14 de jul de 2012

Capítulo 14 Casamento

Posted by Dany Rocha On 7/14/2012 No comments


[N/A: PESSOAL ME DESCULPA PELO TANTO DE MESES SEM POSTAR!!! ¨O¨ Eu posto SSS no Nyah, ela já está finalizada, lá. Mas vou postar todos os capitulos aqui, ta bem? DESCULPEM MAIS UMA VEZ!]
“Onde está?” 

***

“No salão da morte.” 

***

“Há, há, há. Essa foi boa.” 

***

“Eu queria que alguém me seqüestrasse.” 

***

“Posso ser voluntário Srª Stranger?” 

***

“Foi uma indireta para você Sr Stranger, não notou?” 

***

“Infelizmente sou lerdo.” 

***

“Isso não é problema, também sou.” 

***

“Somos bem compatíveis... Mas então, o seqüestro ainda está de pé?” 

***

“Com certeza, mas infelizmente eu estou presa aqui e a minha carcereira é muito rígida comigo, me impedindo até de comer.” 

***

“Sério? Comer? Mas o que tem de mal em comer?” 

***

“Eu não sei... Ela doida. ú_ú” 

***

“Há, há, há. Sinto muito, mas o que você gostaria de comer?” 

***

“Hmmm... Doritos, coca-cola e M&M’S.” 

***

“A gente se vê.” 

***

“Hmmm... Okay.” 


***

Bella franziu o cenho com a última mensagem do Sr Stranger, ele se despediu tão... Do nada.

— O que de tão interessante você mexe nesse celular dona Bella? — Alice perguntou.

Bella ouviu toda a bronca de Alice ao chegar ao salão calada, pois ela não era doida de enfrentar aquele mini vulcão de cabelos espetados.

Bella não a respondeu a ignorando.

— Ainda chateada por eu não ter deixado você comer? — Alice perguntou sorrindo zombeteira. Rosalie gargalhou. — Bella você terá muito que comer daqui a poucas horas, então relaxa.

Bella a olhou de esguelha e bufou fingindo chateamento. 

Alice lhe jogou uma revista no meio da cara.

— Eii! — Bella a olhou e ela estava rindo junto com a Rosalie. — Ninguém me ama. — Disse fingindo tristeza.

— Olá meninas! — Na porta apareceu Esme sorridente. 

— Alguém que me ama. — Disse Bella com os olhos brilhantes.

— Eu não sei do que vocês estavam falando, mas claro que eu a amo. — Esme disse rindo e caminhando até Bella e lhe afagando a bochecha, Bella lhe sorriu calorosamente.

— Mamãe! — Alice sorriu ao ver sua mãe se aproximando. — Amei seu penteado! Está poderosa! — Esme sentou-se entre Alice e Rosalie.

— E vocês estão ficando lindas. — Esme as elogiou.

— Mas não tanto quanto a senhora. — Rosalie disse piscando o olho para a sua sogra que riu.

— Parem com isso, sim? Não estou mais do que apenas um pouco mais arrumada do que o normal para o casamento da minha princesinha.

Alice olhou para baixo um pouco envergonhado e depois olhou para sua mãe com um pequeno sorriso. Seus olhos transbordados de alegria.

— Obrigada mãe. — Alice agradeceu pegando a mão de Esme e a acariciando.

Bella sorriu um pouco triste, pois se lembrara de Renée. Sua mãe na qual morreu quando tinha apenas 14 anos de idade, a causa da morte? Bella não gostava de comentar e de tão pouco se recordar, pois lhe enchia de repulsa. 

Naquela época ela tinha a decisão de escolher entre ficar com seu pai Charlie ou com a chefe e amiga de sua mãe, Alexa Queen, mas Bella queria se manter afastada de Alexa, não a levem a mal, Bella gostava dela, mas ela queria que Bella fosse uma coisa que estava totalmente fora de cogitação.

Apesar de Bella ter sido criada desde sempre para se tornar o que sua mãe era ela não queria e simplesmente apagou toda sua vida que teve ao lado de Renée iniciando uma nova vida ao lado de Charlie, apenas o xerife da pacata cidade no interior de Washington, Forks, que não tinha a vida tão agitada quanto a falecida Renée. 

— Tem alguma Isabella Swan no recinto? — Seu nome lhe retirou de seus devaneios.

— Sim. — Bella franziu o cenho. — Eu sou Isabella Swan. — Disse para o homem que segurava em uma de suas mãos uma sacola e na outra uma prancheta, ele caminhou até a cadeira em que Bella estava sentada, ela fazia o cabelo no momento. 

— Assine aqui, por favor. — O homem pediu.

— Mas... 

— Aqui. — O homem a interrompeu lhe entregando uma caneta que estava presa na prancheta.

Bella franziu o cenho e assinou seu nome no local indicado pelo homem.

— Isso é para a senhorita. — O homem lhe entregou a sacola. — Boa noite madames. — Disse o homem assentindo com a cabeça e saindo do local que tinha sido reservado especialmente para Alice e suas madrinhas se arrumarem.

— O que tem ai? — Rosalie perguntou curiosa.

— Hmmm... — Bella abriu a sacola e franziu o cenho. — Meu Deus. — Ela ofegou.

— O que é Bella? — Alice. 

Bella abriu um sorriso involuntário ao constatar que dentro da sacola havia um pacote de Doritos, uma lata de coca cola e um pacote de M&M’S. 

Ela retirou as coisas da sacola e colocou em seu colo. 

— Quem mandou lhe entregar isso, querida? — Esme perguntou.

Bella estava confusa, ela simplesmente não tinha idéia, quer dizer, como o Sr Stranger sabia em que salão ela estava e pra inicio de conversa por que teria sido o Sr Stranger? Está bem, essa foi uma pergunta idiota, mas era impossível e Bella estava disposta a tirar da cabeça essa idéia absurda do Sr Stranger a ter lhe mandado isso.

— Eu não faço idéia. — Disse olhando para elas.

