14 de jul de 2012

Capítulo 27 Mudança de estratégia

Posted by Dany Rocha On 7/14/2012 No comments

Uma retorcida paisagem estendia-se ante Bella e Edward, árida e escura, ainda era madrugada e os raios de sol davam a entender que não iriam surgir tão breve. Um vento gélido soprava através do lugar deserto agitando a poeira em brilhantes redemoinhos. 

— Tem certeza que estamos no lugar certo Edward? — Bella perguntou franzindo a testa e olhando ao redor. Aquele lugar era estranho e amedrontador a seu ver. 

— Sim. — A olhou com um ar de zombaria. — Por que Isabella? Está com medo? — Puxou uma corda que segurava em suas mãos, trazendo Alec e Jane amarrados aos pulsos.

— Não estou com medo, apenas duvidando de que seja esse mesmo o lugar. — Desviou sua atenção de Edward voltando a olhar ao redor. Aquele lugar era realmente deserto, não havia simplesmente nada ali, a não ser um infinito de quilômetros para se seguir em uma caminhada cansativa e interminável. 

— Não se preocupe, não vamos andar isso tudo, daqui a pouco o reforço chega em um helicóptero e voltaremos para NY com esses bebês. — Disse referindo-se a Alec e Jane que continuavam caminhando atrás deles e permaneciam calados, apenas com expressões infelizes nos rostos. 

— Não estou com um bom pressentimento... — Comentou abraçando seu próprio corpo. O vento cortante castigava suas maças do rosto as deixando paralisadas pelo frio.

— Bella não tem o que temer, Eleazar nos informou que nos buscaria por aqui, não tem motivos para se preocupar... — Edward foi interrompido por um barulho que vinha sobre suas cabeças. — Eu não disse? — Eles olharam para cima e constataram um helicóptero preto com detalhes em verde musgo sendo pilotado por Eleazar.

Os a brisa e os redemoinhos aumentaram fazendo com que os quatro sobre a superfície protegessem seus olhos. Após o helicóptero pousar ele foi desligado e Eleazar pulou dele ficando de frente para os quatro. Edward franziu o cenho.

— Por que desligou o helicóptero? Já não estamos partindo para interrogarmos esses garotos e fazer com que eles nos digam onde está a chave? — Edward semicerrou os olhos e se aproximou de Eleazar entregando a corda que segurava e prendia os Volturi a Bella.

— Na verdade aconteceu uma mudança de planos. — Eleazar falou com um sorriso sinistro nos lábios. Ele retirou uma pistola de dardos tranqüilizantes de sua cintura e mirou em Edward, ele arregalou os olhos em surpresa e antes que pudesse falar ou fazer alguma coisa seu corpo foi ao chão e a escuridão lhe tomou por completo após ouvir o grito de Bella que em questões de estantes estava caída ao seu lado também.

— Segundo passo: Pegá-los. — Alec disse com a voz carregada de sarcasmo.

— Concluído. — Jane com sua voz de sinos se prontificou a participar da ironia de palavras de seu irmão.

***

Sua cabeça latejava e seus olhos protestaram em sua tentativa frustrada de abri-los. Onde estava?

Todo seu corpo estava dolorido e ele não conseguia pensar com coesão. 

Finalmente após algum tempo deitado sobre algo duro — metal — ele conseguiu abrir os olhos e se deparou com uma lâmpada que proporcionava pouca luz ao ambiente, não o permitindo enxerga muita coisa além de um quarto revestido com paredes de vidros e um chão de metal, o mesmo metal usado em sua “cama”. Ele se levantou e sentou-se com o cotovelo direito apoiado no joelho e a mão segurando sua cabeça que doía mais do que qualquer parte de seu corpo. 

De repente as coisas começaram a fazer sentido em sua cabeça e lembranças de que Eleazar o atacou surgiu em sua mente com nitidez. Mas ele não entendia. Por que Eleazar o atacou e a... BELLA!

