21 de dez de 2011

Capitulo 8

Posted by sandry costa On 12/21/2011 No comments


O professor Cullen esperou todos os alunos entrarem na sala e acomodarem-se em seus lugares.

- Bom dia. – Ele sorriu para a classe fazendo as meninas suspirarem.

- Bom dia Sr. Cullen.

- Eu corrigi as provas... – Edward pegou a pilha de papeis de cima de sua mesa. – Devo dizer que teve notas boas e ruins, mas acredito que quem tirou nota abaixo da media vai levar isso como um incentivo para estudar e não voltar a cometer o mesmo erro.

Ele caminhou entre as fileiras entregando a prova a cada aluno, quando se aproximou da carteira do filho de Isabella suspirou sabendo que o garoto ia dar patadas nele, como sempre.

- Parabéns. – O professor estendeu a prova para Anthony – Foi à nota mais alta da classe, definitivamente você não puxou sua mãe.

O menino cerrou os olhos.

- E eu perguntei algo? – Thony puxou a prova da mão de Edward – Está insinuando que minha mãe é burra?

O Cullen fechou os olhos se amaldiçoando. Porque ele tinha mesmo que tentar puxar assunto com o menino? Ah... Sim, talvez porque a aproximação com o garoto tornaria mais fácil seu relacionamento com a mãe dele.

- Não, sua mãe não é burra. – Edward sorriu – Ela apenas não gosta de matemática.

- O que você tem haver com isso? Você é apenas um professor, não devia ficar se metendo na vida dos outros.

O Professor travou o maxilar. Inspirou e aspirou, tentando manter a calma. Porém, o garoto tinha razão. Ali, na escola, Edward era apenas o professor de matemática.

- Me desculpe. – Sussurrou constrangido, dando as costas para Anthony.

A aula procedeu, e sempre que o rapaz tinha a oportunidade de contrariar Edward ele não a perdia. Felizmente, o professor foi maduro o suficiente para não sorrir para o garoto e dizer que ontem a mãe dele estava em sua cama. Tudo bem que não estavam fazendo nada demais, mas aquilo o irritaria muito e isso deixaria o professor muito feliz.

Com o fim da aula outra classe entrou na sala, era a turma de July. Felizmente, a garota foi bem educada com o professor, já havia notado o lance que rolava entre ele e sua mãe.

No intervalo Edward ficou na mesa que os professores ocupavam, com isso teve que aturar algumas professoras dando encima dele, umas velhas outras nem tantos.

Quando as aulas acabaram Edward seguiu para seu volvo não deixando de notar o moreno sentado no capo de um carro preto a algumas vagas distante da dele.

July e Anthony atravessaram o estacionamento em direção ao carro do pai. Jacob sempre ia buscá-los nas sextas-feiras, não que ele gostasse de ter os dois em seu apartamento, mas não poderia simplesmente dizer a seus filhos para que não fossem passar o final de semana lá porque assim ele poderia levar alguma vadia para sua cama.

Logo os três entraram no carro. Edward retirou o celular do bolso e lhe enviou uma mensagem a Isabella.

O jantar está de pé?

Entrou no carro e deixou o celular no banco, sabia que ela poderia demorar a responder já que estava trabalhando. Só quando chegou a seu apartamento e se sentou no sofá de seu apartamento que o celular vibrou.

Claro que sim, sou uma mulher de palavra.

Sorriu deitando-se. E digitou:

Que bom, eu já estava pensando que depois de você ter usufruído de mim iria me chutar.

Esticou suas pernas e ficou olhando para o celular como um bobo, aguardando pela resposta de Isabella que não demorou muito para chegar.

Edward!

Ele podia imaginá-la mordendo os lábios com aquele pequeno sorriso.

Vou deixá-la trabalhar, nos vemos a noite. Beijos minha linda.

Isabella mordeu os lábios enquanto lia a mensagem de Edward. Mal podia conter a ansiedade de vê-lo novamente.

A morena caminhou pelo corredor do hospital, contando os minutos para que a hora do jantar chegasse. Ela estava se sentindo tão estranha... Era como se estivesse voltado ao passado e aquela sensação de borboletas no estomago estava voltando.

Bella se lembrava de muitos momentos que teve ao lado de Edward, mas em especial, de sua primeira vez.

FLASH BACK ON.