— Não tem nenhum cartão? — Rosalie perguntou franzindo o cenho. 

Bella olhou dentro da sacola e encontrou um papel e uma... Rosa vermelha.

— Ai que lindo. — Alice disse ao ver a Rosa. — Parece que a Bella tem um admirador secreto, deixa só o Edward ficar sabendo disso. — Bella ficou estática ao ler o pequeno papel que possuía quatro letras.

— Acho que ele não fará nada quando souber. — Ela engoliu em seco e olhou para Alice.

— Por quê?

— Me diga que E.A.M.C. não são as iniciais do nome do Edward. — As garotas riram.

— Ah que fofo! Meu irmão é tão lindinho! — Alice disse com os olhos brilhando.

— Parece que ele a ama de verdade Bella. — Rosalie comentou.

— Sem dúvidas, eu como mãe dele sei muito bem que Edward não é o tipo de homem que mandar Rosa vermelha para mulheres e diga-se lá então, hmmm... Salgadinho, refrigerante e chocolate? — As garotas riram. 

***

As garotas já haviam chegado ao The Plaza, um Hotel Fairmont Managed. Sim Alice Cullen iria se casar no The Plaza, ao qual possui uma arte espetacular, cultura excitante, compras intermináveis, restaurantes incríveis e vida noturna animada. 

O The Plaza oferece aos seus clientes sempre novidades para melhoras ao hotel, mas sempre preservando as antigas tradições e decorações. 

O The Plaza possui um Jardim Tranqüilidade no qual no interior possui espelhos d’água, iluminação elaborada e vegetação exótica.

O The Plaza ficava próximo ao Central Parker e era um dos mais luxuosos Hotéis Plaza de Nova York.

http://1.bp.blogspot.com/-AVegau0MG2M/Ti3_jSV6LMI/AAAAAAAAAAA/bcQmWhb-3YU/s1600/PlazaHotel.jpg

Alice se casaria no Jardim Tranqüilidade, ele estava simplesmente fantástico com toda sua decoração cerimonial. 

As garotas depois de terminarem de se arrumarem no salão seguiram para o The Plaza de limusine e se vestiram em uma de tantas suítes do hotel. Elas estavam simplesmente lindas.

Esme: http://www.polyvore.com/esme_no_casamento_da_alice/set?id=38797155&.locale=pt-br

Rosalie: http://www.polyvore.com/rose_no_casamento_da_alice/set?id=38796586&.locale=pt-br

Bella: http://www.polyvore.com/bella_no_casamento_da_alice/set?id=38806394&.locale=pt-br

Esme ajudava Alice nos últimos toques de seu vestido. 

Ela estava deslumbrante. Não havia palavras para descrever a beleza da pequena Alice.

— Bella será que você pode ir até o Jardim Tranqüilidade? Quero ter certeza de que tudo está certo. — Alice pediu a Bella nervosamente.

— Claro Alice, mas respira fundo. Tudo vai dá certo. — Bella disse sorrindo para Alice e lhe dando um pequeno e leve assento de cabeça.

Bella saiu da suíte e caminhou em direção ao elevador que levava até o último andar onde ficava o Jardim Tranqüilidade. 

Chegando lá ela se deparou com uma enorme porta de no mínimo uns três metros de mármore e dois seguranças — um de cada lado da porta — para impedir qualquer penetra na cerimônia. Bella caminhou até eles que assentiram permitindo a sua entrada. Ela entrou no Jardim Tranqüilidade e sorriu, tudo estava perfeito.

Havia cadeiras de cor bege com detalhes atrás em branco, onde vários convidados estavam acomodados.

http://4.bp.blogspot.com/_1ed6vUeUyVI/SzIHTN27rzI/AAAAAAAAAFk/a8fDB8H-cFo/s400/decora+cadeira.jpg

O tapete vermelho até o altar — onde já havia um padre para a cerimônia e um Jasper trajando um smoking lindíssimo — se destacava no meio da vegetação exótica. Os convidados já haviam chegado e estava apenas a espera da noiva para que começassem a cerimônia. 

Jasper: http://1.bp.blogspot.com/_BZYDlMQx4uw/TFHPK5JK2-I/AAAAAAAAAcE/sSmgt0KhNZM/s1600/fato-noivo.jpg 

Carlisle estava ao lado de Jasper o dando forças. Ele também estava perfeito naquele terno. Eles olharam na direção de Bella e Jasper soltou o ar sabendo que estava na hora. Carlisle sorriu para Jasper e caminhou até Bella.

Carlisle: http://www.casamentomodamulher.com.br/wp-content/uploads/2011/04/terno3-300x257.jpg 

— Chegou à hora, finalmente. — Carlisle disse a cumprimentando em um abraço. 

— Com certeza. — Bella abriu um sorriso de orelha a orelha.

— Você está linda Bella. — Carlisle disse e Bella corou levemente.

— Obrigada Carlisle, mas você diz isso por que ainda não viu Alice, ela está deslumbrante. — Bella viu os olhos de Carlisle brilharem.

— Acho que vou até lá. — Bella assentiu.

— Eu vou com você, pois vou ao quarto dos padrinhos. — Carlisle assentiu e eles caminharam para fora do Jardim Tranqüilidade.

Ao chegarem ao corredor das suítes que se encontravam a noiva e os padrinhos eles se separaram, Carlisle deu leves batidas em uma das portas onde estava Alice, Rosalie e Esme, e Bella seguiu pelo corredor até uma das últimas portas.

Esme abriu a porta para Carlisle e ele sorriu ao ver a esposa.

— Está linda querida. — Esme deu um selinho no marido.

— Olha só quem fala. — Carlisle deu um pequeno sorriso que se alargou ao ver Alice.

— Alice. — Sussurrou.

— Papai. — Ele caminhou até Alice e a olhou novamente dos pés a cabeça. 

— Parece que minha filhinha está crescendo. — Alice sorriu. — Espero que você seja muito feliz Alice. — Carlisle deu um beijo na testa dela.

