15 de nov de 2011

Capitulo 3

Posted by sandry costa On 11/15/2011 1 comment


Acordei cedo, me vesti, e desci, Cristina já colocava meu café a mesa.
-Bom dia Cris!-Disse feliz.
-Bom dia senhorita, como está?
-Muito bem, e a senhora?
-Bem obrigada por perguntar, o que faz acordada tão cedo?
-Nada em especial, vou chegar na escola um pouco mais cedo.
-Quer que eu acorde Srta.Alice e Sra.Isabella?
-Não,não as encomodi, e não se preocupe em chama-las só pelo nome na minha frente, e se quiser pode somente me chamar de Nessie.
-Obrigada ...Nessie.
-Não foi nada, bom eu só vou pegar minha mochila e minha habilitação lá em cima e já vou ok.
-Sim, e não falarei com niguém senhorita.
-Obrigada Cris.
-De nada.-Subi correndo porém quieta, ouvi algo batento, o som vinha do quarto de hospedes, mas logo cessou, desci mais devagar ainda.
-Cris, temos vitas em casa, não sei se é possivel, mas arrume tudo, o mais rapido possivel.
-Claro, pedirei as faxineiras para irem a seu quarto e ao restante assim que todos acordarem.
-Obrigada.-Nossa casa como era mum pouco grande, tinhamos uma governanta e faxineira, ao certo, por que, limpar três andares sozinha niguém merece.
Cheguei na garagem havia mais carros do que eu me lembrava, cinco em total, eu sou diferente em sí, tenho um carro e uma moto, o carro nunca dirigi, papai me daria em meu aniversário, dois meses depois da trajédia, sempre  mantive guardado, mais para não pifar o motor Alice anda nele quando eu deixo...Mas já que é pra ser nova, então, vamos ser...
Entrei dentro do carro, o liguei, ele roncou, é esse carro era lindo, sempre tive gostos para os antigos, carros antigos eram os mais belos e certamente ele era potente, ingatei a ré, fechei a garragem, troquei de macha, acelerei, o pneu dislisou contra o chão, o caminho todo fiquei ouvindo Evanescence, Goind Under, My immortal, entre tantos outros.
Quando cheguei na escola, para ser aquela hora, haviam muitos caros, o que tudo isso fazia aqui a essa hora?Respirei fundo, desliguei o carro que todos observavam, abri a porta, sai, muitas pessoas aparentemente ficaram com a boca em um "O" surpreendente, outras cochichavam, eu sorri, tirei minha mochila de lá, fechei a porta do carro, quando já estava longe pessoas o rodiaram, apertei  botão de alarme, adorei fazer isso, os vidros do carro subiram e suas luzes dianteiras piscaram.
Fui para o prédio da biblioteca, quando cheguei, lá estava deserto, ótimo, melhor ainda, me dirigi para os contos de terror, havia varios livros que cujo nomes nunca ouvi falar, mudei de partileira, aos de mistérios, peguei os dois primeiros livros da série Sherlock Holmes, mudei de partileira, peguei Romeu e Julieta em guerra de gangues, nunca ouvi falar até o momento que assisti o filme, é a história de Romeu e Julieta, nos tempos de guerra, sempre adorei esse filme...Passei para outra partilhe-ira, peguei o livro A cabana, me pareceu legal...O sinal bateu, destetei isso, não fazia nem meia hora que estava ali...
Cheguei ao caixa.
-Cartão do aluno?-Tirei ele do bolso.-Entregar daqui um mês, todos.
-Ok, valeu.-Disse indo pra minha próxima aula...No corredor muitas pessoas me param, perguntando por que o estilo novo, e se sabia de quem era o carro preto, dissia que não sabia de nada.
Entrei não havia ninguém, primeira aula, Biologia.Na contidade que os alunos iam entrando eu me permaneci quieta, o professor chegou, ficou me observando.
