14 de jul de 2012

Capítulo 17 Promessa

Posted by Dany Rocha On 7/14/2012 No comments


[N/A: PESSOAL ME DESCULPA PELO TANTO DE MESES SEM POSTAR!!! ¨O¨ Eu posto SSS no Nyah, ela já está finalizada, lá. Mas vou postar todos os capitulos aqui, ta bem? DESCULPEM MAIS UMA VEZ!]
O tocar do telefone fez Bella apressar seus passos até a sala de estar do apartamento de Edward, ela já havia voltado do seu e como hoje não tinha trabalho algum, resolveu ficar no apartamento dele, na verdade se ela não tivesse voltado para o apartamento de Edward era provável que ele fosse até o apartamento dela para trazê-la de volta ao dele.

— Alô. — Atendeu ao telefone com um sorriso nos lábios.

— Edward Cullen? 

— Ele não está no momento, quem gostaria? — Bella sentou-se na beirada do sofá, aquela voz não lhe era estranha.

— Eric Yorkie. 

— Ah sim, aqui é Bella, a garota na qual você conversou hoje mais cedo. 

— Oh sim. Claro, você é a... Namorada do senhor Cullen? — Perguntou vacilante.

— Na verdade... — Bella mordeu o lábio inferior e respondeu-o por fim: —... Sou a noiva. — Ouviu-se um silêncio do outro lado da linha, Bella até achara que Eric havia desligado, mas logo sua voz surgiu.

— É um prazer está falando com a Srtª. — Bella passou sua mão livre pelo cabelo amarrado em um rabo de cavalo. — Então, o senhor Cullen não está no momento? 

Bella de repente ficou confusa e indagou:

— Não, mas ele não está ai? Quer dizer, essa manhã ele saiu e foi para a empresa. — Eric franziu o cenho do outro lado.

— Não, não, acho que está equivocada Srtª...

— Só Bella. — Ela o interrompeu.

— Claro. Bella. — Eric parecia um pouco hesitante. — Acho que está equivocada Bella, pois Edward não veio para a empresa até agora e eu tive que remarcar a reunião e queria apenas o comunicar que foi adiada para a próxima semana, na quinta-feira. — Bella estreitou os olhos.

— Ah claro, pode deixar que eu o comunico, obrigada por telefonar. 

— Obrigado você Bella. — Eles se despediram e desligaram.

Bella colocou o telefone no lugar e franziu o cenho. Ela não entendia. Edward havia saído àquela manhã para a empresa, como ele não poderia estar lá? 

Ela olhou em seu relógio de pulso e checou as horas, 13h51min, ela balançou a cabeça negativamente e pegou seu celular no bolso de trás de sua calça jeans fazendo algumas discagens e depois colocou o aparelho no ouvido.

Ela esperou por alguns segundos, mas o celular de Edward só caia na caixa de mensagem.

— Droga Edward. — Bella vociferou em um sussurro.

***

— Estou realmente surpresa com sua presença Cullen. — A voz da mulher lhe causava calafrios, talvez fosse o longo tempo que não a ouvia. 

— Pois é. — Edward suspirou e a mulher lhe indicou a cadeira a sua frente com a mão esquerda em um convite para que ele se sentasse e foi o que ele fez.

— Não devia está no seu parque de diversão? — Perguntou com certo sarcasmo.

Edward riu sem humor.

— Se você se refere à empresa, bem, ela não é mais de meu interesse. — A mulher o olhou fingindo espanto.

— Por causa dela? — Edward não a respondeu e ela apenas teve sua pergunta confirmada, pois quem cala, consente. 

— Só queria voltar à ativa, sentir a adrenalina nas minhas veias. — Passou uma das mãos pelo cabelo o deixando mais revolto ainda.

— Tem certeza que não perdeu o jeito? — A mulher perguntou com um sorriso brincando em seus lábios e Edward sorriu maroto lhe respondendo:

— Eu sei que fiquei fissurado pela presidência da empresa, o que posso dizer? O poder subiu a minha cabeça, mas Bella me fez perceber que a vida é mais do que apenas fama, dinheiro e poder. — Semicerrou os olhos. — E eu nunca perco o jeito.

A mulher assentiu satisfeita.

— Mas só vim ver os novatos, sabe divertir-me um pouco, tantos números, papeis para assinar e pessoas falsas em um só lugar estão me deixando maluco naquela empresa. 

