insultou por não ter conseguido dizer absolutamente nada, ele queria ter resolvido as coisas com Bella antes do casamento, mas ele deu pane e não conseguiu lhe dizer nada, então o jeito era ter que conversar com ela no casamento.

Ele suspirou frustrado e arrancou o carro voltando para casa.

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.