— Eu sei que serei pai. — Alice passou os braços ao redor da cintura de seu pai que retribuiu o abraço.

Bella ao chegar até a porta onde estava Edward e Emmett deu duas batidas e esperou até que Emmett a abrisse.

Seu terno lhe caia muito bem, ele estava lindo.

Emmett: http://coxixo.com.br/wp-content/uploads/2011/01/SMOKING_01.jpg 

— Eii cunhadinha. — Emmett abriu um sorriso. — Está gostosa hein? 

Emmett ouviu um pequeno rosnado dentro do quarto e revirou os olhos.

Bella riu do elogio que recebeu.

— Obrigada Emmett, você esta muito bonito também. — Emmett piscou para Bella.

— É eu sei. — Bella riu novamente da humildade do... Hmmm... Cunhado.

— Só vim avisar que já está na hora, Esme já está indo até o Jardim Tranqüilidade ficar ao lado de Jasper e nós os padrinhos temos que entrar daqui cinco minutos. 

— Opa! Demorou. Vou lá na suíte da anã. — Bella tocou no braço de Emmett o impedindo de ir.

— Nem pense em entrar. — Bella o preveniu.

— Por que não? Eu não sou o noivo. — Emmett riu e Bella arqueou uma sobrancelha.

— Você sabe como é a Alice, ela quer que seja surpresa para todos.

— Mas você já viu. — Disse tristemente.

— Emmett. — O repreendeu.

— Tudo bem, tudo bem, só vou dá uns batidinhas na porta e esperar a Rosalie e subimos. Vemos-nos na entrada. — Emmett disse caminhando até a porta da suíte onde agora só se encontravam Carlisle, Alice e Rosalie, pois Esme já havia subido para ficar com Jasper como havia dito Bella.

Emmett havia deixado a porta da suíte aberta e ela pôde enxergar o reflexo de Edward pelo espelho ajeitando sua gravata com certa dificuldade, ele odiava usar gravata.

Edward: http://cdn1.mundodastribos.com/wp-admin/uploads/2010/05/Fotos-de-Smoking-Para-Noivo-Casamento2.jpg 

Bella deu duas batidas na porta e ele olhou para ela.

— Eii... Pensei que já tinha ido com o charmoso do meu irmão. — Disse voltando a se olhar no espelho e ajeitando sua gravata.

— Está com ciúmes só porque ele me chamou de gostosa? — Bella entrou no quarto e Edward a encarou pelo reflexo do espelho.

— Eu não senti ciúmes. — Mentiu e a olhou dos pés a cabeça.

Gostosa?

Gostosa não chegava nem aos pés dela. 

Bella revirou os olhos e caminhou até ele fazendo o olhar para ela.

— Deixa-me ti ajudar se não você vai ficar ai para sempre. — Bella disse terminando de arrumar a gravata de Edward que não despregava os olhos da sua face, ela estava encantadora.

Bella sentiu o perfume de Edward lhe invadir as narinas e isso a lhe deixou levemente tonta. Seu aroma era delicioso. 

Ela olhou para cima se deparando com aquele par de esmeraldas lhe encarando intensamente.

— Obrigada pelo lanchinho. — Bella comentou. — Como sabia? — Edward piscou os olhos quebrando a conexão entre olhares.

— Hmmm... Sabia o que? — Ele cerrou os olhos e Bella arqueou uma sobrancelha.

Apesar de ele ter deixado essa pista para Bella descobrir que ele é o Sr Stranger, ela ainda não havia descoberto? 

Sim, ele queria que ela descobrisse que ele é o Sr Stranger, pois ele não queria mais mentir para ela, pelo menos essa mentiria ele queria a revelá-la, pelo menos essa. 

— Que eu estava com fome e que eu queria comer exatamente aquilo. — Explicou.

— Eu imaginei que Alice não havia a deixado se alimentar. — Disse deixando Bella mais confusa ainda.

— Como?

Edward riu sem humor.

— Eu conheço aquela figura. — Bella suspirou e deixou essa passar, além do mais aquele lanchinho a havia ajudado e muito. — Está muito bonita Bella.

Bella olhou para baixo e corou.

Deus! Edward não conseguia parar de pensar em como ela ficava mais linda ainda — se possível — corada. Sem pensar duas vezes — ele não conseguia nem pensar na verdade, pois a presença de Bella o deixava simplesmente fora de si — ele passou uma de suas mãos pela cintura dela puxando-a contra o seu corpo e a outra parou em sua nuca e sem que houvesse tempo para que Bella reagisse seus lábios já estavam sendo esmagados pelos de Edward.

Ela espalmou suas mãos no peito largo de Edward o empurrando, mas ele era mil vezes mais forte que ela e com ele tão perto de si e com sua língua pedindo passagem para intensificar mais o beijo era que a deixava mais fraca ainda, mas de algum lugar que não se sabe de onde, Bella conseguiu forças para virar o rosto e separar os lábios carnudos, avermelhados, doces e convidativos de Edward dos seus.

Ela olhou dentro dos olhos de Edward e ali pôde ver todo o desejo que ele sentia por ela e não era muito diferente o desejo que Edward via dentro dos olhos achocolatados a poucos centímetros de distância de sua face.

— Edward! Estamos no casamento de sua irmã. Você não tem vergonha?! — Ela exclamou e sentiu o hálito adocicado de Edward em seu rosto e como se seu corpo e cérebro estivem desconectados Bella puxou Edward pela sua camisa social branca fazendo seus lábios se chocarem novamente.

Edward sorriu entre o beijou e desceu sua mão para além da cintura de Bella a apertando naquela região e roçando suas intimidades.

Bella gemeu contra a boca de Edward.

Ela estava subindo sua mão para a nuca de Edward quando ambos se separaram bruscamente ao ouvirem um pigarreio vindo da porta.

Eles olharam para lá e deram de cara com a promove.

— Desculpem, mas já está na hora. — Eles assentiram.

