15 de fev de 2011

Capitulo 21

Posted by sandry costa On 2/15/2011 2 comments


Lentamente e com um sorriso plantado em meus lábios eu acordei, senti uma respiração quente em meu pescoço e recordei as minhas ultimas horas, eu senti minhas bochechas aquecerem e deliberadamente abri meus olhos, notei que Jake havia me puxado, agora eu repousava em seu peito nu, e senti seus braços quentes ao meu redor de uma maneira protetora, eu senti meu corpo um pouco dolorido mas eu sabia que logo passaria.
            Olhei para o lado constatando o obvio, nós ainda estávamos naquela cabana e para o meu pavor já havia escurecido.
            Jake ainda dormia serenamente, com um meio sorriso em seus lábios, eu fiquei com pena de acordá-lo, mas nós precisávamos ir.
            Por um minuto inteiro eu fiquei ali antes de acordá-lo, eu fitei eu rosto sereno, sua pele bronzeada, inspirei fundo sentindo seu cheiro amadeirado que eu tanto amava e a certeza me atingiu em cheio. Eu sabia que havia feito a coisa certa, eu havia me entregado para a pessoa que eu mais amava, e agora eu sempre pertenceria a Jacob, e nenhum outro poderia me fazer sentir o mesmo.
            Me esgueirei lentamente e distribuí beijos por sua clavícula, pescoço e rosto.
            - Hmmm – ele se mexeu e me apertou em seus braços.
            Toquei seu ombro e rocei meus lábios nos seus.
            - Acorda amor – sussurrei.
            - Hmm, já? – ele fez uma careta.
            Ele abriu seus olhos  e sua careta se desfez em um sorriso.
            - Se eu pudesse – toquei sua bochecha – Eu ficaria aqui com você pelo resto da noite, mas nós temos que voltar.
            Ele me apertou em seus braços e colou seus lábios nos meus em um beijo calmo, cheio de amor e carinho, eu senti meu coração acelerar e uma pontada de desejo passar por mim, mas antes que eu pudesse fazer algo ele interrompeu.
            - Precisamos ir.
            - Eu sei, mas...
            - Não ness, se continuarmos eu não sei se vou deixar você sair daqui – ele sorriu.
            E eu?
            Fiquei vermelha como um tomate.
            - Impressionante, mesmo depois do que fizemos você ainda tem vergonha.
            Revirei meus olhos.
            - Não é vergonha Jake, duh!
            Ele me tirou gentilmente de seu colo e nós sentamos.
            - O que é então amor? – ele falou brincalhão enquanto tocava meu nariz com o seu.
            - Ah, você sabe que eu ruborizo fácil, herança de dona Isabella Swan – sorri.
            Ele roçou seus lábios nos meus.
            - Eu adoro esse tom na sua pele – ele falou passando seus dedos por minha bochecha – O jeito que os seus olhos brilham quando eu toco você.
            Eu não pude deixar de corar ainda mais, e fitar sua imensidão enegrecida, me perdendo nas piscinas intensas de seus olhos.
            - Você é tão linda Ness – ele seguiu tocando meu pescoço, meu ombro e meu braço – Meu anjo, eu amo você.
            E como sempre, acontecia quando Jake falava essas coisas para mim meus olhos encheram de água e eu podia sentir o sentimento forte contido naquelas simples palavras, tão piegas, tão velhas como o mundo, mas ainda sim Jake conseguia dar a elas sentidos maravilhosos e transformá-las na mais bela poesia, com a maior criatividade e sinceridade. Um sentimento puro e correspondido, naquele momento eu senti apenas mais uma pequena certeza.
            Eu sempre pertenceria a Jacob.
            E Jacob sempre pertenceria a mim.
            A obviedade do sentimento era simples e clara como cristal, mas se consistia em algo ainda mais puro e indescritível.
            Eu não tinha mais palavras disponíveis para pensar e intitular Jacob em minha vida, palavras como “sina” ou “destino” se tornaram amplas demais, o que tínhamos ia além disso, eu o amava com todas as fibras de meu ser, com a certeza cravejada nos cernes de meus ossos.
            Eu me inclinei em sua direção e o beijei, tentando lhe mostrar tudo que eu sentia, tudo que eu não poderia traduzir para palavras.
            E cedo demais ele se afastou.
            - Precisamos ir – ele fez um muxoxo – Eu não quero, mas precisamos.
            - Tudo bem – eu me levantei rapidamente.
            O problema é que eu estava totalmente sem equilíbrio, e pela segunda vez hoje Jake me salvou da queda eminente.
            - Devagar ai mocinha – ele riu.
            - Acho que eu fiquei um pouco tonta – sorri sem graça.
            Ele sorriu e nós levantamos, eu tentei desviar ao máximo o olhar de seu corpo tentando evitar algum constrangimento, mais foi quase impossível não babar quando ele vestiu seu jeans, ou quando seus músculos se contraíram ao colocar ao colocar sua camisa.
            Jake me olhou e sorriu só então eu percebi que ainda estava nua, na sua frente.
            Rapidamente eu me vesti, notei que ele havia deixado minha calcinha em frangalhos, bom, seria constrangedor ao extremo citar isso, então apenas resolvi me vestir com as roupas que me restavam ali.
            Por que na verdade não me restava muitas opções.
            Deixei escapar um risinho e Jake me olhou com humor.
            - O que foi? – questionou.
            Eu balancei a cabeça e comecei a rir, era incrível a minha capacidade de rir nos momentos menos oportunos.
            - O que foi Nessie? – ele falou um pouco constrangido.
            E de um modo estranho isto me fez rir mais ainda.
            Ele chegou mais perto de mim, passando seus braços por minha cintura.
            - O que é tão engraçado assim? – ele sorriu e eu segurei sua nuca,
            - É que... – eu respirei fundo amenizando minha crise de riso – Sabe, você foi um pouco impaciente... E acabou arrebentando...
            Eu estava corada. Tinha certeza disso.
            Ele riu.
            - Mas a culpada foi você.. – Jake sorriu e se inclinou para beijar meu maxilar.
            E como sempre o toque de seus lábios em minha pele me fez ferver, era quase automático. Como se eu estivesse em brasa até Jacob me tocar e me fazer queimar por dentro.
            - P-Por que? – gaguejei tentando ignorar o calor e o desejo que brotava em mim.
            - Por me tentar tanto – ele sussurrou e estreitou seus braços ao meu redor – Você não deveria ser tão desejável assim, é até um pecado sabe? Você me faz querer te tocar a toda hora, ter seus lábios nos meus a todo instante, te sentir perto de mim a cada segundo.
            Jacob era sempre tão intenso nas suas palavras, ele me deixava sem falas e tudo que eu podia pensar era em beijá-lo e permanecer em seus braços por toda eternidade, adorando-o a cada instante.
            Virei meu rosto, encostando nossos lábios em um beijo voraz, a volúpia entorpecia nossos sentidos deixando todo o resto para trás, me fazendo apenas focar em Jacob, seus lábios macios e quentes, seus cabelos negros, seus braços me aquecendo cada vez mais...

2 comentários:

AMEIIII. eu já disse que amo essa fic néh, pois é eu amo mesmo.
Parabéns pelo capítulo, esta perfeito.
Beijos.

ai eu amo essa fic
parabéns
o cap tava ótimo
Beeijos

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.