Ele se levantou rapidamente e olhou ao redor em uma busca fracassada de achar Bella naquele lugar, mas ela não estava ali, porem ele olhou através da parede de vidro — ao seu lado direito — e a encontrou na cela ao lado. Ele correu até a parede e bateu nela com os punhos fechados tentando de alguma forma quebrá-los e alcançá-la, mas o vidro era mais resistente do que imaginara e acabou por machucar as mãos, embora ele não se importasse com a dor, não quando Bella estava desacordada a uma distancia mínima dele, a uma distancia na qual ele não conseguia ultrapassar. Ele estava desolado, sua cabeça ainda era uma verdadeira confusão, ele não entendia o motivo pelo qual Eleazar — seu amigo e parceiros de longos anos — o havia traído. Caramba! Como ele fora capaz disso? Edward só sabia de duas coisas, primeira, ele teria que tirar Bella dali o mais rápido possível e segundo, quando encontrasse Eleazar, ah, era bom ele correr por que ninguém trai Edward Cullen e sai impune dessa maneira.

Movimentos sorrateiros do outro lado do vidro chamou a atenção de Edward e ele logo espalmou suas mãos no vidro em uma tentativa de poder tocá-la. Ele esperou até que ela tomasse consciência do que estava acontecendo e então ela se pós de pé olhando para o lado e se deparando com ele. 

Bella estava perdida, diria que mais perdida do que o próprio Edward. Em uma hora estava naquele lugar totalmente afastado da civilização prestes a voltar para NY naquele helicóptero e agora estava presa em um quarto de vidro tendo como companheiro de cela Edward. Sua cabeça estava um turbilhão de pensamentos, pensamentos desconexos e sem coerência alguma. Ela caminhou em direção a parede que a separava de Edward e assim como ele colocou suas mãos na parede como se quisesse o tocar.

— Onde estamos? — Bella perguntou com a voz um pouco rouca, ela pigarreou para que suas cordas vocais funcionassem melhor.

A voz dela era um pouco abafada pelo vidro, mas Edward conseguia a escutar.

— Eu não sei, mas você está bem? — Perguntou preocupado.

— Acho que sim, apenas com a minha cabeça doendo e minhas costas doloridas, mas bem e você? — Dessa vez sua voz saiu mais a normalizada do que antes. 

— Estou dolorido também, mas bem, afinal. — Edward passou as mãos pelo cabelo como se pensasse em uma forma de sair daquele lugar que não emanava coisas boas. E bem, por falar em coisas não boas...

— Vejam se os pombinhos não acordaram. Finalmente. — A voz irritante de Aro Volturi fez eco na cabeça de Edward e Bella, fazendo com que ambos virassem o rosto para o lado e se deparassem com aquele ser de pele pálida, quase translúcida, cabelo longo e preto como se fosse um manto. Ele trajava uma roupa toda preta e social.

— Por um estante achei que tivesse colocado tranqüilizante demais naqueles dardos. — Eleazar disse soando com tom de zombaria que apenas enfureceu mais Edward, ele caminhou em direção a parede de vidro — onde se encontrava Aro e Eleazar do outro lado — e a socou com toda sua força.

— Seu desgraçado! O que você está fazendo seu merda? Traíra miserável! — Edward o insultava sem parar despejando socos na parede.

— Acho que é verdade quando dizem que as pessoas ficam de mau humor ao acordarem. — Aro fez piada e Eleazar gargalhou se divertindo com a situação. — Obrigado, meu caro, você foi de grande importância em nossos planos. — Aro disse a Eleazar.

— Não precisa agradecer mestre. — Eleazar fez uma reverencia perante a Aro. 

— Mestre? Você é um verme Denali! Espere só até eu sair daqui seu filho da puta! Você vai me pagar! ESCUTOU BEM? — Edward socou mais uma vez a parede.

— Edward! — Bella o chamou o fazendo a olhar. Ela pôde enxergar nos olhos dele a raiva e repulsa que ele sentia. — Acalme-se. — Pediu séria.

— Acho que a senhorita Swan tem toda a razão Cullen, acalme-se. — Bella caminhou em direção a parede onde Aro e Eleazar se encontrava. 

— Senhora Cullen! — Corrigiu a Aro bruscamente. — Edward não será o único a quebrar a cara de um quando conseguirmos sair daqui Aro! Prepara-se para o pior! Você é tão covarde que colocou essa parede de vidro só para manter-nos longe de você não é mesmo? Mas isso não me surpreende, todo Volturi é e sempre será um COVARDE! — Foi à vez de Bella esmurrar a parede.

— Ah, sim. — Aro colocou uma mão no queixo e voltou-se para Bella. — Senhora Cullen. — Refletiu por alguns estantes. — Por mais que você tenha trocado de sobrenome não significa que você deixará de ser uma Swan, Isabella, lembre-se assim como todo Volturi é covarde, toda Swan é fracassada e é exatamente isso que você é. — Disse calmamente deixando-a mais enfurecida ainda.