— Pelo o que vejo você realmente mudou, pois o que era para ser apenas uma fachada e claro... Um pequeno serviço: tomar conta de nossas mercadorias naquela empresa que nos fornece tantos bens preciosos se tornou seu brinquedinho favorito. — Edward jogou de ombros.

— Eu e Jasper formos mandados para tomar conta daquela empresa e acho que como Jasper está casado e pretende formar uma família ele não terá mais tempo para isso. — Gesticulou com a mão para o escritório da mulher. — Então acho que ele poderia ficar só na empresa, quem sabe até conseguir a presidência. — Sorriu torto. — E... Eu voltaria para cá. — Umedeceu os lábios.

— Se é o que você deseja, apenas continue lá até o senhor Hale voltar. — Edward assentiu. — Sabe Cullen, você é ótimo no que faz e é bom tê-lo de volta novamente.

Edward abriu um pequeno sorriso e depois o desfez.

— Porém tenho uma condição para que eu volte à ativa na qual gostaria que você pensasse a respeito. — A mulher a sua frente se encostou ao estofado de couro e cruzou as mãos sobre sua mesa.

— Estou ouvindo. — Ela disse lhe sorrindo.

— Bem, como você deve saber, estou prestes a me casar com... Com Bella. — Ele se inclinou na direção da mulher. —... E não quero mais fazer exatamente o que eu fazia, quero ficar aqui e treinar os novatos, mas... — Voltou a se encostar-se à cadeira e cruzou as pernas. —... Quando precisarem de mim. 

A mulher semicerrou os olhos.

— E por que dessa decisão Cullen? 

— Você sabe o porquê. — Sorriu cinicamente.

— Claro. Está amando e não quer morrer e deixá-la só, mas ela é capaz de se defender mais do que você imagina.

— Eu sei. — Edward quase rosnou. — Só quero me manter aqui e treiná-los, o que me diz? — Ela sabia que Edward era um tanto que valioso e já fora ruim demais tê-lo afastado durante todo esse tempo por sua louca obsessão quanto à presidência daquela empresa e tê-lo de volta, mesmo que apenas para treinar aqueles novatos, seria de grande ajuda.

— Okay Cullen. — A mulher lhe estendeu a mão e ele a apertou.

— Vou lá, quero ver como eles estão. — Edward disse se referindo aos novatos e saindo da sala dela.

A mulher de cabelos pretos lisos, pele escura e em torno de seus 54 anos de idade estreitou os olhos e girou sua cadeira dando de cara com uma enorme janela de vidro e com uma exuberante paisagem.

— As coisas vão ficar interessantes. — Refletiu abrindo um sorriso diabólico nos lábios rosados.

http://smallville.otavo.tv/wp-content/uploads/040310_1221_SmallvilleS1.png 

***

1920 Bunker Club, o salão foi projetado para incentivar a socialização — não há mesas reservadas ou um espaço fechado para Vips. Apenas um longo balcão, banquetas e uma área de lounge confortável e íntima ao lado da pista de dança.

1920 Bunker Club: http://i0.ig.com/fw/es/jc/ll/esjcllv3yak8vhwri0573fim8.jpg 

Sentada em uma de tantas banquetas Bella tomava sua quinta ou sétima — não se recordava desde que tomara a terceira, digamos que ela não era muito forte quando se tratava de bebidas — dose de Vodka.

Ela estava muito linda e atraia a muitos olhares masculinos do local. Ela usava uma blusa branca a regata, uma jaqueta de couro por cima, calça jeans moldando bem seu belo par de pernas, bota de salto alto, estava com algumas bijuterias, cabelos soltos caindo em longas cascatas por suas costas e sua maquiagem estava perfeita. 

Bella: http://www.polyvore.com/1920_bunker_club_bella/set?id=39562392&.locale=pt-br 

Bella nunca fora de sair à noite e beber, mas a falta de noticias de Edward a estava perturbando muito, então ela decidiu se arrumar, pegar a Mercedes e sair pelas ruas de Nova York, até que achara aquele bar que lhe pareceu tão aconchegante. Prometeu a si mesma que não ia exagerar, mas depois da terceira dose ela já não falava mais por si.

Ao chegar ao apartamento — antes ele havia passado no supermercado e comprado algumas coisas que sabia que Bella gostava e claro, passou em outro lugar e lhe comprou um lindo presente — se sentiu angustiado pela ausência de Bella. 