O mundo estava conspirando a favor dos dois. Charlie e Renée havia ido para a cidade fazer a compra do mês e só voltariam no outro dia à tarde. Carlisle e Esme já estavam dormindo, era tarde quando Edward escapuliu e escalou a janela de Isabella.

- Você é louco! – A menina se sentou na cama. – E se alguém aparecer?!

O garoto riu retirando os sapatos e indo se sentar na cama com ela.

- Meus pais estão dormindo, os seus só voltam amanhã. – Inclinou-se colando a boca na dela. – Eu estava com saudades.

A morena mordeu o canto dos lábios contendo um sorriso.

- Ok.

- Se você quiser posso ir embora.

- Não, fique.

- Já que você insiste...

Ele a abraçou, puxando-a para se deitar na cama junto consigo.

- Espere. – Bella o empurrou saindo da cama e indo até a porta. – É melhor trancá-la, assim não corremos o risco de sermos pego.

Edward não estava prestando muita atenção no que ela dizia, seus olhos estavam fixos em suas coxas amostra. Ele já havia visto-a de biquíni quando nadaram no rio, mas Isabella estava incrivelmente linda com aquela camisola rosa bebê curta.

- Aham. – Respondeu meio desorientado.

Bella voltou até a cama, deitando-se ao lado de seu namorado. Edward inclinou-se sobre ela, tomando seus lábios. Há meses consideravam-se namorados, desde então o rapaz começou a sentir sensações diferentes quando a beijava, era um desejo estranho de abraçá-la e saciar seus desejos, uma vez quase foram mais além, porém Edward sabia que sua primeira vez com Bella teria que ser perfeita, não as margens de um rio sem conforto algum, seu pai e sua mãe já haviam conversado com ele sobre sexo.

As pequenas mãos de Isabella estavam tremulas nos cabelos de Edward. Ela estava começando a ficar nervosa com a intensidade do beijo que se tornava cada vez mais voraz. Além disso, tinha a mão do garoto que estava por dentro de sua camisola, apertando sua coxa.

Apesar de amedrontada, Bella estava gostando de sentir o corpo quente e pesado sobre o seu. A menina se arrepiou toda quando os lábios de Edward desceram para seu pescoço, fazendo-a fechar os olhos e gemer baixinho.

- Edward...

- Quer que eu pare amor?

- Não.

Ele sorriu. Beijou sua boca e se afastando, ajoelhando-se sobre a garota.

- Já conversamos sobre isso uma vez. – Edward tocou a bochecha dela – Eu amo você, não precisa ter medo, mas se você quiser podemos parar, por você espero o tempo que for necessário.

Ela sorriu negando com a cabeça.

- Tudo bem. – Sua mão segurou a de Edward que ainda estava em seu rosto. – Sei que você é o cara certo.

- Vou te fazer minha. – Ele inclinou-se para beijá-la.

- Eu já sou sua.

- Amo você minha linda.

- Eu também te amo.

FLASH BACK OFF.

Os dois tinham apenas 16 anos, mas aquela foi à noite mais incrível de ambos. Obvio que tiveram mais noites como aquela, mas nenhuma se comparou com a primeira vez, a química, o amor e a inocência tornou aquele ato lindo e único.

Isabella ainda se recordava da última coisa que ele disse antes que caíssem no sono.

Amo você minha linda, daqui em diante só faremos isso juntos”.

Infelizmente não foi isso o que aconteceu, alguns meses depois Charlie descobriu e foi à última vez que ela o viu.

A morena balançou a cabeça, tentando afastar aqueles pensamentos.

***

[N/A: A partir daqui o capitulo vai ser em POV’s, ok?]

POV Edward

Suspirei estacionando meu carro enfrente a casa de Bella, não sei o porquê, mas eu estava tão nervoso quanto como na primeira vez que a beijei.

Apesar disso tudo, a felicidade estava explodindo em meu peito, foi tão bom reencontrá-la...

Sai do meu volvo, caminhando até a porta e tocando a campainha.

- Edward! – Bella abriu a porta sorrindo. Ela estava incrivelmente linda, usando um vestido branco que ia até suas coxas. – Entre.

Assenti entrando em sua casa e admirando-a. A sala era bem a cara de Bells, tudo organizado, os moveis em tom escuro e muito luxuoso.

- Sua casa é linda. – Sorri para ela.

- Obrigada. – Suas bochechas ficaram um pouco corada.

Ela era tão linda. Quando menos percebi já estava indo em sua direção, abraçando-a e colando nossas bocas. Uma de suas mãos agarrou meus cabelos enquanto nossos lábios moviam-se um contra o outro, sua língua enroscada na minha de maneira deliciosa.