— Somos tão fracassadas que uma Swan destruiu seu brinquedinho não é? — Arqueou uma sobrancelha e travou o maxilar.

— Brinquedinho que a propósito em poucas horas irei finalizá-lo com a chave que sua falecida mãe fez o favor de nos roubar. Então, quando tudo estiver pronto, vocês dois — Aro apontou de Bella para Edward — serão minhas cobaias e eu terei o domínio da mente de ambos. — Sorriu vitorioso.

— Jamais! Você pode se sentir vitorioso nesses poucos estantes, mas em breve você será o derrotado e estará atrás das grades, lugar de onde você nunca devia ter saído! — Edward gritou com a voz carregada de ira.

— Escute bem Cullen, tenho capacidades estrondosas para estarem sendo desperdiçada em uma cela. — Aro se virou para Eleazar. — E você meu caro, como estava dizendo você foi de grande utilidade para nosso plano ao dizer onde encontrar Isabella quando ela fora a Forks e ao planejar que Jane e Alec fossem até Veneza para se tornarem iscas desses dois — se voltou para Bella e Edward novamente — seres magníficos. — Aro gargalhou e Edward trincou os dentes praguejando Eleazar em seus pensamentos. Seu coração martelava de tanta raiva.

***

Há quanto tempo estavam ali sentados encostados a parede de vidro um de costas para o outro? Eles não faziam idéia. Estavam perturbados demais pela a armadilha que caíram. Como puderam achar que seria tão fácil assim capturar Jane e Alec Volturi? Foram descuidados. E Eleazar, ah, Eleazar iria pagar muito caro pelo o que tinha feito. Edward faria questão de fazê-lo pagar com suas próprias mãos. 

— Edward. — Bella o chamou. Ela estava sentindo tanto ódio dos Volturi que não conseguia pensar em nada a não ser em acabar com eles dolorosamente e da maneira mais lenta que existisse.

— Sim? — Virou o rosto para olhá-la.

— Estamos em Volterra. — Comentou percebendo no monitor do enorme computador — que ficava do lado de fora das celas — a bandeira da cidade.

— Eu sei. — Disse em um lamento.

— Como vamos sair daqui? — Perguntou virando seu corpo para ele. Edward fez o mesmo ficando frente a frente com ela. 

— Não faço idéia, ainda estou pensando em como matar Eleazar. — Suspirou e passou uma de suas mãos pelos fios desgrenhados de seu cabelo.

— Temos que ter algo para quebrar ou cortar essas paredes. — Bella socou o vidro a sua frente frustrada.

— Essas paredes são caras, não deviam estragar as propriedades dos outros. — A voz de Eleazar chamou a atenção dos dois e eles se levantaram caminhando até a outra extensão da parede e ficando de frente para ele.

— Eleazar desapareça daqui! — Edward disse com os olhos semicerrados. 

— Mas como vocês querem que eu os tire daí se você está me mandando sair... chefinho? — De raiva a expressão de Edward passou para confusa, assim como a de Bella.

— O que...? — Bella perguntou alarmada e sua cabeça voltou a latejar não a deixando pensar direito.

— Cullen — Eleazar balançou a cabeça negativamente. — achou mesmo que eu iria me submeter aos Volturi? Você insulta minha dignidade e fidelidade para com a CIA de NY. — Eleazar cruzou os braços sobre o peito. 

— Do que você está falando? — Edward franziu o cenho já impaciente.

— Há algum tempo me infiltrei nos Volturi e fingir lealdade a eles, dando lhes informações sobre a CIA, mas na verdade estava apenas fazendo o inverso contando para Alexa sobre os passos dos deles. — Explicou-se.

— E por que vocês não me falaram sobre isso? — Perguntou raivoso.

— Ela preferiu que você não soubesse. — Respondeu sereno.

— Inferno! — Voltou a socar a parede. Detestava ficar por fora das coisas.

— E a propósito, obrigado pelos elogios mais cedo. — Eleazar ainda teve a audácia de provocá-lo.

— Seu cretino se você não me tirar daqui imediatamente você nunca mais verá a luz do sol. — Edward grunhiu.

— Calma, calma. — Eleazar revirou os olhos e enquanto digitava alguns códigos em um aparelho imantado em uma parede — também de metal do lado oposto da cela de Bella e Edward — para soltá-los dizia: — Alexa está vindo para cá com reforço, ela estava esperando o momento apropriado para capturá-los o que em outras palavras quer dizer: agora. — As paredes de vidro foram abertas e Bella e Edward saíram caminhando em direção a Eleazar.