Ele colocou as sacolas no balcão da cozinha e no caminho até seu quarto pensou que ela poderia ainda está em seu apartamento para pegar alguma coisa ou fazer alguma coisa, mas ela tinha ido de manhã e já eram 20h23min ela já devia ter chegado certo? E suas suspeitas de que ela já devia ter retornado foram confirmadas ao entrar em seu quarto e se deparar com uma bolsa branca e com detalhes em preto aberta sobre a cama com algumas peças de roupas de Bella espalhada pela mesma. 

Edward caminhou até a cama e pegou uma blusa verde com detalhes em branco e cinza e a levou até seu rosto para logo depois inalar seu aroma. Continha o cheiro de Bella, ele adorava sentir seu cheiro, mas naquele momento ele queria sentir mesmo o cheiro da fonte. Queria poder abraçá-la e enterrar sua face em seu pescoço e sentir seu cheiro adocicado, sentir aquele aroma que o fazia se sentir em paz e realizado.

Mas onde será que Bella estava? Edward sentia seu coração apertado dentro de seu peito, uma angustia o tomou quando deixou a blusa dela sobre a cama e recolheu seu celular em seu paletó, mas seu celular estava desligado, ele franziu o cenho. Talvez tenha se esquecido de ligá-lo após ter o desligado no taxi quando vinha para seu apartamento com Bella essa manhã.

Ele jogou de ombros e o ligou se deparando com varias chamadas perdidas. Ele fez uma careta, aquilo não era um bom sinal.

Edward guardou o celular no bolso do paletó novamente e pegou a chave do Volvo em cima do sofá e seguiu para fora de seu apartamento. Ao sair do estacionamento em seu Volvo viu o porteiro e resolveu o parar.

— Eii viu aquela moça que entrou comigo hoje mais cedo sair em minha ausência? — Edward perguntou inclinando-se na direção da janela.

— Na verdade sim senhor Cullen, há uns 40 minutos atrás ela saiu em sua Mercedes. — Edward semicerrou os olhos e assentiu para o porteiro.

— Obrigado. — O porteiro abriu um pequeno sorriso e depois se afastou.

Edward balançou a cabeça negativamente e antes que arrancasse com o carro mais uma vez pegou novamente seu celular e depois de algumas discagens o colocou no ouvido.

Depois de chamar durante alguns segundos a voz dela, um pouco embargada pela quantidade de álcool em seu sangue, atendeu:

— Ah resolveu ligar o celular? Que lindo. — Disse com sarcasmo.

— Onde você está? — Edward travou o maxilar ao ouvir a voz de um homem próximo a Bella.

—... deixe-o gracinha e venha comigo. — A voz do homem tornou-se mais audível com sua aproximação. 

— Bella quem está ai? — Mas ela o ignorou se virando para o homem e com uma cara de poucos amigos o respondeu:

— Da licença ou coisa? Eu estou conversando com meu... — Bella franziu o cenho e voltou sua atenção para Edward. —... Você é o que meu mesmo?

— Pelo amor de Deus Isabella! Onde você está? — Edward já tremia de raiva.

—... vamos lá... — Edward ouviu um estralo do outro lado e depois a voz de Bella indignada. 

— Não toca essa mão nojenta em mim. — Edward ligou o Volvo e acelerou.

— Isabella Marie Swan! — Ele gritou seu nome e Bella fez uma careta.

— Não vou contar onde eu to até você me dizer onde tava... Paixãozinha. — Ela começou a rir e Edward praguejou apertando o volante com a mão que usava para manter a direção do carro.

— Não brinque comigo Isabella. — Ele rosnou.

— Nossa você deve está muito gostoso bravinho. — Edward respirou algumas vezes para não perder o resto da sanidade que lhe restava.

—... 1920 Bunker Club. — Uma voz feminina soou do outro lado da linha a uma pequena distância de Bella.

— Ò sua vaca, você tinha que dizer o nome de onde nós estamos em voz alta? Não ta vendo que meu... — Bella refletiu. —... Ah que a droga do gostoso que me come não pode saber onde eu to? — Bella fez uma careta para a mulher que também conversava ao celular.

— Bella não saia daí. — Edward sibilou do outro lado.

— Sair da onde? Eu quero morar aqui. — Bella riu mais uma vez.

— Eu também sou gostoso. — A voz do mesmo homem pôde ser ouvida por Edward que já ia a todo o vapor para o bar onde Bella se encontrava.

— Mas não vai me comer, só quem pode é o gostoso do meu... — Bella parou novamente no meio da frase.

— Noivo! — Edward aumentou sua voz algumas oitavas e Bella afastou o celular do ouvido.

