14 de jul de 2012

Capítulo 16 Eu quero ficar com você

Posted by Dany Rocha On 7/14/2012 No comments


[N/A: PESSOAL ME DESCULPA PELO TANTO DE MESES SEM POSTAR!!! ¨O¨ Eu posto SSS no Nyah, ela já está finalizada, lá. Mas vou postar todos os capitulos aqui, ta bem? DESCULPEM MAIS UMA VEZ!]

Os primeiros raios de sol tocaram sua face fazendo ela se remexer debaixo do braço másculo de Edward. Ela abriu os olhos lentamente e depois os fechou levando uma de suas mãos ao seu rosto protegendo seus olhos da claridade repentina. Ela ouviu o canto dos pássaros próximo a si, na verdade muito próximo. Ela se desencostou do peitoral de Edward e voltou a abrir os olhos — dessa vez com sucesso — e olhou ao redor assustada.

Ela estava sentada no banco com as pernas estendidas pelo mesmo e o seu tronco estava sendo apoiado pelo peitoral de Edward que estava com a cabeça encostada no encosto do banco. Bella jogou suas pernas para fora do banco as colocando no chão e sentou-se direito no banco. Ela passou as mãos pelo rosto e bocejou depois ela olhou para Edward que ressonava tranquilamente, o que realmente parecia impossível para ela — ele ressonar tranquilamente —, pois a posição em que ele se encontrava era fatal para cada músculo de seu corpo.

Ela tocou em seu ombro e o balançou.

— Edward. — O chamou, ele apenas se mexeu.

Bella suspirou e olhou ao redor. 

Não havia ninguém ali, mas era possível escutar o barulho do motor dos carros na avenida não muito longe dali, ela olhou para frente dando de cara com o chafariz, as águas não jorravam mais no ar, estavam desligadas. Ela voltou sua atenção para o anjo dormindo ao seu lado e o balançou novamente, mas só que com um pouco mais de força.

— Edward. — Ele voltou a se mexer. — Acorda. — Ele levou uma de suas mãos aos seus olhos.

— O que...? — Ele bocejou e aos poucos foi se acostumando com a claridade. 

— Acabamos por dormi aqui. — Bella comentou se levantando e passando as mãos pelo cabelo. — Devem ser umas 7h00 horas agora. 

Edward se levantou em um salto e pegou seu celular no bolso de seu paletó e conferiu o horário, 7h17min. 

— Meu Deus! — Bella o olhou assustada.

— O que?

— Estou atrasado! Tenho uma reunião importantíssima! — Ele se abaixou pegando nos pés do banco os saltos — onde ele havia deixado noite passada — de Bella e depois pegou a sua mão.

— E você espera ir desse jeito para a empresa? — Bella perguntou subindo os degraus da escadaria ao lado de Edward.

— Não né Bella? Vou em casa trocar de roupa, depois deixo você na sua casa e vou para a empresa. — Eles subiram o ultimo degrau e Edward entregou para Bella os seus saltos e pegou seu celular que havia acabado de tocar e colocou o aparelho no ouvido. 

Depois de Bella calçar seus saltos ela e Edward voltaram a caminhar em direção a avenida onde a cada passo a movimentação dos carros ficavam mais próximas.

—... daqui uns quarenta minutos. — Edward disse indiferente. — Uhum... Okay... Eu sei. — Seus passos ficavam cada vez mais rápidos e Bella tentava o acompanhar mais estava difícil.

— Calma ai Edward. — Bella queixou-se e ele olhou para trás um pouco irritado, mas não com Bella e sim com o individuo do outro lado da linha. — Não me olha com essa cara.

Edward passou a mão pelo cabelo.

— Eu já disse, daqui quarenta minutos. — Edward bufou e Bella o alcançou. — Não diga o que eu tenho que fazer. — Edward apertou as pontas de seus dedos por sobre suas pálpebras. — Só faça o que eu mandei. — Ele abriu os olhos e olhou para Bella que estava com os braços cruzados no peito. — Desculpe. — Disse a ela apenas como uma leve movimentação de lábios, ela apenas jogou de ombros. — Não interessa o que eu estava fazendo! Quem é você agora? Meu chefe? — Edward bufou. — Acho que estamos trocando o papel. — Bella tomou o aparelho de Edward.