— Onde estão os Volturi? — Bella perguntou semicerrando os olhos e com as mãos fechados em punho ao lado de sua silhueta. 

Algumas salvas de palmas vindas do outro lado da enorme sala revestida em metal chamaram a atenção dos três agentes. Aro batia palmas enquanto adentrava com um sorriso na face.

— Devia saber que uma vez agente da CIA sempre agente da CIA. — Ao lado de Aro estavam Caius, Marcus, Demetri, Felix, Alec e Jane. — Meus parabéns Denali, conseguiu nos enganar com verdadeira perfeição. — Aro desfez o sorriso e estreitou os olhos. — Avancem. — Ordenou ao resto dos Volturi que caminharam a passos largos em direção a Bella, Edward e Eleazar.

Os passos eram firmes e pesados sobre o piso de metal. Por breve estantes Bella sentiu o medo atravessar sua espinha, mas tal sentimento logo se dissipou dando lugar a raiva. 

— Você sabe...? — Edward deixou a pergunta no ar.

Bella o olhou com reprovação por ele desconfiar de seu talento nas artes marciais. 

— Melhor que você se duvidar. — Respondeu com os olhos se voltando para os Volturi que se aproximavam. 

— Uhhh. Estou sentindo cheiro de competição. — Eleazar provocou. — Será mesmo que a patroa é melhor que você, Edward? — Sorriu para esse último mencionado com zombaria.

— Agora não é hora Eleazar. — Repreendeu Edward no mesmo estante em que Demetri avançou contra ele e ambos começaram a rolar pelo chão.

Eleazar que até pouco tempo atrás estava distraído olhando para Edward e Demetri começara a se defender dos golpes de Marcus e Caius.

Bella olhou rapidamente para seus parceiros que estavam ocupados e voltou sua atenção para os outros Volturi que a cercava. Felix, Alec e Jane. Ela olhou para cada um de seus rostos e puxou seus lábios em um sorriso.

— Três contra um. — Comentou.

— Acha que não consegue? — Alec perguntou com uma sobrancelha arqueada.

— Ela simplesmente não consegue. — Jane rebateu sorrindo para seu irmão e para Felix. Bella travou o maxilar e fechou as mãos em punhos e correu em direção à figura pequena de Jane.

Edward conseguindo ficar por cima de Demetri — que segundos atrás ainda rolavam pelo chão — distribuiu por sua face vários socos carregados de força e de raiva. Demetri conseguiu detê-lo fazendo com que cessasse os socos e o empurrou, Edward tombou para trás batendo a cabeça no piso e soltou um gemido de dor e antes que pudesse se levantar e contra atacar, Demetri já estava de pé e lhe chutava as costelas. 

Eleazar correu em direção a uma mesa onde se encontrava o teclado e o mouse do computador e pegou sua pistola de dardos tranqüilizantes — a mesma usada contra Bella e Edward essa madrugada — e a mirou na direção de Marcus e Caius que estavam logo atrás dele, ambos caíram ao chão no mesmo estante, desacordados. Eleazar olhou na direção de Edward que ainda estava no chão sendo chutado por Demetri e antes que ele atirasse nesse último, Felix surgiu ao seu lado e lhe deu uma tapa na face que o fez rodar e cair ao chão; a arma foi parar longe.

Eleazar se levantou sentindo o gosto de sangue em sua boca, ele correu até Felix e saltou no ar lhe dando um chute no queixo e depois caiu em pé no chão com os joelhos dobrados. Felix cambaleou um pouco para trás e Eleazar aproveitou aquele momento de descuido do Volturi e começou a distribuir socos em seu estomago e tórax. 

Bella havia traçado uma batalha com Jane, porém Alec se intrometeu e a puxou pelos ombros e lhe deu uma joelhada certeira em suas costas. Ela ofegou caindo ao chão de quatro. Jane se aproveitando chutou-a na face e Bella caiu para trás batendo as costas no piso de metal; ela grunhiu de dor. Após alguns segundos ela voltou a se colocar de pé e endireitou seu corpo colocando a perna direita à frente e a esquerda atrás, flexionou os joelhos e trouxe seus braços para frente dobrando os cotovelos. Com a mão direita ela chamou Alec para que eles pudessem dar inicio a um novo confronto e ele sem delongas correu até ela lhe chutando as costelas, mas ela desviou buscando sua perna ainda no ar e a puxou fazendo com que o mesmo caísse no chão. 