— Ah é! Noivo. — Bella revirou os olhos e tomou mais um gole de sua vodka. — É que eu ainda não estou acostumada paixão da minha vida colorida. — Ela voltou a rir. — Oh garçom! Mais uma. 

— Não Bella. — Edward disse já quase chegando ao bar. — Não tome mais nada.

Bella olhou para o aparelho e fez uma careta.

— Você não manda em mim. — Depois deu língua para o celular e desligou na cara de Edward que jogou o celular no banco de trás e bateu as mãos no volante. — Oh meu chapinha! — Bella chamou a atenção do garçom. — Maiz uma aqueee, to eu falando grego? 

— Duvido que saiba até inglês. — O garçom disse lhe servindo mais uma dose e Bella caiu na gargalhada.

— Ah, que engraçado! — Bella deu um pequeno empurrão no ombro do homem ao seu lado, no qual a tarava a todo o momento. — Ele não é engraçado?

— Ah, é sim. — O homem disse colocando o braço ao redor da cintura de Bella que nem notara e apenas virou o copo com a bebida de uma só vez na boca. — Mais uma para a linda aqui. Por minha conta. — Bella deu uns tapinhas na cara do homem levemente.

— Ah, como você é gentil. — Bella sorriu.

— Isabella. — Edward grunhiu atrás dela que se virou lentamente para ele.

— Eii! E ai? — Ela se virou novamente para frente e pegou a bebida que o garçom tinha deixado ali para ela, mas antes que ela pudesse virar mais uma vez a bebida na boca a mão de Edward a impediu de fazer, ela o fuzilou com os olhos.

— Se você quiser perça uma ao meu chapinha. — Disse se referindo ao garçom.

— Eu não sou seu chapinha. — Disse o garçom. — Meu nome é Valdisnei. — Bella que havia conseguido levar o copo de Vodka a boca a cuspiu na direção do homem “tarado” ao seu lado que mantinha seu braço ainda em sua cintura.

— VALDISNEI? — Ela exclamou e caiu na gargalhada. — Mas que diabo de nome é esse? Você por acaso mora na Disneylândia? — Lágrimas escorreram dos olhos de Bella de tanto que ela ria. — Ouviu só essa? — Perguntou ao homem ao seu lado que limpava seu rosto com um guardanapo. — Ele se chama Valdisnei! — O homem sorriu para ela e apertou mais a sua cintura.

Edward perdeu o controle e rosnou:

— Tira essa mão de cima da MINHA NOIVA! — O homem o olhou com indiferença.

— E se eu não quiser. — Bella olhou de Edward para o homem e depois para Edward novamente.

— É! E se ele não quiser? — Edward travou o maxilar e puxou Bella pelo braço a fazendo se levantar da banqueta e cambalear em sua direção, Edward a colocou atrás de seu corpo e olhou mortalmente para o homem a sua frente.

— A questão não é você querer, a questão é eu querer lhe deixar vivo por cobiçar uma mulher já comprometida. — Edward cerrou os punhos e caminhou em direção ao homem que se levantou. 

O homem era um pouco menor que Edward, talvez uns 5 centímetros a menos, cabelos loiros, olhos azuis e que se denominava James.

— Eu não tenho medo de você. — Após James ter dito isso Edward o pegou pelo colarinho e o levantou um pouco do chão.

— Eii! Eii! — Valdisnei disse. — Nada de brigas aqui.

— Isso mesmo! Vão pra Disneylândia brigar. — Bella se intrometeu e o Valdisnei a repreendeu. — Ta parei. — Ela fungou e jogou de ombros.

— Nunca mais se atreva a olhar para ela. — Edward disse entre dentes e soltando James no chão que caiu em cima de algumas banquetas as derrubando.

— E agora quem está sendo insensível? — Bella perguntou e Edward a olhou com a cara retorcida em pura ira. 

Edward foi à direção de Bella.

— Vamos embora. 

— Não quero. — Disse indo em direção ao balcão, mas as mãos de Edward em sua cintura a impediram de seguir.

— Depois não reclame. — Ele cerrou os olhos e Bella sustentou seu olhar.

— Reclamar do que Edw... — Ela não teve tempo de terminar, pois Edward a pegara e a jogara sobre seu ombro. 

— Ai garçom. — Disse pegando o copo de Bella que continha um pouco de Vodka e tomou o resto em apenas um gole. — Por conta desse babaca aqui. — Disse se referindo a James que continuava no chão. — Você não é o machão e gosta de pagar bebidas aos outros? Então, paga ai. — Depois ele chutou “acidentalmente” o estômago de James e saiu do bar com Bella sobre seu ombro, ela mantinha os olhos fechados, pois sua cabeça girava por conta da bebida e por conta de está de cabeça para baixo.

