14 de jul de 2012

Capítulo 22 A.Q

Posted by Dany Rocha On 7/14/2012 No comments

Todos os pelos do corpo de Bella se eriçaram com tais palavras pronunciadas por aquela boca tão perto de seu ouvido. 

Seu corpo todo estava em chamas, e ela tinha certeza de uma coisa: precisava aplacar aquele fogo e ninguém melhor para fazer isso se não Edward Cullen, sua perdição particular. 

Edward ainda com um sorriso brincando em seus lábios subiu suas mãos até os ombros de Bella e abaixaram às alças de seu vestido, ele beijou seus ombros e pescoço, depositando uma singela mordida nesse último local, causando sensações inexplicáveis em Bella.

Ela ainda permanecia com as mãos nas costas de Edward quando lembranças invadiram sua mente.

Lembranças no qual ele prometera nunca mentir para ela, lembranças do qual passaram tanto tempo juntos com ele omitindo que era o Sr. Stranger... lembranças de quando ela descobriu a verdade e lembranças dos sentimentos de dor que tal descoberta lhe causou... que Edward lhe causou.

Ela trouxe suas mãos para o peitoral dele e foi o levando em direção a cama, quando as pernas dele encostaram-se a mesma, Bella o empurrou o fazendo bater as costas no estofado macio. A expressão de Edward era de confusão e excitação ao ver Bella retirando sua roupa e salto com um sorriso cruel e carregado de segundas intenções nos lábios vermelhos e tão convidativos. 

Edward arqueou uma sobrancelha e suspirou ao ver Bella apenas com a peça intima cobrindo lhe sua intimidade. Ele se pós de joelhos sobre a cama e puxou Bella pelo braço para ela se aproximar mais dele, depois ele passou um de seus braços pela cintura dela e a puxou para a cama, fazendo conseqüentemente ela cair sobre o corpo dele. Bella deixou cada perna ao lado do corpo de Edward e se inclinou em direção a ele o beijando com volúpia, desejo, raiva, luxuria e paixão, todos os sentimentos que ela sentia naquele momento ela descarregou naquele beijo que envolvia línguas, chupadas e... mordidas. 

Bella roçou seus seios no peitoral de Edward e ele gemeu em sua boca, ela sorriu minimamente e mordeu o lábio inferior dele com tal força que o gosto de sangue se fez presente em sua boca. Ela se separou um pouco da boca de Edward e passou sua língua por cima de seus lábios, limpando o sangue que ali ficou. Um tipo de grunhido escapou pela garganta de Edward com tal imagem. Bella voltou sua atenção para o lábio inferior de Edward e o sugou até fazer o sangue parar de escorrer por algum tempo. 

Edward inverteu as posições e ficou entre as pernas de Bella. Ele passou uma de suas mãos pela coxa dela e ali lhe depositou um forte aperto que foi subindo até chegar a um de seus seios. Ela arqueou as costas e Edward passou a chupar ao seu outro seio, ele lambia, beijava e mordiscava a levando a loucura. 

Ele desceu suas caricias provocativas até o ventre de Bella e ao ficar cara a cara com sua peça intima de renda, um sorriso malicioso surgiu em seus lábios avermelhados. Ele desceu sua mão até o lado direito da peça e a rasgou com violência, fazendo Bella ofegar e olhá-lo com uma expressão de surpresa e excitação. Ele olhou para a feminilidade de Bella e antes de lhe dá toda a atenção ele lhe deu um chupão na barriga e então foi descendo sua boca, descendo, descendo... 

Bella circulou com as pernas as costas de Edward e enfiou seus dedos nos fios de seu cabelo. Ele trabalhava com maestria em seu sexo encharcado a fazendo gemer e hora ou outra a fazendo gritar seu nome. Quando ele a penetrou com a língua, foi o seu fim. Bella mordeu seu lábio inferior e arqueou suas costas. Seu orgasmo escorria entre suas pernas e Edward o tomava como se fosse o mel mais delicioso da face da terra. 

— Acho que conseguimos ti esquentar. — Sua voz era rouca e muito sexy. Ele se ergueu e limpou o canto de sua boca com o dedo e o levou até os lábios entre abertos de Bella. Ele se debruçou sobre ela e colou suas bocas uma na outra. Suas línguas travaram uma batalha onde eles necessitavam ter um vencedor.

