25 de mai de 2010

Explicações

Posted by Daniella On 5/25/2010 5 comments

(Nick)

Eu estava em cima de alguma coisa dura e fria, meu corpo estava diferente e minha garganta de certa forma estava queimando, eu não sabia como mais de alguma forma estava conseguindo ouvir pessoas conversarem em alguma língua que eu não entendia em algum cômodo elas pareciam estar perto de mim, abrir os olhos para verificar, mas a única coisa q eu vi foi uma sala branca, com alguns livros e coisas de medicina. Levantei-me e fui até a janela, aquilo com certeza não era o Rio, tinha floresta, uma grande floresta, e estava nublado, eu vi o meu reflexo na grande janela de vidro e não pude acreditar no q eu vi, não podia ser eu, aquela garota era linda, tinha a pele branca, eu já tinha a pele branca mais aquilo era realmente branco, eu trisquei nela para verificar se era real, e ela era, e gelada também, e meus olhos, meus olhos estavam um vermelho, um vermelho que eu nunca vira na vida, tentei me lembrar o que tinha acontecido e a única lembrança de que eu me recordava era a única que eu temia não me lembrar. Cayo estava no chão sangrando e o Santiago dissera q ele estava morto, não, não podia ser verdade e eu também estava no chão sangrando muito e senti algo frio me tocar e logo comecei a sentir alguma coisa encostando em meu pescoço e depois muita dor e uma queimação que meu corpo recebia, a queimação q minha garganta estava sentindo agora. E claro os Cullen estavam lá também eles diziam que iam me salvar, mas a única coisa que eu sentia era a morte se aproximando, mais eu não entendia se a morte estava se aproximando de mim o que eu estava fazendo aqui em um lugar que eu nunca vi? Comecei a ouvir passos, era apenas uma pessoa, eu me virei para a porta para ver quem era. Quando essa pessoa entrou, eu fiquei chocada.
-Nick, você acordou. –era o Edward, ele entrou bem devagar na sala e depois fechou a porta. Eu não entedia, por que eu estava ali, o que eu estava fazendo ali, o que houve comigo, por que ele estava ali naquele lugar tão desconhecido, por que ele estava agindo com tanto cuidado, onde estava Cayo?
-Eu sei que você esta bem confusa Nick, eu vou ti pedir para você ter calma eu irei responder todas as suas perguntas tudo bem. –ele iria responder todas as minhas perguntas, mas com a parte de tudo bem eu não estava convencida.
-Olha você esta na America. –o que eu estava fazendo na America? Mas por quê? Quem me trouxe para cá? – Se acalma eu vou ti explicar. Você se lembra do acidente que teve no show? –eu assenti. – Então você foi baleada e eu minha família ti trouxemos para a nossa casa.
-Por quê? –eu me assustei com a minha própria voz, ela estava diferente muito diferente.
-Você já notou que todos da minha família somos muito pálidos e temos a pele fria, não comemos ou bebemos e não saímos à luz do sol? –aonde ele queria chegar com a aquela conversa. –Nick eu e minha família somos vampiros. –eu não sabia mais de nada, se antes eu estava confusa agora eu estava perdida.
-Como assim vampiros? Vampiros não existem. Eu quero ir embora eu quero ver o Cayo, cadê o Cayo?
-Nick eu lamento dizer mais o Cayo morreu. –não podia ser então era verdade o que o Santiago tinha falado o amor o único amor da minha vida morreu, naquele momento meu corpo pareceu ficar em chamas, em chamas de puro ódio, eu queria matar o Santiago, queria descarregar todo meu ódio.
-Vingança não vai ajudar em nada Nick.
-Você não sabe de nada. –disse com frieza, minhas mãos estavam em punhos e os meus olhos estavam fechados. Ele ficou calado por uma batida de coração, meu coração.
-O é verdade, seu coração Nick. –como assim meu coração? O que tem meu coração?
-Seu coração esta batendo. –ele estava doido? Eu estava viva era normal que meu coração batesse.
-Eu já disse eu e minha família somos vampiros, e pra ti salvar eu tive que ti morder. –ah ele só podia estar doido, vampiros não existia. Esperai, antes de eu apagar em um sono profundo eu lembro que alguma coisa gelada tocava meu pescoço e algo era injetado em mim, não podia ser.
-Foi você?
-Era o único jeito de ti salvar. –eu pedir, eu pedir caramba para eles me deixarem morrer, era pedir de mais? Mais então se eles me salvaram eles poderiam...
-O Cayo! Por que vocês também não salvaram o Cayo? –ele ficou calado. Mais depois me respondeu
-Ele já estava morto. –eu fiquei com mais raiva ainda, raiva do Santiago por ele ter matado o Cayo, raiva do Cayo por ele não ter me ouvido e ter saído dessa gangue enquanto havia tempo, raiva de mim por eu não ter morrido e ter me encontrado com o Cayo, e raiva dos Cullen por eles ter me tirado a chance de me encontrar com o Cayo na outra vida e por eles ter me transformado nesse mostro que eu ainda duvidava que existissem alguns segundos atrás. Edward pareceu ficar decepcionado e triste. Mas esperai tinha uma coisa.