— Me solta! — Ela exclamou abrindo os olhos e se deparando com a bunda de Edward coberta pela calça social que marcava bem seu corpo, principalmente aquela parte. — Uii! — Ela disse a apertando. — Me desce mais um pouquinho? Quero ti morder. — Edward a colocou no chão tão rápido que Bella sentiu suas vistas escurecer, se não fosse o Edward a segurando pela cintura ela com certeza teria caído.

— Bella nunca mais faça isso comigo. — Disse a ajudando a se apoiar na Mercedes, o Volvo se encontrava estacionada atrás dessa última.

Bella colocou a mão na cabeça e depois abriu os olhos lentamente e quando ela conseguiu ver apenas um Edward ao invés de cinco ela endireitou o corpo, ficando reta e não inclinada nos braço de Edward que ainda se mantinham possessivamente em sua cintura.

— Onde você estava? — Ela perguntou o olhando. — Na Disneylândia? — Um sorriso sapeca brotou em seus lábios.

Edward riu balançando a cabeça negativamente. 

— Amanha a gente conversa. Me dá a chave da Mercedes, depois eu busco o Volvo. — Bella se virou, ficando de frente para a lateral da Mercedes e de costas para Edward.
— Está no meu bolso de trás. — Ela colocou as mãos na Mercedes se apoiando e empinou sua bunda na direção de Edward que engoliu em seco.

Ele ofegou. Seu membro já estava latejante dentro de sua boxer, Bella conseguia lhe deixar excitado tão facilmente e com essas provocações ele não chegaria muito longe.

Ele se aproximou dela e a apalpou. Bella sentiu sua intimidade molhada clamar pelo membro de Edward. Ela gemeu ao sentir seu toque. Ele pegou a chave e depois passou as mãos pela cintura de Bella e a puxou para trás a fazendo sentir o tamanho de sua ereção. Bella rebolou de encontro ao membro de Edward o fazendo gemer e subir suas mãos até os seus seios cobertos pela renda do sutiã. 

Bella ofegou.

— Edward. — Gemeu e mordeu o lábio inferior.

Ele já sentia o fogo tomar conta de seu corpo, ele queria preenche-la e fazê-la urrar seu nome. Gritar que ela era apenas dele e SÓ dele, mas ele não podia fazer aquilo ali, apesar de desejar muito, seu lado diabólico queria muito mesmo fazer ali, mas seu lado racional conseguiu falar algumas oitavas mais altas e ele se afastou de Bella.

Ele destravou as portas da Mercedes e a ordenou:

— Entra no carro. — Ela o obedeceu prontamente. 

Edward bateu a porta do carro e o ligou rapidamente o arrancando dali em direção ao seu apartamento. Bella retirou sua pulseira, colar, anel, brincos, bota; o par de meias e a jaqueta de couro preta.

— O que está fazendo? — Edward perguntou colocando a mão em sua coxa.

Ela sorriu maliciosamente e o respondeu:

— Assim você terá menos o que tirar. — Edward a olhou e retribuiu o sorriso malicioso. 

Bella pegou a mão de Edward e a subiu por sua barriga — por dentro da camiseta — até chegar aos seus seios, ela gemeu com o contato e Edward travou o maxilar aproveitando a sensação de tê-los debaixo de sua mão.

— Bella. — Ele disse em um sussurro.

Ela levou suas próprias mãos ate o botão de sua calça jeans e o desabotoou e logo em seguida a retirou.

— Bella não me faça cometer uma loucura. — Edward disse com a voz rouca a deixando mais excitada ainda.

— Não se preocupe. Cuidarei bem de você. — Bella se inclinou na direção de Edward e acariciou seu membro, já pulsante, dentro de sua calça.

Edward apertou com força o volante.

Bella desabotoou a calça de Edward e com a ajuda do mesmo a desceu até o meio de suas coxas e depois foi à vez da boxer cinza. O membro ereto de Edward fez a boca de Bella salivar, ela passou a ponta da língua pelo lábio superior e olhou para o membro dele como se fosse à coisa mais apetitosa de se comer que existia na face da terra.