Bella estava vermelha como um pimentão e Edward estava com raiva pela interrupção.

— Claro, só vou pegar o meu paletó. — Edward disse apontando para a cama onde seu paletó estava.

— E eu vou... — Bella caminhou até a porta e passou pela promove chamada Jackeline, ela possuía os cabelos castanhos — presos —, olhos pretos, pele morena e ela vestia um conjunto social cinza com vermelho. —... Vou subindo.

Bella caminhou pelo corredor rapidamente e entrou no elevador. 

Antes que as portas do elevador se fechassem ela viu uma mão a impedindo de fechar. 

Era Edward.

Ele entrou no elevador e depois deixou que as portas se fechassem. 

No elevador havia uma parede de vidro e Bella viu seu reflexo se assustando. Sua boca estava vermelha e o batom borrado. Ela tentou se arrumar o melhor que podia naquele momento para ficar apresentável sem que ninguém desconfiasse que ela havia acabado de dá uns pega no carinha que não tirava os olhos de seu corpo ao seu lado.

— Ótimo lugar para começarmos a nos pegar. — Bella reclamou ainda tentando ficar apresentável.

— Eu ia fazer aquilo no carro, mas não tive muita coragem. — Bella o olhou.

— Edward Cullen sem coragem? — Bella o provocou.

— Na verdade eu nunca tenho vergonha de dá uns pega numa gostosa, até meso de dá uns pega em você. — Bella travou o maxilar.

— Está dizendo que eu não sou gostosa? — Edward riu com aquela frase que o fez se lembrar da noite anterior. 

— Por que eu pensei que fosse o gostoso do go go boy. — Bella disse o provocando.

— E eu não sou gostoso? — Edward desceu sua mão pelas costas de Bella e a apalpou com força a fazendo morder o lábio inferior contendo um gemido. 

Edward mordiscou o queixo de Bella e depois passou a ponta da língua pelo lábio superior dela e mordeu o inferior o puxando e o soltando.


Bella também não pôde deixar de se lembrar da noite passada, por mais que ela tentasse expulsar as lembranças elas invadiam sua mente novamente e com mais intensidade. 

— E então Isabella... — Bella mordia o lábio inferior, aquela cena: Bella nua, com sua entrada quente e molhada pronta para receber seu membro e mordendo o lábio contendo um gemido o estava tirando a sanidade, mas ele iria se controlar, ele iria se controlar até fazê-la dizer o que ele queria ouvir. —... Eu não sou gostoso? 

O coração de Bella batia tão rápido em seu peito que ela temia que a qualquer momento ele se desconectasse de suas artérias. 

O que ele queria? Acabar de vez com ela? Já não estava bom o bastante apenas a torturá-la?

— É, acho que não. — Edward disse com a voz rouca pronto para se afastar de Bella, mas essa última envolveu sua cintura com as pernas o fazendo permanecer ali. — Sou?

Bella gemeu ao sentir que Edward roçou suas intimidades.

— Você é muito... — Bella se ergueu um pouco da cama colocando as mãos nos ombros de Edward e fazendo seu membro a invadir aos poucos. —... Gostoso.


Bella ofegou. Apenas com as lembranças ela já estava encharcada. Ela se insultou mentalmente e balançou a cabeça.

Ela olhou para Edward que não estava muito diferente dela, pois só com as lembranças seu membro já pulsava dentro de sua calça.

— Merda. — Edward disse tentando controlar a sua ereção.

Bella respirou fundo e fechou os olhos tentando pensar em alguma coisa tranqüila. 

As portas do elevador se abriram e os dois saíram por ela dando de cara com Rosalie e Emmett.

— Então, é agora? — Bella perguntou para Rosalie e Emmett que assentiram.

— Estou tão ansiosa e emocionada. — Rosalie disse com um lindo sorriso nos lábios e com os olhos brilhando.

— Está linda Rosalie. — Edward comentou.

Felizmente ele havia conseguido controlar seu amiguinho.

— Obrigada Edward, você também está lindo. — Rosalie devolveu o elogio.

— Então vamos logo por que a anã já deve está chegando aqui. — Emmett diz e a promove aparece vindo do elevador — ao lado do elevador que Bella e Edward usaram para chegar ali — apenas confirmando o que Emmett havia acabado de dizer.

Herbert Van Karajan: http://www.youtube.com/watch?v=d8dClGV5KAc 

Os seguranças abriram a porta e uma linda melodia tocou no Jardim Tranqüilidade anunciando a entrada dos padrinhos.

Os primeiros a entrarem foram Rosalie e Emmett, de braços dados eles caminharam lentamente e suavemente pelo tapete vermelho que levava até o altar. Todos os convidados os olhavam e os admiravam. Rosalie sorriu para seu irmão no altar que continha um sorriso sereno nos lábios. Emmett deu um aceno de cabeça para o cunhado que retribuiu. 

O coração de Jasper estava disparado, pois o momento mais esperado estava chegando. Ele estava prestes a se casar com a mulher de sua vida, era tanta felicidade que não cabia em seu coração.

Rosalie e Emmett chegaram até o altar e se puseram atrás de Jasper a uma distância razoável dele.

Os próximos que entraram foram Bella e Edward.

Edward olhou para Bella e lhe sorriu torto, o coração de Bella acelerou, ela devolveu o sorriso e com um discreto aceno de cabeça vindo de Edward eles começaram a percorrer o mesmo caminho que Rosalie e Emmett trilharam a poucos segundos atrás de braços dados. 

Todos os convidados voltaram sua atenção para a entrada do Jardim Tranqüilidade e observaram a leveza que Bella e Edward caminhavam até o altar.

Bella apertou um pouco o braço de Edward que a olhou encantado. Ela lhe recebeu com um lindo sorriso, apesar de todo o relacionamento deles ser uma farsa, Bella estava ansiosa para se casar, claro que ela não iria ter um casamento tão luxuoso e chamativo como o de Alice, mas ela estava ansiosa de qualquer forma e Edward conseguia ver isso em seus orbes achocolatados e uma súbita felicidade invadiu lhe o coração.