Jane travou o maxilar e levou o pulso fechado em direção ao rosto de Bella, porem ela se abaixou e deu uma rasteira em Jane a fazendo cair ao lado de seu irmão. Antes que eles se levantassem Bella correu em direção a Edward e saltou em cima de Demetri o levando ao chão.

— Foi incrível ver sua mãe morrer, mas creio eu que nada se superar a sua morte Isabella. — Demetri a puxou pelos ombros e inverteu suas posições, ficando por cima dela.

— Espero que você tenha em memória a morte de minha mãe por que a morte dela foi à única de um Swan que você pôde presenciar. — Bella chutou seu órgão genital e Demetri praguejou, ela aproveitou e voltou a trocar suas posições e se levantou distribuindo chutes em várias partes de seu corpo. 

— Até não poderei presenciar sua morte... — Demetri dizia entre ofegos e gemidos de dor. —..., mas fora você ainda há um Swan. — Demetri sorriu deixando a mostra seus dentes sujos de sangue. — Seu pai! — Disse com a voz alterada e mais alta.

As vistas de Bella ficaram vermelhas e ela não conseguia enxergar mais nada a sua frente, ela sentia apenas o ódio daquele ser desprezível no chão a sucumbir. Ela se agachou até ele e retirou de sua cintura uma arma, ela a mirou na cabeça dele, mas antes que ela fizesse qualquer coisa Edward surgiu a sua frente — do outro lado do corpo de Demetri — e colocou a mão em seu ombro.

— Bella. — Ele a chamou e ela travou o maxilar depois fechou os olhos e suspirou se levantando. Ela ia dizer algo, mas Jane surgiu atrás dela e Edward correu segurando a perna da loura que havia mirado nas costelas de sua esposa e a empurrou para trás, Jane cambaleou e logo voltou distribuindo golpes contra Edward. 

Bella se virou para trás e viu que Eleazar ainda lutava com Felix e quando voltou a olhar para frente se deparou com Alec e a surpresa a fez apertar o gatilho da arma. O barulho ecoou pelo lugar chamando a atenção de Eleazar que se virou para olhá-la e nesse mesmo momento Felix lhe chutou no estomago. 

Alec caiu de joelhos ao chão com a mão no ombro e em seguida caiu para trás. Bella apenas se virou e seus olhos correram o local à procura de Aro, mas ele não estava por ali. 

Edward se defendia mais do que atacava, pois mesmo Jane sendo uma Volturi ela era apenas uma garotinha e... Uma mulher. Edward estava um pouco sem jeito para lhe machucar até que Bella apareceu atrás dela e deu uma coronhada com a arma que a fez cair no chão desacordada. 

— Da próxima vez você pega a garota e eu pego o garoto. — Edward disse passando a mão pelos fios de seu cabelo.

— Claro. — Bella disse balançando a cabeça negativamente e com um sorriso brincando em seus lábios.

— Vamos ajudar Eleazar. — Edward disse se preparando para ir em direção ao Denali.

— Vai você, eu vou atrás de Aro. — Bella disse indo na direção contraria da de Edward.

— Não! — Edward disse retornando e puxando o braço dela. — Você não vai a lugar algum. — Ele tomou a sua arma. — Vai ficar aqui e ajudar Eleazar.

— Edward, não começa. — O repreendeu e tentou puxar seu braço, mas Edward não a soltou.

— Não está em condições de me negar nada Isabella, eu sou o líder desse time e você tem que obedecer as minhas ordens, deixe de ser cabeça dura, já se provou valente o suficiente. — Ele a olhou nos olhos com intensidade. — Vai ajudar Eleazar. — Ele a soltou e correu na direção em que ela ia pouco tempo atrás.

— Edward! — Bella gritou, mas ele não lhe deu ouvidos.

Bella estava com raiva por Edward não a deixar ir, mas ao ouvir um grito de dor de Eleazar — ela logo livrou sua mente com pensamentos de torturar seu marido — e correu até ele. Felix estava com agente erguido sobre sua cabeça, sua mão direta segurava suas pernas e a esquerda sua nuca, ele o esticava dolorosamente. Bella chutou suas costelas e isso fez com que Felix se desequilibrasse e soltasse Eleazar no chão.