— Oi! — Ela disse se esquivando de Edward que tentava recuperar seu celular.

— Bella pare de gracinha. 

— Onde está Edward? — A voz de um homem perguntou.

— Com quem eu falo? — O respondeu com outra pergunta.

— Eric. 

— Ah sim, Eric. Edward estará ai daqui quarenta minutos para a reunião, então, não se preocupe okay? 

— Hã... Ok... Okay. — Bella se despediu de Eric e desligou o celular o entregando a Edward. — Você já tentou ser mais educado?

Edward pegou o celular da mão de Bella.

— Não pegue mais as minhas coisas. — Disse emburrado e Bella arqueou uma sobrancelha em desafio.

— Eu pego se eu quiser. — Edward revirou os olhos e Bella se aproximou dele e ele ergueu o celular para cima.

— Você não vai pegar. — Bella deu um sorriso maléfico.

— O celular não era meu objetivo. — Dito isso Bella passou a mão sobre a ereção de Edward já formada por debaixo de sua calça. 

— Está todo animadinho. — Deu um leve aperto em seu membro. — É por minha presença ou é porque é de manhã? — Perguntou com a voz sexy. 

Edward ofegou e engoliu em seco.

— Bella. — Ele gemeu e ela sentiu sua intimidade se encharcar apenas de ouvir seu nome em forma de gemido vindo daquela boca deliciosamente convidativa. 

Edward passou uma mão — a que segurava o celular — pela cintura de Bella e a puxou mais contra seu corpo e a outra mão ele levou até sua nuca e depois ele acabou com a distância entre suas bocas e selou seus lábios em um beijo cálido e urgente. 

Bella levou suas duas mãos para o peitoral de Edward e em um ato automático de seu corpo — corpo, não cérebro — seus dedos desabotoaram os botões da camisa social de Edward e afrouxaram sua gravata. Ao sentir o toque das mãos de Bella em seu peitoral Edward sentiu todos os pelos de seu corpo se eriçar, essa era sempre a sensação de ter as mãos de Bella sobre o seu corpo.

Edward a apalpou e Bella gemeu contra sua boca, ela roçou suas intimidades, ela queria mais contatos, queria que não tivesse panos separando seus corpos loucos de desejo um pelo o outro.

— Bella. — Edward sussurrou contra seus lábios e depois se afastou um pouco. 

— O que? — Bella perguntou abrindo os olhos.

Seus olhos demonstravam luxuria e desejo. Ela ansiava por suas caricias, por seus gemidos, por seu calor, não ao contrario. 

— Temos que ir. — Bella suspirou e retirou suas mãos do peitoral de Edward e deu alguns passos para trás.

— Okay, você tem razão. — Bella andou em direção a rua próxima dali onde vários carros passavam e entre eles taxis. — No seu apartamento continuamos. — Ela disse olhando por cima do ombro e piscando para Edward que sentiu seus batimentos cardíacos acelerarem mais se é que é possível. 

***

Suas pernas entrelaçadas em sua cintura em uma tentativa de aprofundar mais o contato de seus corpos. De suas intimidades.

Edward acariciava toda a extensão de seu corpo nu esparramado em sua cama, ela gemia seu nome e dizia palavras obscenas, ora mordia os lábios ora apertava a fronha da cama entre os dedos tentando de alguma forma extravasar todo o prazer que sentia naquele momento, mas ela sabia que apenas uma coisa, uma pessoa, poderia fazer com que seu prazer fosse extravasado, a mesma pessoa na qual a saciava por completo.

O encaixe de seus corpos era perfeito. Bella rebolava de baixo de Edward que apertava sua coxa, cintura e seios. Ele parecia está em mil lugares ao mesmo tempo. Ele era incrível. Suas línguas trabalhavam em sincronia, era uma dança erótica, muito erótica e provocativa. 

Bella arranhou as costas de Edward e gritou seu nome. Ela havia chegado ao orgasmo e após mais algumas investidas rápidas e fortes de Edward ele também chegou ao seu orgasmo. 