— Você não vai... — Edward não conseguiu terminar a frase, pois a sensação de ter aqueles lábios carnudos, avermelhados, macios, molhados e quentes sobre sua masculinidade o fez ter espasmos de prazer por todo o seu corpo. Ele não conseguia pensar com clareza. Ele se sentia abrigado dentro daquela boca que o sugava, mordiscava e o arranhava com os dentes, com maestria, com luxuria e com desejo. 

Bella estava sedenta por sentir o gosto de Edward, por sentir aquele vai e vem gostoso em sua boca — Edward mexia os quadris e sua mão direita não estava mais no volante e sim nos cabelos de Bella, a estimulando a prosseguir e não parar, pois seu orgasmo já estava prestes a vim, mas nem se ela quisesse ela pararia, pois ela almejava aquilo tanto quanto ele.

O que não coube dentro de sua boca ela massageou com as mãos, suas pequenas e macias mãos pareciam fazer mágica no membro de Edward que já soltava seu pré-gozo dentro de sua boca, sentir aquele gosto a fez ficar mais fora de si ainda. Ela sentiu o membro dele em sua garganta para logo depois senti-lo jorrar em sua boca seu gozo que ela tomou prontamente. 

Edward já não gemia como um louco, ele gritava o seu nome, tentando amenizar a voz mordendo os lábios, mas era impossível. 

O feitiço virou contra o feiticeiro.

Seu desejo era fazer Bella gritar seu nome, mas no final ele que acabou por gritar o seu, mas a noite era uma criança e ele a faria gritar... Gritar muito.

Ela passou a ponta da língua na ponta de seu membro engolindo a última gota de seu gozo e depois o olhou com os olhos semicerrados.

— Gostoso. — Edward ofegou. Aquela mulher o fazia sentir coisas que ele nunca, antes, sentira.

Edward freou o carro — estava surpreso por ainda está conseguindo dirigir —, afastou o banco para trás e puxou Bella pela cintura para que ela se sentasse em seu colo, cada perna em um lado de seu corpo. Edward retirou a blusa de Bella e a jogou em algum canto no carro e depois abriu o fecho de seu sutiã. Ele apertou seus seios que estavam rígidos e Bella gemeu.

Edward já não pensava com coerência, ele queria a possuir e isso era tudo o que importava naquele momento, então sem muitas delongas, de algum jeito, ele acabou por rasgar a peça intima de Bella.

— Você vai ter que me emprestar a sua boxer depois. — Bella disse risonha e Edward sorriu a penetrando lentamente com o seu membro.

— Eu não quero você vestida com nada essa noite. — Disse em um sussurro rouco a fazendo eriçar todos os pelos de seu corpo. 

Bella apoiou suas mãos nos ombros de Edward e sentou com força em seu membro o fazendo gritar seu nome mais uma vez e lhe dizer coisas obscenas que a fez ficar mais excitada.

Ora apertava seus seios, ora a cintura e ora suas coxas. 

Bella acabou com a distância entre suas bocas e sugou os lábios de Edward sedentariamente. Ela parecia sentir fome de seu gosto, de seus toques, de seu corpo...

Depois de mais algumas investidas eles sentiram o orgasmo se aproximar e juntos explodiram em prazer. 

Edward permaneceu dentro de Bella por mais algum tempo. 

Suas línguas se acariciavam sensualmente em uma dança erótica e provocativa. Quando seus pulmões reclamaram por oxigênio eles separaram seus lábios e Edward desceu seus beijos pela extensão do pescoço, ombro e seios de Bella, depois ele segurou seu rosto com as duas mãos e a olhou dentro de seus orbes achocolatados. 

— Viu o que você me faz fazer? — Bella sorriu safadamente.

— Eu gostei. — Disse rebolando em cima de seu membro.

Edward fechou os olhos e gemeu. 

— Aposto que sim. — Bella passou os braços ao redor de seu pescoço e colou seus corpos — se possível — ainda mais fazendo seus seios entrar em contato com a blusa social dele, ela voltou a beijar seus lábios calidamente, levantou e sentou-se novamente na masculinidade de Edward que desceu suas mãos até a sua cintura a permanecendo colada em seu corpo.

— Fica quietinha, está bem? — Perguntou com suas testas coladas.

— Mas eu não quero. — Ela disse manhosa e com as mãos infiltrou sua camisa acariciando seus gomos em sua barriga e depois os arranhou. 

Edward se mexeu levemente debaixo dela que sorriu vitoriosa.

— Me lembre de ti embriagar com mais freqüência. — Dito isso ele lhe deu um beijo avassalador.

***

Cabeça doendo, corpo dolorido, hematomas em sua cintura e coxa, sede e... Enjoada.