Edward passou sua mão esquerda pelo rosto de Bella tirando ali o suor que escorria e depois levou sua mão até suas costas a fazendo arquear as costas e assim invertendo suas posições a colocando por cima de seu corpo ainda coberto pela boxer. 

Bella separou seus lábios dos de Edward e se sentou sobre seu membro que já estava pedindo misericórdia para ser libertado daquela boxer tão apertada. Bella gemeu e Edward colocou suas mãos na cintura dela a pressionando mais para baixo. Ela levou suas duas mãos até o começo do peitoral de Edward e com um sorriso diabólico nos lábios, com tais lembranças de toda dor que ele a lhe causou e com suas unhas extraordinariamente grandes ela o arranhou com tal força que Edward arqueou as costas e travou o maxilar para impedir que um grito de dor e prazer escapasse de sua boca.

Quando as unhas de Bella estavam atravessando o abdômen dele em direção a sua boxer Edward segurou os braços de Bella com força e inverteu suas posições e a jogou na cama com certa brutalidade e prendeu seus braços no alto e fez de suas próprias pernas uma gaiola para as dela. 

— Mordidas, unhadas e sangue. — Ele sussurrou em seu ouvido com a voz séria que fez o corpo de Bella tremer de prazer. — Isso tudo é sua demonstração de amor por mim? — Ele a olhou com os olhos semi cerrados e Bella mordeu o lábio inferior erguendo sua cabeça até a de Edward e passando a língua pelo queixo dele até chegar aos lábios e mordiscando o seu lábio inferior fazendo com que o sangue voltasse a escorrer e fazendo com que Edward gemesse. — Gosta de me provocar, não? 

— Só para o meu prazer. — Rebateu com um sorriso nos lábios. 

Edward arqueou uma sobrancelha e soltou os braços de Bella para arrancar sua boxer do corpo e a jogá-la no chão, seu membro duro apontava em direção ao ventre de Bella que com o toque gemeu e trouxe suas mãos para os cabelos de Edward e o puxou para mais perto e beijou seus lábios mais uma vez com o gosto de sangue impregnado em suas bocas.

Edward separou as pernas de Bella — que fez com que as mesmas ficassem ao redor da cintura dele — e posicionou seu membro em sua entrada ainda mais molhada e quente. Sem muitas delongas ou gentilezas Edward a penetrou e Bella separou seus lábios virando o rosto para o lado e soltando um grito e dor e prazer. Ela ofegou. Edward beijou o pescoço de Bella e ali deixou mais um de suas chupadas. Ele movimentava seu corpo para frente e para trás, e a cada estocada ele aumentava a velocidade. O corpo de Bella parecia um vulcão em erupção prestes a explodir. Ela colocou uma de suas mãos no braço de Edward e a outra ela deixou em sua nuca. Edward sentindo que Bella estava quase chegando ao clímax aumentou a velocidade e a força de suas estocadas até que ambos explodiram em um orgasmo intenso. 

Ofegantes e suados eles ficaram naquela posição por alguns segundos até que Edward saísse de dentro de Bella e sentisse seu peitoral arder e seu lábio voltar a sangrar, ele limpou o lábio com a ponta da língua e travou o maxilar lhe ocorrendo uma idéia. Com as pernas de Bella ainda ao redor de sua cintura ele se levantou da cama e Bella assustada com tal movimento apertou mais o aperto de suas pernas ao redor da cintura de Edward e circulou seu pescoço com seus braços.

— O que...? — Edward abriu a porta do banheiro com uma mão, já que a outra estava apoiando Bella em seu colo e caminhou até a pia que era de concreto e media em torno de 1,10 centímetros, os primeiros 50 centímetros era um local profundo onde havia a torneira da cor prata e os outros 60 centímetros era lisa e havia alguns produtos — condicionador, shampoo e sabonete liquido — e que logo foram derrubados por Edward que colocou Bella sentada sobre esse local e voltou a lhe beijar com voracidade. Bella passou suas mãos pelos ombros de Edward e depois as passou por sua nuca e costas voltando a percorrer o mesmo caminho.

Edward passou suas mãos pelas coxas de Bella dando fortes apertos a fazendo gemer em sua boca, suas mãos másculas subiram por sua cintura, quadril, barriga e seios, e por onde passava ele apertava lhe deixando marcada. Bella apertou suas pernas mais ao redor da cintura de Edward e esse último a levantou da pia e a jogou contra a parede.