Eles estavam ofegantes e suados. 

O quarto estava exalando a puro sexo.

— Eu acho... — Edward começou, mas parou para respirar e depois saiu de dentro de Bella e deitou ao seu lado. —... Que meus quarenta minutos já passaram. — Bella apenas sorriu e nada disse, apenas fez:

Ela agilmente se sentou sobre o membro de Edward sem delongas e rebolou se apoiando no peito dele que fechou os olhos e mordeu o lábio inferior, mas logo ele abriu os olhos.

— Porra. — Disse ofegante e sentindo as ondas de prazer invadir seu corpo outra vez.

Bella se levantava e se sentava novamente em seu membro com força e rapidez, para logo depois voltar a rebolar. Edward apertou suas coxas e foi subindo suas mãos até seus seios e os apertou com certa força fazendo Bella mais uma vez gritar e chegar ao clímax e dessa vez eles chegaram juntos.

Ela se inclinou em sua direção e passou a língua por seu lábio superior depois pelo inferior o mordendo no final. Edward trocou suas posições, ficando por cima, e tomou seus lábios com voracidade, ele sentia fome de seus lábios assim como sentia fome de todo o resto de seu corpo.

Ele sugou sua língua e depois seu lábio inferior, ele distribuiu beijos por seu pescoço e ao chegar ao seu ouvido sussurrou:

— Eu tenho mesmo que ir. — Ele mordeu o lóbulo de sua orelha e ela sentiu uma descarga elétrica passar por seu corpo.

— Eu sei. — Disse em um suspiro.

— Mas quero que você esteja aqui quando eu voltar, pois estarei insaciável. — Bella riu e segurou seu rosto com as duas mãos.

— Você é insaciável. — Edward sorriu torto para ela e selou seus lábios.

— Isso é um sim? — Bella estreitou os olhos.

— Isso é um “Claro, não tenho nada para fazer hoje mesmo, nada melhor do que ficar na casa do meu noivo comendo, fazendo compras por telefone e gastando seu dinheiro.” — Edward piscou os olhos algumas vezes repetidamente.

— Talvez seja melhor você ir ao Central Parker tirar fotos dos passarinhos. — Disse fingindo seriedade para logo depois rir junto com Bella. — Sinta-se em casa. — Disse se levantando e indo em direção ao toalete. — Vou me arrumar.

— Okay. — Bella se levantou e caminhou até a porta do quarto onde a camisa social branca de Edward estava jogada no chão, ela se abaixou a pegando e depois a vestiu. 

Ela caminhou pelo corredor onde havia três portas, uma era do quarto de Edward, outra do quarto de hospedes e a outra do toalete. Ao final do corredor Bella se deparou com a sala. Ela era magnífica, ao entrar ao apartamento de Edward, o desespero de tê-lo dentro de si nem deixara notar a decoração do apartamento. 

Sala:http://3.bp.blogspot.com/_dWO5K8j9QN8/TT4LhKtcJqI/AAAAAAAABuU/spBqy3rmd4s/s1600/sala-de-estar-moderna.jpg 

Bella caminhou pelo tapete listrado e foi até a janela de vidro onde algumas árvores estavam presentes, suas folhas verdinhas a hipnotizavam, de repente o verde passou a hipnotizá-la, mas não como o verde esmeralda dos olhos de Edward a hipnotizavam.

Ela trilhou o mesmo caminho que fez a alguns estantes atrás e seguiu para a estante com vários livros, CDs e algumas fitas de DVD. Ela passava os dedos por cada titulo e os lia atentamente, ao chegar ao aparelho de som que ficava ao lado dos livros, CDs e DVDs ela resolveu o ligar apertando play logo em seguida e uma linda melodia soou pela sala.