É assim que Bella se sentia após abrir os olhos e se deparar no quarto de Edward, nua e com um lençol marfim enroscado em seu corpo, ela se encontrava sozinha na cama, ela olhou para o relógio que ficava no criado mudo e ele marcava 8h26min da manhã. 

Ela sentou-se na cama e levou as mãos a face depois se espreguiçou e bocejou. Em sua boca um gosto horrível se instalou — fora o gosto que você sente ao acordar. Ela se levantou deixando o lençol sobre a cama e caminhou em direção ao toalete que tinha no quarto de Edward, ao chegar lá pegou uma pasta de dente e passou um pouco sobre sua escova de dente e escovou os mesmos. Depois se pós em baixo do chuveiro e a sensação d’água quente sobre seus músculos rígidos foi maravilhosa. 

Ela saiu do toalete e voltou para o quarto caminhando em direção a sua mochila que estava jogada próxima a parede, de lá ela retirou uma toalha e se enxugou com a mesma a envolvendo em seguida em seu corpo.

— Bom dia! — A voz de Edward tornou-se presente no quarto.

Bella olhou para ele que estava parado na porta com um lindo sorriso torto nos lábios, seu coração disparou em seu peito automaticamente. As lembranças da noite maravilhosa que tivera noite passada ao lado desse anjo esculpido em forma de homem invadiram sua mente.

— Bom dia. — Respondeu com as bochechas rubras.

Edward vestia uma calça moletom azul claro, uma blusa a regata branca, estava descalço e com os cabelos bagunçados como de costume. Ele se aproximou de Bella e circulou seus braços ao redor da cintura dela, ela olhou fundo em seus olhos que possuíam um brilho encantador e depois olhou para seus lábios, tão próximos... Próximos e convidativos.

Bella levou uma mão até a face esquerda de Edward e a outra mão ela a depositou em seu abdômen. 

— Você é muito linda. — Edward disse colando suas testas.

Bella sorriu acanhada e Edward acabou com a distância entre seus lábios em um beijo calmo e suave. Não era um beijo urgente e carregado de malicia, era um beijo de ternura, um beijo no qual você se sentia feliz em receber, você se sentia completo. Seus gostos se misturavam e era impossível não sentir as sensações que ambos sentiam ao se beijarem, a sensação que sentiam ao estarem juntos, a sensação que sentiam com apenas uma troca de olhares.

Bella encerrou o beijo em um longo selinho e depois olhou para Edward que a empurrou em direção a cama e deitou-se por cima dela, ele acariciou sua perna e ao chegar a coxa — viu as marcas roxas — estreitou os olhos e olhou para Bella.

— Desculpe. — Disse risonho.

— Ah tudo bem, gosto de sexo selvagem. — Edward riu junto com Bella. — Só não consigo andar direito, mas. — Ela acariciou os cabelos acobreados.

— Lembre-me de pegar leve da próxima vez, infelizmente você não consegue me acompanhar né? — Edward fingiu um suspiro desanimado e ganhou um tapa em suas costas que chegou a arder. — Aii! — Ele queixou-se.

— Sai de cima de mim. — Edward riu e mordeu de leve o bico que Bella fez.

— Eu estava brincando. — Disse sorrindo e depositando beijos molhados em seu pescoço e ombro. — Você é maravilhosa, simplesmente incrível. — Ele roçou seu nariz no pescoço dela e inalou o cheiro de seu sabonete na pele albina de Bella. — Eu te... — Ele parou no meio da frase e olhou nos olhos achocolatados que pareciam surpresos. — Eu vou... — Ele saiu de cima de Bella se levantando e caminhando até a porta. —... Preparar seu café da manhã. Hmmm... — Passou a mão pelos fios de seu cabelo. —... Vista alguma roupa fresca, vamos dá uma volta. 

Bella umedeceu os lábios e sentou-se na cama.

— Claro. — Ela olhou para baixo e assentiu com a cabeça.

Edward se virou e caminhou pelo corredor.

Ele poderia ter terminado aquela frase, mas sabia que não era uma boa idéia. Talvez fosse...

Talvez lá no fundo Bella até gostasse de ouvi-la novamente.

***

Bella: http://www.polyvore.com/sem_t%C3%ADtulo_117/set?id=36828257 

Eles caminhavam de mãos dadas por cima de uma ponte em direção a um mundaréu de arvores das cores laranja, vermelho, verde e amarelo, as cores se contracenavam bem, escondendo alguns prédios, mas nem todos, os mais altos se destacavam lá no alto. Abaixo da ponte o rio se estendia e havia alguns — pequenos — barcos navegando. 