Eles chegaram até o altar e se puseram ao lado oposto do de Rosalie e Emmett, a musica cessou e a porta que havia sido fechada após a entrada de Bella e Edward foi aberta lentamente e a Marcha Nupcial soou pelo Jardim Tranqüilidade fazendo o coração de Jasper cavalgar loucamente dentro de seu coração.

Marcha Nupcial: http://www.youtube.com/watch?v=eAPH39UXfio&feature=mfu_in_order&list=UL 

Todos os convidados se colocaram de pé e olharam em direção a porta. 

Jasper estava com as mãos tremulas e elas suavam como nunca. Esme que estava ao seu lado apertou sua mão esquerda delicadamente lhe dando forças. Ele retribuiu esse pequeno ato com um sorriso nervoso.

Jasper ao olhar Alice ficou ofegante, ela estava deslumbrante naquele vestido que lhe caia como uma luva.

Alice: http://www.polyvore.com/vestido_de_cerimonia_da_alice/set?id=38792381&.locale=pt-br

Os olhos de Alice lacrimejaram ao ver como ficara o Jardim Tranqüilidade e quando seu olhar capturou o de Jasper as batidas de seu coração aumentaram gradativamente, ela apertou a mão de Carlisle que passou a fazer movimentos circulares na mesma para tranqüilizá-la. Alice olhou para seu pai que sorria orgulhosamente.

Alice devolveu o sorriso para seu pai e eles caminharam pelo tapete assentindo para os convidados em uma forma de saudação, Alice ao chegar ao altar, nada conseguia ver a não ser o seu futuro marido que possuía um sorriso caloroso nos lábios avermelhados e convidativos. 

Jasper deu três passos a frente deixando Esme um pouco para trás. Carlisle se virou para Alice e lhe deu um beijo carinhoso na testa e depois a entregou para Jasper que assentiu para o sogro.

— Tome conta da minha menina. — Carlisle disse sorridente.

— Não tenha dúvidas de que tomarei. — Jasper devolveu o sorriso ao Carlisle que se pós ao lado de Esme ocupando antes o lugar de Jasper que olhava dentro dos orbes verdes claros de Alice. 

Jasper deu um singelo beijo na mão de Alice que lhe mostrou um sorriso verdadeiro e puro. Eles se viraram para frente ficando cara a cara com o padre. A Marcha Nupcial foi encerrada e o padre tomou a palavra.

Alice e Jasper nada conseguiam escutar, pois estavam presos em sua bolha invisível. Os olhos azuis de Jasper passavam a Alice toda à confiança e apoio de que sempre estaria ao lado dela e os olhos verdes de Alice lhe transmitiam todo o amor e carinho que ela sempre sentiria por ele.

Todos no recinto já estavam emocionados. Bella sentia as lágrimas quererem sair, mas foi forte o bastante para impedi-las de cair. Edward olhou para ela e pegou a mão dela a entrelaçando com a dele.

Bella sentiu todos os pelos de seu corpo se eriçar e seu coração acelerar em seu peito com aquele pequeno contato de suas peles e Edward sentiu o mesmo.

Os convidados sentados nas cadeiras comentavam em sussurros o quanto Alice estava linda e como a cerimônia estava perfeita. 

Chegou o momento dos votos de casamento e Jasper se virou para Alice e olhando dentro de seus olhos ele lhe disse:

— Você é a primeira pessoa que eu quero ver quando acordar de manhã, e a única em quem quero dar um beijo de boa noite. Por que na primeira vez que vi suas mãos, não consegui imaginar como seria não poder segurá-las, por que na primeira vez que vi seus olhos, não consegui imaginar não poder me enxergar na imensidão de esmeraldas que eles são, por que na primeira vez que sentir seus lábios sobre os meus, não conseguir imaginar não poder mais tocá-los, mas principalmente, quando a vi pela primeira vez, não conseguir imaginar como seria não viver sem você. Eu te amo Alice, como jamais imaginei poder amar alguém. 

As lágrimas já rolavam pelo rosto angelical de Alice. 

Jasper não estava chorando, mas as lágrimas ameaçavam cair a qualquer momento. Ele passou um de seus dedos por debaixo dos olhos de Alice capturando algumas lágrimas e sorrindo para ela que lhe devolveu o sorriso e lhe disse seus votos:
— Passei a conhecer e viver a felicidade depois que ti conheci, pois você me mostrou o verdadeiro e puro amor que eu acreditava não existir. Você foi e sempre será o único para mim. Ao seu lado passei os melhores momentos de minha vida e sei que o para sempre é pouco para o que eu sinto por você. Você passou a ser a razão pela qual eu acordo todos os dias e sigo em frente, você é o ar que eu respiro, é a luz que eu encontro no fim do túnel, com você eu tenho certeza que sempre serei feliz, pois você é a minha felicidade. Eu te amo Jasper, com todas as minhas forças.

Jasper que segurava as lágrimas já não conseguia mais as prendê-las e desatou a deixá-las rolarem por sua face. 

Os convidados que já estavam emocionados antes mesmo dos votos imaginem só agora. 

Rosalie deixou algumas lágrimas escaparem assim como Esme.

Mas Bella mantinha-se firme, apenas engolindo o nó em sua garganta e sorrindo para o casal ali a sua frente, era lindo presenciar uma cena tão linda de um amor tão verdadeiro. 

— Jasper Hale e Alice Cullen, viestes aqui para celebrar o vosso Matrimônio. É de vossa livre vontade e de todo o coração que pretendeis fazê-lo e estais decididos a amar-vos e a respeitar-vos, ao longo de toda a vossa vida? — O padre perguntou e eles responderam em uníssono:

— Sim.

— Uma vez que é vosso propósito contrair o santo Matrimônio, coloquem as alianças e manifestai o vosso consentimento. — O padre prosseguiu e Jasper pegou a aliança e colocou no dedo de Alice, mas sempre a olhando nos olhos.