- Delicia. – Sorri, afastando-me.

- Edward! – Ela corou, empurrando-me.  – Vem, vamos até a cozinha.

Eu a abracei por trás e fomos até sua cozinha grande e também muito linda.

- O que você fez de bom?

- Strogonoff.

- Hm...

- Porque “hmm”? Não gosta?

- Não.

- Jura? Você só pode estar brincando! – Ela bateu o pé, chateada.

- Sim, eu estou brincando. – Sorri – Adoro.

- Bobo! – Riu colocando as mãos na cintura. – Bom, importasse de jantar aqui na cozinha? A mesa da sala de jantar é muito grande para apenas duas pessoas.

- Bom, quanto menos longe de você eu ficar melhor é para mim.

- Ok.

POV Bella

Ri enquanto observava Edward lavar a louça.

- Lava direitinho.

- Isso é um absurdo. – Ele torceu os lábios – É isso o que costuma fazer com as visitas?

- Edward, foi você quem se ofereceu.

- Bom, normalmente uma pessoa normal recusaria...

O soquei.

- Está insinuando que sou anormal?

Ele deu de ombros sorrindo torto. Assim que ele terminou fomos para a sala, sentar no sofá e assistir um filme que passava em um canal, mas para falar a verdade não ficamos prestando muita atenção no que se passava na TV. Edward me contou sobre o que fez durante todos esses anos, inclusive sua faculdade de direito.

- Que bom que resolveu mudar de profissão – Ri baixinho, alisando seu braço.

- Ah é? Por quê?

- Bom, você não é tão durão para ser advogado.

- Sou durão sim.

- Não é não.

- Fico durão rapidinho, quer ver? – Edward deu um sorriso safado.

- Edward! – Corei enquanto me afastava dele e ia para o outro canto do sofá.

- Ficou envergonhada minha linda? – Ele se arrastou até mim, jogando seu corpo sobre o meu e beijando minha boca. Não consegui resistir muito, logo estávamos embolados um no outro em meu sofá.

Quando ele se afastou eu mordi os lábios.

- Você sempre consegue me deixar envergonhada.

- Adoro ver você coradinha. – Seu dedo roçou em minha bochecha – Sempre foi assim, sabe disso. – Suspirei fechando os olhos, apreciando o seu carinho. – Estou tão feliz em poder estar pertinho de você novamente.

Abri os olhos sorrindo.

- Mesmo?

- Sim... – Seus dentes mordicaram meus lábios – E posso te garantir que se não estivéssemos perdido o contato estaríamos juntos até hoje.

Antes que eu conseguisse responder algo sua boca já estava novamente colada na minha, porém, o beijo calmo e terno tornando-se intenso e quente.  Meus dedos embolaram em seus cabelos, enquanto suas mãos apertavam minha cintura sobre meu vestido.

Abri um pouco as pernas, deixando Edward entre elas.

- Ed... – Gemi baixinho, arrepiando-me quando seus lábios escorregaram de minha boca para meu queixo e em seguida para meu pescoço.

- Você está tão cheirosa...

Me arrepiei toda quando sua mão desceu até a barra do meu vestido e o ergueu, tocando minha pele.

- Edward – O empurrei, respirando com dificuldade.

- Eu... – Ele se sentou, passando a mão pelos cabelos – Me desculpa, eu não devia ter feito isso, me desculpa mesmo.

- Ei. – Me ajoelhei sorrindo. Aproximei minha boca da sua e suguei seus lábios – Não precisa se preocupar.

- Não?

- Não. – Mordi meus lábios e abaixei meus olhos – Eu... – Peguei fôlego enquanto sentia minha bochecha queimando – Eu só queria, que, bom, eu queria que isso não acontecesse aqui.

- Hm. Você tem razão, afinal, aqui é sua casa e de seus filhos. Se quiser podemos ir para meu apartamento.

Rolei os olhos e me levantei do sofá.

- Só estou tentando sugerir que subíssemos para meu quarto.

Ele ficou me olhando por alguns segundos.

- Para... O... Seu... Quarto?

- Exatamente.

Um grande sorriso rasgou seus lábios. Ele também se levantou e me abraçou.

- Pensei que eu talvez estivesse indo rápido demais. – Edward me forçou a andar em direção as escadas. – Me diz onde fica seu quarto.

0 comentários:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.