Brian McKnight — Back At One: http://www.youtube.com/watch?v=rXPfovXw2tw&ob=av2n 

It's undeniable that we should be together
(É inegável que nós devemos ficar juntos) 
It's unbelievable how I used to say that I'd fall never
(É inacreditável como eu dizia que jamais me apaixonaria) 
The basis you need to know, if you don't know just how I feel
(Você precisa saber se já não sabe como eu me sinto)
Then let me show you now that I'm for real
(Deixe-me mostrar agora que eu sou sincero)
If all things in time, time will reveal
(Se todas as coisas que o tempo revelará)
Yeah
(É)


One... You’re like a dream come true
(Um - você é como um sonho verdadeiro)

Two... Just wanna be with you
(Dois - só quero estar com você) 

Three... Girl it's plain to see that you're the only one for me and
(Três - pois é evidente que você é a única para mim)

Four... Repeat steps one through three
(Quatro - repita os passos de um a três)

Five... Make you fall in love with me (Cinco - e você se apaixonará por mim)
If ever I believe my work is done then I start back at one (yeah)

(
Se eu achar que meu trabalho acabou voltarei para o primeiro passo)

So Incredible the way things work themselves out
(É incrível como as coisas acontecem) 
And all emotional, once you know that it's all about babe
(É tudo emocional quando você descobre do que se trata)

And undesirable for us to be apart 
(E indesejável que nós fiquemos separados) 
Never would've made it very far 
(Eu jamais teria ido muito longe) 
Cause you know that you got the keys to my heart
(Pois você sabe que tem as chaves do meu coração)
Cause
(Pois) 
Bella escutava a música atentamente quando sentiu um cheiro familiar delicioso se apoderar de suas narinas. Ela sentiu as mãos dele em sua cintura a virando lentamente para ele. 

Ela o olhou e se deparou com aquele sorriso que a fazia suspirar.

Edward pegou a mão direita de Bella e colocou em seu ombro, depois pegou sua mão esquerda e a segurou deixando sua mão direita ainda em sua cintura.

Eles começaram a dá pequenos passos em uma dança calma e cheia de significados, sempre se olhando, nunca quebrando a conexão entre olhares. 

Say farewell to the dark night I see the coming of the Sun
(Diga adeus à escuridão da noite, eu vejo o raiar do sol) 
I feel like a little child whose life has just begun 
(Sinto-me como uma criança cuja vida está começando)
You came and breathed new life
(Você chegou e trouxe uma vida nova)
Into this lonely heart of mine 
(Para este coração solitário)
You threw out the life line just in the nick of time

(
Você me salvou bem na hora exata)

Edward a rodopiou e depois a puxou novamente para junto de seu corpo.
A letra daquela música era simplesmente perfeita, pois era aquilo que ele sentia por ela.

Ele se aproximou do ouvido de Bella e sussurrou o final da canção:

— Three... Girl its plain to see that you're the only one for me and
(Três - pois é evidente que você é a única para mim)

Four... Repeat steps one through three
(Quatro - repita os passos de um a três) 

Five... Make you fall in love with me
(Cinco - e você se apaixonará por mim) 
If ever I believe my work is done then I start back at one

(Se eu achar que meu trabalho acabou voltarei para o primeiro passo) 
Ao acabar a música Edward estreitou os olhos e voltou a sorrir. Aquele sorriso torto que fez o coração de Bella disparar.

— Brian McKnight. Vejam se o Cullen não tem um bom gosto musical. — Bella disse corando levemente.

Edward riu discretamente e soltou a mão dela colocando a mesma em um lado de sua face rosada.

— Tenho bom gosto para muitas coisas. — Dito isso ele se aproximou do rosto de Bella — que fechou os olhos esperando o tocar de seus lábios com os de Edward — e acabou com a distância entre seus lábios. 

O beijo foi calmo, os lábios se mexiam lentamente em um encaixe perfeito. Os lábios de Bella eram quentes, macios e quentes, seu gosto era extraordinário. Edward amava a sensação de tê-los sobre os seus tão vermelhos, convidativos e sensuais lábios. 

Bella passou a mão que estava no ombro de Edward até a sua nuca e enterrou seus dedos naquele mundaréu que eram seus cabelos cor de bronze, tão sedosos e cheirosos, a outra mão ela deixou depositada em sua cintura.