Central Parker: http://i.dailymail.co.uk/i/pix/tm/2008/11/new_york_central_park_to_468x312.jpg 

— O que estamos fazendo aqui mesmo? — Ela lhe perguntou curiosa.

— Não posso levar minha noiva para um passeio? — Perguntou na defensiva.

— Não. — Eles se entre olharam e riram. 

— Pare de ser chata. — Bella soltou sua mão e passou o braço por sua cintura o abraçando de lado, Edward lhe deu um beijo no alto de sua cabeça.

— É a convivência. — Disse brincalhona.

— Claro. — Edward riu novamente. 

— Mas você não devia está na empresa? 

— Não. — Ele sorriu sem humor.

Eles trilharam entre as árvores até Edward parar de andar fazendo Bella parar automaticamente também. Ele se sentou na grama e puxou Bella para que ela também se sentasse. Eles ficaram se encarando por alguns segundos até Edward suspirar e pegar na mão de Bella que olhou para suas mãos e depois para Edward que a fitava sério.

— Ontem... — Ela começou. —... Onde...?— Ela engoliu em seco.

— Acho que você deve saber que eu não estava na empresa. 

— É! — Ela assentiu como se fosse obvio.

— Eu de última hora decidir ir a outro lugar.

— E você quer compartilhar?

Edward sorriu torto e pegou no bolso de sua calça uma caixinha de veludo preto, depois se ajoelhou à frente de Bella.

— Claro. — Ele soltou a mão dela e abriu a caixinha de veludo revelando um lindo anel de brilhantes. — Isabella Marie Swan, quer casar comigo?

Anel: http://www.polyvore.com/cgi/set?id=39378648&.locale=pt-br 

O coração de Bella estava disparado, seus olhos lacrimejavam e suas mãos tremiam, ela não conseguia pronunciar nada. Ela estava estática, mal conseguia formular um pensamento que fosse; mal conseguia se lembrar de respirar. Não havia palavras que demonstrassem o tamanho de sua felicidade.

Quando conseguiu falar suas palavras nunca haviam soado tão confiantes:

— Quero! É claro que eu quero! — Ela se colocou de joelhos e jogou seus braços ao redor do pescoço de Edward. — Acho que eu não deveria está tão feliz, né? Quer dizer, já que... — Ela o olhou envergonhada e ele pegou sua mão direita e colocou a aliança.

— É claro que você tem que está feliz. Você está se casando comigo. — Disse como se fosse obvio.

— Para de ser arrogante. — Ela disse lhe dando um leve tapa no ombro o fazendo rir.

— Bem, eu fui na joalheria e demorei um pouco e meu celular estava no silencioso. — Explicou-se.

Mas Edward já havia encomendado a aliança, ontem ele foi à joalheria apenas pegá-la e pagar por ela.

— Sério? — Perguntou Bella estreitando os olhos.

— Sério. — Afirmou convicto.

— Promete nunca menti para mim? 

Edward demorou alguns segundos para responder. Havia tantas coisas que ele escondia dela... Tantas, mas ele não podia lhe contar a verdade... Para o seu próprio bem, porém tinha uma que ele podia.

— Prometo. — Ele colocou as mãos em cada lado da face dela e colou suas testas. — Eu tenho que ti contar uma coisa. Bella eu sou... — Antes que ele completasse a frase Bella selou seus lábios em um beijo apaixonante, Edward nada conseguiu fazer a não ser retribuir aquele beijo tão puro e doce.

***

O som dos saltos altos batendo contra a cerâmica branca daquele corredor com paredes da cor marfim chamaram sua atenção e ela olhou rapidamente na direção da mulher morena vestida de verde claro e com uma prancheta em mãos.

— Isabella Swan? — Bella olhou para a mulher e se levantou. — Me acompanhe Srtª Swan. — Bella assentiu e a seguiu pelo corredor em direção a uma de tantas portas onde a mulher de olhos verdes abriu-a e deu espaço para que ela entrasse depois ela fechou a porta dando um leve aceno de cabeça para Bella que retribuiu.

— Srtª Swan. — Uma voz doce chamou sua atenção e ela olhou para frente onde uma linda mulher de cabelos negros e curtos lhe sorria sentada a uma cadeira em frente a uma mesa.

— Me chame apenas de Bella. — Disse estreitando os olhos e lhe devolvendo o sorriso.

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.