— Eu Jasper Hale, recebo-te por minha esposa a ti Alice Cullen, e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, para além da eternidade. — Ele beijou o anel já no dedo de Alice e eles sorriram.

Alice pegou a aliança e começou a colocar no dedo de Jasper o olhando nos olhos e lhe dizendo as mesmas palavras:

— Eu Alice Cullen, recebo-te por meu esposo a ti Jasper Hale, e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, para além da eternidade. — Alice beijou a aliança no dedo de Jasper e eles voltam a sorrir.

— Pelo poder em mim investido, eu os declaro marido e mulher. Pode beijar a noiva. — O padre diz sorrindo.

Aerosmith — I Don't Wanna Miss A Thing: http://www.youtube.com/watch?v=zgKNupvS-Eo&feature=mfu_in_order&list=UL 

Jasper coloca a mão na nuca de Alice e a outra em suas costas, a inclinando para trás e a beijando apaixonadamente. Todos no recinto batem palmas e dão salvos aos recém casados. 

Os lábios de Jasper se moldam perfeitamente nos de Alice que envolve seu pescoço com os braços. Jasper a coloca novamente no lugar, mas sem despregar os lábios um do outro, apenas quando o ar é necessário eles se separam. 

— Meus parabéns querida! — Esme abraça Alice e depois Jasper.

E assim se segue, todos no altar abraçam os recém casados, os parabenizam e os elogiam. 

A felicidade que Alice e Jasper sentiam era inexplicável, era como se na presença um do outro todos os sentimentos ruins de dor, saudade, agonia e raiva desaparecessem dando lugar apenas a sentimentos maravilhosos como a felicidade. 

Eles estavam certos de que se estivessem juntos tudo daria certo e que eles se amariam para toda a eternidade, pois nem a morte acabaria como o amor que eles sentiam um pelo o outro. 

Quando Alice se sentia triste e disfarçava com um sorriso Jasper conseguia saber apenas com um olhar que dor ela sentia e não felicidade, mas ele a fazia se sentir melhor expulsando toda a dor e tristeza de seu puro coração.

Quando Jasper percebia que estava encurralado e que não havia mais soluções para seus problemas Alice surgia e lhe mostrava novas possibilidades de achar uma luz no final do túnel, afinal ela é simplesmente a sua luz no final do túnel.

Depois da cerimônia todos subiram até o terraço, pois a festa seria lá. 

Na entrada do terraço havia um arco de balões das cores branco e vermelho, depois se seguia uma extensa e estreita — uns 70 a 80 centímetros de largura — calçada até uma enorme pista de dança com piso de espelhos d’água e decorada com iluminação colorida e uma vez ou outra fumaça com aroma de uva se instalava na superfície da pista. 

A frente da pista de dança o DJ estava posto já se preparando para animar a festa.

Ao lado esquerdo e direto da calçada haviam mesas arredondadas e sobre elas haviam toalhas de mesa da cor vinho com babados em dourado, no centro de todas elas haviam vasos médios de cristais com rosas brancas.

Em um canto um pouco afastado das mesas havia outras mesas com doces, salgados e bebidas e em uma mesa com a toalha branca e babado em marfim havia um enorme bolo branco de seis andares, no primeiro, terceiro e quinto andar havia escrito frases de amor e no segundo, quarto e sexto havia fotos de Alice e Jasper em forma de papel de arroz. O bolo era magnífico.

Vários garçons andavam pelo local servindo aos convidados.

Aquela noite a lua estava cheia e as estrelas em sua companhia faziam tudo parecer mais perfeito ainda. 

Estava na hora da dança dos noivos e eles depois de muitos cumprimentos e fotos retiradas caminharam de mãos dadas até o centro da pista de dança e uma música começou a tocar.

Ronan Keating - When You Say Nothing At All: http://www.youtube.com/watch?v=AuJrEBtmM1Q 

Jasper passou a mão pela cintura de Alice e a outra capturou sua mão a segurando até a altura de seu ombro, Alice colocou a sua outra mão pelo ombro de Jasper e eles começaram a dançar pela pista. Eles sempre se olhavam, nunca quebrando a conexão entre olhares. 

It's amazing how you can speak right to my heart
(É incrível como você consegue falar direto com o meu coração) 
Without saying a word, you can light up the dark
(Sem dizer uma palavra, você pode iluminar a escuridão)
Try as I may I can never explain
(Posso tentar quantas vezes quiser, mas não consigo explicar)
What I hear when you don't say a thing

(O que eu ouço quando você não diz nada)

The smile on your face lets me know that you need me
(
O sorriso em seu rosto permite-me saber que você precisa de mim) There's a truth in your eyes saying you'll never leave me
(Tem uma verdade em seus olhos dizendo que nunca me deixará) 
The touch of your hand says you'll catch me wherever I fall

(
O toque de sua mão diz que você vai me pegar sempre que eu cair)

You say it best when you say nothing at all

(
Você diz o melhor quando você não diz nada)

Jasper sorriu para Alice que retribuiu o sorriso.

— Você está linda pequena. — Jasper disse se aproximando de seus lábios e os roçando levemente com os seus. 

Alice sentiu seu coração cavalgar em seu peito, ela fechou os olhos e moldou seus lábios. Jasper fechou os olhos e puxou a cintura de Alice para mais perto de seu corpo.

Era como se naquele momento e nada e ninguém existissem, apenas os dois.

All day long I can hear people talking out loud
(Durante todo o dia eu posso ouvir pessoas falando em voz alta)
But when you hold me near, you drown out the crowd
(Mas quando você me abraça forte, você afoga a multidão)
(drown out the crowd)
(afoga a multidão)
Try as they may they could never define
(Por mais que tentem, eles nunca poderiam definir)
What's been said between your heart and mine

(
O que foi dito entre o seu coração e o meu

Alice o olhou nos olhos e soltou sua mão a colocando em sua face e a acariciando. Jasper colocou sua outra mão na cintura de Alice fazendo uma gaiola com seus próprios braços ao redor dela.