Ele com a mão que estava em sua cintura adentrou sua blusa social e ao sentir a pele quente e lisa dela sobre sua mão gemeu contra seus lábios, ela apertou sua cintura ao sentir a mão dele fria em contato com sua pele quente.

Quando o ar se tornou necessário eles se separaram ofegantes.

— Acho que não vou trabalhar hoje. — Edward disse sorrindo e desabotoando os primeiros botões da camisa social que Bella usava.

Bella arqueou uma sobrancelha e deu um leve sorriso dizendo:

— Você não quer a presidência? Então é melhor comparecer a reunião. — Bella disse deixando seus braços ao lado de seu corpo para que a blusa escorregasse até o chão deixando a completamente nua.

A presidência de repente não parecia tão importante assim para Edward naquele momento. Quer dizer, porque de repente ela não seria mais importante? Por que Bella estava nua a sua frente?

Não, não era por isso e ele sabia disso. O motivo era bem maior do que apenas um desejo carnal, era... Amor.

De repente aquela proposta não lhe interessava mais, ele não queria que ela se casasse com ele apenas por causa de um acordo, ele queria que ela se casasse com ele por amor. Ele a amava, ele deixara aquilo bem claro; e apesar de Bella nunca ter dito que também o amava, Edward sabia que ela o amava. Talvez não na mesma intensidade que ele a amava, mas amava, ele gostava de quando ela demonstrava em pequenos gestos isso, gestos falam mais do que palavras, certo? Mas ele gostaria de ouvir de sua boca, ouvir de sua voz doce e de sinos que ela o amava. Ouvir as tão preciosas palavras “Eu te amo.” 

De repente...

Eram tantos “de repente” ele já estava ficando irritado.

Ele queria mesmo era desfazer o acordo. Ele já tinha a ajudado com o estúdio fotográfico, mas ela não precisava cumprir com a sua parte. Ele queria que ela cumprisse, mas não por causa do acordo, ele queria que ela se casasse com ele quando ela estivesse pronta, quando o momento certo chegasse. 

E a presidência? Vamos lá, esse nem é o seu verdadeiro emprego. É apenas uma fachada, o poder subiu a sua cabeça, mas felizmente Bella apareceu e lhe mostrou que a vida é mais do que apenas dinheiro, poder e fama. Ela lhe mostrou o verdadeiro significado de viver, ela lhe apresentou ao amor.

Edward nada a respondeu, apenas passou o braço esquerdo por debaixo de suas pernas desnudas e com o braço direito apoiou suas costas. 

Bella deu um gritinho de surpresa e circulou o pescoço dele com os seus braços.

Edward sorriu e caminhou até o seu quarto a depositando em sua cama e retirando suas peças de roupa, Bella ao vê-lo nu mordeu o lábio inferior, ela nunca conseguiria se acostumar com a beleza daquele ser extraordinário. 

Ele se debruçou sobre o corpo nu de Bella e quando suas intimidades se tocaram foi como se uma descarga elétrica atravesse ao corpo de ambos. Edward passou sua mão esquerda pela face de Bella e a outra mão ele acariciou ao seu corpo com curvas extremamente perfeitas. Bella colocou suas mãos nas costas de Edward e acariciou toda a sua extensão, da cintura até chegar a sua nuca, ela percorreu esse caminho algumas vezes e na última vez o arranhou, Edward fechou os olhos e gemeu seu nome, Bella se deliciou com a imagem de Edward sobre seu corpo e gemendo seu nome, ela passou sua perna direita pela cintura dele e depois se mexeu sensualmente fazendo suas intimidades se roçarem, foi o fim para Edward.

Edward acabou com a distância entre seus lábios e uma dança erótica e sincronizada se iniciou entre suas línguas sedentas para sentir o gosto um do outro. O gosto no qual elas já estavam tão viciadas.

Ele desceu a mão que estava no rosto dela até o seu seio esquerdo e o massageou depois ele desceu seus beijos molhados e cálidos por seu pescoço e colo chegando ao seu seio direito e o abocanhando com maestria. Ora ele o mordiscava, sugava e lambia. Bella arqueava seu corpo procurando por mais contato.