-Mais como assim meu coração esta batendo? Não e normal o coração de um vampiro - eu cuspi a palavra. –bater?
-Não, nos vampiros, não choramos, comemos, e o nosso coração não bate. –então eu era um monstro que quando me desse vontade de chorar de expressar algum sentimento que envolvesse o choro eu não poderia demonstrar? E a palavra ‘comemos’ me lembrou a coisa pior de tudo. Eu teria que matar pessoas inocentes?
-Não, Nick minha família não mata humanos, nos sobrevivemos de sangue de animal. –como ele sabia que eu estava pensando isso?
-Alguns vampiros têm alguns dons o meu é ler pensamentos. –agora estava explicado.
-Eu sou uma vampira?
-Sim. –ele respondeu.
-Não, não sou.
-Desculpe mais infelizmente você é. –ele entendeu errado.
-Não eu não sou uma vampira, meu coração bate. –ele pensou e depois assentiu.
-Vamos ir até lá embaixo, vem ver os outros. E Carlisle vai ti examinar pra saber, por que seu coração bate. –eu ainda estava com ódio deles.
-Escute Nick não fica com raiva da minha família, fique com raiva de mim, fui eu que ti transformei.
-Eu estou com mais raiva é de vocês terem me trazido para cá.
-Nos não podíamos ficar lá.
-Por quê? –qual seria a diferença, além disso, eu queria voltar para o Brasil, eu ainda quero matar o Santiago.
-Por que nos moramos aqui, e como fui eu que ti transformei, eu sou seu criador eu tenho que, digamos, cuidar de você. E você não pode voltar para o Brasil tão cedo. –essa eu não entendi.
-E por que não?
-Por duas razões, a primeira é que você ainda é uma recém criada. –recém criada? Como assim? –recém criada é você ser ainda uma vampira há pouco tempo, então você é uma recém criada. –ah ta agora eu entendi, era bom eu não ter que abrir a boca pra poder falar com ele, minha voz ainda me assustava. –você se acostuma.
-Se você diz, e daí se eu sou uma recém criada?
-Bem você ainda não tem o controle necessário para ficar perto de humanos entende? –pra dizer a verdade mais ou menos, mas qual é a segunda razão?
-A segunda razão é que para as pessoas que você conhece você esta morta.
-Como assim morta? Eu não to morta, eu sou apenas uma... Vampira.
-Sim, mas para você vim comigo e minha família para cá nos tínhamos que fingir sua morte, mais eu não acho que tenhamos fingido de certa forma você esta mesmo morta, ou deveria.
-Então eu não posso ir para o Brasil por que as pessoas acham que eu estou morta e por que eu não tenho um controle para ficar perto das pessoas?
-Isso. –mais eu não ligo se as pessoas acham que eu estou morta, elas de certa forma sempre achavam que eu estava mesmo não ia fazer diferença alguma para eles, mas eu vou voltar ao Brasil sim eu quero minha vingança eu quero despejar todo o meu ódio naquele miserável do Santiago eu ia esperar apenas eu ter o controle necessário e iria partir.
-Demora muito tempo para eu conseguir o controle? –lhe perguntei, ele estava perdido em pensamentos.
-Sim, uns 3, 2 anos. Nick eu queria ti pedir para você não querer vingança, isso não ameniza a dor ou o ódio, o que você deve fazer é recomeçar, eu não estou pedindo para você esquecer até por que você vai sempre se lembrar, por toda sua eternidade. –como assim ele queria que eu esquecesse? Que eu esquecesse o Cayo, o que o Santiago me causou, ele queria que eu me esquecesse da minha vida humana?
-Eu não quero que você se esqueça das coisas boas, apenas tente se esquecer das coisas ruins tente. – era fácil falar, mais que coisa é essa de eternidade?
-Vampiros não morrem, a não ser que você o pique em pedaços e o queime. –que morte horrível. Ele assentiu.
-Vamos ir lá em baixo, Carlisle está ansioso para saber por que você é tão diferente de nós e devo admitir que todos estão.
-Ta bom, mais tem um problema.
-Qual?
-Eu não falo inglês.
-Nós iremos falar português, não se preocupe ti ensinaremos a falar inglês e todo o resto.
-Ta. E todos vocês tem dons?
-Não, eu posso ler mentes, a Alice ver o futuro e o Jasper pode mudar os seus sentimentos, por exemplo, se você estiver nervosa ou algo parecido ele ti deixa tranqüila e muito calma.
-Ah. Eu tenho algum dom? –ele ficou pensativo.
-Vamos descobrir. Vem vamos. –ele abriu a porta e eu comecei a caminhar até ela e depois ele fechou a porta e começamos a caminhar, a casa era simplesmente magnífica, muito linda. Caminhamos até uma escada e estavam todos lá e mais um que eu não sabia quem era ele parecia uma copia do Jake, mais era um pouco menor.