Jasper apreciou o carinho das mãos de Alice em sua face com os olhos fechados e depois os abriu olhando para Alice e sorrindo.

— Esse é o melhor dia da minha vida. — Disse Alice circulando o pescoço de Jasper com seus braços. 

— E o meu foi no dia em que ti conheci, pois aquele dia é como se ainda fosse hoje porque quando estou com você o tempo não passa. — Os olhos de Alice se encheram de lágrimas.

— Eu te amo. — Sussurrou com a voz embargada.

— Eu te amo mais.

The smile on your face lets me know that you need me
(
O sorriso em seu rosto permite-me saber que você precisa de mim)

There's a truth in your eyes saying you'll never leave me
(Tem uma verdade em seus olhos dizendo que nunca me deixará) 
The touch of your hand says you'll catch me wherever I fall

(
O toque de sua mão diz que você vai me pegar sempre que eu cair)

You say it best (you say it best) when you say nothing at all

(
Você diz o melhor quando você diz não nada)

A música aos poucos foi cessando pelo terraço e muitos aplausos e assovios foram ouvidos no lugar da melodiosa música.

Jasper e Alice se beijaram entre um sorriso.

***

Alguns convidados se encontravam na pista de dança, outros sentados a mesa conversando, outros na mesa dos salgados, doces e bebidas, e os noivos? Haviam sumido há algum tempo.

— Onde estão Alice e Jasper? — Perguntou Edward a sua família e Bella que estavam sentados a uma mesa.

— Não são eles? — Emmett perguntou gesticulando para a entrada do terraço com a cabeça.

— Uau! — Rosalie disse encantada ao ver o vestido que Alice usava.

Alice: http://www.polyvore.com/cgi/set?id=38794304&.locale=pt-br 

Alice caminhava de braços dados com Jasper que também havia trocado de roupa. 

Jasper: http://2.bp.blogspot.com/_dRmVovjSpDA/S5Ug9JH21-I/AAAAAAAAATw/0VAIscSc4v0/s1600/jake+smoking.jpg 

Eles caminharam até a mesa de sua família e sorriram os saudando.

— Alice esse vestido é lindo. — Esme a elogiou.

— Você está foda! — Emmett disse com seu jeito espontâneo de ser.

— Obrigada. — Alice abriu um sorriso de orelha a orelha.

— E você também não fica para trás Jasper. — Rosalie disse cutucando a barriga do irmão que riu.

— Você vai viajar com esse vestido Alice? Ele é perfeito. — Bella que estava ao lado de Edward — que havia capturado a sua mão naquele mesmo estante — disse.

— Na verdade não. Esse é o da festa. — Alice disse batendo palmas e dando pulinhos.

— Ah é bem a sua cara. — Edward disse sorrindo brincalhão. — Trocar de roupa três vezes. — Todos sorriram.

— Eu tenho que está glamorosa no meu casamento e para isso eu não posso permanecer com o mesmo vestido que eu usei na cerimônia na festa né? — Jasper abraçou Alice por trás.

— Agora chega de papo e vamos dançar um pouco. — Jasper disse a puxando para a pista de dança.

— Com licença família encantadora. — Alice disse e todos assentiram.

Logo que Alice se retirou Carlisle apareceu acompanhada de suas três sobrinhas, Tânya, Katie e Irina.

— Olhem só quem encontrei. — Carlisle disse sorridente para sua família.

— Eii! — Emmett se levantou e cumprimentou suas primas. — Como vão vocês suas sumidas? Pegando geral? 

— Emmett! — Esme o repreendeu.

— O que? — Rosalie puxou Emmett pela mão o fazendo sentar-se ao seu lado. Ela queria que ele tomasse distância de suas primas que tinham a fama de... Hmmm... Como dizer? Ah claro. Putas.

— Como vocês estão meninas? — Esme as saudou.

— Estamos bem tia. — Disseram em uníssono. 

Bella notou olhares da loira que era denominada como Tânya para Edward, ela olhou para baixo e encarou as suas mãos entrelaçadas em cima de sua perna.

Ela olhou para Edward que no momento olhava para suas primas, mas logo olhou para ela e sorriu. Ela sentiu seu coração disparar.

De repente ela sentiu uma louca vontade de beijar aqueles lábios, de sentir as suas mãos por seu corpo, sua voz rouca em seu ouvindo a irritando e ao mesmo tempo a excitando.

— Sim, nossos pais estão ótimos, mas infelizmente não puderam vim. — Disse Katie com o tom de voz em um lamento pela ausência de seus pais. 

— Ah tudo bem. — Carlisle a confortou. 

— Edward! Como vai meu priminho? — A voz de Tânya soou chamando a atenção de Edward que até então olhava para Bella, ele gostaria de levá-la para uma das diversas suítes daquele Plaza e terminar de fazer o que havia começado minutos antes da cerimônia.

— Ótimo. — Disse com um aceno de cabeça.

— Poderia me acompanhar até a mesa de bebidas? — Tânya perguntou sorrindo com segundas intenções para Edward.

Bella sentiu um sentimento de posse dentro de seu peito e de raiva, ela queria era afogar Tânya dentro do ponche. 

— Hmmm... — Edward sabia muito bem quais eram as intenções de Tânya e ele não estava afim, pois tinha planos de possuir apenas uma mulher, a única mulher que conseguira lhe chamar a atenção, mulher na qual misteriosamente ainda não havia soltado sua mão, o que é realmente estranho, já que Bella não gosta de ter contato físico com ele, na verdade ela gosta sim, só não admite, mas talvez ela esteja apenas atuando, pois ela tem que parecer que está realmente apaixonada por ele, certo?

— Acompanhe-a Edward. — Carlisle disse após a demora de Edward em responder Tânya.