Edward desceu suas mãos pela lateral do corpo dela e ao chegar às coxas, ele as separou ficando entre suas pernas e encaixando seu membro na entrada molhada de Bella, ele adorava saber que ela sempre estava pronta para ele, era simplesmente gostoso e prazeroso a sensação.

Ele colocou as pernas de Bella, cada uma, em seu ombro e depois começou a aumentar a velocidade das investidas, Bella apertava o lençol entre os dedos com força, ela contorcia seu corpo em busca demais prazer, mas nem era preciso, pois Edward estava ali exatamente para isso, para lhe proporcionar os maiores prazeres de sua vida.

Seus quadris se chocavam com força, a cama chegava a balançar. Edward desceu uma de suas mãos até o clitóris de Bella a estimulando cada vez mais, Bella gritou seu nome e depois puxou Edward para mais um beijo caliente e molhado, um beijo daqueles deveria ser crime, mas quem ligava para isso agora quando se estava alcançando o melhor orgasmo de sua vida?

Era difícil acreditar em como eles se superavam a cada ato sexual juntos, difícil, não impossível, pois ao lado um do outro eles conseguiam os melhores momentos de suas vidas, sempre superando a anterior.

Edward saiu de dentro de Bella e retirou suas pernas de cima de seus ombros e depois a olhou com os olhos semicerrados e com um sorriso maroto nos lábios.

— Eu poderia viver disso. — Bella riu e enlaçou o pescoço dele com os braços e lhe beijou os lábios calmamente, depois o olhou e sorriu.

— É. Eu também. — Edward sorriu torto e beijou a testa de Bella.

— Mas eu tenho mesmo que ir. — Fez um bico fazendo Bella rir novamente.

— Tudo bem. — Edward mordeu sua bochecha e se levantou.

— Cara, você é tão gostosa. — Bella corou e foi a vez de Edward rir.

— Some daqui. — O que era um curto riso se tornou uma gargalhada.

— Você é tão insensí... — Ele não pôde terminar a frase, pois Bella o havia atacado o travesseiro na cara. — Ta, ta... Já to indo, que estresse. — Edward fingiu chateação e pegou suas roupas do chão e seguiu para o banheiro fazendo Bella soltar uma pequena risadinha. 

— Eii Edward, eu tenho que ir embora, tenho que trocar de roupa. — Bella disse pegando sua roupa jogada por diferentes cantos do quarto.

— Eu vou ti emprestar um carro meu e você vai no seu apartamento, pega alguma roupas, trás para cá e fica aqui. — Disse do banheiro.

Bella conseguia ouvir o barulho do chuveiro ligado.

— Você quer o que? Que eu more aqui? — Bella disse colocando seu vestido.

— A idéia é essa... Amorzinho. — Bella balançou a cabeça negativamente com um sorriso bobo nos lábios. 

— Por causa do casamento... Paixão? — Edward riu discretamente e depois desligou o chuveiro fazendo uma careta.

— Hã... Sobre o casamento, Bella, bem, eu quero falar com você sobre isso. 

Edward apareceu na porta do banheiro com uma toalha em volta da cintura e outra secando os cabelos. Bella que calçava seus saltos franziu o cenho para ele.

— O que tem o casamento? — Edward passou a secar o seu corpo e depois vestiu sua boxer e calça, ele sentou-se ao lado de Bella na cama e pegou uma de suas mãos.

— Bella, eu gosto de você, acho que já deixei isso claro, certo? — Bella sentiu um nó em sua garganta. 

Ela não queria falar sobre isso, por isso que apenas assentiu com a cabeça e olhou para a porta, mas Edward tocou seu queixo fazendo a olhá-lo.

— Eu não quero que você case comigo por causa daquele acordo, eu já ti ajudei com seu estúdio, mas você não precisa cumprir com a sua parte do acordo. — Bella perdeu uma batida de coração, para logo em seguida as batidas ficarem aceleradas.

— Como assim Edward? — Bella balançou a cabeça confusa, fazendo Edward retirar sua mão do queixo dela. — Por que está falando isso? Não. Eu vou casar-me com você. Esse foi o trato. — Edward fez uma careta e se levantou.