-Tem algo de errado?-Perguntei com um tom rude.
-Não...Vamos começar a aula.
Aula de biologia, sendo uma aula de muito interesse, mas uma descepisão aos que a assistem, é surpreendente, parece que a metade da 5° série foi para a 8° série.O sinal bateu meu levantei rápidamente, e quanto o professor nos lembrava de fazer os exercicios da apostila do aluno, bendita apostila dos alunos. 
As aulas foram normais, muitos me olhavam com um olhar surpreso outro com olhar curiso, outros com o olhar espantado.Mas não me importei no intervalo, fui para o refeitório, não ache Lice então sai dali e fui para fora, para a quadra, também estava cheia, e eu queria achar Alice, subi na árvore observando as atividades dos alunos, de longe observei Alice conversando com um garoto, será que ele era o namorado dela?Não dei importacia, ela rodiou o olhar na escola, no patio, peguei meu I-Pod, liguei-o, disquei uma mensagem pra ela
"LiCe,
  Me espere no banco do padio.
 NesSie."
Logo a vi vindo pra cá, ela se sentou eu descedi lhe dar um susto, e pulei da árvore pro chão, ela pulou.
-Oi.-Eu disse sorrindo.
-Quem é você e o que fez com a minha irmã?!-Ela disse me vendo.
-Nada, eu sou a Nessie, Lice, gostou da minha roupa?-A expresão assustada se tranquilizou  e ela sorriu.
-Muito, ficou bem em você.-Ela disse sorrindo.-Melhor do que as estampas floridas.
-Obrigada tampinha.-Mesmo sendo minha irmã mais velha Alice era menor que eu e eu sempre ache engraçado isso.
-Hei!Não fale assim comigo maninha.-Ela sorriu.
-O que aconteceu quando eu estava ausente de casa?
-Muita coisa.-Ela revirou os olhos.-Mamãe está brava com você...-Ela disse triste.
-Não é minha culpa se ela se ofende com a verdade.-Disse me sentando colocando o pé no banco.
-É, mais você foi muito dura, a unica pessoa que conhecia que falava assim com ela era papai, e ela levavá numa boa.
-Acho que eu tenho o genio de papai.
-Conserteza, nossa adorei sua bringadeira!-Ela disse sorrindo.
-Que brincadeira?
-As da camisinha!-Ela riu, eu ri junto.-Como pensou naquilo?!
-Achei camisinhas em cima do quarda roupa da mamãe...E já que sei e eles estavam alegrinhos da silva, pensei que seria uma boa extresar um pouco a mais aos mamãe.-Eu ri.
-Nossa, foi muito engraçado hoje quando eu acordei, eles já estavam tomand café e, eles estavam falando nisso, Edward me perguntou se foi eu, eu fiquei furiosa com ele, e falei: "Se não se lembra, eu cheguei com vocês, e apropósito, foi uma ótima pegadinha.",de pois de uma longa conversa sobre isso, eles falavam muito disgretos, como se eu fosse criança, em um segundo tudo selenciou, e Edward e mamãe falaram juntos "Renesmee".Apesar de estar seu nome no papael acho que não caiu a ficha deles.-Ela revirou os olhos, eu ri.
-Eu disse pra você que a antiga Renesmee não existe mais.-Eu disse.-Falando nisso, eu ouvi umas pessoas falando de um Racha que vai ter de motos...Topa?
-Vai participar?
-Não, por enquanto.
-Topo.
-Então saimos de casa as 11 da noite, hoje.
-Ok, mas e a mamãe?
-Bella estará muito oculpada com seu noivo.
-Como soube?
-Soube de que?
-Você não sabia?Edward pediu mamãe em casamento no jantar.
-É por isso...Bom, pelo menos ela fez algo de bom.
-O que?
-Me deixou em casa.
-É, eu queria ter ficado com você.
-É só você ser uma boa juiza.-Eu pisquei, ela riu.O sinal bateu, e fomos para o resto das nossas aulas.

1 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.