8 de fev de 2011

Capitulo 21

Posted by sandry costa On 2/08/2011 1 comment



Novo Anjo.

Capitulo 21

Um bom tempo havia se passado e eu não me cansava dele.
Certa vez caçávamos na região quando nos deparamos com um cheiro um tanto pelicular.
Humano; mas não era um qualquer, tinha um misto de vampiro no sangue.

Híbrido?
Não era.
Corremos em direção ao cheiro e para surpresa havistamos um jovem moça de uns 20 anos carregando uma enorme barriga.
Ela estava sangrando, palida e toda suja.
Rapidamente fui em sua direção.
Que não exitou em se afastar.
-Me ajudem;
Foi só o que pode falar antes de cair.
EJ pegou no colo e correu em direção a casa, mas a jovem começou a se contorcer em seu colo.
-Me solte.
Ela gritou e nos fez parar.
Assim que paramos ela vomitou.
Quando terminou de colocar td para fora ela nos encarou incrédula.
-Também são vampiros?
Pelo também eu não esperava.
-Como assim também.
Ela suspirou e disse.
-A criança que espero tem um pai da mesma raça que a de vocês.
Gelamos assim que terminamos de ouvir suas palavras.
-Como?
Tanto Ej como eu estávamos em choque, se é que ficamos em choque.
-Estava vinda do trabalho quando quis cortar caminho passando por um beco mal iluminado, vejo um homem vindo em minha direção, então tento voltar para a avenida principal.Mas antes que pudesse eu estavas sendo arremessada contra um lixo que havia no local.
Rapidamente o homem estava em cima de mim tirando minhas vestes.
Foi horrível ele me violentou a sangue frio.
Antes que caísse inerte ele me disse o que ele era.E que havia mais dele por ai, disse também que os Cullens o pagaria.
Não quis pretas denuncia, então  quando voltei um onda de nauseias me invadiu.
Na mesma semana percebi que minha menstruação estava atrasada, e que tinha um leve ondulação em minha barriga, comprei aqueles testes de farmácia e fiz, não deu nada que num esperasse.
Num podia correr para o hospital, pois sabia que matariam meu filho.
Então  conversei com minha tia que me aconselhou vir falar com os Cullens, vocês por acaso não conhecem,...

-Somos um dos Cullens.
Ela suspirou e sentou na pedra próxima.
-pelos meus cálculos nascera daqui algumas horas.
Olhamos a mulher incrédula.
-Como assim?
-Minha tia disse que ouve um caso em sua família e que não passou de 2 semanas, já estou na 2/ semana..amanhã começa a 3° e já aparenta 9 meses.
Isso não podia negar.
-Vem levaremos ate  meu biso que é medico.
-Ela não pode correr.Ela passa mal.
-Então vou chamar ele, fica com ela.
Assenti e ele sumiu entre as árvores.
A moça deu um grito que me deu um susto.
-Não vai dar tempo..Vai nascer.
Uma onda de nervosismo passou por mim.
-o..que vamos fa fazer?
-Não sei...
Ela gritava tão forte não sabia de onde vinha tanta força pra isso.
Percebi que entre suas pernas sai um liquido vistoso.
Prendi a respiração e encarei  a pior  cena já vista.
Tirei sua roupa intima me surpreendi com aquilo.
Ela estava sendo rasgada pela criança.
-Tira daí.
Era so o que ela gritava.
A criança morreria se não saísse.
Rasguei um pouco de sua pele, e ela gritou mais ainda.
Pude ver os Cabelos amarelos.
-Faz força.
Gritei a ela que já não tinha tanta força.
-Ta saindo.
Consegui ver sua cabeça inteira em minha mão.
Onde ta Carlisle a essa hora.
Com a respiração ainda presa, consegui tirar a cabeça do bebe.
Senti o corpo da mulher ficar cada vez mais fraco.
Ela tremia tanto que me fez sentir medo.
-Eu vou injectar meu veneno em você.
-Não quero morrer, não quero me transformar.
-Mas..
-Só promete que vai cuidar da Angelinne com se fosse sua filha.
Continue a tentar tira-la de La.
Finalmente consegui.
E quando fiz o coração já fraco de melissa parou brutalmente de bater.
Finalmente pude respirar e com isso sentir vários aromas me invadir.
-Agora que vocês chegam?
Disse assim que avistei todos os Cullens ao meu redor.
Carlisle passou para meu lado e sentiu muito por não poder ter feito nada.
Esme logo pegou a criança que chorava.
Ela e as mulheres correram para casa levando e  mais nova Cullen.
Os homens  fizeram um buraco onde coloraram Melissa.Um enterro improvisado, já que não sabíamos nada dela.
Assim que voltamos para casa um par de safiras me encarava.
Um sorriso brotou de seus lindos lábios rosados.
-Oi Angelinne.
-do que você a chamou?
Rosalie perguntou incrédula.
-Angelinne, Melissa a chamou assim antes de ..
Engoli em seco, era incrível  o amor que tinha por ela, mesmo tendo conhecido hoje.
Subi para meu quarto e me joguei na minha cama.
Tantos pensamentos me vinheram a cabeça, tantas coisas eu havia feito, acabara de fazer um parto.
Respirei fundo novamente. 
Tinha que seguir em frente, seria mãe agora, quer dizer...

Nunca pensei que pudesse ter um bebe, e quando fiquei nessa condição perdi as esperanças.

1 comentários:

Meus parabéns esta lindo, perfeito ameii cada palavra
que bom que vc deu a ela essa oportunidade.
QUERO MAIS

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.