— Filho da... — Bella ofegou pelo contato gélido da parede contra sua pele quente e pela dor da força que Edward a jogou.

Bella não pôde terminar de insultá-lo, pois os lábios dele logo estavam lá novamente a atacando. 

Ela foi soltando suas pernas ao redor da cintura dele e as colocou no chão. Ela passou suas mãos pelo peitoral dele, mas ele logo segurou as mãos dela no alto da parede e separou seus lábios.

— Lembre-me de cortar suas unhas. — Disse contra o pescoço dela. Bella riu discretamente. 

— Não vou ti machucar, só quero ti tocar. — Edward a olhou e sorriu torto soltando os braços dela lentamente. Bella devolveu o sorriso e levou suas mãos até o peitoral dele onde no mesmo local ela arranhou. Edward olhou pra cima exclamando todos os palavrões de seu rico vocabulário e se separando de Bella.

Ele ofegou olhando para seu peitoral e vendo o vermelho róseo ficar vermelho sangue. 

— Porra, Bella! — Ele ofegou sentindo aquilo arder de uma forma dolorosa. 

Bella por uma momento sentiu pena dele, apenas por um momento, um curto momento. 

Ela se desencostou da parede e caminhou até o box do banheiro onde ligou o chuveiro e a água morna escorreu por seu corpo dolorido. Após alguns segundos debaixo do chuveiro ela saiu e voltou para onde Edward estava — de frente para o espelho estudando seu peitoral — e chegando por trás dele ela circulou seus braços ao redor da cintura dele e foi descendo sua mão até o membro dele.

— Bella. — Edward suspirou. 

— Não vou me desculpar. — Disse com um sorriso brincando em seus lábios e olhando Edward pelo espelho. Ele sorriu em resposta.

— Eu não esperava que você se desculpasse. — Ele se virou para ela e Bella ficou na ponta dos pés e lhe beijou os lábios gentilmente, o primeiro beijo da noite trocado entre eles que não continha nada há mais do que apenas suavidade, gentileza e amor.

Eles caminharam — ainda com seus lábios colados — em direção ao box e entraram debaixo do chuveiro. Edward acariciou o corpo de Bella e ela se separou dele o olhando nos olhos.

— Desculpa? — Edward pediu. 

Bella jogou de ombros.

— Não se preocupe já estou acostumada em ter hematomas espalhados pelo meu corpo, eles não demoram muito para desaparecerem. — Disse e circulou o pescoço dele com os braços. Ele sorriu e olhou para baixo, depois para ela novamente.

— Não me referia a isso. — Suspirou. — Sobre... eu ter mentido. — A olhou sério e Bella ficou em silencio por alguns segundos e quando ia lhe responder eles ouviram alguém batendo na porta. 

Eles se entre olharam confusos. 

— Quem pode ser à uma hora dessas? — Bella perguntou enquanto saia do box e pegava um roupão que tinha atrás da porta do banheiro. — Já volto. 

— Tudo bem. — Edward assentiu.

Bella saiu do banheiro e atravessou o quarto para abrir a porta e quando a abriu, teve uma surpresa miserável. 

— Alexa Queen? 

http://smallville.otavo.tv/wp-content/uploads/040310_1221_SmallvilleS1.png 

Flashback On

Bella sorriu um pouco triste, pois se lembrara de Renée. Sua mãe na qual morreu quando tinha apenas 14 anos de idade, a causa da morte? Bella não gostava de comentar e de tão pouco se recordar, pois lhe enchia de repulsa. 

Naquela época ela tinha a decisão de escolher entre ficar com seu pai Charlie ou com a chefe e amiga de sua mãe, Alexa Queen, mas Bella queria se manter afastada de Alexa, não a levem a mal, Bella gostava dela, mas ela queria que Bella fosse uma coisa que estava totalmente fora de cogitação.

Apesar de Bella ter sido criada desde sempre para se tornar o que sua mãe era ela não queria e simplesmente apagou toda sua vida que teve ao lado de Renée iniciando uma nova vida ao lado de Charlie, apenas o xerife da pacata cidade no interior de Washington, Forks, que não tinha a vida tão agitada quanto a falecida Renée.


Flashback Off

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.