Oi, espero que eu tenha deixado explicado bem... Pelo menos o básico né:) Comentem!! Bjs^^

5 comentários:

DANY isso e hora de acabar o cap vc me deixou super curiosa ...........mas tava lindo demais ha e vc esplicou tudo certinho sim vou esperar o proximo cap com ansiedade parabens vc merece

Oiii ZE obg flor! Tava com saudades^^
Quanto tempo...
Boa Noite, Bjs!!

Meu caramba! 0.0

SETH! Meu continuaaaaaaaaaaaaaa!

E agora? Como assim o coração dela bate? Que poder ela vai ter? Como vai ser a impressão? Como ela vai reagir a impressao? Ela vai voltar pro Brasil? Vai perdoar os Cullen's?

Não demora pra postar não Dany por favor!!
To curiosa pra saber o que vai acontecer!
To amando sua fic!!
Bjuss

Dany primeiro o cap esta muito bom. mas eu tenho algumas criticazinhas, porem como eu sempre digo as criticas nos ajudam no futuro.
primeiro, para ela sua pele nao seria fria, ainda mais ela sento uma meio vampira como a nessie, q segundo a stefany a pele era tao quente quanto a de jake, somente um pouco menos.
segundo ela nunca conseguiria conversar com o edward nessa tranquilidade por causa da sede, nem mesmo a bella q tinha um super auto controle nao conseguiu.
mas a fic é sua e vc poe a sua carinha nela, eu so falei pq se fosse comigo gostaria que falassem.
tirando isso a fic esta esplendida parabens, vou ler o outro mais tarde pq agora tenho q trabalhar kkk.

bjsssssss

Postar um comentário

Não esqueça de comentar, isso incentiva os escritores e também a mim que tento agradar a vocês.