Edward soltou um suspiro e olhou para Bella, ele se perdeu naquele mar achocolatado — que estão mais escuros do que o normal — que são os olhos dela. Ele sabia que apesar dela ainda o negar ela o queria tanto quanto ele a queria, isso estava escrito em seus olhos.

Edward se levantou e Bella acompanhou os passos dele e de sua prima com o olhar.

— Sentem-se garotas. — Esme disse a Katie e Irina que se sentaram a mesa. 

Das três irmãs a Tânya é a mais perversa, depois vinha Irina e por última Katie. 

Tânya nutria um amor platônico pelo primo, mas ela sempre fora rejeitada, pois Edward tem bom gosto, não que Tânya não seja atraente, mas ele sabia o quanto que Tânya era grudenta e chata, imaginem só se ele tivesse tido algo com ela, então aí que ela ia fazer de sua vida um verdadeiro inferno, pois acharia que teria alguma chance com o primo — uma coisa que está absolutamente fora de cogitação — e o importunaria a todo momento.

— E como você esta Edward? — Tânya perguntou ao chegar à mesa de bebidas.

— Você já me perguntou isso e eu já a respondi. — Edward a respondeu. Curto e grosso.

Não. Ele não gostava dela.

Fato.

— Ah é mesmo. — Ela riu e Edward revirou os olhos. — É que eu gosto de ouvir a sua voz. — Ela passou a mão pelo braço forte de Edward que travou o maxilar. — E eu não sabia o que dizer para ouvi-la novamente. — Edward a ignorou. — Sabem o que fazem quando não se tem assunto? — Ela perguntou tentando o seduzir.

— Não. Ele não sabe e nem eu a propósito, o que fazem? — Tânya se virou para trás quase ao mesmo tempo em que Edward se virou.

Bella estava ali com uma sobrancelha arqueada, com os braços cruzados e com um sorriso falso nos lábios.

— E quem é você? — Tânya perguntou indiferente. 

Bella puxou o braço de Edward fazendo com que ele ficasse ao seu lado.

— Sou a noiva de Edward. — Frisou BEM a noiva. 

— Ah. — Tânya disse estreitando os olhos. — Ele nunca falou de você.

— Pois é, sabe como é né? Ele é famoso o que atrairia muito paparazzi e você deve entender que precisamos de privacidade, vai que bem na hora H eles aparecem e tiram um monte de fotos? — Bella fingiu uma cara de espanto. — Por que podemos nos pegar a qualquer momento e em qualquer lugar, pois é difícil resistir a tudo isso. — Bella disse acariciando a face de Edward que a olhava incrédulo e depois se pós a frente dele — ficando de costas para Tânya — e circulou sua cintura com os braços. — Até que poderia ser algo bem excitante né amor? Imagine só um monte de fotos nossas fazendo sexo? 

Tânya bufou e saiu dali com passos furiosos.

Bella sorriu maleficamente, afinal conseguiu mostrar a aquela loira aguada que Edward É DELA E SOMENTE DELA! 

Edward que estava paralisado desde a parte da “noiva” conseguiu se destravar e perguntar incrédulo a Bella:

— O que foi isso? 

— Esquece. — Bella estava prestes a se soltar de Edward e sair fora dali, pois nem ela sabia o que tinha sido aquilo, ela apenas... Fez! 

Edward não a deixou se afastar e sorrindo por constatar que ela estava com ciúmes, colocou seus braços na cintura dela puxando-a para mais perto de seu corpo, olhando em seus olhos ele disse com os olhos semicerrados e com um divino sorriso torto nos lábios a fazendo perder uma batida de seu coração:

— Está com ciúmes?

Bella paralisou e ruborizou!

Era isso afinal? Ela estava com ciúmes? CIÚMES? Ela não poderia está com ciúmes dele... Poderia?

— Não! — Quase gritou e acabou confirmando o que Edward havia acabado de dizer.

— Mesmo? — Sorriu mais ainda, pois ela estando com ciúmes dele é um bom sinal, na verdade é um ótimo sinal, um esplêndido sinal! 

Ah quem eu estou querendo enganar?! Bella pensou derrotada e acabou confessando:

— Não! Eu estou sim com ciúmes! Feliz? — Ela virou a cara e Edward não segurou seu riso. — Do que você está rindo babaca? 

Edward balançou a cabeça negativamente. Como ela ficava linda corada e irritada. 

Ela havia admitido que estava com ciúmes e isso é mais do que um sinal esplêndido. 

Edward se inclinou na direção de Bella.

— Você com ciúmes fica muito sexy. — Sussurrou em seu ouvido fazendo todos os seus pelos de seu corpo se eriçar. — Minha vontade nesse momento é de ti fazer gemer em algum dessas suítes como nunca gemeu antes em sua vida, já que eu sou tão irresistível você não iria ser opor, certo? — Bella sentiu sua peça de roupa intima encharcar-se por completo com aquelas palavras.

— Sabe o que fazem quando não tem assunto? — Bella fugiu da pergunta repetindo o que Tânya havia perguntado. 

Edward a olhou e sorriu maliciosamente.

— Sabe que eu não sei. E infelizmente quando eu estava prestes a descobrir você interrompeu. — Edward disse fingindo chateação.

— Que coisa triste. — Bella subiu suas mãos pelo peitoral de Edward.

Ela não sabia o porquê de está fazendo aquilo, apenas estava e ponto.

— Na verdade não é tão triste assim. — Bella semicerrou os olhos e arqueou uma sobrancelha.

— Não?

— Não, porque você pode me mostrar. — Edward se aproximou do rosto de Bella.

— Acho que não. — Bella disse fingindo seriedade, fazendo Edward parar de se aproximar de seus lábios. 

— Não? Ah que pena. — Ele soltou Bella a fazendo soltar sua cintura também. — Acho que vou ter que ir perguntar para Tânya então, por que ela deve... — Bella não o deixou terminar e o puxou pelo paletó de encontro aos seus lábios em um beijo avassalador.

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.