Felix se virou na direção de Bella e a puxou pelo cabelo a erguendo do chão. Ele era enorme e fez com que ela ficasse a sua altura, as pernas dela batiam aproximadamente em suas coxas. Ela travou o maxilar para impedir que um grito de dor escapasse por entre seus lábios e dobrou seu joelho o batendo com força no estomago de Felix, ele logo a soltou jogando-a contra o monitor e em seguida ela sentiu o impacto do chão contra seu corpo. Eleazar estava desacordado o que significava que ela teria que lidar com aquele armário sozinha. Ela puxou seu corpo para frente conseguindo se sentar e colocou a mão na testa e ao olhar para sua mão notara que estava sangrando, sem chances de deixá-la ter alguma reação ou pensamento perante a isso Felix estava ali novamente e a puxou pela perna.

Bella via a paisagem ao seu redor embaçada e sem nexo algum, sua mente rodava e latejava, seu cabelo esvoaçava em sua face e o aperto em sua perna tornou-se inexistente e ela voou, literalmente, pela enorme sala e sentiu o forte impacto da parede contra seu corpo. Após alguns segundos com os olhos fechados ela sentiu as mãos de Felix em seu pescoço, ele a ergueu novamente do chão. Ela estava sufocada, aquela sensação era horrível, ela abriu os olhos e se deparou com o sorriso diabólico dele a sua frente. Ela se debatia, mas de nada valia seus esforços, suas vistas já estavam escurecendo quando ela ouviu um disparo e o aperto em seu pescoço afrouxar-se a fazendo cair novamente no chão e ao seu lado o corpo de Felix com uma ferida próxima a seu peito, talvez tivesse sido exatamente em seu peito, ela não tinha certeza.

— Isabella! — Ela ouviu a voz da destemida mulher morena beirando os 55 anos de idade. 

Seus pensamentos estavam uma bagunça, mas a única coisa na qual ela conseguia se lembrar era o par de orbitas esverdeadas, os mesmos olhos que a não deixavam cair na escuridão total de uma vez por todas.

Ela sentiu mãos em seus ombros e se encolheu com o toque. Todo seu corpo doía.

— Isabella, você está bem? — Alexa perguntou preocupada e Bella abriu os olhos e aos poucos ela ia conseguindo tomar o controle de seus sentidos novamente. 

— Edward. — Soltou um longo suspiros após dizer seu nome. Ela levou uma de suas mãos à cabeça e Alexa a ajudou a se sentar. — Edward foi atrás de Aro, temos que ajudá-lo. — Ela olhou ao redor e viu que vários agentes estavam presentes ali.

— Já mandei irem à busca deles, não se preocupe, vamos. Consegue caminhar? — Bella apenas assentiu.

Alexa a ajudou a se sentar em uma cadeira e depois se sentou de frente para ela.

— Por que não nos contou sobre Eleazar? — Bella perguntou sem retirar a mão da cabeça. Doía como nunca.

— Não achei apropriado. — Respondeu apenas e depois de algum tempo acrescentou: — Achei que se vocês soubessem não iriam agir de maneira na qual Aro ficasse absolutamente certo de que a fidelidade de Eleazar fosse verdadeira. — Ela colocou a mão sobre a perna de Bella. — Se vocês soubessem Aro podia desconfiar, ele é esperto... bem, não o bastante já que conseguimos o pegar. — Disse olhando em direção a entrada onde alguns agentes o traziam e logo atrás Edward vinha arrastando uma perna e uma mão levada às costelas.

Seus olhares se encontraram e Bella sorriu automaticamente. Era bom vê-lo inteiro, vê-lo bem... vê-lo vivo! O coração dela se inflou de alegria e ela se levantou prestes a correr até ele e o abraçar, mas aconteceu algo fatídico que fez com que as coisas ocorressem em câmera lenta. Bella perdeu uma batida de seu coração e o grito ficou entalado em sua garganta.

Aro, de alguma forma, conseguira se esquivar dos braços dos agentes e pegar a arma que estava na cintura de um deles, ele mirou na direção de Edward e em seguida... apertou o gatilho. 

— NÃO! — Bella conseguiu soltar o grito preso em sua garganta, mas já era tarde e de nada ajudaria, pois o corpo dele já estava caído ao chão. O corpo de Edward Cullen, o homem que ela amava com todas as suas forças estava caído e sangrando sobre o piso de metal!

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.