— É isso Bella. Eu não quero que você fique comigo por causa de um trato. — Ele se ajoelhou a sua frente e pegou suas duas mãos. — Eu quero fazer o certo, quero que você termine com o Jacob e... Se... — Edward umedeceu os lábios. —... Ainda for de sua vontade ficar comigo. — Edward olhou para algo sem importância atrás de Bella.

Um vinco se formou entre as sobrancelhas de Bella que soltou as mãos de Edward e tocou seu rosto com as mesmas fazendo o olhá-la.

— Edward eu acho que já deixei claro que quero ficar com você lá no chafariz, não foi? — Ele nada respondeu. — Eu quero ficar com você, apesar de você ser arrogante e me irritar. — Edward sorriu torto e Bella lhe deu um selinho. — Eu não sei quando Jacob retornará, talvez leve um tempo, é sempre assim. — Bella jogou de ombros. — E a presidência é algo que você quer muito e eu vou ti ajudar.

Será que a presidência era realmente algo que ele queria muito? De repente não. 

— Então, você ainda quer se casar comigo? — Edward perguntou.

— É. — Bella deu um pequeno sorriso e Edward se levantou beijando o alto de sua cabeça.

— Ótimo. 

Uma alegria invadiu o ser de Edward, era ótimo que Bella quisesse se casar com ele, ela o amava, ele tinha certeza disso, ela apenas não queria dizer, mas ele teria paciência e quando ela dissesse que o amava, bem, esse dia seria o mais feliz de sua vida.

Bella sentiu algo novo preencher seu coração, era como se a atitude de Edward em desistir de se casar, por querer fazer as coisas certas, tivesse a feito vê-lo de uma nova perspectiva, feito o sentimento que ela nutria por ele aumentar, sentimento no qual ela ainda não queria dizer que sentia.

Edward abriu a gaveta de seu criado mudo e de lá retirou a chave de um carro.

— Pegue. — Ele entregou para Bella que pegou a chave confusa.

— E como você vai para a empresa?

— Eu vou com o Volvo e essa chave é da Mercedes. — Bella arqueou uma sobrancelha.

— Quantos carros você tem? — Edward sorriu diabolicamente.

— Acho que você não vai querer saber. — Lhe garantiu e Bella cerrou os olhos.

***

— Raios de Júpiter! — Bella exclamou.

— O que? — Edward perguntou confuso.

— Nada. — Bella o respondeu sem o olhá-lo. — Todos esses carros são seus?

Eles estavam no estacionamento do prédio em que Edward morava, eles estavam em frente a seis carros.

— São e tem mais alguns na casa de meus pais. — Edward disse jogando de ombros e destravando as portas da Mercedes e abrindo a porta do motorista para a Bella.

— Mas para que tantos carros? — Perguntou indo em direção a Mercedes.

— Eu faço coleção, nada demais. — Bella o olhou espantada antes de entrar no carro. — Não me olhe assim, ti darei um carro novo. — Disse fechando a porta da Mercedes e se inclinando na janela aberta.

— Eu não quero um carro novo, eu gosto da minha picape. — Edward bufou.

— Ah Bella, aquele carro está ultrapassado, ti darei um novo e nem adianta reclamar. — Edward tocou a face de Bella e a beijou carinhosamente a impedindo de rebater. — Tenha um bom dia, ti vejo ao crepúsculo. — Disse lhe entregando a chaves do carro.

Como se o beijo tivesse dissipado as lembranças da breve discussão sobre carros que eles tiveram agora pouco, Bella sorriu e lhe desejou o mesmo arrancando o carro e saindo do estacionamento em direção a seu apartamento.

Edward suspirou.

Ele estava realmente amando e ele não sabia que fosse tão bom. Sorriu como bobo e foi em direção ao Volvo, quando estava prestes a arrancar o carro ele mudou de idéia para o destino no qual ia seguir e quando ligou o carro e o retirou do estacionamento ao invés de seguir para a esquerda — era por lá que ele seguia toda manhã para ir para a empresa — ele seguiu para a direita.

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.